A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REVISÃO 2° BIMESTRE Luciane De Rossi. ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Saúde da Família: estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REVISÃO 2° BIMESTRE Luciane De Rossi. ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Saúde da Família: estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada."— Transcrição da apresentação:

1 REVISÃO 2° BIMESTRE Luciane De Rossi

2 ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Saúde da Família: estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes multiprofissionais em unidades básicas de saúde. Saúde da Família: estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes multiprofissionais em unidades básicas de saúde. Equipes: Equipes: Médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, agentes comunitários. Médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, agentes comunitários. Acompanham um número definido de famílias, localizadas em uma área geográfica delimitada. Acompanham um número definido de famílias, localizadas em uma área geográfica delimitada. Ações: promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais freqüentes, e manutenção da saúde desta comunidade. Ações: promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais freqüentes, e manutenção da saúde desta comunidade.

3 Atribuições da Equipe do ESF Conhecer a realidade das famílias, das comunidades focalizando as características sociais, econômicas, culturais, demográficas e epidemiológicas para que o trabalho de promoção e prevenção a saúde seja realizada; Identificar os problemas de saúde e situações de risco mais comuns aos quais aquela população está exposta; De acordo com as especialidades de cada profissional, executar procedimentos de vigilância e de vigilância epidemiológica, em todos os ciclos de vida;

4 Atribuições da Equipe do ESF Realizar Visitas Domiciliares; Valorização do ser humano para a criação de um vínculo de confiança, afeto e respeito; Resolver problemas de saúde emergentes na comunidade em nível de atenção básica; Garantir acesso à continuidade do tratamento dentro de um sistema de referência e em casos de maiores complexidades da saúde garantir internação hospitalar;

5 Atribuições da Equipe do ESF Incitar a participação da população com o objetivo de gerar discussões a cerca de conceitos de cidadania e de direitos à saúde; Auxiliar na implantação do cartão Nacional de Saúde; Incentivar a participação da comunidade nos conselhos locais de saúde e no conselho municipal de saúde.

6 Unidade Básica de Saúde Unidade para realização de atendimento de atenção básica e integral a uma população de forma programada ou não nas especialidades básicas, podendo oferecer assistência odontológica e de outros profissionais de nível superior. Unidade para realização de atendimento de atenção básica e integral a uma população de forma programada ou não nas especialidades básicas, podendo oferecer assistência odontológica e de outros profissionais de nível superior. A assistência deve ser permanente e prestada por médico generalista ou especialista nestas áreas. A assistência deve ser permanente e prestada por médico generalista ou especialista nestas áreas. Década de 80: movimento sanitarista que pretendia, entre outras coisas, uma reformulação dos conceitos de saúde e práticas assistenciais. A partir daí, as Unidades Básicas de Saúde passaram a ter como objetivos a recuperação, promoção de saúde e prevenção de doenças, obtidas por meio do atendimento integral as pessoas. Década de 80: movimento sanitarista que pretendia, entre outras coisas, uma reformulação dos conceitos de saúde e práticas assistenciais. A partir daí, as Unidades Básicas de Saúde passaram a ter como objetivos a recuperação, promoção de saúde e prevenção de doenças, obtidas por meio do atendimento integral as pessoas.

7 UBS - Psicologia Para a Psicologia, isso tornou-se um desafio em virtude das dificuldades de adequação ao modelo proposto para o trabalho, ao tipo de clientela atendida e à necessidade de se pensar uma atuação diferenciada daquela a que os profissionais estavam acostumados. Para a Psicologia, isso tornou-se um desafio em virtude das dificuldades de adequação ao modelo proposto para o trabalho, ao tipo de clientela atendida e à necessidade de se pensar uma atuação diferenciada daquela a que os profissionais estavam acostumados. Fatores para o aumento da inserção dos psicólogos nos serviços públicos de saúde: Fatores para o aumento da inserção dos psicólogos nos serviços públicos de saúde: Contexto das políticas públicas de saúde do final dos anos 1970 e em toda a década de 1980; Contexto das políticas públicas de saúde do final dos anos 1970 e em toda a década de 1980; Diminuição da busca aos consultórios de psicologia por parte da população, causada por seu empobrecimento, a partir dos anos de 1980; Diminuição da busca aos consultórios de psicologia por parte da população, causada por seu empobrecimento, a partir dos anos de 1980; O movimento da própria categoria com o objetivo de redefinir a função social da psicologia; O movimento da própria categoria com o objetivo de redefinir a função social da psicologia; A difusão da psicanálise e a psicologização da sociedade. A difusão da psicanálise e a psicologização da sociedade.

8 UBS – Psicologia - Críticas Maioria dos psicólogos que trabalham em UBS realizam psicoterapia. Maioria dos psicólogos que trabalham em UBS realizam psicoterapia. Atuação desvinculada dos princípios do SUS. Atuação desvinculada dos princípios do SUS. Dificuldade de ultrapassar concepções individualistas e psicologizantes dos problemas sociais. Dificuldade de ultrapassar concepções individualistas e psicologizantes dos problemas sociais. Um dos pontos fundamentais que explicaria o descompasso entre as demandas e as necessidades de atendimento psicológico dentro dos serviços públicos de saúde é a transposição de alguns dos elementos que fundamentam a clínica tradicional para todos os níveis de assistência em saúde, independentemente de suas particularidades. Um dos pontos fundamentais que explicaria o descompasso entre as demandas e as necessidades de atendimento psicológico dentro dos serviços públicos de saúde é a transposição de alguns dos elementos que fundamentam a clínica tradicional para todos os níveis de assistência em saúde, independentemente de suas particularidades.

9 UBS – Psicologia - Críticas A clínica tradicional é caracterizada pelos seguintes aspectos: A clínica tradicional é caracterizada pelos seguintes aspectos: a ênfase na oferta de psicodiagnóstico e/ou terapia individual ou grupal; a ênfase na oferta de psicodiagnóstico e/ou terapia individual ou grupal; maior familiaridade do profissional com a clientela proveniente de segmentos sociais mais abastados; maior familiaridade do profissional com a clientela proveniente de segmentos sociais mais abastados; a ênfase na dimensão intra-individual dos pacientes, evidenciando os processos psicológicos e psicopatológicos; a ênfase na dimensão intra-individual dos pacientes, evidenciando os processos psicológicos e psicopatológicos; a percepção do indivíduo como ser abstrato e a-histórico. a percepção do indivíduo como ser abstrato e a-histórico. Outro ponto importante é o despreparo do psicólogo para atuar nos serviços públicos de saúde. Outro ponto importante é o despreparo do psicólogo para atuar nos serviços públicos de saúde. Levantamento realizado em 1988 pelo CRP 06 assinala as atividades psicológicas de maior ocorrência nas UBS: psicoterapia, psicodiagnóstico, ludoterapia, orientação à gestantes e hipertensos. A psicanálise apareceu como a orientação teórica mais citada e os recursos técnicos utilizados são a entrevista, psicoterapia individual, testes, psicoterapia breve, observação lúdica, psicoterapia grupal, dinâmica de grupo e grupos operativos. Levantamento realizado em 1988 pelo CRP 06 assinala as atividades psicológicas de maior ocorrência nas UBS: psicoterapia, psicodiagnóstico, ludoterapia, orientação à gestantes e hipertensos. A psicanálise apareceu como a orientação teórica mais citada e os recursos técnicos utilizados são a entrevista, psicoterapia individual, testes, psicoterapia breve, observação lúdica, psicoterapia grupal, dinâmica de grupo e grupos operativos.

10 UBS - Psicologia A inserção do psicólogo na rede básica de saúde deveria considerar: A inserção do psicólogo na rede básica de saúde deveria considerar: Ênfase no planejamento e execução de ações com base em demandas coletivas; Ênfase no planejamento e execução de ações com base em demandas coletivas; Atenção às especificidades trazidas pelos problemas específicos de saúde trazidos pela população; Atenção às especificidades trazidas pelos problemas específicos de saúde trazidos pela população; Necessidade de lidar com contingentes maiores de indivíduos, levando a priorizar estratégias grupais e focais; Necessidade de lidar com contingentes maiores de indivíduos, levando a priorizar estratégias grupais e focais; O fato de ter contato direto com as condições concretas de vida do segmento populacional não privilegiado economicamente da sociedade; O fato de ter contato direto com as condições concretas de vida do segmento populacional não privilegiado economicamente da sociedade;

11 UBS - Psicologia A inserção do psicólogo na rede básica de saúde deveria considerar: A inserção do psicólogo na rede básica de saúde deveria considerar: Percepção de que a concepção de clínica psicológica pode abarcar ações de baixa complexidade, não se restringindo às ações psicoterápicas especializadas, mas buscando incluir práticas preventivas e voltadas à promoção de saúde. Percepção de que a concepção de clínica psicológica pode abarcar ações de baixa complexidade, não se restringindo às ações psicoterápicas especializadas, mas buscando incluir práticas preventivas e voltadas à promoção de saúde. Atuação Psicológica Coletiva (APC): proposta orientada pelo compromisso social, fundamentada nos princípios do SUS. Possui dois elementos principais como ferramenta: a escuta psicológica pautada em uma conduta profissional socioculturalmente orientada e a reafirmação da importância da subjetividade no processo saúde-doença-cuidado. Atuação Psicológica Coletiva (APC): proposta orientada pelo compromisso social, fundamentada nos princípios do SUS. Possui dois elementos principais como ferramenta: a escuta psicológica pautada em uma conduta profissional socioculturalmente orientada e a reafirmação da importância da subjetividade no processo saúde-doença-cuidado.

12 UBS - Psicologia Psicólogos em serviços públicos de saúde: três modalidades: Psicólogos em serviços públicos de saúde: três modalidades: De conflito: tende à ociosidade do profissional. De conflito: tende à ociosidade do profissional. De reprodução: conduz ao isolamento típico da assistência ambulatorial. De reprodução: conduz ao isolamento típico da assistência ambulatorial. De construção: abertura para a busca de atuação fora da clínica tradicional. De construção: abertura para a busca de atuação fora da clínica tradicional. Nas duas primeiras, identifica-se uma tendência à compreensão restrita ao fenômeno psicológico, em que o foco das narrativas dos problemas de saúde dos usuários está predominantemente centrado em aspectos intra-individuais. Na terceira, há uma compreensão menos restrita do fenômeno psicológico (as narrativas incluem as condições de vida e aspectos sociais das demandas trazidas pelos usuários como aspectos que influenciam seus problemas de saúde). Nas duas primeiras, identifica-se uma tendência à compreensão restrita ao fenômeno psicológico, em que o foco das narrativas dos problemas de saúde dos usuários está predominantemente centrado em aspectos intra-individuais. Na terceira, há uma compreensão menos restrita do fenômeno psicológico (as narrativas incluem as condições de vida e aspectos sociais das demandas trazidas pelos usuários como aspectos que influenciam seus problemas de saúde).

13 PSICOLOGIA HOSPITALAR: UM PRIMEIRO CONTATO

14 HOSPITAL: Breve Histórico Do latim hospes (hóspede), que deu origem a hospitalis. Do latim hospes (hóspede), que deu origem a hospitalis. Depósito de determinada classe social, enfermos, viajantes e peregrinos. Depósito de determinada classe social, enfermos, viajantes e peregrinos. Finalidade social: exclusão. Finalidade social: exclusão.

15 HOSPITAL: Breve Histórico Finalidade terapêutica: final do século XVIII. Finalidade terapêutica: final do século XVIII. Até então hospital e medicina eram independentes. Até então hospital e medicina eram independentes. Aspecto terapêutico associado à característica disciplinar. Aspecto terapêutico associado à característica disciplinar. Discurso médico: objetivo; valoriza os aspectos orgânicos; estabelece normas e rotinas. Discurso médico: objetivo; valoriza os aspectos orgânicos; estabelece normas e rotinas.

16 Psicologia Hospitalar no Brasil 1954: 1954: Matilde Neder Matilde Neder Instituto de Ortopedia e Traumatologia Instituto de Ortopedia e Traumatologia Pacientes submetidos à cirurgia de coluna: preparação pré-cirúrgica e acompanhamento pós-cirúrgico. Pacientes submetidos à cirurgia de coluna: preparação pré-cirúrgica e acompanhamento pós-cirúrgico. 1974: 1974: Bellkiss Wilma Romano Bellkiss Wilma Romano Instituto do Coração Instituto do Coração

17 NECESSIDADE DO TRABALHO EM EQUIPE Importante pela velocidade em que o conhecimento cresce. Importante pela velocidade em que o conhecimento cresce. Conceitos atuais de saúde e doença. Conceitos atuais de saúde e doença. Complexidade do objeto de estudo: cada área tem uma especificidade que sozinha não dá conta do real que é sempre multifacetado visão holística do homem. Complexidade do objeto de estudo: cada área tem uma especificidade que sozinha não dá conta do real que é sempre multifacetado visão holística do homem. Alicerçada na figura do paciente. Alicerçada na figura do paciente.

18 EQUIPE Cotidiano permeado por vivências de dor, sofrimento, impotência, angústia, medo, desesperança, desamparo, perdas e morte Cotidiano permeado por vivências de dor, sofrimento, impotência, angústia, medo, desesperança, desamparo, perdas e morte Jornadas de trabalho extensas, limitações técnicas e materiais Jornadas de trabalho extensas, limitações técnicas e materiais

19 INSERÇÃO DO PSICÓLOGO NA EQUIPE O que sobra para o psicólogo? O que sobra para o psicólogo? Numa ordem tão concreta e organizada, que brecha pode encontrar para uma atuação que inclua o simbólico? Numa ordem tão concreta e organizada, que brecha pode encontrar para uma atuação que inclua o simbólico?

20 Adoecer O corpo impõe limites sobre a autonomia e independência. O corpo impõe limites sobre a autonomia e independência. Vivência de ruptura da rotina. Vivência de ruptura da rotina. Crise contato com possíveis situações de perda. Crise contato com possíveis situações de perda. Sujeito de intenções X Objeto de intervenção. Sujeito de intenções X Objeto de intervenção.

21 Adoecer As reações à doença dependem de vários fatores: As reações à doença dependem de vários fatores: Personalidade Personalidade História pessoal História pessoal Crenças Crenças Estado emocional Estado emocional Apoio que possa receber e aceitar Apoio que possa receber e aceitar Tempo Tempo

22 Adoecer e Hospitalização Podem levar a várias categorias de estresse psicológico: Podem levar a várias categorias de estresse psicológico: ameaça à integridade narcísica ameaça à integridade narcísica ansiedade de separação ansiedade de separação medo de estranhos medo de estranhos culpa e medo da retaliação culpa e medo da retaliação medo da perda de partes do corpo ou do controle de funções já adquiridas medo da perda de partes do corpo ou do controle de funções já adquiridas sentimentos de autodesvalorização sentimentos de autodesvalorização medo da dor e da morte medo da dor e da morte

23 Adoecer e Hospitalização Aspectos emocionais podem: Aspectos emocionais podem: Reduzir a eficácia terapêutica; Reduzir a eficácia terapêutica; Alterar reações e habilidades; Alterar reações e habilidades; Modificar aderência ao tratamento; Modificar aderência ao tratamento; Influenciar nas chances de sobrevida do paciente. Influenciar nas chances de sobrevida do paciente.

24 FAMÍLIA O processo de adoecer e a necessidade de hospitalização atingem o paciente e sua família. O processo de adoecer e a necessidade de hospitalização atingem o paciente e sua família. Reações Emocionais: Reações Emocionais: Choque inicial e Negação; Choque inicial e Negação; Raiva e Barganha; Raiva e Barganha; Depressão; Depressão; Aceitação. Aceitação.

25 FAMÍLIA Sofrimento relacionado à natureza s ú bita e inesperada do evento. Sofrimento relacionado à natureza s ú bita e inesperada do evento. Dificuldades para enfrentar o sofrimento. Dificuldades para enfrentar o sofrimento. Enfrentamento: depende do lugar ocupado pelo paciente na fam í lia, da doen ç a, do sentido dado à ela e de sua inscri ç ão na hist ó ria familiar. Enfrentamento: depende do lugar ocupado pelo paciente na fam í lia, da doen ç a, do sentido dado à ela e de sua inscri ç ão na hist ó ria familiar.

26 Humanização Particularizar, atender necessidades individuais. Particularizar, atender necessidades individuais. Refere-se às condições de trabalho e aos cuidados dispensados ao paciente. Refere-se às condições de trabalho e aos cuidados dispensados ao paciente. É tarefa de todos que têm contato com o paciente. É tarefa de todos que têm contato com o paciente. É um dos fatores que incentivou a permanência do psicólogo no hospital. É um dos fatores que incentivou a permanência do psicólogo no hospital.

27 INTERVENÇÃO PSICÓLOGICA Inicialmente: empréstimo de recursos técnicos e metodológicos de outras áreas do saber psicológico Inicialmente: empréstimo de recursos técnicos e metodológicos de outras áreas do saber psicológico Necessidade de construção de um novo saber e de adequação de técnicas Necessidade de construção de um novo saber e de adequação de técnicas Psicoterapia Breve/Focal Psicoterapia Breve/Focal

28 PRINCIPAIS FOCOS Compreensão do processo de adoecer Compreensão do processo de adoecer Recursos para enfrentamento Recursos para enfrentamento Maior aderência ao tratamento Maior aderência ao tratamento Mudança no estilo de vida Mudança no estilo de vida

29 INTERVENÇÃO PSICÓLOGICA O psicólogo precisa ter clareza de sua identidade profissional. O psicólogo precisa ter clareza de sua identidade profissional. Delimitação da tarefa: Delimitação da tarefa: Conhecimentos teóricos; Conhecimentos teóricos; Conhecimentos práticos; Conhecimentos práticos; Finalidade da atuação; Finalidade da atuação; Objetivos da instituição. Objetivos da instituição.

30 INTERVENÇÃO PSICÓLOGICA É preciso considerar que a assistência pode se modificar a partir da estrutura e funcionamento do setor, da dinâmica institucional e do perfil do paciente. É preciso considerar que a assistência pode se modificar a partir da estrutura e funcionamento do setor, da dinâmica institucional e do perfil do paciente. Três níveis essenciais: psicopedagógico; psicoprofilático e psicoterapêutico. Três níveis essenciais: psicopedagógico; psicoprofilático e psicoterapêutico. Exemplos de intervenção: Exemplos de intervenção: Avaliação Psicodiagnóstica; Avaliação Psicodiagnóstica; Atendimento Individual ou Grupal; Atendimento Individual ou Grupal; Programas Psicoprofiláticos. Programas Psicoprofiláticos.

31 Psicologia Hospitalar Objetivo: minimizar o sofrimento provocado pela doença e hospitalização. Objetivo: minimizar o sofrimento provocado pela doença e hospitalização. Desenvolve atividades em diferentes níveis de tratamento. Desenvolve atividades em diferentes níveis de tratamento. Avaliação e acompanhamento de intercorrências psíquicas dos pacientes que estão ou serão submetidos a procedimentos médicos. Avaliação e acompanhamento de intercorrências psíquicas dos pacientes que estão ou serão submetidos a procedimentos médicos.

32 Psicologia Hospitalar Visa a promoção e/ou a recuperação da saúde física e mental. Visa a promoção e/ou a recuperação da saúde física e mental. Promove intervenções direcionadas à relação médico/paciente, paciente/família, e paciente/paciente e do paciente em relação ao processo do adoecer, hospitalização e repercussões emocionais que emergem neste processo. Promove intervenções direcionadas à relação médico/paciente, paciente/família, e paciente/paciente e do paciente em relação ao processo do adoecer, hospitalização e repercussões emocionais que emergem neste processo.


Carregar ppt "REVISÃO 2° BIMESTRE Luciane De Rossi. ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Saúde da Família: estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google