A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM 1ª parte

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM 1ª parte"— Transcrição da apresentação:

1 DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM 1ª parte
Universidade Paulista Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia Engenharia de Produção Mecânica DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM 1ª parte Profª Msc. Adriana Hélia Caseiro

2 Conforme Kotler (1998), “embalagem é o conjunto de atividades de design e fabricação de um recipiente ou envoltório para um produto”.

3 De acordo com Gurgel (2000), as funções da embalagem na logística são as seguintes: - Tecnológicas: proteção mecânica, física e química das mercadorias;

4 - Mercadológicas: deve despertar a atenção do cliente, comunicar os benefícios e atributos do produto, ser coerente com a imagem do produto (DIAS et al, 2005). - Econômicas: uma atenção maior deve ser dada a este custo, para que não seja maior do que o próprio manufaturado (GURGEL, 2000).

5 Ao movimentar bens, a logística deve ter o cuidado de não danificá-los
Ao movimentar bens, a logística deve ter o cuidado de não danificá-los. Um bom projeto de embalagem do produto tem por objetivo garantir que ocorra uma movimentação sem quebras, além de facilitar o manuseio e a armazenagem (BALLOU, 2008).

6 As embalagens devem ser projetadas de maneira a se evitar perda do conteúdo durante o transporte, por vibração ou por mudança de temperatura, umidade ou pressão (resultante da altitude) (PRODUTOS PERIGOSOS, 2010).

7 De acordo com Moura e Banzato (1990), os tipos de embalagens existentes são: balde, barrica, barril, berço, big bag, bisnaga, bobina, bombona, botijão, caixa de madeira, caixa de papelão, caixa plástica, caixote, carretel, cartucho, cilindro, embalagens de películas, engradado, fardo, frasco, garrafa, garrafão, lata, pote, saco, tambor.

8 Já os tipos de materiais utilizados nas embalagens são: madeira, papel, papelão, metal, vidro, plásticos (polietileno, polietileno de baixa densidade – PEBD, polietileno de alta densidade – PEAD, polipropileno – PP, cloreto de polivinila – PVC, poliestireno – OS, poliuretano)

9 As embalagens de papelão devem passar pelos seguintes ensaios: absorção, arrebentamento, cisalhamento, compressão, impacto, resistência à dobra, rigidez, tensão e alongamento (MOURA E BANZATO, 1990).

10 Nas figuras 1, 2, 3, 4, 5 e 6 são apresentados exemplos de embalagens.

11 Figura 1 – Big Bag (ENGEBAG, 2010)
Figura 2 – Barricas (PACK HANKS, 2010) Figura 3 – Bombonas (BALDES E BOMBONAS, 2010

12 Figura 4 – Caixa de madeira
Figura 5 - Saco Figura 4 – Caixa de madeira Figura 6 – Carretel (EDENTEC, 2010)

13 Pequenos ajustes na embalagem melhoram a eficiência da armazenagem
Pequenos ajustes na embalagem melhoram a eficiência da armazenagem. A unitização é um exemplo disso, pois agrega diversos pacotes ou embalagens numa carga unitária maior (BALLOU, 2008).

14 Nas figuras 7 e 8 são visualizados alguns tipos de paletes existentes, nas figuras 9 e 10 as cargas unitizadas e na figura 11 um rack aramado, também utilizado na unitização.

15 Figura 7 – Tipos de paletes (AFORTECPALLETS, 2010).

16 Figura 8 – Tipos de paletes (AFORTECPALLETS, 2010).

17 Figura 9 – Carga paletizada (TECWORKLOG, 2010).

18 Figura 10 – Rack modular (LONGA, 2010 b).

19 Figura 11 – Rack aramado (LONGA, 2010 a).

20 As vantagens da unitização são: melhor utilização dos espaços verticais, redução do tempo de deslocamento, elevação da velocidade de atendimento dos clientes, economia de até 40% dos custos de deslocamento das mercadorias, melhoria substancial dos custos de transporte (GURGEL, 2000).

21 Além das vantagens anteriores, a unitização facilita a rotulagem dos produtos, possibilita a introdução do armazenamento com endereçamento, melhora a qualidade de acondicionamento, reduz perdas e dificulta a ocorrência de desvios de mercadorias (GURGEL, 2000).

22 A resistência, o tamanho e a configuração da embalagem ditam os tipos de equipamentos a serem utilizados na movimentação e na armazenagem, a altura do empilhamento, a estabilidade e a densidade da carga unitária. (BALLOU, 2008).

23 De acordo com Ballou (2008), existem vários tipos de equipamentos utilizados para o manuseio de materiais, como os que são mostrados nas figuras 12 a 22.

24 Figura 12 – Empilhadeira de garfo (AREASEG, 2010).

25 Figura 13 – Empilhadeira para contêiner (RIMAC, 2010 a).

26 Figura 14 – Empilhadeira de garfo para transporte de barras (RIMAC, 2010 b).

27 Figura 15 – Empilhadeira com clamps para transporte de tambores (JMS, 2010).

28 Figura 16 – Empilhadeira com clamps para transporte de bobinas de papel (BLOGSPOT, 2010).

29 Figura 17 – Transpaleteira (HUBTEX, 2010).

30 Figura 18 – Modelos de carrinho hidráulico
(AGRAUPE, 2010).

31 Figura 19 – Pórtico (LOGISMARKET, 2010).

32 Figura 20 – Pontes rolantes (SAMMTALHAS, 2010).

33 Figura 21 – Transportador de roletes (TEKROLL, 2010).

34 Figura 22 – Transportador de correias (APEQUIPAMENTOS, 2010).

35 A armazenagem de produtos pode ser feita por meio de estruturas porta-paletes (figura 23 a 25), que são dispostas de forma a facilitar o acesso de equipamentos de elevação e transporte. Tais estruturas protegem o produto e facilitam a localização quando da armazenagem ou da coleta do palete (MARTINS & ALT, 2002).

36 Figura 23 – Estrutura porta-palete (ISANORDEX, 2010).

37 Figura 24 – Estrutura porta-palete (BRASIL ACAMBIODE, 2011).

38 Figura 25 – Movimentação de materiais (BERTOLINI, 2011).

39 Nas figuras 26 a 34 podem ser vistas as seguintes armazenagens: tambores, big bags, sacos, bobinas de papel, materiais de grande comprimento (tubos, barras), containers, silos e materiais diversos.

40 Figura 26 – Armazenagem de tambores (QUÍMICA E DERIVADOS, 2011).

41 Figura 27 – Movimentação e armazenagem de big bags (CONFLEX, 2011).

42 Figura 28 – Empilhamento de sacos (TOGNI, 2011).

43 Figura 29 – Empilhamento de bobinas de papel (CONFLEX, 2011).

44 Figura 30 – Armazenagem de materiais de grande comprimento (MIG, 2011).

45 Figura 31 – Armazenagem em container (REDENTOR, 2011).

46 Figura 32 – Silos de armazenagem de materiais (SEE SISTEMAS, 2011).

47 Figura 33 – Silos de armazenagem de grãos (FAZENDA SÃO LUCAS, 2011).

48 Figura 34 – Armazenagem de materiais diversos da ArcellorMittal (ACESITA, 2011).

49 Nos armazéns automatizados (figuras 35 e 36), o material que entra é identificado com código de barras e depois é levado para o local de armazenagem por meio de esteiras ou elevadores automáticos (MARTINS & ALT, 2002).

50 Figura 35 – Armazém automatizado (MECALUX, 2010).

51 Figura 36 – Armazém automatizado Sew-Eurodrive (SEW-EURODRIVE, 2010).

52 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - AFORTECPALLETS. Paletes
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - AFORTECPALLETS. Paletes. Disponível em: Acesso em 21/08/2010 às 15h05. - ACESITA. Armazenagem de materiais diversos. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 09h15. - AGRAUPE. Carrinhos hidráulicos. Disponível em:http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://blog.agraupe.com/up/a/ag/blog.agraupe.com/img/transpalete.gif&imgrefurl=http://blog.agraupe.com/category/geral/equipamentos/page/3/&usg=___2vlsoe3x0gVhAE7lw8VMq4viX0=&h=247&w=327&sz=13&hl=pt-BR&start=52&um=1&itbs=1&tbnid=rSaVBeQ-hmNbfM:&tbnh=89&tbnw=118&prev=/images%3Fq%3Dtipos%2Bde%2Bempilhadeiras%26start%3D36%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN%26rlz%3D1T4DBBR_pt-BRBR255BR258%26ndsp%3D18%26tbs%3Disch:1. Acesso em 25/04/2010 às 12h41.

53 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - APEQUIPAMENTOS. Transportador de correia
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - APEQUIPAMENTOS. Transportador de correia. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 às 16h09. - AREASEG. Empilhadeira de garfo. Disponível em: Acesso em 25/04/2010 às 12h35 - BALDES E BOMBONAS. Bombonas. Disponível em: Acesso em 29/04/2010 às 22h25. - BALLOU, R.H. Logística empresarial: transporte, administração de materiais e distribuição física. São Paulo: Atlas, 2008.

54 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - BERTOLINI. Movimentação de materiais
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - BERTOLINI. Movimentação de materiais. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 09h30. - BLOGSPOT. Empilhadeira com clamps. Disponível em: Acesso em 25/04/2010 as 13h04. - BRASIL ACAMBIODE. Estrutura porta palete. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 09h20.

55 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - CONFLEX
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - CONFLEX. Movimentação e armazenagem de big bag. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 09h53. - EDENTEC. Carretel. Disponível em: Acesso em 13/05/2010 às 23h01. - ENGEBAG. Big bag. Disponível em: Acesso em 29/04/10 às 22h20. - FAZENDA SÃO LUCAS. Silos de armazenagem de grãos. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 10h54. - GURGEL, F.A. Logística industrial. São Paulo: Atlas, 2000.

56 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - HUBTEX. Transpaleteira
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - HUBTEX. Transpaleteira. Disponível em: Acesso em 25/04/2010 às 12h54.

57 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - ISANORDEX. Estrutura porta-palete
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - ISANORDEX. Estrutura porta-palete. Disponível em: Acesso em 25/04/2010 às 13h17.

58 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - JMS. Empilhadeira com clamps
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - JMS. Empilhadeira com clamps. Disponível em: Acesso em 25/04/2010 às 13h LOGISMARKET. Pórtico. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 às 15h50. - LONGA. Rack aramado. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 a às 16h47. - LONGA. Rack modular. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 b a às 16h47.

59 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - MARTINS, P. G. ; ALT, P. R. C
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - MARTINS, P.G.; ALT, P.R.C. Administração de materiais e recursos patrimoniais. São Paulo: Saraiva, MECALUX. Armazém automatizado. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 às 16h58. - MIG. Armazenagem de materiais de grande comprimento. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 09h42. - MOURA, R.A.; BANZATO, J.M. Embalagem: acondicionamento, unitização & conteinerização. São Paulo: Instituto de Movimentação e Armazenagem de Materiais, IMAM, PACKHANKS. Barricas. Disponível em: Acesso em 29/04/2010 às 22h35. - PHOTAKI. Empilhamento de bobinas de papel. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 10h05.

60 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - QUÍMICA E DERIVADOS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - QUÍMICA E DERIVADOS. Armazenagem de tambores. Disponívelk em: Acesso em 02/03/2011 às 09h06. - REDENTOR. Armazenagem em container. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 09h RIMAC. Empilhadeira de garfo. Dispoinível em: Acesso em 25/04/2010 b ÀS 12H SAMMTALHAS. Pontes rolantes. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 às 15h59.

61 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - SEE SISTEMAS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - SEE SISTEMAS. Silos de armazenagem de materiais. Disponíverl em: Acesso em 02/03/2011 às 10h42. - TECWORLOG. Carga paletizada. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 às 16h15.

62 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - TEKROLL. Transportador de roletes
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: - TEKROLL. Transportador de roletes. Disponível em: Acesso em 08/05/2010 às 16h05. - TOGNI. Empilhamento de sacos. Disponível em: Acesso em 02/03/2011 às 10h24.


Carregar ppt "DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM 1ª parte"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google