A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Importantes fontes para Zn e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Importantes fontes para Zn e."— Transcrição da apresentação:

1 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Importantes fontes para Zn e Pb 50% e 60%, respectivamente, das reservas mundiais Produção é baixa 31% Zn e 25% Pb da produção mundial Tonelagem média= 15 Mt; 10% dos depósitos contêm > 150 Mt Zn= 5,6%; Pb= 2,8%; Ag=30 g/t DepósitosSEDEX HY C Depósitos SEDEX representam os maiores depósitos de metais base do mundo, como: Sullivan (British Columbia); Red Dog (Alaska); Rammelsberg e Meggen (Alemanha); Broken Hill, Mount Isa, McArthur e HYC (Here is Your Chance) na Austrália No Brasil: Depósitos de Pb-Zn-Ag de Perau, Canoas, Araçazeiro (PR) (Daitx, 1996; 1998); Depósito de Pb-Zn de Boquira (BA) (Misi et al., 1996); Depósito de Pb-Zn de Castelão (GO) (Dardenne & Schobbenhaus, 2001)

2 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Sulfeto Maciço Vulcanogênico (VMS) (SEDEX) Sulfeto maciço sedimentar exalativo (SEDEX) Troodos (Chipre) Oman (Turquia) Noranda e Kid Creek (Canadá) Kuroko (Japão) Sullivan e Silver Mines (USA) Broken Hill e Mt. Isa (Austrália) Ambiente tectônico dos depósitos SEDEX: Bacias formadas por riftes intracontinentais que formaram ou não crosta oceânica

3 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Idade da mineralização: Idade da mineralização: Proterozóico são os mais comuns; Paleozóicos são subordinados (Cambriano – Siluriano – Carbonífero)

4 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Distribuição temporal dos depósitos SEDEX no Fanerozóico Períodos de anoxia e estagnação nos oceanos Importância para deposição e conservação dos sulfetos Épocas metalogenéticas

5 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Corpos estratiformes, lenticulares ou tabulares ricos em sulfeto intercalados a níveis de sedimentos poucas dezenas de metros de espessura e kms de extensão Rochas hospedeiras são sedimentares: folhelho, siltito, calcário, dolomito, chert, com alta concentração de matéria orgânica Camadas ou lâminas intercaladas com chert, barita, carbonatos e apatita Pirita (dominante), esfalerita e galena; pirrotita e calcopirita em alguns depósitos

6 Pirita finamente laminada em rocha metassedimentar carbonosa. Alaska; 4,8 cm de largura. Zona rica em esfalerita pirita galena. Alaska; 4,8 cm de largura. UNICAMP Geologia Econômica (GE-803)

7 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Os corpos estratiformes definem a fácies sedimentar-hidrotermal dos depósitos Complexo de escape (vent facies) veios irregulares e/ou dissseminações de sulfeto, zonas brechadas, alteração intensa das rochas sedimentares sotopostas ao minério estratiforme menos desenvolvidos que nos depósitos de VMS Alteração hidrotermal varia de bem desenvolvida a inexistente quartzo, muscovita, clorita, ankerita, siderita, turmalina e sulfetos Fluidos aquosos com salinidades variáveis (8 a 30% peso eq. NaCl) e T entre 200 – 300°C

8 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX

9 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803)

10 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803)

11 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO CARACTERÍSTICAS DOS FLUIDOS

12 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO DEPÓSITOS DO TIPO IRISH: transição entre SEDEX e MVT (1) Rochas hospedeiras: unidade carbonática não argilosa (Carbonífero Inferior); (2) Associação com falhas normais (condutos para os fluidos hidrotermais ascendentes); (3) Esfalerita e galena são predominantes (pirita, barita, tennantita, calcopirita, e sulfossais de Pb-Cu-Ag-As também ocorrem; (4) Depósitos stratabound, localmente com morfologia estratiforme; (5) Texturas dos sulfetos complexas (substituição, preenchimento); (6) São associados a período de tectônica extensional relacionada com a Orogenia Herciniana; (7) São formados pela mistura de fluidos metalíferos quentes (> 250 o C) com fluidos ricos em H 2 S derivados da água do mar. Diferenças em relação aos depósitos MVT: associação de metais (Cu, Ag, Fe) > temperatura dos fluidos hidrotermais diferente ambiente tectônico

13 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO DEPÓSITOS DO TIPO IRISH

14 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO DEPÓSITOS DO TIPO IRISH

15 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO EXEMPLOS BRASILEIROS: Depósito de Zn-Pb de Morro Agudo (MG)

16 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO EXEMPLOS BRASILEIROS: Depósito de Zn-Pb de Morro Agudo (MG)

17

18 UNICAMP Geologia Econômica (GE-803)


Carregar ppt "UNICAMP Geologia Econômica (GE-803) SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX DEPÓSITOS DE SULFETO MACIÇO SEDIMENTAR EXALATIVO - SEDEX Importantes fontes para Zn e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google