A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Reino Animalia Ciências Tassinari. Características gerais: Pluricelulares Heterótrofos Eucariontes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Reino Animalia Ciências Tassinari. Características gerais: Pluricelulares Heterótrofos Eucariontes."— Transcrição da apresentação:

1 Reino Animalia Ciências Tassinari

2 Características gerais: Pluricelulares Heterótrofos Eucariontes

3 Dividem-se em dois grandes grupos: Invertebrados –Inferiores, com os filos: Poríferos Cnidários Platelmintos Nematelmintos Moluscos Anelídeos

4 Invertebrados –Superiores, com os filos: Artrópodes Equinodermos

5 Vertebrados Peixes Anfíbios Répteis Aves Mamíferos

6 FILO Porifera Poros, que vem do grego, significa passagem, orificio; Ferre, que vem do latim, significa levar, ser portador. Daí provém o nome, que quer dizer portador de poros.

7 FILO Porifera São necessariamente aquáticos, e a maioria está no mar; Popularmente chamados de esponjas; São sésseis (vivem fixos sobre rochas, conchas de animais ou pilares de pontes); Geralmente vivem em colônias; Possuem tamanho variado e coloração diversificada.

8 Organização das esponjas São os animais de organização mais simples; O corpo é poroso e o esqueleto é constituído por minúsculos filamentos parecidos com agulhas, denominados espículas; Não existem órgãos, e as esponjas possuem basicamente dois tipos de células: os coanócitos e os amebócitos;

9 Espículas As espículas são as responsáveis pela sustentação do corpo das esponjas; Podem ser de calcário, sílica ou de fibras de espongina.

10 Coanócitos As células que possuem flagelo e também uma espécie de colarinho em forma de funil são chamadas de coanócitos; Daí o nome, de origem grega: choane (funil) e kytos (célula)

11 Amebócitos As células que lembram amebas são denominadas amebócitos; Essas células se locomovem livremente, por meio de movimentos semelhantes aos de uma ameba.

12 Alimentação As esponjas são chamadas de animais filtradores, pois seu corpo parece com uma peneira ou filtro: à medida que a água passa por seus poros, as pequenas partículas de alimento são retidas; Se alimentam de minúsculos organismos que vivem na água (bactérias, algas, protozoários); Como não possuem órgãos, a digestão é intracelular.

13 Alimentação Os coanócitos movimentam os flagelos e fazem uma corrente de água penetrar pelos poros no corpo do animal; A água que atravessa os poros passa pela cavidade central do corpo do animal, o átrio, e sai por uma abertura situada na parte de cima, o ósculo; Durante esse processo, é feita a filtração da água e os amebócitos, que também ajudam na digestão das partículas de alimento, distribuem o alimento para outras células.

14 Reprodução Assexuada As esponjas se reproduzem assexuadamente por brotamento; Um grupo de células se multiplica e forma pequenos brotos, que podem permanecer presos, formando colônias, ou se soltar, dando origem a um indivíduo isolado.

15 Reprodução Sexuada

16 Regeneração As esponjas apresentam grande capacidade de regeneração; Basta que algumas células da esponja se separem das demais para que elas regenerem uma nova esponja.

17 FILO Cnidaria Knidós em grego significa urticante, que queima O nome do filo vem da irritação semelhante à de uma queimadura provocada pelos tentáculos desses animais.

18 FILO Cnidaria São animais aquáticos e a grande maioria é marinha; São representantes deste filo: águas-vivas, caravelas, corais, anêmonas e hidras; Apresentam duas formas de vida: pólipos e medusas; São também chamados celenterados.

19 Pólipos Têm o corpo cilíndrico, com uma abertura e tentáculos na parte superior; São geralmente fixos ou então se movimentam pouco.

20 Medusas São móveis; Têm o corpo em forma de guarda- chuva, com abertura e tentáculos na parte inferior;

21 Classificação dos Cnidários Hidrozoários Cnidários com tentáculos superiores, que podem ter a forma de medusa (liríope) ou pólipo (hidra) A hidra é um representante que vive em água doce.

22 Classificação dos Cnidários Cifozoários Cnidários com tentáculos inferiores, que apresentam a forma de medusa na maior parte de seu ciclo de vida.

23 Classificação dos Cnidários Antozoários Cnidários parecidos com flores, que se apresentam apenas na forma de pólipos.

24 Atividades vitais dos cnidários Possuem células que disparam a substância urticante, chamadas de cnidoblastos, que estão localizadas principalmente nos tentáculos; Dentro do cnidoblasto há uma cápsula, o nematocisto, que tem uma espécie de fio enrolado. Quando o cnidoblasto é tocado, a cápsula se abre e dispara o fio, que penetra na pele da presa e injeta uma toxina, capaz de paralisar e matar pequenos animais, como peixes, crustáceos e vermes, que servem de alimento aos cnidários.

25 Atividades vitais dos cnidários Possuem digestão intracelular e extracelular. A digestão extracelular ocorre quando o alimento vai para uma cavidade que recebe substâncias digestivas A digestão na cavidade digestiva não é bem feita, pois lá estão misturados alimentos que entraram pela boca com os restos que sairão também pela boca, pois os cnidários não tem ânus. Por isso, o alimento terá a digestão completada dentro das células, sendo esta a parte da digestão intracelular.

26 Atividades vitais dos cnidários Os cnidários são os primeiros animais a possuir células nervosas; A reprodução pode ser sexuada ou assexuada; A reprodução assexuada ocorre por brotamento; O mesmo ser que se reproduziu por brotamento pode produzir espermatozóides e óvulos e reproduzir-se sexuadamente. Em uma geração os indivíduos são pólipos, que se reproduzem assexuadamente e originam medusas. Essas, reproduzem-se sexuadamente e originam pólipos. É a chamada alternância de gerações.

27


Carregar ppt "Reino Animalia Ciências Tassinari. Características gerais: Pluricelulares Heterótrofos Eucariontes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google