A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANIMAIS INVERTEBRADOS Prof. Claudio Giovannini Introdução Os filos dos poríferos e cnidários são representados por animais quase exclusivamente marinhos,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANIMAIS INVERTEBRADOS Prof. Claudio Giovannini Introdução Os filos dos poríferos e cnidários são representados por animais quase exclusivamente marinhos,"— Transcrição da apresentação:

1

2 ANIMAIS INVERTEBRADOS Prof. Claudio Giovannini

3 Introdução Os filos dos poríferos e cnidários são representados por animais quase exclusivamente marinhos, com poucas espécies de água doce. Os poríferos são conhecidos como esponjas e os cnidários, como águas- vivas, medusas, rosas – do – mar, corais.

4 Poríferos Principais características O filo Porífero abriga animais aquáticos, geralmente marinhos, sem tecidos ou órgãos definidos e sésseis, e se encontram fixados ao substrato. Podem variar quanto à forma, cor e tamanho. O corpo é cilíndrico, oco, com uma abertura na região aérea, denominada ósculo e revestido por células pavimentosas, denominadas pinacócitos, as quais são interrompidas com algumas aberturas, denominadas porócitos. Estas propiciam a entrada de água contendo alimento e oxigênio, motivo pelo qual consideramos as esponjas como sendo animais filtradores.

5

6 FILTRAÇÃO São considerados animais filtradores, pois seu corpo parece uma peneira ou filtro: a medida que a água passa por seus poros, as pequenas partículas de alimento são removidas.

7 Tipo e forma de respiração As esponjas não apresentam sistema digestório, respiratório, excretor e nervoso. Todas as trocas de substâncias solúveis são feitas por difusão direta. Mas a corrente de água que entra pelos poros da esponja traz também oxigênio dissolvido na água e leva para fora, através do ósculo, o gás carbônico e os resíduos do metabolismo (excretas).

8

9 Tipo e forma de reprodução Os poríferos podem reproduzir-se tanto assexuadamente, como sexuadamente. A reprodução assexuada nas esponjas pode ocorrer de três modos: Regeneração Na regeneração os poríferos possuem grande poder de regenerar partes perdidas do corpo. Qualquer parte cortada de uma esponja tem a capacidade de se tornar uma nova esponja completa. Brotamento O Brotamento consiste na formação de um broto a partir da esponja- mãe. Os brotos podem se separar, constituindo novos animais. Gemulação A Gemulação é um processo realizado pelas espécies de água doce e alguns marinhos. Consiste na produção de gêmulos, um grupo de ameboides que são envolvidos por uma membrana grossa e resistente.

10 Reprodução Sexuada A reprodução sexuada - por meio de gametas - dos poríferos ocorre de uma maneira bastante interessante, pois a fecundação é indireta. Isto porque o espermatozóide não penetra diretamente no óvulo. Os espermatozóides são eliminados na corrente de água, entram pelos poros de outra esponja e são fagocitados pelos coanócitos. Só então os gametas masculinos atingem o mesênquima e fecunda o óvulo. Tanto os óvulos como os espermatozóides são originados pelos arqueócitos. Os poríferos podem ser monóicos (hermafroditas) ou dióicos (de sexo separado). O desenvolvimento é indireto, por meio de uma larva ciliada livre-nadante - a anfiblástula. Depois de um tempo, ela se fixa a um substrato - estágio olinthus.

11 Cnidários Principais características São representados por animais quase exclusivamente marinhos, com poucas espécies de água doce. Se apresentam sobre duas formas, os pólipos, que são fixos, e as medusas, que nadam livres, nos mares. Podem constituir grandes colônias com a maioria dos corais, ou crescer isoladamente como as anêmonas. Há também colônias complexas que andam submersamente à água como a caravela.

12 Pólipo

13 Medusa

14 Corais

15 Anêmonas

16 Ambiente onde habitam Habitam quase exclusivelmente o ambiente marinho, com poucas espécies de água doce.

17 Forma e tipo de alimentação Em todos os animais deste filo existem células especializadas, os cnidoblastos, para a captura do alimento e proteção. Os cnidoblastos são pequenos e têm no seu interior um longo filamento enrolado, mergulhado numa bolsa contendo forte toxina. Ao menor toque, o filamento dispara, desenrolando-se bruscamente, e injeta a toxina no corpo de uma possível presa, um pequeno crustáceo ou um peixe, que fica paralisado. Num simples tentáculo podem se concentrar milhares dessas células, que podem se disparar simultaneamente.

18 Forma e tipo de respiração Os celenterados também não apresentam os sistemas respiratório, circular e nervoso. A troca de gases dele ocorre por difusão e do tipo aeróbia.

19 Forma e tipo de reprodução Os cnidários apresentam reprodução assexuada e sexuada. A assexuada ocorre em diferentes tipos de pólipos. Nas hidras, por exemplo, há uma reprodução bem simples, por brotamento, semelhante à das esponjas: na parede externa do corpo surge uma pequena gema (broto), que se desenvolve e se desprende, originando um novo pólipo. Areprodução sexuada ocorre em pólipos e medusas, que produzem seus gametas em órgãos especiais, as gônadas. Veja que aqui já existem órgãos, que não acontece nas esponjas. Os espermatozóides são liberados no mar e fecundam os óvulos no interior dos ovários de outro animal da mesma espécie.

20 Forma Larvar Cada zigoto pode formar uma microscópica larva que se locomove por cílios e se desenvolve originando um novo indivíduo. No caso da hidra não há larvas e o zigoto se desenvolve diretamente, formando um novo pólipo. Um tipo de reprodução é a chamada de alternância de gerações, típicas das medusas. Esses animais só fazem reprodução sexuada, produzindo pólipos muito pequenos, de alguns milímetros. Em seqüência os pólipos se reproduzem assexuadamente, separando vários pequenos discos ao longo de seus corpos. Uma vez liberado na água, cada pequeno disco se desenvolve, formando uma medusa. Pode-se resumidamente, que há uma alternância entre um indivíduo da forma pólipo e uma da forma medusa.

21 Reprodução das hidras e anêmonas –do-mar

22 Reprodução das medusas

23 Presença ou não de esqueleto Os cnidários são um pouco mais complexos, que já apresentam dois tecidos, um interno e outro externo, formando a parede corporal, ficando entre eles uma camada de substâncias gelatinosas.

24 Representantes O filo Cnidária está dividido em cinco classes de organismos atuais e mais uma de fósseis: Anthozoa - as anêmonas-do-mar e corais verdadeiros; Scypozoa- as verdadeiras águas- vivas; Cubozoa - as medusas em forma de cubo;

25 Hydrozoa - as hidras, algumas medusas, a garrafa-azul (caravela- portuguesa) e os corais-de-fogo; Staurozoa - as medusas que habitam regiões costeiras dos oceanos em zonas temperadas e estão fixas pelos tentáculos; Conulata - extinta. CLASSIFICAÇÃO

26 PLATELMINTOS VERMES CHATOS 1) Quem são? Schistossoma mansoni; Schistossoma mansoni; Tênias; Tênias; Planárias; Planárias;

27 2) Características Gerais: 2) Características Gerais: Aquáticos, solo úmido ou interior do corpo de hospedeiros; Aquáticos, solo úmido ou interior do corpo de hospedeiros; Vida livre e parasitas;Triblásticos ( ecto, endo e mesoderme ) Vida livre e parasitas;Triblásticos ( ecto, endo e mesoderme ) Simetria bilateral; Simetria bilateral; Acelomados Acelomados

28 Sistema Nervoso Ganglionar Presença de órgãos dos sentidos: ocelos e aurículas Sistema digestivo imcompleto – só boca, digestão extra e intracelular.

29 2) Características Gerais: Sistema Excretor – CÉLULAS FLAMA

30 3) Reprodução: Assexuada: Assexuada: Laceração e Regeneração; Laceração e Regeneração;

31 3) Reprodução: Sexuada: Sexuada: Formação de gametas e fecundação; Desenvolvimento direto ou indireto – larva miracídeo, cercária, metacercária e cisticercos.

32 4) Classificação: 4.1)CLASSE TURBELÁRIA: Planárias – vermes de vida livre, água dode ou solo úmido. Hermafroditas com fecundação cruzada e desenvolvimento direto.

33 4) Classificação: 4.2)CLASSE TREMATODA: 4.2)CLASSE TREMATODA: Schistossoma mansoni – parasita humano. Dióicos – casal de vermes no sistema porta-hepático.

34 Esquistossomose Agente etiológico: Schistossoma mansoni; Ciclo heteroxeno: - Hospedeiro intermediário: Biomphalaria (caramujo planobídeo); - Hospedeiro definitivo: homem.

35 ESQUEMA

36 Esquistossomose Sintomas Sintomas Mal estar e prostração Falta de apetiteEmagrecimento Dor de barriga Fase crônica: aumento do tamanho do fígado e baço, causando ascite (barriga dágua)

37 4.3)CLASSE CESTODA: Taenia spp. – parasitas de vertebrados em geral. Mais de vinte espécies; Não apresentam sistema digestório; Solitárias – hermafroditas com autofecundação. 4) Classificação:

38 Teníase Teníase Agente etiológico: Taenia solium e Taenia saginata; Agente etiológico: Taenia solium e Taenia saginata; Ciclo heteroxeno: Ciclo heteroxeno: - Hospedeiro intermediário: Porco (T. solium) e boi (T. saginata). - Hospedeiro definitivo: homem – vermes adultos no intestino.

39 Teníase

40

41 Teníase Sintomas: Sintomas: - dor de fome ou falta de apetite; - vômitos, diarréias e distúrbios intestinais; - vômitos, diarréias e distúrbios intestinais; - emagrecimento e prostração; - emagrecimento e prostração; - disturbios do sono e insonia. - disturbios do sono e insonia.

42 Agente etiológico: Taenia solium (larvas cisticercos).Hospedeiro intermediário: homem; Transmissão: ingestão de ovos de tênias na água ou em alimentos contaminados; Sintomas: neurocisticercose pode levar à morte. Cisticercose

43 Nematódeos CARACTERÍSTICAS GERAIS CARACTERÍSTICAS GERAIS (Nema = fio; helmins, inthos= verme) (Nema = fio; helmins, inthos= verme) TRIBLÁSTICOS; PROTOSTÔMIOS TRIBLÁSTICOS; PROTOSTÔMIOS PSEUDOCELOMADOS PSEUDOCELOMADOS SEM SEGMENTAÇÃO DO CORPO SEM SEGMENTAÇÃO DO CORPO DIÓICOS (DIMORFISMO SEXUAL) DIÓICOS (DIMORFISMO SEXUAL) REVESTIMENTO CUTICULAR REVESTIMENTO CUTICULAR TUBO DIGESTIVO COMPLETO TUBO DIGESTIVO COMPLETO

44 AMBIENTE E TIPO DE VIDA VIVEM EM AMBIENTES ÚMIDOS (ÁGUA DOCE; MARINHOS; SOLOS ÚMIDOS) VIDA LIVRE MUITOS PARASITAS (VEGETAIS, ANIMAIS).

45 ORGANIZAÇÃO DO CORPO ORGANIZAÇÃO DO CORPO SIMETRIA BILATERAL SIMETRIA BILATERAL TRIBLASTICOS;PROTOSTÔMIOS; TRIBLASTICOS;PROTOSTÔMIOS; PSEUDOCELOMADOS PSEUDOCELOMADOS SIST. DIGESTÓRIO COMPLETO (BOCA E ÂNUS) SIST. DIGESTÓRIO COMPLETO (BOCA E ÂNUS)

46 NUTRIÇÃO ALIMENTAÇÃO VARIADA. SIST. DIGESTÓRIO COMPLETO (BOCA E ÂNUS) TROCAS GASOSAS POR DIFUSÃO. PSEUDOCELOMA AUXILIA. PARASITAS INTESTINAIS FAZEM RESPIRAÇÃO ANAERÓBIA. EXCREÇÃO EXCRETAS NITROGENADOS ( AMÔNIA) CELs – PSEUDOCELOMA – SIST. EXCRETOR. SIST. EXCRETOR – TUBOS EM H PORO EXCRETOR PERTO DA BOCA

47 TRANSPORTE TRANSPORTE SIST. CIRCULATÓRIO AUSENTE. SIST. CIRCULATÓRIO AUSENTE. DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE – PSEUDOCELOMA DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE – PSEUDOCELOMA SÃO TRANSPORTADOS: GASES; EXCRETAS SÃO TRANSPORTADOS: GASES; EXCRETAS (CANAIS EXCRETORES); NUTRIENTES (TUBO (CANAIS EXCRETORES); NUTRIENTES (TUBO DIGESTIVO). COM AUXILHO DO PSEUDOCELOMA. DIGESTIVO). COM AUXILHO DO PSEUDOCELOMA.

48 COORDENAÇÃO PRESENÇA DE SIST. NERVOSO GANGLIONAR CORDÕES NERVOSOS MUSCULOS REPRODUÇÃO DIÓICOS. DIMORFISMO SEXUAL (ALGUMAS ESPÉCIES) ESPERMATOZÓIDES SEM FLAGELOS FECUNDAÇÃO INTERNA. DESENVOLVIMENTO INDIRETO (LARVA FILÁRIA) OVOS COM CASCA QUITINOSA RESISTENTE.

49 SISTEMAS SISTEMAS SISTEMA DIGESTÓRIO COMPLETO, SISTEMA DIGESTÓRIO COMPLETO, SISTEMAS CIRCULATÓRIO E RESPIRATÓRIO SISTEMAS CIRCULATÓRIO E RESPIRATÓRIO AUSENTES; AUSENTES; SISTEMA EXCRETOR COMPOSTO POR DOIS CANAIS SISTEMA EXCRETOR COMPOSTO POR DOIS CANAIS LONGITUDINAIS (RENETES FORMATO DE H) LONGITUDINAIS (RENETES FORMATO DE H) SISTEMA NERVOSO PARCIALMENTE CENTRALIZADO, SISTEMA NERVOSO PARCIALMENTE CENTRALIZADO, COM ANEL NERVOSO AO REDOR DA FARINGE. COM ANEL NERVOSO AO REDOR DA FARINGE.

50 Agente etiológico: Ascaris lumbricoides Transmissão: ingestão de ovos larvados na água ou em alimentos contaminados. Ciclo monoxeno: - Hospedeiro definitivo: homem. Ascaridíase

51 Ascaris lumbricoides

52 AscaridíaseSintomas Fase pulmomnar: - Tosse, catarro, pigarro, bronquite e pneumonia. Fase intestinal: - Náuseas, vômitos, cólicas intestinais, diarréias, manchas brancas na pele.

53 Ancilostomose ou amarelão Agente etiológico: Ancylostoma duodenale ou Necator americanus; Transmissão: penetração ativa de larvas rabditóides na pele do indivíduo; Ciclo monoxeno: - Hospedeiro definitivo: homem.

54 Ciclo Evolutivo

55 Ancilostomose ou amarelão Sintomas Fase pulmomnar: - Tosse, catarro, pigarro, bronquite e pneumonia. Fase intestinal: - Náuseas, vômitos, cólicas intestinais, diarréias com sangue, anemia, pele amarelada.

56 Filariose ou Elefantíase - Inchaço (edemas) dos órgãos atingidos devido à retenção de líquidos; - Patas de elefante; - Aumento dos escrotos e mamas em casos extremos. extremos. Agente etiológico: Wucchereria bancrofti; Ciclo heteroxeno: - Hospedeiro definitivo: homem. - Vetor: fêmeas do mosquito Culex sp. Transmissão: picada das fêmeas do mosquito que inoculam as larvas microfilárias no sangue. sintomas

57 Ciclo Evolutivo

58 Oxiuríase ou Enterobíase Agente etiológico: Enterobius vermicularis Transmissão: ingestão ou inalação de ovos, autoinfestação. Ciclo monoxeno: - Hospedeiro definitivo: homem. Sintomas: Intenso prurido na região anal Náuseas Vômitos Dores abdominais Desconforto intestinal.

59 ANELIDEOS Características Morfológicas Animais de corpo mole e segmentado. Triblásticos e celomados. Protostômios. Bilateralmente simétricos.

60 CARACTERÍSTICAS FISIOLÓGICAS

61 ORGANIZAÇÃO INTERNA

62 OLIGOQUETOS

63 POLIQUETOS

64 HIRUDÍNEOS

65 Sistema Digestório Completo, presença de papo e moela Sistema Circulatório Fechado, com 5 corações Sistema Excretor Através de metanefrídeos. Sistema nervoso Ganglionar e ventral. CARACTERÍSTICAS FISIOLÓGICAS

66 REPRODUÇÃO Dióicos ou Monóicos, fecundaçã o cruzada. Só se reproduzem sexuadamente.

67 REPRODUÇÃO

68 Moluscos Características Morfológicas Animais de corpo mole. Triblásticos e celomados. Protostômios. Bilateralmente simétricos. Podem apresentar concha calcária interna ou externa.

69 CARACTERÍSTICAS FISIOLÓGICAS

70 TIPOS DE MOLUSCOS

71 CARACTERÍSTICAS FISIOLÓGICAS Sistema Digestório Sistema Digestório Completo, presença de rádula Sistema Circulatório Sistema Circulatório Aberto ou lacunar, coração dorsal. Sistema Excretor Sistema Excretor Através de metanefrídeos. Sistema nervoso Sistema nervoso Ganglionar. Presença de cérebro e olhos.

72 CEPHALÓPODES

73 UNIVALVOS

74 POLVO

75 Artrópodes Características Morfológicas Apresentam membros articulados Triblásticos e celomados. Protostômios. Bilateralmente simétricos. Apresentam exoesqueleto de quitina

76 INSETOS

77 REPRODUÇÃO

78 CRUSTÁCEOS

79 CRUSTÁCEOS

80 ARACNÍDEOS

81 DIPLÓPODO

82 QUILÓPODO

83 CARACTERÍSTICAS FISIOLÓGICAS Sistema Digestório Sistema Digestório Completo, presença de mandíbula e papo. Sistema Circulatório Sistema Circulatório Aberto, coração dorsal. Independe do sistema respiratório. Sistema Respiratório Sistema Respiratório Através de traquéia, filotraquéia ou brânquias. Sistema nervoso Sistema nervoso Ganglionar. Presença de cérebro e olhos.

84 EQUINODERMOS O nome do filo Echinodermata (do grego echinos, O nome do filo Echinodermata (do grego echinos, espinho, e dermatos, pele), refere-se ao fato de a maioria espinho, e dermatos, pele), refere-se ao fato de a maioria dos equinodermos apresentar espinhos na superfície do dos equinodermos apresentar espinhos na superfície do corpo. São animais exclusivamente marinhos, como a corpo. São animais exclusivamente marinhos, como a estrela-do-mar, o ouriço-do-mar, o pepino-do-mar (ou estrela-do-mar, o ouriço-do-mar, o pepino-do-mar (ou holotúria), a bolacha-da-praia, a serpente-do-mar, etc.. holotúria), a bolacha-da-praia, a serpente-do-mar, etc..

85 CARACTERÍSTICAS GERAIS Os equinodermos constituem um grupo Espinhos na pele Espinhos na pele Exclusivamente marinhos * Exclusivamente marinhos * Acéfalos * Acéfalos * Triblásticos Triblásticos Celomados Celomados Deuterostômios * Deuterostômios * Simetria bilateral (larva) e radial (adulto) Simetria bilateral (larva) e radial (adulto)

86 SISTEMÁTICA CLASSE Crinoidea – Lírio-do-mar. CLASSE Crinoidea – Lírio-do-mar. CLASSE Equinoidea – ouri-do-mar. CLASSE Equinoidea – ouri-do-mar. CLASSE Holoturoidea – pepino-do-mar. CLASSE Holoturoidea – pepino-do-mar. SubClasse Asteroidea – Estrela-do-mar; SubClasse Asteroidea – Estrela-do-mar; bolacha-da-praia. bolacha-da-praia. SubClasse Ofiunoidea – serpente-do- mar. SubClasse Ofiunoidea – serpente-do- mar.

87 TEGUMENTO E ESQUELETO Endoesqueleto: origem mesodérmica SISTEMA DIGESTÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO Completo: digestão extracelular Completo: digestão extracelular - SISTEMA RESPIRATÓRIO BRANQUIAL BRANQUIAL SISTEMA AMBULACRÁRIO SISTEMA AMBULACRÁRIO Locomoção Locomoção Apreensão alimentos Apreensão alimentos Excreção Excreção Fixação Fixação Sensibilidade Sensibilidade

88 SISTEMA NERVOSO Anel periesofágico REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO Dióicos Dióicos Fecundação Externa Fecundação Externa Desenvolvimento indireto Desenvolvimento indireto Larva típica: Diplêurula Larva típica: Diplêurula

89 OURIÇO-DO-MAR CLASSE ECHINOIDEA

90 Subclasse Asteroidea: ESTRELAS-DO-MAR

91 Subclasse Ophiuroidea: SERPENTES-DO-MAR

92 CLASSE HOLOTHUROIDEA PEPINOS-DO-MAR

93 CLASSE ECHINOIDEA BOLACHA-DOMAR

94 CLASSE CRINOIDEA LÍRIOS-DO-MAR

95 CARACTERISTICAS São conhecidas aproximadamente 6000 espécies pertencentes ao filo Echinodermata. Estes animais de epiderme e esqueleto interno calcários são triblásticos, celomados, sem metameria e deuterostômios, podendo apresentar espinhos. De hábito exclusivamente marinho, podem viver livres ou presos por pendúnculo, na região bentônica. No estágio larval, possuem simetria bilateral e, quando adultos, simetria radial. O sistema hidrovascular (ou ambulacral), uma característica peculiar do filo, desempenha funções de locomoção, fixação e captura de alimentos. Além disso, auxilia na respiração e excreção. Ele consiste em canais cheios de água marinha, que penetram no corpo por uma placa perfurada denominada madreporito, e se comunicam com os pés ambulacrais, presentes na superfície do corpo. A pressão exercida na água pelos pés ambulacrais permite a locomoção, fixação e captura de alimentos destes animais. São conhecidas aproximadamente 6000 espécies pertencentes ao filo Echinodermata. Estes animais de epiderme e esqueleto interno calcários são triblásticos, celomados, sem metameria e deuterostômios, podendo apresentar espinhos. De hábito exclusivamente marinho, podem viver livres ou presos por pendúnculo, na região bentônica. No estágio larval, possuem simetria bilateral e, quando adultos, simetria radial. O sistema hidrovascular (ou ambulacral), uma característica peculiar do filo, desempenha funções de locomoção, fixação e captura de alimentos. Além disso, auxilia na respiração e excreção. Ele consiste em canais cheios de água marinha, que penetram no corpo por uma placa perfurada denominada madreporito, e se comunicam com os pés ambulacrais, presentes na superfície do corpo. A pressão exercida na água pelos pés ambulacrais permite a locomoção, fixação e captura de alimentos destes animais. exclusivamente

96 CARACTERISTICAS O sistema digestório é completo, com digestão extracelular. O sistema circulatório pode ser ausente ou reduzido, dependendo da espécie, sendo as substâncias predominantemente distribuídas via celoma. O sistema respiratório pode ser reduzido ou ausente. No primeiro caso, a respiração é branquial. Não há sistema excretor: as excreções são lançadas diretamente no sistema hidrovascular. O sistema nervoso é composto por um anel nervoso que circunda a boca, local onde estão os nervos radiais. Podem existir olhos simples, células táteis e olfativas. A reprodução é sexuada. Os animais, dióicos, liberam os gametas na água. Após a fecundação, há o desenvolvimento de um ou mais tipos de larva, até que atinjam a idade adulta. Possuem excelente capacidade de regeneração O sistema digestório é completo, com digestão extracelular. O sistema circulatório pode ser ausente ou reduzido, dependendo da espécie, sendo as substâncias predominantemente distribuídas via celoma. O sistema respiratório pode ser reduzido ou ausente. No primeiro caso, a respiração é branquial. Não há sistema excretor: as excreções são lançadas diretamente no sistema hidrovascular. O sistema nervoso é composto por um anel nervoso que circunda a boca, local onde estão os nervos radiais. Podem existir olhos simples, células táteis e olfativas. A reprodução é sexuada. Os animais, dióicos, liberam os gametas na água. Após a fecundação, há o desenvolvimento de um ou mais tipos de larva, até que atinjam a idade adulta. Possuem excelente capacidade de regeneraçãoexcelente

97 FIM DA APRESENTAÇÃO DE ANIMAIS INVERTEBRADOS PROF. CLAUDIO GIOVANNINI PROF. CLAUDIO GIOVANNINI


Carregar ppt "ANIMAIS INVERTEBRADOS Prof. Claudio Giovannini Introdução Os filos dos poríferos e cnidários são representados por animais quase exclusivamente marinhos,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google