A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 1/32 © 2007 by Pearson Education Gerenciamento de Projetos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 1/32 © 2007 by Pearson Education Gerenciamento de Projetos."— Transcrição da apresentação:

1 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 1/32 © 2007 by Pearson Education Gerenciamento de Projetos

2 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 2/32 © 2007 by Pearson Education Objetivos l Explicar as tarefas principais conduzidas pelos gerentes de projeto l Apresentar o gerenciamento de projeto de software e descrever suas características distintas l Discutir o planejamento de projeto e o processo de planejamento l Mostrar como representações gráficas de cronograma são usadas no gerenciamento de projeto l Discutir a noção de riscos e o processo de gerenciamento de riscos

3 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 3/32 © 2007 by Pearson Education Tópicos Abordados l Atividades de gerenciamento l Planejamento de projeto l Cronograma de projeto l Gerenciamento de riscos

4 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 4/32 © 2007 by Pearson Education l Está relacionado às atividades envolvidas em assegurar que o software será entregue dentro do prazo definido no crongrama e de acordo com os requisitos das organizações que desenvolvem e adquirem o software. l Gerenciamento de projeto é necessário porque o desenvolvimento de software está sempre sujeito às restrições de orçamento e de cronograma que são estabelecidas pela organização que desenvolvem o software. Gerenciamento de Projeto de Software

5 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 5/32 © 2007 by Pearson Education l O produto é intangível. l O produto é unicamente flexível. l A engenharia de software não é reconhecida como uma disciplina da engenharia, nem possui o mesmo status da engenharia mecânica, elétrica, etc. l O processo de desenvolvimento de software não é padronizado. l Muitos projetos de software são projetos únicos. Distinções de Gerenciamento de Software

6 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 6/32 © 2007 by Pearson Education l Elaboração de proposta. l Planejamento e desenvolvimento de cronograma do projeto. l Custo do projeto. l Monitoração e revisões de projeto. l Seleção e avaliação de pessoal. l Elaboração de relatórios e apresentações. Atividades de Gerenciamento

7 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 7/32 © 2007 by Pearson Education l Essas atividades não são peculiares para o gerenciamento de software. l Muitas técnicas de gerenciamento de projeto de engenharia são igualmente aplicáveis ao gerenciamento de projeto de software. l Tecnicamente, sistemas de engenharia complexos tendem a sofrer dos mesmos problemas que os sistemas de software. Características Comuns do Gerenciamento

8 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 8/32 © 2007 by Pearson Education Seleção de Equipe de Projeto l Pode não ser possível indicar as pessoas ideais para trabalhar em um projeto O orçamento do projeto pode não ser suficiente para contratar uma equipe muito bem remunerada; Uma equipe com experiência adequada pode não estar disponível; Uma organização pode querer desenvolver as habilidades de seus funcionários por meio de um projeto de software. l Gerentes têm de trabalhar dentro dessas restrições, especialmente quando existe carência de pessoal treinado.

9 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 9/32 © 2007 by Pearson Education Planejamento de Projeto l É, provavelmente, a atividade de gerenciamento de projeto que toma mais tempo. l É uma atividade contínua que vai do conceito inicial até a entrega do sistema. Os planos devem ser regularmente revisados, à medida que informações novas se tornem disponíveis. l Vários tipos diferentes de plano podem ser desenvolvidos para apoiar o plano principal de projeto de software que está relacionado ao cronograma e ao orçamento.

10 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 10/32 © 2007 by Pearson Education O Plano de Projeto l O plano de projeto estabelece: Os recursos disponíveis para o projeto; A estrutura analítica de trabalho; Um cronograma para o trabalho.

11 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 11/32 © 2007 by Pearson Education Estrutura de Plano de Projeto l Introdução l Organização de projeto l Análise de riscos l Requisitos de recursos de hardware e de software l Estrutura analítica l Cronograma de projeto l Mecanismos de monitoração elaboração de relatórios

12 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 12/32 © 2007 by Pearson Education Organização de Atividades l Em um projeto, as atividades devem ser organizadas para produzirem saídas tangíveis para que o gerenciamento julgue o progresso. l Marcos são o ponto final de uma atividade de processo. l Produtos a serem entregues são resultados do projeto disponibilizados para os clientes. l O processo cascata permite a definição direta dos marcos de progresso.

13 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 13/32 © 2007 by Pearson Education Marcos no Processo RE

14 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 14/32 © 2007 by Pearson Education Desenvolvimento do Cronograma de Projeto l Dividir o projeto em tarefas e estimar tempo e recursos necessários para completar cada tarefa. l Organizar tarefas simultâneas para fazer uso otimizado da força de trabalho. l Minimizar as dependências de tarefas para evitar atrasos causados pelo fato de uma tarefa ter de aguardar a finalização de outra. l É dependente da intuição e experiência dos gerentes de projeto.

15 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 15/32 © 2007 by Pearson Education Problemas de Desenvolvimento de Cronograma l Fazer uma estimativa das dificuldades e dos problemas; por essa razão, é difícil estabelecer o custo de uma solução. l A produtividade não é proporcional ao número de pessoas que trabalham em uma tarefa. 9 mulheres não produzem 1 filho em 1 mês ! l A inclusão de pessoas em um projeto atrasado, o atrasa ainda mais devido aos overheads de comunicação. l O inesperado sempre ocorre. Deve-se sempre considerar a contingência no planejamento.

16 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 16/32 © 2007 by Pearson Education Diagramas de Barras e Redes de Atividades l São notações gráficas usadas para ilustrar o cronograma de projeto. l Mostram a quebra do projeto em tarefas que não devem ser muito pequenas. Elas devem levar aproximadamente 1 ou 2 semanas. l Redes de atividades mostram as dependências entre as tarefas e o caminho crítico. l Os diagramas de barras mostram o cronograma em contraste com tempo do calendário.

17 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 17/32 © 2007 by Pearson Education Durações e Dependências de Tarefas

18 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 18/32 © 2007 by Pearson Education Rede de Atividades

19 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 19/32 © 2007 by Pearson Education Diagrama de Barras de Atividades

20 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 20/32 © 2007 by Pearson Education Alocação de Pessoal

21 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 21/32 © 2007 by Pearson Education Gerenciamento de Riscos l O gerenciamento de riscos está relacionado à identificação de riscos e à elaboração de planos para minimizar esses efeitos em um projeto. l Risco é a probabilidade de que alguma circunstância adversa ocorrerá Os riscos de projeto afetam o cronograma ou os recursos; Os riscos de produto afetam a qualidade ou o desempenho do software que está sendo desenvolvido; Riscos de negócio afetam a organização que desenvolve ou adquire o software.

22 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 22/32 © 2007 by Pearson Education Riscos de Software

23 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 23/32 © 2007 by Pearson Education O Processo de Gerenciamento de Riscos l Identificação de riscos Identifica os riscos de projeto, de produto e de negócio; l Análise de riscos Avalia a probabilidade e as consequências desses riscos; l Planejamento de riscos Elabora planos para evitar ou minimizar os efeitos do riscos; l Monitoraçao de riscos Monitora os riscos ao longo do projeto.

24 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 24/32 © 2007 by Pearson Education Identificação de Riscos l Riscos de tecnologia l Riscos de pessoal l Riscos organizacionais l Riscos de ferramentas l Riscos de requisitos l Riscos de estimativas

25 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 25/32 © 2007 by Pearson Education Riscos e Tipos de Risco

26 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 26/32 © 2007 by Pearson Education Análise de Riscos l Avaliar a probabilidade e a seriedade de cada risco. l A probabilidade pode ser muito baixa, baixa, média, alta e muito alta. l Os efeitos de risco poderiam ser catastróficos, sérios, toleráveis ou insignificantes.

27 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 27/32 © 2007 by Pearson Education Planejamento de Riscos l Considerar cada risco e desenvolver uma estratégia para gerenciar esse risco. l Estratégias de prevenção A probabilidade de o risco ocorrer é reduzida; l Estratégias de minimização O impacto do risco sobre o projeto ou produto será reduzido; l Planos de contingência São planos para lidar com os riscos, caso eles ocorram.

28 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 28/32 © 2007 by Pearson Education Estratégias de Gerenciamento de Riscos

29 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 29/32 © 2007 by Pearson Education Monitoração de Riscos l Avaliar, regularmente, cada um dos riscos identificados para decidir se está ou não se tornando menos ou mais provável. l Avaliar também se os efeitos do risco mudaram. l Cada risco-chave deve ser discutido nas reuniões de gerenciamento de progresso.

30 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 30/32 © 2007 by Pearson Education Indicadores de Risco

31 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 31/32 © 2007 by Pearson Education Pontos-Chave l Um bom gerenciamento é essencial para sucesso do projeto. l A natureza intangível do software causa problemas para o gerenciamento. l Gerentes têm papéis diversos, mas suas atividades mais significantes são planejamento, elaboração de estimativas e desenvolvimento de cronograma. l Planejamento e elaboração de estimativas são processos iterativos que continuam ao longo do curso de um projeto.

32 ©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 32/32 © 2007 by Pearson Education l Um marco de projeto é um estado previsível onde um relatório de progresso formal é apresentado à gerência. l Desenvolvimento de cronograma de projeto envolve a preparação de várias representações gráficas mostrando atividades de projeto, suas durações e também o pessoal. l O gerenciamento de riscos está relacionado à identificação de riscos que podem afetar o projeto e ao planejamento para assegurar que esses riscos não resultarão em maiores ameaças. Pontos-Chave


Carregar ppt "©Ian Sommerville 2006Engenharia Software, 8ª. edição. Capítulo 5 1/32 © 2007 by Pearson Education Gerenciamento de Projetos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google