A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Eu, João Batista Pereira, autorizo o CICT do Inatel a disponibilizar este arquivo no formato eletrônico ou em qualquer meio que se faça necessário.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Eu, João Batista Pereira, autorizo o CICT do Inatel a disponibilizar este arquivo no formato eletrônico ou em qualquer meio que se faça necessário."— Transcrição da apresentação:

1 Eu, João Batista Pereira, autorizo o CICT do Inatel a disponibilizar este arquivo no formato eletrônico ou em qualquer meio que se faça necessário.

2 O APARELHO TELEFONICO

3 Funções do Aparelho Telefônico: O aparelho telefônico foi inventado por Alexander Graham Bell, em As principais funções do aparelho telefônico são: 1. Solicitar a utilização dos recursos da central local, quando o usuário retira o fone do gancho; 2. Informar o usuário que a central local está apto para o início da chamada, emitindo o tom de discar; 3. Transmitir o número de telefone do chamado à central local; 4. Indicar o estado de uma chamada em progresso (tocando campainha, ocupado, etc..)

4 Funções do Aparelho Telefônico: 5- Avisar o usuário que uma chamada está ocorrendo (toque de campainha); 6- Transformar a energia acústica de voz em energia elétrica e vice-versa; 7- Ajustar automaticamente as variações existentes nos comprimentos dos cabos; 8- Avisar a central local que a chamada terminou logo após o usuário chamador colocar o fone no gancho.

5 Alimentação do Aparelho Telefônico Os telefones funcionam com tensão contínua de -48V, corrente de operação de 20 a 80 mA. Esta alimentação é proveniente da própria central telefônica, simplificando os circuitos do aparelho e a sua instalação. Outras vantagens são: a redução de custo; a facilidades de operação; a facilidade da manutenção do aparelho.

6 Resistência de Loop. A resistência de loop medida nos terminais da central, para que o aparelho funcione, estando o monofone fora do gancho, incluindo a resistência do fio da linha telefônica, deve ser menor do que ohms.

7 Circuitos Básicos: Genericamente, uma aparelho telefônico constitui-se de três circuitos básicos: a-) Circuito de Voz ou Áudio (Speech Circuit); b-) Processador de Chamadas (Pulse Dialer ou DTMF Generator); c-) Circuito de Campainha ou Ring (Tone Ringer).

8 Circuito de Áudio O circuito de áudio permite a conversão de sinais acústicos (voz) em sinais elétricos e vice-versa. Converte sinais acústicos em sinais elétricos: CÁPSULA TRANSMISSORA. Converte sinais elétricos em sinais acústicos: CÁPSULA RECEPTORA. Ambas as cápsulas ficam acopladas ao monofone.

9 Cápsulas Transmissoras A voz do usuário provoca variações na pressão do ar que atua sobre uma membrana de alumínio. Essa pressão variável modifica a resistência ohmica entre os pontos de contacto da cápsula. A eficiência do microfone depende muito da aplicação da ten- são correta na cápsula. Tensão baixa: transmissão ruim Tensão alta: provoca queima de grânulos de carvão Simbologia

10 Microfone Eletromagnético A pressão acústica ocasiona o movimento da bobina. O movimento da bobina imersa no campo magnético induz uma corrente propor- cional a esse movimento. Essa corrente é amplificada e transmitida. Saída Elétrica N S S Campo Magnético Bobina Suporte Flexível Entrada Acústica Ímã Permanente Diafragma

11 Microfone de Eletreto Eletreto: Material dielétrico usado para armazenar carga elétrica quase que indefinidamente. Princípio de Funcionamento Quando o eletreto é colocado como o dielétrico entre as duas placas de metais, forma um tipo especial de capacitor. Diafragma de metal Metal Eletreto Metal V Sinal Elétrico Amplif.

12 Microfone de Eletreto (cont.) A relação ente a tensão (V), a carga (Q) e a capacitância (C) é dada por A carga Q é mantida constante. O pequeno movimento do diafragma devido a ação do sinal sonoro, acarreta variações na tensão entre os terminais. Essas variações de tensão são pequenas e devem ser amplifi- cadas.

13 O Receptor Transforma energia elétrica em energia acústica. Receptor Eletromagnético A corrente elétrica varia o fluxo do campo magnético. O fluxo atrai ou repele o diafragma que desloca o ar. Campo Magnético Ímã Diafragma de Ferro Ponto fixo i Corrente Símbolo

14 O Receptor (cont.) Receptor Eletrodinâmico Uma bobina é solidária ao diafragma. Ao ser percorrida por uma corrente gera um campo que interage com o produzido por um ímã permanente. O receptor eletrodinâmico é mais sensível que o eletromagnético, mas este apresenta maior robustez, uma vez que somente o diafragma se movimenta. O receptor mais utilizado é o eletromagnético. Ímã i Diafragma Bobina Movimento do diafragma

15 Híbrida A função da híbrida é transformar um para de fios em dois pares de fios e vice-versa. Há necessidade dessa transformação, porque se usa em geral somente um par de fios na linha de transmissão por ecomonia, e faz-se a separação da transmissão e da recepção no aparelho telefônico, utilizando uma híbrida.

16 Efeito Local (side tone) A pessoa que fala ouve a sua própria voz no receptor com maior intensidade que o som vindo do microfone do seu interlocutor. Circuito anti-localCircuito equivalente V m Z m ZbZb ZfZf I ZbZb Z m - impedância do microfone; Z f - impedância do receptor; Z b - impedância de balanceamento. Se Z b = Z L I = 0 Z m - impedância do microfone; Z f - impedância do receptor; Z b - impedância de balanceamento. Se Z b = Z L I = 0 ZLZL ZLZL

17 Efeito local (cont.) O valor de I pode ser projetado para que o usuário possa ouvir a sua voz atenuada. O valor ideal de atenuação do efeito local é da ordem de 15 a 20 dB, que corresponde à atenuação natural entre a boca e o ouvido de um indivíduo. Uma atenuação muito elevada pode dar a falsa impressão que o microfone está mudo. Na recepção o sinal que vem da linha terá um mesmo sentido no transmformador e o receptor receberá um sinal mais forte. ZLZL VLVL ZmZm ZbZb ZfZf

18 Pulsos de Discagem Nos telefones com disco, o usuário gira o disco no sentido horário até o encosto. O disco, ao retornar à posição normal, devido à ação de uma mola, provoca abertura no loop de corrente da linha, tantas vezes quanto for o número discado. A central percebe a interrupção do loop de corrente e contabiliza os pulsos enviados, que chegam na razão aberto-fechado de 2:1. O processo deve ser repetido para cada dígito discado.

19 Formas de onda S1S1 S2S2 100 ms 67 ms

20 Tons Multifreqüências (DTMF) Nos aparelhos multifreqüênciais, quando uma tecla é pressionada, ativa a emissão de um par de freqüências (DTMF) na faixa de áudio e abaixo de zero dB (menor que 0,7V) por um período de tempo de aproximadamente 100ms, à central local, que filtra e identifica o par como sendo o código de um número predeterminado. Cada dígito decimal ou tecla possui um par de freqüências específico.

21 Teclas a) Disco substituído por teclas: existe uma memória que armazena os dígitos pressionados e um dispositivo a relê que gera os pulsos na linha, simulando o disco. b) Tom Dual Multifrequencial (DTMF) Cada Tecla pressionada gera dois tons que são decodificados na central telefônica. Ex.: Pressionando 8, gera as freqs. 852 Hz do grupo inf. e 1336 Hz do grupo superior. A quarta coluna é utilizada para aplicações especiais. Grupo Superior Grupo Inferior Hz 123A 456B 789 C * 0 *D Teclado NormalTeclado Estendido

22 Circuito de Campainha ou Ring A central telefônica, após identificar o assinante chamado, deve enviar um sinal a fazer soar a campainha do seu telefone. Esse sinal deve ter potência suficiente para avisá-lo da chamada a uma distância razoável. Nos aparelhos rudimentares, foi utilizada campainha eletromagnética. A corrente então necessária e padronizada para esse fim foi uma corrente alternada, senoidal, cujo valor está entre 70 e 90V eficazes e freqüência de 25 Hz +/- 20%.

23 Campainha A corrente denominada de corrente de toque é enviada ao assinante chamado de forma pulsada, de maneira a provocar um segundo de toque de campainha por quatro segundos de silêncio. Chave a b C Campainha 20 ~25 Hz Circui- to do Apa- relho Telefô- nico Linha de Assinante A chave, quando o fone está no gancho, fica aberta. Quando o usuário tira o fone do gancho, interrompe a corrente alternada e simultâneamente uma corrente contínua alimenta o aparelho telefônico.

24 Circuito de Equalização Os aparelhos telefônicos funcionam distantes da central telefônica. O raio de ação de uma central, para alimentar um aparelho telefônico, é de aproximadamente 5 Km. Portanto, o sinal para um aparelho instalado a 5 Km da central, comparado a outro instalado a 100 metros, por exemplo, seria bem menor, devido à atenuação provocada pela linha de transmissão. Com isso, a cada ligação, o usuário notaria uma intensidade de sinal, ora mais alta ora mais baixa.

25 Circuito de Equalização (cont.) O circuito de equalização tem como objetivo manter o mesmo nível de sinal independente do comprimento da linha de transmissão. Isto é feito por meio da atenuação do sinal para linhas mais curtas, cuja atenuação vai diminuindo com o comprimento da linha. A linha apresenta atenuação típica de 280 ohm e capacitância de 50 nF por Km e os circuitos devem compensar esta característica da linha.

26 Gráfico de Equalização Atenuação (dB) Nível de sinal na recepção Distância (Km) 5

27 Características Operacionais O assinante A, quando for efetuar uma chamada, retira o telefone do gancho, fazendo circular a corrente de loop. A central identifica a corrente de loop e envia o tom de discar. O assinante digita todo o número de interesse e o circuito responsável providencia o processamento da chamada que será identificado pela central local. A central então envia o toque de campainha para o assinante B. Ao ouvir o sinal de campainha, o assinante chamado retira o telefone do gancho.

28 Características Operacionais (cont.) Da mesma forma a central identifica a corrente de loop e reconhece o atendimento, fechando o enlace entre A e B, que é a comutação entre os dois assinantes. Quando termina a conversação, basta que um dos assinantes recoloque o monofone no gancho, estado de repouso do telefone, cessando a corrente de loop. A central processa a desconexão entre eles e emite sinal de ocupado para o outro assinante por um período predeterminado ou até que este também recoloque o telefone no gancho.

29 Funções das Teclas 0 a 9 Dígitos decimais para discagem decádicas ou DTMF; Redial Rediscagem do Último número discado. TOM Mudança automática do modo decádico para DTMF FLASH Permite acesso a determinados serviços oferecidos por uma CPA. Consiste em interromper a corrente de loop (abrir a linha), como se provocasse um toque breve no gancho do aparelho, por um período que pode variar, dependendo do fabricante, de 100 a 800 ms.

30 Funções das Teclas (cont.) PAUSE Insere um atraso de aproximadamente dois segundos antes de enviar os dígitos a serem discados após o pressionamento dessa tecla. STORE Tecla para programar (armazenar) número na agenda eletrônica. MEMO Chama automaticamente o número programado na agenda eletrônica. MUTE Sigilo. Bloqueia a transmissão e/ou recepção temporariamente.


Carregar ppt "Eu, João Batista Pereira, autorizo o CICT do Inatel a disponibilizar este arquivo no formato eletrônico ou em qualquer meio que se faça necessário."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google