A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Duílio Antero de Camargo Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Instituto de Psiquiatria.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Duílio Antero de Camargo Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Instituto de Psiquiatria."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Duílio Antero de Camargo Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Instituto de Psiquiatria – HC FM USP Instituto de Psiquiatria – HC FM USP Grupo de Saúde Mental e Grupo de Saúde Mental e Psiquiatria Ocupacional Psiquiatria Ocupacional Comissão Técnica de Saúde Mental e Trabalho Comissão Técnica de Saúde Mental e Trabalho Associação Nacional de Medicina do Trabalho Associação Nacional de Medicina do Trabalho 1

2 Burnout (Z.73.0) Síndrome do esgotamento profissional Burnout (Z.73.0) Síndrome do esgotamento profissional 2

3 Considerações gerais A síndrome do esgotamento profissional é um processo iniciado com excessivos e prolongados níveis de estresse (tensão) no trabalho. Termo burnout (jargão ingles): alguem que chegou ao seu limite, aquilo que deixou de funcionar (por falta de energia) Grupo de risco: profissionais da área de saúde, educação e serviços assistenciais, (Trigo,2007). 3

4 Considerações gerais Conseqüências do burnout: pode levar ao adoecimento físico, psíquico e comprometimento da produtividade, levando ao absenteísmo e presenteísmo, aumento de conflitos interpessoais e rotatividade. Pode-se apresentar em comorbidade com algumas doenças psiquiátricas ou até desencadeá-las, como é o caso dos transtorno depressivo (Trigo, 2007). 4

5 Considerações gerais -O termo Burnout - empregado desde 1980 por Freudenberger -No Brasil é conhecido aproximadamente desde 1999, quando foi incluido na (nova) lista de doenças relacionadas ao trabalho e em 2007 (consequências no NTEP) Cap.10 – Transtornos mentais relacionados ao trabalho. Demência (F 02.8); Alcoolismo crônico relacionado ao trabalho (F10. 2); Episódios Depressivos (F 32); Transtorno de estresse pós-traumático. (F43. 1); Transtorno do ciclo vigília-sono (F51.2) ; Síndrome de Burnout, Síndr do esgotamento profissional (Z 73.0) - Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário. - a doença cuja incidência for elevada em determinada atividade econômica, será caracterizada como do trabalho, - transferência do ônus da prova (empregador: provar que não causou a doença) - mudanças na forma de pagamento do SAT (RAT risco acid. trab.): empresa que provocar mais adoecimento, paga mais. -. 5

6 6 Sintomatologia síndrome do esgotamento profissional, vinculada a uma exposição contínua a estressores emocionais e interpessoais crônicos no trabalho, sendo caracterizada clinicamente por: exaustão emocional- sentimentos de desgaste emocional e esvaziamento afetivo; despersonalização- reação negativa, insensibilidade ou afastamento excessivo do público que deveria receber os serviços ou cuidados do paciente; diminuição do envolvimento pessoal no trabalho- sentimento de diminuição de competência e de sucesso no trabalho (Ministério da Saúde, 2001 a). (Selligman Silva, 2003), (Jardim, Glina, 2000).

7 7 Burnout: síndrome do esgotamento profissional (Z.73.0) SINTOMATOLOGIA Físicas e Mentais: dores osteomusculares, insônia, alterações (memória, pensamento), labilidade emocional, baixa auto-estima, impaciência/ irritabilidade, consumo >(álcool, tabaco, drogas ilícitas). Ocupacionais : dificuldade na realização das atividades rotineiras, negligência, contato impessoal Organizacionais: conflitos com colegas, rotatividade, baixa produtividade, absenteísmo e presenteísmo Sociais- distanciamento familiar (cônjuge/filhos/parentes), amigos, lazer. (Trigo, Teng,Hallak,2007)

8 u Sindrome de Burnout e o Estresse Ocupacional 8

9 Estresse ocupacional Conceitos Termo popular- estressado (irritado, tenso, nervoso, chateado, exigente) Reação frente a situação de risco ou ameaça, provocada por estressores; Os estressores são exigências que o indivíduo tem que confrontar-se e que provocam uma tentativa da superação ou resolução do problema ;(Weiner, Mcewen, apud Guimarães,Freire 2004) O estresse no trabalho ocorre quando as exigências do trabalho não se igualam às capacidades, aos recursos ou às necessidades do trabalhador. (NIOSH, 1999) Fases do estresse- 1ª. (alarme/alerta); 2ª. (adaptação/resistência); 3ª. (exaustão/esgotamento) 9

10 1 a Fase ALARME / ALERTA 2 a Fase ADAPTAÇÃO/ RESISTÊNCIA 3 a Fase EXAUSTÃO / ESGOTAMENTO - sudorese, taquicar- dia, tonturas, tremores - dispnéia, outros. - se de pequena duração e intensidade - (organismo volta ao equilíbrio) - o organismo tenta recuperar o desequi- líbrio da 1a. fase -se longa duração (enfraquecimento+ vulne- rabilidade à doenças). o organismo não consegue mais atingir o equilíbrio. Podem surgir: Exaustão psicológica (TM) depressivos, ansiosos, fóbicos..... Exaustão física (enfermidades) cardiovasculares (Hipertensão Arterial); neurológicas (cefaléia), gastrintestinais (gastrites, úlceras); osteomusculares (dores cervicais, membros).. Fases do estresse 10

11 Burnout: síndrome do esgotamento profissional (Z.73.0) Impacto Econômico Burnout: síndrome do esgotamento profissional (Z.73.0) EUA - estresse e problemas relacionados, como é o burnout, levando a custo calculado de mais de $150 bilhões anualmente para as organizações (Donatelle e Hawkins, 1989). Canadá enfermeiros apresentavam altas taxas de licenças médicas entre todos os trabalhadores, o que se devia, principalmente, ao burnout, ao estresse induzido pelo trabalho e às lesões musculoesqueléticas (Shamian et al., 2003). OMS - considerou o burnout como uma das principais doenças dos europeus e americanos, ao lado do diabetes e das doenças cardiovasculares (Akerstedt, 2004; Weber e Jaekel-Reinhard, 2000). convocou um grupo internacional de conhecedores no assunto, a fim de elaborar medidas para a sua prevenção Cherniss (EUA), Cooper (Reino Unido), entre outros (World Health Organization, 1998). {Trigo,Teng,Hallak-2007} 11

12 u Síndrome de Burnout e o Impacto na Saúde dos Trabalhadores da Saúde 12

13 Pesquisas sobre burnout em trabalhadores da área de saúde 1- Médicos finlandeses Sintomas de estresse, burnout e pensamentos suicidas foram avaliados em uma população de médicos (Olkinuora et al., 1990). Índices de elevado burnout: clínica médica, medicina do trabalho, psiquiatria, inclusive a infantil, medicina interna, oncologia, dermatologia, infectologia, radiologia, neurologia e pneumologia. Não-especialistas pontuaram um nível mais elevado de burnout comparados aos especialistas. Já os médicos de postos de saúde municipais tinham elevados níveis da síndrome. Os que trabalhavam no setor particular, universidades e institutos de pesquisa foram os que apresentaram os menores níveis. {Trigo,Teng,Hallak-2007} 13

14 Pesquisas sobre burnout em trabalhadores da área de saúde 2- Equipes de saúde européias: Encontrado um aumento do número de profissionais médicos acometidos pela síndrome. Preocupação quanto: a) comprometimento da saúde desses trabalhadores; b) qualidade dos cuidados com os pacientes; c) quanto aos prejuízos financeiros que causam (World Health Organization, 2003). 3- Médicos espanhóis: - Evidenciou-se: da Atenção Primária (AP) 85,7% e secundária (AE) 69,1% (Munoz et al., 2003). - Concluiu: a síndrome está emergindo como um problema de saúde pública neste país entre os profissionais de saúde (Siguero et al., 2003). - Profissionais da saúde (Espanha)-conclui que os maiores riscos para a síndrome encontravam-se em mulheres acima de 44 anos, com mais de 19 anos nessa ocupação, e carga horária entre 36 a 40 horas semanais (Martinez, 1997). {Trigo,Teng,Hallak-2007} 14

15 Pesquisas sobre burnout em trabalhadores da área de saúde 2-Médicos americanos - Amostra de médicos, mostraram maiores índices de elevado burnout: no serviço privado (55%), seguido pelos médicos do setor público (39%) e do acadêmico (37%) (Deckard et al., 1992) - Dependendo da especialidade médica ou região dos Estados Unidos, estudos documentaram uma variação de acometimento de médicos pelo burnout de 40% a 70% (Creagan, 1993; Creagan, 1998; Gundersen, 2001; Spickard et al., 2002). - Médicos de emergência, de doenças infecciosas, de oncologia e de medicina geral, eram os de (Creagan, 1998). 5- Estudo longitudinal realizado em Nova York, Chicago e Wisconsin obteve, de um total de 422 médicos, uma porcentagem de 27% apresentando sintomas de burnout. Também se sugeriu que insatisfação, estresse e burnout em médicos estavam associados a pacientes insatisfeitos e que pouco aderiam aos tratamentos prescritos (Linzer et al., 2002). {Trigo,Teng,Hallak-2007} 15

16 Pesquisas sobre burnout em trabalhadores da área de saúde 2-Médicos sul americanos No Mexico : prevalência de aproximadamente 47,16% em profissionais da atenção primária (AP) e atenção especializada (AE) acometidos por burnout (Martinez, 1997). No Brasil - No RN (205 profissionais de três hospitais universitários) : 93% dos participantes de um dos hospitais apresentavam burnout de níveis moderado e elevado (Borges et al., 2002). - Sociedade Brasileira de Cancerologia: essa síndrome em níveis moderados ou graves em 15,7% dos médicos. ( Tucunduva et al., 2006). Médicos (filiados APM) revelou que os níveis mais altos de Burnout e de insatisfação profissional foram detectados naqueles que atuam em serviço público e em medicina de grupo, com condições precárias de trabalho (Rodrigues, 2000). {Trigo,Teng,Hallak-2007} 16

17 Fatores de Risco para a Síndrome de Burnout Fatores Organizacionais Fatores Individuais Fatores Ocupacionais Fatores Sociais {Trigo,Teng,Hallak-2007} 17

18 Fatores de Risco para a Síndrome de Burnout Fatores Organizacionais Impossibilidade de progredir na carreira Excesso de riscos ambientais Fatores Individuais Dificuldade em tolerar frustrações Pessimistas Perfeccionistas Grande expectativa e idealismo profissional Mulheres: >risco Nível educacional mais elevado risco: solteiros, divorciados, viúvos 18

19 Fatores de Risco para a Síndrome de Burnout Fatores Ocupacionais Sobrecarga de trabalho; Trabalhos em turnos ou noturno; Conflitos (chefia e colegas); >riscos: cuidadores Fatores Sociais Falta de suporte familiar Isolamento social 19

20 Burnout e depressão Dúvidas sobre a definição diagnóstica da síndrome de burnout, suas diferenças e correlações com a depressão ainda estão em estudo. Alguns autores acreditam que a depressão seguiria o burnout e que altos níveis de exigência psicológica, baixos níveis de liberdade de decisão, baixos níveis de apoio social no trabalho e estresse devido a trabalho inadequado são preditores significantes para subseqüente depressão. Sugere-se também que os indivíduos jovens com burnout têm maior porcentagem de depressão leve do que ausência de depressão (Iacovides et al., 2003). {Trigo,Teng,Hallak-2007} 20

21 Burnout e transtornos ansiosos Não se encontraram estudos que avaliassem a associação de transtornos ansiosos específicos (transtorno do pânico, fobia social, ansiedade generalizada, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno do estresse pós-traumático) e burnout. Em Chicago (EUA), constatou-se que dentistas se deparam com numerosas fontes de estresse profissional, iniciadas já na faculdade. Afirmou-se que estão propensos a burnout, transtornos ansiosos e depressivos em razão da natureza da prática clínica e dos traços de personalidade comuns aos que decidem pela carreira odontológica. (Rada e Johnson-Leong, 2004). {Trigo,Teng,Hallak-2007} 21

22 Burnout e abuso/dependência ao álcool e outras substâncias ilícitas Médicos finlandeses como parte de uma pesquisa sobre estresse e burnout. - O aumento do consumo de álcool estava associado, entre outros, a tabagismo, uso de benzodiazepínicos, estresse e burnout, pensamentos de morte, insatisfação geral. - Hábitos de beber eram mais pesados entre médicos trabalhando nos centros comunitários de saúde. Médicos generalistas franceses. - elevado nível de burnout em 5% da população avaliada. De cada 3 médicos, 1 pensava em se submeter a novo treinamento, 5,5% declararam estar bebendo em excesso, 30% usavam psicotrópicos e 13% pensavam em suicídio (Cathebras et al., 2004). {Trigo,Teng,Hallak-2007} 22

23 Considerações finais A estafa profissional é observada em todas as profissões,principalmente naquelas que envolvem altos níveis de estresse: controladores de tráfego aéreo, bombeiros, policiais, professores, e, particularmente os profissionais da área de saúde; Características dos profissionais da saúde: - convívio intenso com pacientes de risco, intensidade das interações emocionais; - Sobrecarga de trabalho (progressivo declínio da autonomia profissional, diminuição do status social da profissão e aumento das pressões sofridas por estes profissionais), falta de lazer, do convívio familiar e social ; Tucunduva; Garcia; Prudente

24 Considerações finais Globalmente, a estafa profissional afeta um em cada dois médicos, sendo um terço deles afetado de forma importante e um décimo de forma severa, com características irreversíveis 5. Cerca de 40% a 50% dos médicos que trabalham com medicina de emergência e infectologia e 56% dos cancerologistas são acometidos pela síndrome; As especialidades que lidam com a maior exposição à morte e o conflito entre o objetivo de cura, têm maior probabilidade de seus profissionais desenvolverem burnout ; Apontadas como alternativas de enfrentamento do problema: necessidade da melhoria das condições de trabalho; preparo emocional e programas de prevenção dos estresse laboral. Tucunduva; Garcia; Prudente

25 25 Projeto de Prevenção em Saúde Mental e Trabalho Fases de implantação 1- Avaliação: estudo prévio das áreas que necessitam da intervenção, reuniões gerenciais para apresentação do projeto; 2- Diagnóstica: entrevistas individuais/grupo, aplicações de instrumentos de avaliação (inventários, questionários, testes psicológicos) 3- Intervenção: - detecção dos casos que necessitam de atendimento (ações visando evitar o agravamento do problema, encaminhamentos para tratamento se necessário); - propostas das mudanças organizacionais (s/n) - campanhas educativas e informativas e treinamento das chefias. (módulos: TM/RT; estresse ocupacional,etc)

26 (11)


Carregar ppt "Prof. Duílio Antero de Camargo Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Psiquiatra clínico e forense – Médico do Trabalho Instituto de Psiquiatria."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google