A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PIN, ASAP e Gleason para Urologistas Katia Ramos Moreira Leite Genoa Biotecnologia Hospital Sírio Libanês Lab. Investigação Médica – Urologia USP

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PIN, ASAP e Gleason para Urologistas Katia Ramos Moreira Leite Genoa Biotecnologia Hospital Sírio Libanês Lab. Investigação Médica – Urologia USP"— Transcrição da apresentação:

1 PIN, ASAP e Gleason para Urologistas Katia Ramos Moreira Leite Genoa Biotecnologia Hospital Sírio Libanês Lab. Investigação Médica – Urologia USP

2 Biópsia de próstata Normal Prostatite Atrofia Hiperplasia PIN ASAP Câncer

3

4 Benigno 1177 biópsias – Jul de 2000 – Dez 2003 Diagnóstico Adenocarcinoma Benigno PIN PIN+ASAP ASAP N (%) 524 (44,5) 415 (35,3) 181 (15,4) 32 (2,7) 25 (2,1)

5 Benigno Re-biópsia – 76 / 415 (18,3%) Câncer – 8 / 76 (10,5%) Diagnóstico Re-biópsia Benigno 55 (72,4%) 15 (88,2%) 4 (80,0%) 1 (100%) Adenocarcinoma 6 (7,9%) 1 (5,9%) 1 (20,0%) Intervalo(m)

6 Conclusão Após a biópsia estendida benigna a possibilidade de câncer em re-biópsia é ~10% Intervalos longos, média 20 meses parecem razoáveis para re- biópsia

7

8 Atrofia Postma R et al. Urology 65:745, Atrofia – 468 (11,4%) Benigno – 661 (16,1%) Câncer 135 (12%) re-biópsias Benigno 12,3% Atrofia 10,4%

9 Conclusão Atrofia é achado comum e não representa risco de câncer

10 PIN – neoplasia intraepitelial Única lesão reconhecidamente pré-maligna

11

12 PIN 142 (10%)

13 PIN53(37.3)Adenocarcinoma – 7 (13.2) PIN e Câncer

14 Re-biópsias Intervalo256 (21 – 937) 553 (197 – 1136) 525 (328 – 704) 854 (711 – 998) Câncer 5011 PIN e Câncer

15 Am J Surg Pathol 2005 Sep; 29:1201

16 36% 28% 21%

17 # fragmentos 1ª biópsiaCâncer na re-biópsia Qualquer 6 8 ou mais 139/791 (17,6%) 69/332 (20,8%) 43/323 (13,3%) J Urol 2006 Jan; 175:121

18 PINAdenocarcinoma9,5 PIN, ASAP, PIN+ASAP6,2 Benigno8,0 PSA

19 Lefkowitz e col. J Urol 168:1415, 2002 Total Câncer 8 (26%) Benigno 23 (74%) N PSA de base ng/dL PSA 3 anos Alteração do PSA PIN – independe do PSA

20 Número de fragmentos PINAdenocarcinoma2,5 PIN, ASAP, PIN+ASAP6,3 Benigno4,5

21 64%50% Shepherd et al J Urol 156:460, 1996 Estratégia da rebiópsia

22 Conclusão PIN Risco de câncer na re-biópsia é de ~20% Independe do PSA ou # de fragmentos Re-biópsia não antes de 1 ano

23

24 Proliferação de glândulas pequenas, atípicas Proliferação de pequenos ácinos atípicos Focos de glândulas atípicas Proliferação de glândulas suspeitas para tumor infiltrativo ASAP - terminologia

25 p63 34βE12

26 Incidência Hoedemaeker e col. (1999)2,4% Novis e col (1999)7,1% Renshaw e col (1998)7,5% Epstein e Potter (2001)5,5% ASAP - incidência

27 Iczkowski e col. (1997)42% Chan e col (1999)49% Allen e col (2001)57% ASAP – câncer na rebiópsia

28 ASAP suspeito Leite et al. Int Braz J Urol 31:131, 2005 ASAP PIN+ASAP4,6%

29 ASAP e Câncer ASAP PIN+ASAP 68% 42%

30 45% 39% 41% Schesinger C. et al.Am J Surg Pathol 29:1201, 2005

31 Conclusão ASAP Risco de câncer na re-biópsia é de ~ 40% Indicação formal de re-biópsia

32 Estratégia da re-biópsia 48% 85% Epstein e Potter e col J Urol 166:402, 2001

33 Próstata carcinoma 820 biópsias – 2005 Câncer – 337 (41,1%) PSA 4ng/ml Média 2,8 ng/ml 121 (14,8%) Idade – 58 Câncer – 36 (29,8%) Gleason – 6,6 % tumor – 12,9% PSA>4ng/ml Média 9,2 ng/ml 699 (85,2%) Idade – 62 Câncer – 310 (44,3%) Gleason – 6,8 % tumor – 15,4%

34

35 A biópsia no câncer Gleason Quantificação Invasão perineural

36

37 Gleason 1+1 Nódulo circunscrito de glândulas uniformes, redondas ou ovais, de tamanho médio Rara Hiperplasia adenomatosa atípica ? Epstein JI e col. Am J Surg Pathol 29:1228, 2005

38 Gleason score 3 e 4 Somente em RTU ou ressecções retropúbicas ou prostatectomia radical

39 Diagnóstico Biópsia 98% de 4 + 2% de 3 = % de 3 + 2% de 4 = 3+4 Pequeno foco de tumor 4 com glândulas 3 = 4+3

40 Prostatectomia Gleason 8 Hurwitz MD et al., Urology 68:367, 2006

41 Quantificação 100% 0 50% 100% 3+/4 = 75% > 100% % total = 62,5%

42 Alexandre SantAnna Int Braz J Urol 31:34, biópsias – prostatectomias % de tumor órgão-confinado PSA Gleason – 25% % - 50% % - 75% > 75% % de tumor na biópsia Quantificação e estádio

43 Antunes AA e col BJU Int 96:1258, pacientes Biópsias e PR no HSL 60 meses de seguimento mediano %frag(+) 0 – 25% 25 – 50% 50 – 75% 75 – 100% Recidiva Bioquímica 23(15%) 47(24%) 17(32%) 22(54%) p<0,001 Quantificação e recidiva

44 DAmico e col. JCO 22:3726, pacientes Seguimento médio – 4,5 anos Baixo risco e risco intermediário PSA 15 ng/ml Gleason 6 %fragmentos positivos > 50% - risco de morte 12.5 X Quantificação e morte câncer específica

45


Carregar ppt "PIN, ASAP e Gleason para Urologistas Katia Ramos Moreira Leite Genoa Biotecnologia Hospital Sírio Libanês Lab. Investigação Médica – Urologia USP"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google