A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As únicas fases do histórico de vida que se apresentam livres e integram o plâncton por períodos muito curtos de tempo são os esporos e gametas. Macroalgas:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As únicas fases do histórico de vida que se apresentam livres e integram o plâncton por períodos muito curtos de tempo são os esporos e gametas. Macroalgas:"— Transcrição da apresentação:

1 As únicas fases do histórico de vida que se apresentam livres e integram o plâncton por períodos muito curtos de tempo são os esporos e gametas. Macroalgas:

2 Fixam-se à substratos sólidos, sobretudo rochas ou corais mortos, Algumas espécies adaptaram-se a crescer sobre substrato areno- lodosos; Macroalgas:

3 Epifitismo sobre outras algas e angiospermas marinhas é muito comum. Parasitismo também ocorre, mas é raro. Macroalgas:

4 As áreas mais ricas em macroalgas, em diversidade biomassa são: Fundos rochosos e áreas recifais. Costões Macroalgas:

5 Distribuição vertical influenciada pela exposição ao sol e água. Macroalgas:

6 FLORA: 643 táxons infragenéricos de macroalgas: 388 Rhodophyta; 88 Phaeophyta; 167 Chlorophyta. Dentre os estados com maior número de espécies destacam-se o Rio de Janeiro e São Paulo. * 5 espécies de angiospermas marinhas. Macroalgas:

7 Não existem estudos objetivos em quase todo o mundo, sobre o estado atual de conservação da biodiversidade algal. Macroalgas:

8 CONSERVAÇÃO: Áreas portuárias são mais sensíveis ao impacto, devido a: Derramamento de petróleo; Macroalgas:

9 CONSERVAÇÃO Constante agitação, pelos hélices das embarcações; Filmes superficiais de combustíveis;

10 CONSERVAÇÃO Áreas recifais intermareais pelo pisoteio.

11 CONSERVAÇÃO Água de lastro.

12 São abundantes em águas tropicais quentes. Existem a espécies distribuídas em aproximadamente 680 gêneros dentre os quais poucos são unicelulares tais como Cyanidium sp. (cresce em fontes termais ácidas). 100 espécies ocorrem em água doce. Divisão Rhodophyta:

13

14 Os cloroplastos contém ficobilinas, conferindo a cor avermelhada. As ficobilinas absorvem luz verde e azul esverdeada Divisão Rhodophyta:

15 Seus cloroplastos assemelham-se bioquímica e etruturalmente às cianobactérias, possivelmente devido a uma endossimbiose passada; As principais substâncias de reserva são grânulos de amido das florídeas. Divisão Rhodophyta:

16 São as únicas entre os filos de algas a não apresentarem flagelos ou centríolos. As mesmas apresentam anéis polares. Divisão Rhodophyta:

17 Suas paredes celulares apresentam um componente interno rígido, consistindo de microfibrilas de celulose ou outro polissacarídeo; Parede externa com um componente mucilaginoso tal como ágar ou carrageano. Divisão Rhodophyta:

18 Algumas delas apresentam suas paredes impregnadas por carbonato de cálcio: Espécies da família Corallinaceae Registros fósseis de 700 milhões de anos Divisão Rhodophyta:

19 Históricos de vida: Monósporo (assexuada); Alternância de geração (sexuada); Divisão Rhodophyta:

20 Ciclo de vida: ALTERNÂNCIA DE GERAÇÃO: GAMETÓFITO – FASE HAPLÓIDE PRODUTORA DE GAMETAS. ESPORÓFITO – FASE DIPLÓIDE PRODUTORA DE ESPOROS. Divisão Rhodophyta:

21 Gametófito produz espermatângios que originam e produzem espermácios (gametas masculinos não móveis). Carpogônios abrigam os gametas femininos Divisão Rhodophyta:

22 Carpogônio – gameta feminino que se origina do mesmo gametófito que produz espermatângios. O carpogônio produz o tricógino para receber o espermácio. O zigoto produz carpósporos diplóides que são liberados na água pelo gametófito progenitor. Divisão Rhodophyta:

23

24 GERAÇÃO DIPLÓIDE CARPOSPOROFÍTICA: Produção de tetrasporófito que ocorre em células especializadas, chamadas de tetrasporângios que produzirão tetráporos por meiose e consequentemente novos gametófitos. Divisão Rhodophyta:

25

26 As algas pardas, grupo quase totalmente marinho das águas temperadas, boreais e polares; Divisão Phaeophyta:

27 As maiores algas pardas compõem a ordem Laminariales e são chamadas Kelps. Divisão Phaeophyta:

28

29 Em águas claras podem ocorrer até uma profundidade de 20 a 30m e estender-se até 5 a 10 km da costa; Divisão Phaeophyta:

30 Sargassum sp. – Pode apresentar crescimento indesejado e são fortes competidoras em áreas não nativas. Divisão Phaeophyta:

31 Sargassum muticum

32 A FORMA BÁSICA DE UMA ALGA PARDA É O TALO: Apesar de ser um grupo monofilético, as algas pardas variam de organismos unicelulares aos Kelps. Os talos variam de filamentos até agregações pseudo-parenquimáticas. Durante muito tempo, a organização do talo era utilizado para classificar ordens. Divisão Phaeophyta:

33 Talo filamentoso Talo parenquimatoso Divisão Phaeophyta:

34 As células das algas pardas contém fucoxantina cujos plastídeos são estruturalmente semelhante ao das crisófitas e diatomáceas. Apesar da clorofila a e b, a fucoxantina mascara a coloração destes pigmentos. Reservam carboidrato laminarina em vacúolos. Divisão Phaeophyta:

35 Os talos dos Kelps são altamente diferenciados em apressório, estipe e lâmina; Algumas podem apresentar estratégias de condução semelhante ao floema; Alginato – Substância mucilaginosa Divisão Phaeophyta:

36 Ciclo de vida das Kelps

37 Agas verdas, incluindo espécies; Há uma grande variedade de organismos; Organização do corpo Habitats Divisão Chlorophyta:

38 Líquens Divisão Chlorophyta:

39 Assemelham-se às plantas em algumas características importantes: Clorofila a e b; Reserva de amido dentro de palstídeos; Parede celular rígida composta por celulose, hemicelulose e substâncias pécticas. Células reprodutivas flageladas assemelham- se à das plantas. Divisão Chlorophyta:

40 Divisão Clado das viridófitas:

41 Os principais grupos são pertencentes às: Chlorophyceae Ulvophyceae Charophyceae Divisão Chlorophyta:

42

43 Ulvophyceae Divisão Chlorophyta:

44 Charophyceae Divisão Chlorophyta:

45 Chlorophyceae São principalmente de água doce e vão de organismos unicelulares móveis ou imóveis, coloniais móveis e não-móveis, filamentosas e algumas que formam lâminas celulares. Algumas poucas são unicelulares planctônicas (Chlaminomonas sp. - móveis). Divisão Chlorophyta:

46 Chlaminomonas sp. Divisão Chlorophyta:

47 Chlorophyceae Ciclo de vida das Chlaminomonas. Divisão Chlorophyta:

48 Volvox é um gênero colonial móvel: Divisão Chlorophyta:

49 Ulvophyceae, constitui de grupos marinhos. Divisão Chlorophyta:

50 Charophyceae Consiste de gêneros unicelulares, coloniais, filamentosos e parenquimatosos. Há uma elevada semelhança com as plantas estrutural, bioquímica e geneticamente. Zigotos envoltos por uma substância chamada esporopolenina. Divisão Chlorophyta:

51 Charophyceae As Coleochaetales e Charales são as que mais se aproximam das plantas. Apresentam semelhança quanto a divisão celular e reprodução sexuada. São oogâmicas e seus anterozóides se assemelham aos das briófitas. Divisão Chlorophyta:


Carregar ppt "As únicas fases do histórico de vida que se apresentam livres e integram o plâncton por períodos muito curtos de tempo são os esporos e gametas. Macroalgas:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google