A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

POLÍTICAS DE SAÚDE em Atenção à Criança e ao Adolescente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "POLÍTICAS DE SAÚDE em Atenção à Criança e ao Adolescente."— Transcrição da apresentação:

1 POLÍTICAS DE SAÚDE em Atenção à Criança e ao Adolescente

2 O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS): Definido pela Constituição de 1988; Regulamentada em 1990; Através da Lei que define o modelo operacional do SUS.,

3 O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) Concebido como conjunto de ações e serviços de saúde, prestado por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais. A iniciativa privada poderá participar do SUS em caráter complementar.

4 OBJETIVOS E ATRIBUIÇÕES DO SUS Formular as políticas de saúde; Fornecer assistência às pessoas por intermédio de ações de promo- ção, proteção e recuperação da saúde; Executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica;

5 Estatuto da criança e do Adolescente Art.2º. Considera-se criança, para efeitos desta lei, a pessoa até doze anos de idade incompletos, e adolescente aquela entre doze e dezoito anos de idade.

6 Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança (PAISC) OBJETIVO: CRIAR CONDIÇÕES P/ O ATENDIMENTO À SAÚDE DA CRIANÇA DE ZERO A CINCO ANOS COM ÊNFASE À AQUELAS COM RISCO DE ADOECER E MORRER.

7 Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança (PAISC) DIRETRIZES : UTILIZAR O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO METODOLOGIA PARA ORGANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA À CRIANÇA; PROMOVER O ALEITAMENTO MATERNO E ORIENTAR A ALIMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA;

8 Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança (PAISC) DIRETRIZES : AUMENTAR OS NÍVEIS DE COBERTURA VACINAL DE ACORDO COM AS NORMAS TÉCNICAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE; IDENTIFICAR PRECOCEMENTE OS PROCESSOS PATOLÓGICOS,FAVORECENDO O DIAGNÓSTICIO E TRATAMENTO OPORTUNOS;

9 Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança (PAISC) DIRETRIZES: Promover a educação para a saúde, destacando a importância da participação da família nas atividades de assistência à criança.

10 (PAISC) AÇÕES BÁSICAS: FUNDAMENTAM-SE NUMA POLÍTICA DE EXPANSÃO E CONSOLIDAÇÃO DA REDE DE SERVIÇOS BÁSICOS; AS ATIVIDADES PRIORITÁRIAS SE CARACTERIZAM POR: ALTA EFICÁCIA NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ESPECÍFICOS DE SAÚDE,BAIXO CUSTOS,COMPLEXIDADE TECNOLÓGICA ADEQUADA PARA EXECUÇÃO DE VÁRIOS NÍVEIS DOS SERVIÇOS.

11 (PAISC) ESTRATÉGIAS DE IMPLANTAÇÃO CRIAÇÃO OU APERFEIÇOAMENTO DE SISTEMAS DE REFERÊNCIA; DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DAS SECRETARIAS DE SAÚDE,BUSCANDO SEU APRIMORAMENTO GERENCIAL E OPERATIVO; PREPARO TÉCNICO DO PESSOAL ENVOLVIDO DIRETAMENTE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E COORDENAÇÃO E SUPERVISÃO.

12 Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) OBJETIVO: REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA E CONTRIBUIR DE MANEIRA SIGNIFICATIVA COM O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO SAUDÁVEIS DAS CRIANÇAS

13 Atenção integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) Foi elaborado pela OMS e pelo UNICEF a fim de alcançar as crianças doentes que chegam ao nível primário de atenção. Em vez de treinamentos específicos para cada doença, propõe um atendimento sistematizado envolvendo as doenças mais comuns até os cinco anos;

14 Atenção integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) Indica uma abordagem completa que pretende avaliar, classificar e estabelecer normas para encaminhamentos e/ou tratamentos, incluindo ações educativas à mãe/responsável;

15 Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) Entendendo que as doenças não são fenômenos isolados e se constituem um processo com vários fatores interligados,o AIDPI visa alcançar pelo menos os fatores de ordem biológica e cultural,promovendo um impacto sobre a morbi - mortalidade infantil nos países em desenvolvimento; O programa é adaptado em cada país às normas nacionais e às características epidemiológicas da população;

16 PROGRAMAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE PROSAD – Programa de Atenção à Saúde do Adolescente, fundamentado em áreas prioritárias como o acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento, a sexualidade, a saúde bucal, a saúde mental, a saúde reprodutiva, a saúde do escolar adolescente, a prevenção de acidentes, o trabalho cultural, o lazer e o esporte.

17 Programa Saúde do Adolescente (PROSAD) DIRETRIZES: INTEGRALIDADE DAS AÇÕES DE SAÚDE; MULTIDISCIPLINARIEDADE NO TRATO DAS QUESTÕES DE SAÚDE; INTEGRAÇÃO INTERSETORIAL E INTERINSTITUCIONAL DOS ORGÃOS ENVOLVIDOS.

18 Programa Saúde do Adolescente (PROSAD) AÇÕES BÁSICAS: POLÍTICA DE PROMOÇÃO DE SAÚDE; IDENTIFICAÇÃO DE GRUPOS DE RISCOS; DETECÇÃO PRECOCE DE AGRAVOS; TRATAMENTO ADEQUADO E REABILITAÇÃO.

19 Programa Saúde do Adolescente (PROSAD) OBJETIVOS: PROMOVER SAÚDE INTEGRAL DO ADOLESCENTE; NORMATIZARAS AÇÕES CONSIDERADAS NA ÁREAS PRIORITÁRIAS; ESTIMULAR E APOIAR A IMPLANTAÇÃO DOS PROGRAMAS ESTADUAIS E MUNICIPAIS;

20 PROGRAMA SAÚDE DO ADOLESCENTE (PROSAD) OBJETIVOS: PROMOVER E APOIAR ESTUDOS E PESQUISAS MULTICÊNTRICAS RELATIVAS A ADOLESCÊNCIA; CONTRIBUIR COM AS ATIVIDADES INTRA E ITERINSTITUCIONAL, VISANDO UMA POLÍTICA NACIONAL PARA A ADOLESCÊNCIA E JUVENTUDE.

21 PROGRAMA SAÚDE DO ADOLESCENTE (PROSAD) ATIVIDADES: ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ADOLESCENTE; ACOMPANHAMENTO DA SEXUALIDADE; ACOMPANHAMENTO DA SAÚDE BUCAL,SAÚDE MENTAL,SAÚDE REPRODUTIVA E SAÚDE DO ESCOLAR ADOLESCENTE;

22 PROGRAMA SAÚDE DO ADOLESCENTE (PROSAD) ATIVIDADES: PREVENÇÃO DE ACIDENTES; ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO, CULTURA, ESPORTE E LAZER.

23 Referências BRASIL,Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios:IBGE MINISTÉRIO da SAÚDE,Área Técnica de Saúde da Criança.Brasília CBIA,Proposta de Política Nacional de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente.Brasília.1994.

24 OBRIGADA !


Carregar ppt "POLÍTICAS DE SAÚDE em Atenção à Criança e ao Adolescente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google