A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Observatório do CDCC - USP/SC. Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Observatório do CDCC - USP/SC. Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural."— Transcrição da apresentação:

1 Observatório do CDCC - USP/SC

2 Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural - CDCC Universidade de São Paulo - USP Endereço: Av. Trabalhador São-Carlense, n.400 São Carlos-SP Tel: 0-xx (Observatório) Tel: 0-xx (CDCC) Localização: Latitude: 22° 00' 39,5"S Longitude: 47° 53' 47,5"W Imagem: O Inicio do Observatório

3 Sessão Astronomia

4 As Sessões Astronomia são palestras proferidas pela equipe do Setor de Astronomia todos os sábados às 21h00. Iniciadas em 1992, foram criadas com o objetivo de falar sobre Astronomia ao nosso público em uma linguagem simples e acessível a todas as faixas etárias. Estas palestras se tornaram uma opção de diversão e informação para a comunidade local e também para visitantes de nossa cidade. Os temas abordados são os mais variados possíveis. O material multimídia contido aqui consiste numa opção audiovisual complementar que o professor do Sistema de Ensino pode utilizar como auxílio às suas aulas. O conteúdo das Sessões Astronomia pode ser acessado no seguinte endereço: Crédito do logo: Sessão Astronomia, CDCC-USP/SC, criado por Andre Fonseca da Silva Observação: Padrão e resolução da apresentação: 800 x 600 pixel com imagens a 96 dpi ou 38 pixel por centímetro com dimensão de 8,35 polegadas x 6,26 polegadas ou 21,2 cm x 15,9 cm respectivamente. Editado normamente em Office 97, podendo haver incompatibilidade de execução no Office XP e vice-versa.

5 Busca de Supernovas Extragalácticas no Brasil Por Silvia Calbo Aroca

6

7 I. Introdução sobre Supernovas 1. O que são supernovas 3. Nomenclatura 1. Primeira Supernova de uma brasileira. 3. Projeto Busca de Supernvas no Brasil 4. Supernovas descobertas no projeto III. A Importância de Supernovas para nós. II. Descobertas de Supernovas no Brasil 2. Primeira Supernova descoberta no Brasil. 2. Histórico de supernovas? 4. O que são supernovas extragalacticas ?

8

9 Supernova de 1006 D.C.

10

11 magnitude de -6 Visível a olho nu durante 653 dias na China Supernova de 1054 D.C.

12

13

14 Pulsar com rotação de 30x por segundo.

15 Supernova de Tycho de novembro de de novembro de W. Schuler Tycho passou a dedicar-se exclusivamente a astronomia Identificada por rádio telescópios na década de 60 Tycho foi um marco na astronomia Atingiu quase o brilho de Vênus

16

17 Supernova tipo I

18 n 1572 Tycho Brahe discovered a supernova of type Ia. The exploding White Dwarf was destroyed completely, but its companion, the Yellow Subgiant Tycho G, got a hefty kick and shoots away now from the place of the explosion with 136 km/s.

19 Supernova de Kepler Brilho entre Júpiter e Sírius

20 Ambas imagens dos site:

21 14 anos luz de extensão

22 NASA/ESA/JHU/R. Sankrit and W. Blair 1. imagem no infravermelho do Sptizer 2. imagem no visível do HST 3. imagem do Chandra em raios X

23 Data (D.C.): Constelação: Centaurus Cassiopéia Lupus Taurus Cassiopéia Ophiucus Brilho: Mais brilhante que Vênus Mais brilhante que Marte e Júpiter Mais brilhante que Vênus Quase do brilho de Vênus Entre Júpiter e Sírius Observadores: China China, Japão,Koréa, Europa, Arábia China, Japão, Novo México Tycho e outros Kepler, Galieo e outros Distância (AnoLuz): Supernovas Históricas na Galáxia

24 Galáxias

25

26 Exemplo de Galáxias Satélites a Via Láctea

27

28 Supernova 1987A Foi visível a olho nu, magnitude 5 Supernovas Extragalácticas

29 24 Fevereiro, 1987 * Nebulosa da Tarântula na Grande Nuvem de Magalhães, * por Ian Shelton, University of Toronto, * em Las Campanas Observatory, Chile.

30 2004/Hubble anos luz 1994/ Hubble

31 The ring, about a light-year across, already existed when the star exploded. Astronomers believe the star shed the ring about 20,000 years before the supernova blast. The ring is glowing in the early Hubble photos because it is being heated by ultraviolet radiation from the exploding star. Tipo II

32 Tipos de supernovas Tipo 1a – Ocorre num sistema binário de estrelas. Onde uma das estrelas, a anã branca (composta de Carbono e Oxigênio) acreta material de sua companheira uma estrela mais fria. Quando o material que acumula-se sobra a anã branca atingir a densidade crítica de 2x10 9 g/cm 3 ela sofre fusões descontroladas de carbono e oxigênio Tipo II – Ocorre como processo natural no fim de vida de uma estrela massiva. Nesta fase ela já exauriu todo material de seu núcleo, e não pode mais fazer fusão nuclear. Se seu núcleo de Ferro tiver massa suficiente ela irá colapsar produzindo uma supernova. Classificação original baseada na presença de H. Tipo Ib – Tipo II em que a estrela antes de explodir já expeliu seu H da atmosfera.

33 Nomenclatura de Supernovas SN + Ano de descoberta + A,B,C.... Z, aa, ab....zz 13/06/04 11/01/06 SN 2004cw SN 2006D

34

35

36 2 SN 1997D SN 2002bo 11 no programa BRASS (Brazilian Supernovae Search) 13 supernovas descobertas por brasileiros SN 2004cw SN 2004cz SN 2004ew SN 2005af SN 2005al SN 2005aw SN 2005cb SN 2005cn SN 2005dn SN 2006D SN 2006ci

37 SN 1997D Duília de Mello Primeira Supernova descoberta por uma Brasileira! ESO 1,52 m, Chile

38 Descoberta de SN 1997D ESO 1,52m Obtendo espectro de galáxias de sua amostra Estrela muito brilhante no campo que não estava no mapa de busca Colocou a estrela na fenda do espectrógrafo, consultou livros e notou que era uma supernova tipo II O astrônomo Stefane Benetti estava no pico, e observando o espectro percebeu tratar-se de uma supernova inédita. Duília de Mello Pesquisa para o observatório nacional Doutora pelo IAG/USP Brasileira residente na Suécia

39 Paulo Cacella, Brasília/DF - REA Primeira Descoberta de Supernova no Brasil! MEADE 10

40 O Acaso da Descoberta Galáxia bem posicionada para o hemisfério norte Supernova descoberta 3 semanas antes do máximo Não havia uma busca sistemática para estes objetos Descoberta simultânea com Yoji Hirose do Japão

41 Galáxia num grupo frequentemente observado por suas peculiaridades Descoberta posterior, trata-se de uma supernova do tipo I Máximo brilho atingiu magnitude 13.7 SsssSsss Mais uma supernova descoberta em NGC 3190, fenômeno raro, maio de 2002

42 Descoberta da supernova SN 2002bo em NGC 3190 Galáxia situadas a 60 milhões de anos luz.

43 Descoberta da supernova SN2002bo em NGC 3190 Paulo Cacella, Brasília/DF - REA Fotografou o grupo de galáxias Hickson 44, caracterizado pela diferente morfologia de galáxias que o compõe na constelação de Leão Tempo de exposição de 10s, estrela de magnitude 16.5 próximo ao centro de uma galáxia NGC 3190 Imagens com mais exposições, checou IAU circulares, base de dados de asteróides Impossível dizer se é uma supernova sem observar o espectro do objeto Notificou a IAU e a VSNET como possível supernova

44 Duas horas depois, Dr. Weidong Li, confirmou a descoberta com o telescópio Lick na California No momento em que eu a vi pela primeira vez sabia que era uma supernova Só não sabia que era inédita "Descobrir uma supernova é como ganhar na loteria", astrônomo Walter Maciel

45

46 Fundadores do BRASS (Brazilian Supernovae Search) Tasso Napoleão Christovão Jacques Carlos Colesanti Eduardo Pimentel Método Sistemático de Busca de Supernovas CEAMIG/REA

47 História do BRASS Iniciativa em 2001 de Cristóvão Jacques e Tasso Napoleão ambos engenheiros com formação em astronomia pela UFMG e USP respectivamente. Posteriormente juntaram-se ao grupo Eduardo Pimentel (Belo Horizonte) e Carlos Colesanti (São Paulo) Formando o CEAMIG/REA supernovae search, CRSS Centro de Estudos de Minas Gerais CEAMIG (1954) Rede de Astronomia Observacional (1988) Termo BRASS, 2004

48 Motivação para criar o BRASS Em 2000 havia 23 grupos de busca de supernova no mundo. Apenas 5 no hemisfério sul. Deficiência de descobertas no hemisfério sul. Maior compreensão de supernovas como indicadoras de distância. Trabalho harmonioso entre amadores e profissionais. Planejamento - Automatizar os equipamentos de busca. - Construir um catálogo de galáxias para busca de supernovas.

49 Construção de um catálogo otimizado de galáxias que considera as probabilidades de ocorrência de supernovas. Como tipo morfológico, brilho, massa e inclinação), outros fatores como limite instrumental, Cristóvão Jacques auxiliado por Colesanti e Pimentel dedicou-se a automatização dos equipamentos de observação. Tasso Napoleão a construção de catálogos otimizados de galáxias iniciou-se a busca sistemática Planejamento Necessitava-se da automatização dos equipamentos usados, softwares e scripts específicos para otimizar os dados m 2000 havia 23 grupos de busca de supernova no mundo. Apenas 5 concentravam-se no hemisfério sul. Deficiência de descoberta no hemisfério sul, estimativa de 10 a 15 por ano. Maior compreensão das supernovas tipo I, indicadoras de distância e maior entendimento de evolução estelar. Possibilidade de um trabalho harmonioso entre amadores e profissionais. Motivação para criar o BRASS

50 2003 obtenção de imagens de acervos de galáxias, essas imagens são usados no blinking que seleciona as suspeitas para a análise posterior

51 O Catálogo de Galáxias Erro usar todo catálogo NGC, sem considerar fatores de probabilidade de ocorrência de supernovas. Grande Nuvem de Magalhães; 1 supernova a cada 700 anos. Via Láctea; 2 supernovas a cada século NGC 6946; 8 supernovas por século Ocorrência de Supernovas: Versão 2.0 (05/2005): 3600 galáxias Cada supernova em média requer análise de 5000 imagens antes de ser descoberta.

52 O catálogo de galáxias Erro frequente em programas de busca de supernovas, usar todo catálogo NGC sem considerar fatores de probabilidade de ocorrência de supernovas. por exemplo, estima-se que a Grande Nuvem de Magalhães apresente uma SN a cada 700 anos, enquanto que na Via Láctea esta taxa é de cerca de duas SN por século, e, num caso mais extremo, em NGC 6946, foram registradas nada menos de oito SN nos últimos cem anos. a versão 1.0, usada até abril de 2005, contém 1200 galáxias; a versão 2.0, que usada a partir de maio de 2005, contém pouco mais de 3600 galáxias); sete SN foram descobertas em cerca de imagens adquiridas - ou seja, uma SN a cada 3000 imagens, versus um numero geralmente aceito de 5000 imagens para cada SN. Condições climáticas desfavoráveis no Brasil

53 Observatórios 2 estações em Minas Gerais: 1 em São Paulo: Meade 12 e Celestron 14 Magnitude limite 17

54 Observatórios aquisição de imagens, o projeto BRASS conta atualmente com duas estações em Minas Gerais (o Observatório Wykrota, do CEAMIG, na Serra da Piedade, e o Observatório Robótico CEAMIG-REA, em Belo Horizonte), e uma estação em São Paulo (o Observatório Orion-REA, na cidade de Mairinque MEADE de 12 polegadas e câmera CCD Magnitude limite em noites favoráveis, 17 Tempo de integração das imagens de 45 a 60s, cerca de 500 imagens por noite. Aquisição de imagem: Redução de dados: Imagens comparadas por técnica de blinking Se acusar um ponto brilhante inexistente, existem mais nove procedimento da IAU antes de reportar uma supernova.

55 Antes de Reportar uma Descoberta Se acusar um ponto brilhante inexistente, existem vários procedimento da UAI e do próprio BRASS antes de reportar uma supernova! Procedimentos da UAI (União Astronômica Internacional) 1. Medida astrométrica precisa do objeto. 3. Observar numa segunda noite para verificar que o objeto está na mesma posição. Imagens comparadas por técnica de blinking. 4. Verificar banco de dados de supernovas recém descobertas. 2. Medir magnitude do objeto. Asteróide? Estrela variável?

56

57 Imagem obtida por outro observador na mesma noite da suposta descoberta.

58 Candidata Verdadeira

59

60 A UAI providencia um espectro do objeto obtido por telescópios profissionais. Antes de comunica a UAI Verificar com cuidado imagem da galáxia em diferentes banco de dados. Procedimentos adicionais do BRASS Se após tudo isto não for descartada a hipótese de ser uma supernova... A UAI é comunicada e...

61 Uma supernova é uma explosão sem precedentes que ilumina toda uma galáxia e cuja luz percorre os mais distantes confins do universo. Essas estrelas, em seu leito de morte, além de serem faróis que iluminam o nosso conhecimento do Cosmos, também são matéria-prima que criará novos mundos, talvez novas civilizações como a nossa. Paulo Cacella

62

63


Carregar ppt "Observatório do CDCC - USP/SC. Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google