A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RESPONSABILIDADE CIVIL E A NOVA NB1/2002 NBR6118 - PROJETO DE ESTR. DE CONCRETO Eng. Fernando Rebouças Stucchi São Paulo,Dezembro/2002.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RESPONSABILIDADE CIVIL E A NOVA NB1/2002 NBR6118 - PROJETO DE ESTR. DE CONCRETO Eng. Fernando Rebouças Stucchi São Paulo,Dezembro/2002."— Transcrição da apresentação:

1 RESPONSABILIDADE CIVIL E A NOVA NB1/2002 NBR PROJETO DE ESTR. DE CONCRETO Eng. Fernando Rebouças Stucchi São Paulo,Dezembro/2002

2 1.Características Diferenciadas da Engenharia Civil Necessidade da Sociedade Eng. Civil 1.Planejamento 2.Projeto 3.Construção 4.Entrega 5.Uso e Manutenção Eng. Mecânica ? 1.Projeto 2.Modelo/Testes 3.Protótipo/Testes 4.Produção/Testes 5.Mercado 6.Uso e Manutenção

3 2. Disciplinas e riscos envolvidos 2.1.Arquitetura - Venda Funcionais Acabamento 2.2.Instalações - Funcionais 2.3.Estruturas e Fundações - Recalques Flechas Fissuras Vibrações - Colapso parcial ou total

4 3.Estruturas e Fundações Defeitos decorrem do projeto ou da execução Risco = Probabilidade de insucesso x prejuízo. Como o prejuízo é grande, a probabilidade de insucesso deve ser pequena. A probabilidade de insucesso fica definida aproximadamente pelos critérios de projeto, de execução e controle e de uso e manutenção

5 4. Planejamento O planejamento decide não só o que vai ser executado,mas também qual é o risco que a sociedade aceita correr nesse caso particular. Exemplo - Aprofundamento da calha do rio Tietê Nota - O código do consumidor não se aplica integralmente a problemas de engenharia civil

6 5. Conceituação de segurança 5.1 As várias facetas da segurança –Confiabilidade »Probabilidade de ruína é bastante pequena (10 -6 ) –Dutilidade »Capacidade de adaptação e aviso –Fidelidade »Não dá alarme falso –Durabilidade » Mantém estas 3 qualidades ao longo da vida útil com manutenção limitada

7 5.2 Os fatores definidores da segurança Concepção da solução Modelo de cálculo Ações consideradas Dimensionamento Detalhamento Execução Operação Manutenção Segurança analítica Seg. empírica Segurança empírica Segurança especificada

8 5.3 Margem de segurança efetiva MARGEM DE SEGURANÇA EFETIVA 100 M S 300 M R P+EP EP P+EP EP EOEM P P P - PROJETO EP - EXECUÇÃO PREVISTA EM PROJETO E - EXECUÇÃO M - MANUTENÇÃO O - OPERAÇÃO M FS=3

9 5.4 Alguns resultados de pesquisa do IABSE: Fontes de erros CASOS DM DP Risco consciente aceito Erro humano Projeto Execução Ambos Outros

10 CASOS DM DP NO PROJETO Concepção Análise estrutural Desenhos e outros doc Preparação para execução Outros NA OBRA Canteiro e escavações Escoramentos Execução da estrutura

11 5.5. Segurança e responsabilidade civil Introdução da segurança no projeto 1.Resistências Minoradas devem ser MAIORES que Solicitações Majoradas 2.As resistências minoradas são determinadas a partir de seus valores extremos inferiores, com baixa probabilidade de não serem atingidos 3.As solicitações majoradas são determinadas a partir de seus valores extremos superiores, com baixa probabilidade de serem ultrapassados

12 5.6. TEORIA DA CONFIABILIDADE Introdução da Segurança A. Normas – Nível 1 R d (x i, extremos ) S d (y i, extremos ) B. Teoria Geral – Nível 3 G = (R (x i ) – S (y i )) extremos 0

13 5.6.2 Uma representação gráfica da segurança G = R - S G = ( R 2 + S 2 ) 1/2 = G / G isto é, P r = P r (- ) G g G G GG G G

14 5.7. O caso dos colapsos Os colapsos ocorrem por erro humano (de projeto ou de execução), mas podem ocorrer por FORÇA MAIOR! O erro humano é responsabilidade da engenharia. O engenheiro responsável se responsabiliza por todo e qualquer erro de sua equipe. O caso de FORÇA MAIOR não é e não pode ser responsabilidade da engenharia. A sociedade decide, através de consenso construído ao longo do tempo, assumir esses riscos porque evita-los seria infinita- mente caro!

15 É mais frequente as solicitações serem superadas por FORÇA MAIOR. É o caso de: - Terremotos - Furacões ou tornados - Enxurradas e enchentes - Granizo Exemplos comparando EUA e BRASIL Existe FORÇA MAIOR do lado das resistências é o caso por exemplo de: - Ponte de Tacoma - Torre Itália de São José do Rio Preto.

16 Um exemplo de divisão de risco O caso de obras do Metrô da cidade de São Paulo. A Cia do Metrô de S. Paulo separa os riscos que são dela, isto é da Sociedade, daqueles que são da engenharia. O Risco Geológico é um risco da Sociedade.

17 VIVER É PERIGOSO, NÃO É POSSÍVEL ELIMINAR TODOS OS RISCOS. É POSSÍVEL E CONVENIENTE REDUZÍ-LOS E DIVIDÍ-LOS ADEQUADAMENTE. OBRIGADO


Carregar ppt "RESPONSABILIDADE CIVIL E A NOVA NB1/2002 NBR6118 - PROJETO DE ESTR. DE CONCRETO Eng. Fernando Rebouças Stucchi São Paulo,Dezembro/2002."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google