A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Área de Preservação Permanente e Reserva Legal no Novo Código Florestal Eng. Agr. Ivo Lessa Consultor Técnico da Farsul Área de Preservação Permanente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Área de Preservação Permanente e Reserva Legal no Novo Código Florestal Eng. Agr. Ivo Lessa Consultor Técnico da Farsul Área de Preservação Permanente."— Transcrição da apresentação:

1

2 Área de Preservação Permanente e Reserva Legal no Novo Código Florestal Eng. Agr. Ivo Lessa Consultor Técnico da Farsul Área de Preservação Permanente e Reserva Legal no Novo Código Florestal Eng. Agr. Ivo Lessa Consultor Técnico da Farsul Comissão de Meio Ambiente do CREA-RS

3 Século XXI e Rio + 20 Recursos Hídricos – Comitês de Bacias Hidrográficas Novo Código Florestal – Lei /2012 e MPV 571/2012 Programa Mais Água, Mais Renda

4 1809 – 1882 Naturalista Britânico

5 RIO + 20 e Século XXI

6 50/6070/8090/00 CONCEITOrecursos naturaisecossistemavisão holística CONDUTAlivrecomando-controle reparação dano prevenção precaução ÊNFASEprodutividadetratamento fim-de-tubo sustentabilidade DIREITOantropocêntricobiocêntrico ecocêntrico RESPONSABILIDADEquase inexistenteimputada mudança de paradigmas LEGISLAÇÃO Código Florestal Constituição Federal Política Nacional de Meio Ambiente Zoneamento industrial Avaliação de impacto ambiental Agrotóxicos Controle resíduos Biossegurança Manejo florestal sustentado Gerenciamento de recursos hídricos Crimes ambientais Zoneamento ecológico- econômico Gerenciamento do Meio Ambiente

7 7 O grande desafio da humanidade no Século XXI » Compatibilizar o crescimento da produção agrícola (alimento, fibra e energia) com a preservação dos recursos naturais. Ambiental Econômica Social SUSTENTABILIDADE

8 O MUNDO EM 2050 E OS DESAFIOS PARA O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Antônio da Luz Economista EVOLUÇÃO E PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL

9 POPULAÇÃO MUNDIAL RURAL X URBANA (%) HÁ 50 ANOS, TÍNHAMOS 67 PESSOAS PRODUZINDO ALIMENTOS PARA SI E PARA 33 CONSUMIDORES URBANOS; EM 2010, PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE, A POPULAÇÃO URBANA PASSOU A SER MAIOR QUE A RURAL NO MUNDO;

10 POPULAÇÃO MUNDIAL RURAL X URBANA (%) PROJEÇÃO ATÉ 2050 ENTRE 2010 E 2050 A POPULAÇÃO MUNDIAL CRESCERÁ 33%, PASSANDO DE 6,9 (2010) PARA 9,1 BILHÕES DE HABITANTES (EM 2050). PARA CADA 70 HABITANTES DAS CIDADES HAVERÁ APENAS 30 PRODUZINDO ALIMENTOS NO MEIO RURAL EM 2050.

11 PROJEÇÃO POPULACIONAL MUNDIAL – 2050 A ÁSIA TERÁ A MAIOR POPULAÇÃO DO MUNDO EM 2050 COM 5,2 BILHÕES DE HABITANTES, SENDO SEGUIDA PELA ÁFRICA COM 2 BILHÕES DE HABITANTES. APENAS 2 PAÍSES DO GLOBO (CHINA E ÍNDIA) CONCENTRARÃO 79% DA POPULAÇÃO MUNDIAL – HOJE CORRESPONDE A 75%. Fonte: Nações Unidas (2008)

12 PROJEÇÃO CRESCIMENTO DA RENDA REAL ATÉ 2050 (Em US$ Base 2000) ALÉM DE UM POPULAÇÃO MAIOR, TEREMOS UMA POPULAÇÃO MAIS RICA; PESSOAS MAIS RICAS, CONSOMEM MAIS Crescimento da renda real de 84% entre %26%84%46%

13 CRESCIMENTO DO CONSUMO PER CAPITA DE CARNES (2050) O CONSUMO MÉDIO DE CARNES POR HABITANTES EM 2050 DEVERÁ SER DE 64,17kg, UM AUMENTO DE 65% ,8 kg/hab/ano 38,9 kg/hab/ano 64,17 kg/hab/ano Fontes: FAO, WB – Elab. e Proj. do Autor

14 DISPONIBILIDADE DE SOLO ARÁVEL - MHA HAJA GRÃOS PARA PRODUZIR ESSA QUANTIDADE DE CARNES...

15 O MUNDO QUE ESTÁ PREOCUPADO E PERGUNTA: TEREMOS ALIMENTOS PARA TODOS? A QUE PREÇO?

16

17 Recursos Hídricos – Comitês de Bacias Hidrográficas

18 A ÁGUA NO PLANETA Primeiro devido à distribuição irregular no tempo e no espaço Segundo devido à má utilização Retirada abusivaContaminação Ocupação inadequada

19 GESTÃO DAS ÁGUAS ATRAVÉS DE UM SISTEMA SERH GESTÃO PARTICIPATIVA, DESCENTRALIZADA E POR BACIAS HIDROGRÁFICAS

20 BEM PÚBLICO GESTÃO PÚBLICA Abundância BEM LIVRE Escassez Quantidade Qualidade BEM ECONÔMICO INSTRUMENTOS DE GESTÃO: INSTRUMENTOS DE GESTÃO: Outorga e Cobrança

21 Novo Código Florestal – Lei /2012 e MPV 571/2012

22 REFLEXOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL O TAMANHO DA AGROPECUÁRIA NACIONAL BRASIL - Área Total ha Área dos Estabelecimentos Agropecuários ha Participação dos Estabelecimentos Rurais (área) 38,7% BRASIL – População Rural BRASIL – População Total Participação da População Rural 15,6% Número de Estabelecimentos Rurais Participação dos Estabelecimentos Rurais Familiares 84,4% Estabelecimentos Rurais Familiares (Lei ) IMPORTÂNCIA NACIONAL

23

24 Brasil Territorial Brasil Preservado 61,3% Vegetação Nativa Privada 10,1% Áreas não utilizáveis 1,42% Pastagens 18,7% Lavouras 7,13% Silvicultura 0,39% Florestas Consorciadas 0,96%

25 CENÁRIOS DO AGRONEGÓCIO Brasil Preservado 61,3% Lavouras 7,13% Variação (%) Total de grãos Área plantada (milhões ha)37,252,340 Produção (milhões T)47,6159,2234 Produtividade (kg/ha) Soja Área plantada (milhões ha)8,425,0200 Produção (milhões T)14,565,6350 Produtividade (kg/ha) PRODUÇÃO BRASILEIRA DE GRÃOS Fonte Conab

26 Brasil Preservado Brasil Produtivo/Privado com as restrições do código florestal de 1965 Area territorial em produção a ser abandonada

27 Por um Brasil produtivo mantendo a área já utilizada.

28 ItemCódigo de 1965Código de 2012 Mudança da legislação ambiental ao longo do tempo ( desde 1934). Cumprir a atual, vigente. Se o proprietário provar que a sua área atual é a mesma que estava de acordo com a legislação vigente passada, não necessitará adequa-la para a presente Pequena Propriedade35 ha (geral) 4 módulos fiscais c/ atividades rurais Imóveis com menos de 4 módulos fiscais. 20% do imóvel em Reserva Legal.Apenas a área de mata que o imóvel possuir. Se não possuir mata, não terá reserva legal.. Referência julho de Breve comparativo entre o Código Florestal de 1965 e o de 2012.

29 PousioSem previsão SIM (5 anos) VárzeaSem definição Prevista no projeto da Câmara, mas derrubado nos vetos da Presidência. Regularização. Não havia previsão. Havendo necessidade de regularizar a área da reserva legal, poderá fazer aderindo ao Programa de recuperação Ambiental - PRA Definições

30 Várzeasnão Pantanalnãosim 25 a 45°nãosim Áreas de uso restrito Em áreas de inclinação entre 25 e 45° será permitido o manejo florestal sustentável e o exercício de atividades agrossilvopastoris, bem como, a manutenção da infraestrutura física associada ao desenvolvimento das atividades, observadas as boas práticas agronômicas, sendo vedada a conversão de novas áreas, excetuadas as hipóteses de utilidade publica e interesse social.

31 < 10 metros> 10 metrosLagoas naturais NascentesLimitador 0 a 1 MF5 metros 10% 1 a 2 MF8 metros 10% 2 a 4 MF15 metros 20% 4 a 10 MF20 metros30 a 100 metros 30 metros15 metrosintegral > 10 MF30 metros30 a 100 metros 30 metros15 metrosintegral APPs – recuperação mínima A recomposição poderá ser feita, isolada ou conjuntamente, pelos seguintes métodos: -Condução da regeneração natural de espécies nativas; - plantio de espécies nativas; - regeneração e plantio conjugados;

32 Áreas consolidadas em APPsLei exige recuperação totalPRA automático. APP de margem de cursos dágua – extensão máxima. 600 metros. 500 metros APP – cursos dágua em imóveis até 4 módulos fiscais – áreas de uso consolidado. Não havia previsão. de 5 a 15 metros APP de lagos e lagoas, reservatórios dágua artificial – lâmina dágua menor que 1 ha. 30 metros. dispensado

33 APP – ponto de início da Metragem. Não havia previsão. Calha do leito regular APP – área máxima de APP em relação ao Imóvel de até 4 módulos fiscais. Não havia previsão. de 10 a 20%

34 APPs – intervençõesObtenção de água, sem supressão e não comprometa a vegetação nativa Para obtenção de água e para realização de atividades de baixo impacto Atividades de baixo impacto ambiental: -Aberturas de pequenas vias de acesso interno e suas pontes e pontilhões; - instalações de captação e condução de água e efluentes tratados, com outorga, quando couber; - trilhas para o ecoturismo; - pequenas rampas para barcos e pequenos ancoradouros; - moradias para agricultura familiar, quilombolas, etc..., onde o abastecimento de água se de pelo esforço natural; - construção e manutenção de cercas divisórias de propriedades; - coleta de produtos não madeireiros para fins subsistência e produção de mudas e sementes; - plantios de espécies nativas produtoras de frutos; - outras atividades similares, reconhecidas como eventual e de baixo impacto em ato do CONAMA ou CONSEMA.

35 Regularização das APPs Topos de Morros, Bordas de Tabuleiros, inclinações maiores que 45° e áreas acima de 1800metros, autorizada a manutenção de ATIVIDADES FLORESTAIS, CULTURAS LENHOSAS, PERENES OU DE CICLO LONGO + infraestrutura física associada a estas atividades + PASTOREIO extensivo... -Pastoreio fica restrito as áreas de vegetação CAMPESTRE ou já convertida para vegetação campestre... - Bordas de Tabuleiros podem ter mantidas outras atividades agrossilvopastoris uma vez autorizadas pelo PRA....

36 ItemCódigo de 1965Código de 2012 Reserva legal - averbação na matrícula do imóvel. Obrigatório. Desnecessidade. Registro no Cadastro Ambiental Rural Reserva Legal – compensação. Apenas na mesma microbacia. No mesmo bioma Breve comparativo entre o Código Florestal de 1965 e o de 2012.

37 Computo das APPs na Reserva Legal Pequenas PropriedadesAcima de 25 MSIM Uso econômicoVia PMFSVia PMS 2012 Utilização da Reserva Legal -Imóveis com ate 4 módulos fiscais: remanescentes de vegetação nativa existente em 22 de julho de 2008; - Propriedades que foi realizada a supressão de vegetação nativa, respeitando os percentuais de RL previsto pela legislação em vigor em que ocorreu a supressão, ficam dispensados de promover a recomposição, compensação ou regeneração para os percentuais exigidos na lei atual. Comprovação documental, fatos históricos de ocupação, etc...

38 Reserva Legal e área de Preservação Permanente -áreas consolidadas. Não havia previsão. Há previsão e regras observando o uso consolidado de áreas Soma da APP na RL. Permitido apenas para Imóveis abaixo de 50 ha. Permitido para todos os imóveis Nascentes com uso consolidado no entorno. 50 metros. de 5 a 15 metros

39 CAR – Cadastro Ambiental Rural PRA. Não havia previsão. Todo imóvel tem de se inscrever CRA – Cota de Reserva Legal. Havia previsão apenas da compensação. O excedente de reserva legal pode ser inscrito no CRA e objeto de transação para a compensação de reserva legal de outro imóvel

40 Regularização Ambiental (Geral) – - CAR – Cadastro Ambiental de Regularização: - cadastro eletrônico, obrigatório. - informações ambientais das propriedades; - base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico, combate ao desmatamento.

41 Programa Mais Água, Mais Renda

42 1 - Dados do Assistente técnico: Nome/Razão Social: CPF/CNPJ: Técnico Responsável: ART: CPF: Endereço completo: 2 - Dados do produtor rural Nome/Razão Social RG: CPF/CNPJ 3 - Localização do empreendimento Endereço completo e Croqui detalhado de localização do empreendimento indicando distâncias, pontos de referência e estradas de acesso. 4 – Dados do empreendimento: 4.1- (Anexar) CD/DVD com arquivo digital da planta do empreendimento georreferenciada (graus decimais – Datum SAD 69), contendo as poligonais da propriedade, da área irrigada e das Áreas de Preservação Permanente. O arquivo digital deve estar em formato shape (*.shp - ArcGis/ESRI) ou *.kml (Google Earth): - Formato shape (*.shp): é um arquivo vetorial, formado por 3 arquivos que devem ser enviado junto com as seguintes extensões - *.shp; *.shx e *.dbf - Formato *kml : é arquivo vetorial o Google Earth. 4.2 Tipo de Obra:Implantação ( )Ampliação ( )Regularização ( )Sistema de irrigação ( ) 4.3 (anexar) Portaria de Outorga de Uso da Água ou Cadastro no ICA 4.4 Tipo de Recurso:Drenagem ( )Fonte ( ) 4.5 Característica:Efêmera ( )Intermitente ( )Perene ( ) 4.6 Sistema de irrigação:Aspersão ( )Localizada- Gotejamento ( ) Localizada-Sulcos ( ) 4.7 Interfere/Suprime Área de Preservação Permanente Sim ( )Não ( )Se sim, de que forma. 4.8 Houve/haverá supressão de Vegetação Sim ( )Não ( )Se sim, quais e quantas espécies. Declaração (assinada pelo Responsável Técnico e pelo empreendedor): Declaro que as informações prestadas são verdadeiras, sob pena de responsabilização administrativa, civil e penal. Formulário de cadastramento de empreendimentos :

43 PROJETO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE INTERVENÇÕES FUTURAS EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Lei 4.771/1965Comissão Especial SIM Utilidade Pública Interesse Social SIM Baixo Impacto SIM Lista de Situações SIM Regulamento Futuro Via CONAMA na LEI Art. 4°. § 6°. Nos imóveis rurais com até 15 módulos fiscais, é admitida, nas áreas de que tratam os incisos I e II do caput deste artigo, a prática da aqüicultura e da infra-estrutura física diretamente a ela associada, desde que: Lei /2012

44 Art. 3° XVI – Utilidade Pública: a) as atividades de segurança nacional e proteção sanitária; b) as obras de infra-estrutura destinadas às concessões e aos serviços públicos de transporte, sistema viário, inclusive aquele necessário aos parcelamentos do solo urbano aprovados pelos municípios, saneamento, gestão de resíduos, salineiras, energia, telecomunicações, radiodifusão, estaduais, nacionais ou internacionais bem como mineração, exceto neste último caso, a extração de areia, argila, saibro e cascalho; c) atividades e obras de defesa civil; d) atividades que comprovadamente proporcionem melhorias na proteção das funções ambientais referidas pelo inciso II deste artigo; e) outras atividades similares devidamente caracterizadas e motivadas em procedimento administrativo próprio, quando inexistir alternativa técnica e locacional ao empreendimento proposto, definidas em ato do Chefe do Poder Executivo Federal. PROJETO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE

45 XVII – Interesse Social: a) as atividades imprescindíveis à proteção da integridade da vegetação nativa tais como: prevenção, combate e controle do fogo, controle da erosão, erradicação de invasoras e proteção de plantios com espécies nativas; b) a exploração agroflorestal sustentável praticada na pequena propriedade ou posse rural familiar ou povos e comunidades tradicionais, desde que não descaracterizem a cobertura vegetal existente e não prejudiquem a função ambiental da área; c) a implantação de infraestrutura pública destinada a esportes, lazer e atividades educacionais e culturais ao ar livre em áreas urbanas e rurais consolidadas, observadas as condições estabelecidas nesta Lei; d) a regularização fundiária de assentamentos humanos ocupados predominantemente por população de baixa renda em áreas urbanas consolidadas, observadas as condições estabelecidas na Lei , de 7 de julho de 2009; PROJETO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE

46 XVII – Interesse Social: e) implantação de instalações necessárias à captação e condução de água e de efluentes tratados para projetos cujos recursos hídricos são parte integrantes e essenciais da atividade; f) as atividades de pesquisa e extração de areia, argila, saibro e cascalho, outorgadas pela autoridade competente; g) outras atividades similares devidamente caracterizadas e motivadas em procedimento administrativo próprio, quando inexistir alternativa técnica e locacional ao empreendimento proposto, definidas em ato do Chefe do Poder Executivo Federal. PROJETO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE

47 Ivo Lessa Silveira Filho Consultor Técnico Sistema FARSUL


Carregar ppt "Área de Preservação Permanente e Reserva Legal no Novo Código Florestal Eng. Agr. Ivo Lessa Consultor Técnico da Farsul Área de Preservação Permanente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google