A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Física Experimental II Prof. Ms. Alysson Cristiano Beneti FAESO – FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE OURINHOS BACHARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Aula 07 Óptica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Física Experimental II Prof. Ms. Alysson Cristiano Beneti FAESO – FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE OURINHOS BACHARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Aula 07 Óptica."— Transcrição da apresentação:

1 Física Experimental II Prof. Ms. Alysson Cristiano Beneti FAESO – FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE OURINHOS BACHARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Aula 07 Óptica Geométrica – Luz, Espelhos Planos e Esféricos OURINHOS-SP 2012

2 Introdução à Óptica Geométrica Conceitos básicos: Raio de Luz: LUZ é Energia radiante que se propaga por meio de ondas eletromagnéticas. LUZ é o agente físico que, atuando nos órgãos visuais, produz a sensação da visão. c m/s

3 Introdução à Óptica Geométrica Princípios da Óptica Geométrica: 1º Nos meios homogêneos e isotrópicos a luz se propaga em linha reta em todas as direções e sentidos. 2º Um raio de luz não interfere na trajetória de outro raio de luz, cada um se comportando como se o outro não existisse. 3º A trajetória percorrida por um raio de luz é a mesma que ele percorreria caso seu sentido de propagação fosse invertido.

4 Fontes de Luz Primária: (Corpo Luminoso) Ex.: Sol. Secundária: (Corpo Iluminado) Ex.: Lua. Incandescente: Ex.: Chama da Vela. Luminescente: Ex.: Lâmpada de neon. Fluorescente: Ex.: Lâmpada Fluorescente. Fosforescente: Ex.: Interruptores de Luz.

5 Meios de propagação da luz Transparente: Ex.: vidro liso. Translúcido: Ex.: tijolo de vidro. Opaco: Ex.: madeira. Atenção! Elementos como a água e o plástico, dependendo da espessura, podem ser transparentes, translúcidos ou opacos.

6 Fenômenos da Óptica Geométrica: Regular ou Especular: Formação de Imagens. Difusa: Visualização dos Objetos. Reflexão Aplicações: Reflexão em Espelhos Planos e Esféricos Aplicações: Reflexão em Parede branca

7 Reflexão da Luz em Espelhos Planos Elementos da Reflexão RI RI: raio de luz incidente na superfície S; N N: reta normal i i: ângulo de incidência RR RR: raio de luz refletido pela superfície S r r: ângulo de reflexão Reflexão é o fenômeno que consiste no fato de a Luz voltar a se propagar no meio de origem, após incidir na superfície de separação desse meio com outro.

8 Leis da Reflexão 1ª Lei da Reflexão: O raio incidente, a reta normal e o raio refletido são coplanares. 2ª Lei da Reflexão: A medida do ângulo de reflexão é igual à medida do ângulo de incidência. i = r

9 Superfície Esférica Espelhos Esféricos Plano de corte CalotaCalota

10 C Superfície Refletora Espelho Côncavo

11 C Superfície Refletora Espelho Convexo

12 Elementos de um espelho esférico CôncavoConvexo C : centro de curvatura (centro da esfera que originou o espelho) V : vértice do espelho (polo da calota esférica) Eixo principal do espelho : reta que passa por CV R : raio de curvatura do espelho (raio da esfera que originou o espelho) F : foco do espelho

13 Construção de imagens em espelhos esféricos São utilizados três raios básicos para a construção de imagens: 1) Raio que incide paralelo ao eixo principal, reflete passando pelo foco. 2) Raio que incide passando pelo foco, reflete paralelo ao eixo principal. 3) Raio que incide passando pelo centro de curvatura, reflete sobre si mesmo.

14 Regra 1: Raios que incidem paralelos voltam pelo foco. Construção de imagens em espelhos esféricos

15 Regra 2: Raio que incide passando pelo foco, reflete paralelo ao eixo principal. Construção de imagens em espelhos esféricos

16 Regra 3: Raio que incide passando pela direção do centro de curvatura, reflete sobre si mesmo. Construção de imagens em espelhos esféricos

17 CôncavoConvexo Natureza: real (formada por raios) Orientação: invertida Tamanho: menor que o do objeto Posição: entre C e F. Natureza: virtual (formada por prolongamentos de raios) Orientação: direita Tamanho: menor que o do objeto Posição: entre o foco (F) e o vértice (V) Construção de imagens em espelhos esféricos

18 Côncavo: Objeto antes do centro de curvatura (C): Natureza: Real Orientação: Invertida Tamanho: Menor Posição: entre o C e F Construção de imagens em espelhos esféricos

19 Côncavo: Objeto sobre o centro de curvatura (C): Natureza: Real Orientação: Invertida Tamanho: Igual ao do objeto Posição: Sobre o centro de curvatura Construção de imagens em espelhos esféricos

20 Côncavo: Objeto entre o centro de curvatura (C) e o foco (F) Natureza: Real Orientação: Invertida Tamanho: Maior que o objeto Posição: Antes do centro de curvatura Construção de imagens em espelhos esféricos

21 Côncavo: Objeto no foco (F) Imagem imprópria Construção de imagens em espelhos esféricos

22 Côncavo: Objeto entre o foco (F) e o vértice (V) Natureza: Virtual Orientação: Direita Tamanho: Maior que o objeto Posição: Depois do vértice Construção de imagens em espelhos esféricos

23 Espelho convexo: Objeto em qualquer lugar do eixo Natureza: Virtual Orientação: Direita Tamanho: Menor que o objeto Posição: Atrás do espelho Construção de imagens em espelhos esféricos


Carregar ppt "Física Experimental II Prof. Ms. Alysson Cristiano Beneti FAESO – FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE OURINHOS BACHARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Aula 07 Óptica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google