A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ELEMENTOS DA TEXTUALIDADE Conceição Reis. O que é texto? latim: textu – tecido, teia Unidade lingüística com propriedades estruturais específicas. Texto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ELEMENTOS DA TEXTUALIDADE Conceição Reis. O que é texto? latim: textu – tecido, teia Unidade lingüística com propriedades estruturais específicas. Texto."— Transcrição da apresentação:

1 ELEMENTOS DA TEXTUALIDADE Conceição Reis

2 O que é texto? latim: textu – tecido, teia Unidade lingüística com propriedades estruturais específicas. Texto não é um aglomerado de frases sem sentido. Capacidade de todo falante de distinguir entre texto e não-texto, entre textos coerentes e um aglomerado incoerente de enunciados.

3 O texto consiste em qualquer passagem falada ou escrita que forma um todo significativo independente de sua extensão. (FÁVERO,1993)

4 Fatores de textualidade contextualização coesão coerência intencionalidade informatividade aceitabilidade situacionalidade intertextualidade

5 BOLO DE ARROZ 3 xícaras de arroz 1 colher (sopa) de manteiga 1 gema 1 frango 1 cebola picada 1 colher (sopa) de molho inglês 1 colher (sopa) de farinha de trigo 1 xícara de creme de leite Salsa picadinha

6 Prepare o arroz branco, bem solto. Ao mesmo tempo, faça o frango ao molho, bem temperado e saboroso. Quando pronto, retire os pedaços, desosse e desfie. Reserve. Quando o arroz estiver pronto, junte a gema, a manteiga e a salsa, coloque numa forma de buraco e leve ao forno. No caldo que sobrou do frango, junte a cebola, o molho inglês, a farinha de trigo e leve ao fogo para engrossar. Retire do fogo e junte o creme de leite. Vire o arroz, já assado, num prato. Coloque o frango no meio e despeje por cima o molho. Sirva quente.

7 1º. de maio ETIMOLOGIA no suor do rosto o gosto do nosso pão diário sal: salário (José Paulo Paes, p. 33)

8 Coesão e coerência COERÊNCIA: unidade de sentido no texto. COESÃO: ligação entre os elementos superficiais do texto; o modo como eles se relacionam.

9 CORTE Maria Amélia Mello ( O dia segue normal. Arruma-se a casa. Limpa-se em volta. Cumprimenta-se os vizinhos. Almoça-se ao meio-dia. Ouve-se rádio à tarde. Lá pelas 5 horas, inicia-se o sempre.)

10 O gato comeu o peixe que meu pai pescou. O peixe era grande. Meu pai é alto. Eu gosto do meu pai. Minha mãe também gosta. O gato é branco. Tenho muitas roupas brancas.

11 João Carlos vivia em uma pequena casa construída no alto de uma colina árida, cuja frente dava para leste. Desde o pé da colina se espalhava em todas as direções, até o horizonte, uma planície coberta de areia. Na noite em que completava 30 anos, João, sentado nos degraus da escada à frente de sua casa, olhava o sol poente e observava como a sua sombra ia diminuindo no caminho coberto de grama. De repente, viu um cavalo que descia para a sua casa. As árvores e as folhagens não o permitiam ver distintamente; entretanto observou que o cavalo era manco. Ao olhar de mais perto verificou que o visitante era seu filho Guilherme, que há 20 anos tinha partido para alistar-se no exército, e, em todo este tempo, não havia dado sinal de vida. Guilherme, ao ver seu pai, desmontou imediatamente, correu até ele, lançando-se nos seus braços e começou a chorar.

12 Relação entre coerência e coesão Fenômenos distintos: justificativas a. a coesão contribui para estabelecer a coerência, mas não garante a sua obtenção; pode haver um seqüenciamento coesivo de fatos isolados que não têm condição de formar um texto; b. pode haver textos destituídos de coesão mas cuja textualidade se dá ao nível da coerência.

13 Coerência A coerência é algo que se estabelece na interação, na interlocução, numa situação comunicativa entre dois usuários.

14 Há textos incoerentes? Texto incoerente é aquele em que o receptor (leitor ou ouvinte) não consegue descobrir qualquer continuidade de sentido, seja pela discrepância entre os conhecimentos ativados, seja pela inadequação entre esses conhecimentos e o seu universo cognitivo.

15 Texto coerente Texto coerente é o que faz sentido para seus usuários, o que torna necessária a incorporação de elementos cognitivos e pragmáticos ao estudo da coerência textual. (KOCH; TRAVAGLIA, 1993, p. 32)

16 A PESCA O anil o anzol o azul o silêncio o tempo o peixe a agulha vertical mergulha a água a linha a espuma o tempo a âncora o peixe a garganta a âncora o peixe a boca o arranco o rasgão aberta a água aberta a chaga aberto o anzol aquelíneo ágilclaro estabanado o peixe a areia o sol

17 [... ] não existe o texto incoerente em si, mas [...] o texto pode ser incoerente em/para determinada situação comunicativa. Assim, será bom o texto quando o produtor souber adequá-lo à situação, levando em conta intenção comunicativa, objetivos, destinatários, outros elementos da situação de comunicação em que é produzido, uso dos recursos lingüísticos etc. (KOCH; TRAVAGLIA, 1993, p. 37),

18 Coerência: de que depende, com se estabelece a. de elementos lingüísticos (seu conhecimento e uso), bem como, evidentemente, da sua organização em uma cadeia lingüística e como e onde cada elemento se encaixa nesta cadeia, isto é do contexto lingüístico;

19 b. do conhecimento de mundo bem como o grau em que esse conhecimento é partilhado pelo(s) produtor(es) e receptor(es) do texto, o que se reflete na estrutura informacional do texto, entendida como a distribuição da informação nova e dada nos enunciados e no texto, em função de fatores diversos;

20 c. de fatores pragmáticos e interacionais, tais como o contexto situacional, os interlocutores em si, suas crenças e intenções comunicativas, a função comunicativa do texto. (KOCH; TRAVAGLIA, 1993, p. 47)

21 COESÃO: RECURSOS COESIVOS Para escrever de forma coesa, há uma série de recursos, como:

22 SUBSTITUIÇÃO Pronominalização, ou seja, o uso de pronomes em lugar de outros termos já expressos. Os pronomes empregados nesse caso de vários tipos.

23 Os quadros de Van Cogh não tinham nenhum valor em sua época. Houve telas que serviram até de porta de galinheiro.

24 Pronomes pessoais: A pressão da sociedade de consumo foi levada a tais extremos que os presentes de Natal já não os damos por generosidade, mas por medo.

25 Pronomes demonstrativos: Dinheiro não traz felicidade. Quem diz isso está pensando em cruzeiros, porque dólar traz.

26 Pronomes relativos: O homem é o único animal que ri.

27 Pronomes indefinidos: O mundo tem muitos idiotas, mas, felizmente, estão todos nas outras mesas

28 Pronomes adverbiais: Devagar se vai ao longe, mas quando se chega lá não se encontra mais ninguém.

29 Pronomes numerais: Chegaram separados o homem e a mulher, mas logo os dois se sentaram juntos.

30 Sinônimos ou quase sinônimos: Os alunos das escolas particulares estão em greve, pois esse foi o caminho que os estudantes encontraram para protestar contra as altas mensalidades. Logo depois de o sargento ter sido vítima de um acidente, o militar foi levado ao hospital. Ditados, cópias, redações, todas essas atividades preenchiam o tempo de aula.

31 Termos resumitivos Termos resumitivos são termos que funcionam como uma espécie de conclusão parcial, reformulando o tema e reduzindo-o ao essencial.

32 Até o século XIX as cidades ficavam em contato bastante estreito com o campo ou com o mar, de maneira que o homem podia satisfazer suas necessidades fisiológicas e psicológicas. Com a industrialização, elas se desenvolveram unicamente em função de imperativos econômicos ou políticos, ignorando os imperativos ecológicos naturais. As conseqüências dessa expansão demorada foram trágicas.

33 O país é cheio de entraves burocráticos. É preciso preencher um sem-numero de papéis. Depois pagar uma infinidade de taxas. Todas essas limitações acabam prejudicando o portador.

34 Nominalização A transformação de uma frase ou de uma proposição em grupo nominal, que pode ser feita a partir de: UM VERBO. Verificam-se os resultados. A verificação dos resultados. Eles foram testemunhar sobre o caso. O juiz disse, porém, que tal testemunho não era válido por serem parentes do assassino.

35 UM VERBO. Verificam-se os resultados. A verificação dos resultados. Eles foram testemunhar sobre o caso. O juiz disse, porém, que tal testemunho não era válido por serem parentes do assassino.

36 UM SUBSTANTIVO Ele não suportou a desfeita diante de seu próprio filho. Desfeitear um homem de bem não era coisa para se deixar passar em branco.

37 UM ADJETIVO Este trabalho é fácil. A facilidade deste trabalho.

38 Omissão O soldado pretendia casar-se no final de semana. Decidiu deixar o quartel e procurar a noiva. O ministro foi o primeiro a chegar. Abriu a sessão às oito em ponto e fez então seu discurso emocionado.

39 Redução Redução do termo inicial, que possa ser representado por uma de suas partes. O ditador Getúlio Vargas; O ditador; Getúlio Vargas; O ditador Vargas; O ditador Getúlio; Getúlio; Vargas;

40 Ampliação Ampliação consiste em aumentar de algum modo o termo antecedente, ora com acréscimo de expressões que possuam julgamento de valor, ora com a inclusão de um novo elemento que já poderia estar contido no antecedente.

41 Comprei esta casa no ano passado. Agora, esta bela casa já custa dez vezes mais. Lula pretende candidatar-se à presidência e esta será a Segunda vez que o ex- metalúrgico Luís Inácio Lula da Silva se apresenta como candidato ao cargo.

42 Repetição de uma palavra A propaganda, seja ela comercial ou ideológica, está sempre ligada aos objetivos e aos interesses da classe dominante. Essa ligação, no entanto, é ocultada por uma inversão: a propaganda sempre mostra que quem sai ganhando com o consumo de tal ou qual produto ou idéia não é o dono da empresa, nem os representantes do sistema, mas, sim, o consumidor. Assim, a propaganda é mais um veículo da ideologia dominante.

43 Manuel da Silva Peixoto foi um dos ganhadores do maior prêmio da loto. Peixoto disse que ia gastar todo o dinheiro na compra de uma fazenda e em viagens ao exterior. Lygia Fagundes Telles é uma das principais escritoras brasileiras da atualidade. Lygia é autora de Antes do baile verde, um dos melhores livros de contos de nossa literatura.

44 Metonímia Metonímia é o processo de substituição de uma palavra por outra, fundamentada numa relação de contigüidade semântica. O governo tem-se preocupado com os índices de inflação. O Planalto diz que não aceita qualquer remarcação de preço. Santos Dumont chamou a atenção de toda Paris. O Sena curvou-se diante de sua invenção.

45 Epítetos Epíteto é a palavra ou frase que qualifica pessoa ou coisa. Glauber Rocha fez filmes memoráveis. Pena que o cineasta mais famoso do cinema brasileiro tenha morrido tão cedo.

46 Referências FÁVERO, Leonor Lopes. Coesão e coerência textuais. 2. ed. São Paulo: Ática, p. KOCH, Ingedore Villaça. A coesão textual. 6. ed.. São Paulo: Contexto, p. KOCH, Ingedore Villaça; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Texto e coerência. 2. ed. São Paulo: Cortez, p.


Carregar ppt "ELEMENTOS DA TEXTUALIDADE Conceição Reis. O que é texto? latim: textu – tecido, teia Unidade lingüística com propriedades estruturais específicas. Texto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google