A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O MAHABHARATA INTERPRETAÇÃO 22/IV/04. GEORGES DUMÉZIL I Função Espiritual Varuna = deus do cosmo(s) e dos céus Mitra = deus benevolente e da justiça II.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O MAHABHARATA INTERPRETAÇÃO 22/IV/04. GEORGES DUMÉZIL I Função Espiritual Varuna = deus do cosmo(s) e dos céus Mitra = deus benevolente e da justiça II."— Transcrição da apresentação:

1 O MAHABHARATA INTERPRETAÇÃO 22/IV/04

2 GEORGES DUMÉZIL I Função Espiritual Varuna = deus do cosmo(s) e dos céus Mitra = deus benevolente e da justiça II Função Guerreira Vayu = deus dos ventos (força) Indra = rei dos deuses, defensor dos deuses III Função Mercantil Ashwins = deuses gémeos, deuses da fertilidade e da beleza Mahabharata como a versão indiana de uma narrativa mítica comum aos povos de origem indo- europeia

3 GEORGES DUMÉZIL I Função Espiritual Mitologia Germânica = Wotan Mitologia Romana = Júpiter Mitologia Grega = Zeus II Função Guerreira Mitologia Germânica = Thor Mitologia Romana = Marte Mitologia Grega = Ares III Função Mercantil Mitologia Germânica = Freia e Freyr (gémeos Vanir) Mitologia Romana = Quirino (gémeos Rómulo e Remo) Mitologia Grega = gémeos Castor e Pólux

4 GEORGES DUMÉZIL Wotan/OdinThorFreya/Idun

5 MAHABHARATA I Função Espiritual Yudhisthira = Dharma (Varuna + Mitra) II Função Guerreira Bhima = Vayu Arjuna = Indra III Função Mercantil Nakula/Sahadeva = Ashwins Pandava=Dharma <> Kaurava=Adharma

6 BIARDEAU Arjuna: Mas, seu não resistir e, desarmado, nesse combate me deixar matar plos que defendem Dhritaráxtra, eu serei, eu serei, com certeza, mais feliz. Poema do Senhor (BhG) 1:46 Krishna: E não tremas depois davaliar teu dharma pessoal, porque não há nada, nada melhor para um guerreiro do que o combate em harmonia com seu dharma. Este combate, que surgiu como por sorte, escancara as portas todas lá no Céu Poema do Senhor (BhG) 2:31-32

7 VAISHNAVISMO Arjuna: Ah, vejo os deuses todos, ó Deus, no Teu próprio corpo, assim como as espécies todas dos seres reunidas mais o Senhor Brahmá, sentado no Trono do Lótus, todos os sábios-videntes, répteis, serpentes celestes. Com muitos, muitos braços, muitos ventres, bocas, olhos, eu vejo-Te, por toda a parte, infinito na forma; e Teu fim, meio e princípio não consigo ver, Senhor de tudo, cuja forma é todo este universo. Poema do Senhor (BhG) 11:15-16

8 V.S. Sukthankar On the Meaning of the Mahabharata (1957) Interpretação Mundana História de uma guerra terrível entre duas famílias de primos Interpretação Ética A guerra é observada como um conflito entre os princípios do Dharma e Adharma Interpretação transcendental ou metafísica A epopeia desenvolve o que poderia ser designado como uma filosofia do Si [Self]

9 Yudhisthira: Serei eu esse rei? Krishna: Haverá outro? Yudhisthira: Sou demasiado imperfeito. Desejo pouco essa coroa. Krishna: Não te enganes sobre ti mesmo. (…) Arjuna tomou então a palavra e disse ao seu irmão que hesitava: E os teus irmãos estão à tua volta como um corpo. Bhima é o teu pescoço e os teus ombros. Nakula e Sahadeva são os teus membros; eu sou os teus olhos e a tua mão.

10 ÉTICA DAS VIRTUDES YudhisthiraJustiça BhimaEnergia ArjunaDisciplina NakulaPaciência SahadevaSabedoria


Carregar ppt "O MAHABHARATA INTERPRETAÇÃO 22/IV/04. GEORGES DUMÉZIL I Função Espiritual Varuna = deus do cosmo(s) e dos céus Mitra = deus benevolente e da justiça II."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google