A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ALUNOS Antonio Sergio Itri Conte Jr. Fábio Yabeku Takey Felipe Yamaguchi Garcia Fernanda Belizário Silva Luciana Alves ORIENTADOR Prof. Dr. Vanderley Moacyr.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ALUNOS Antonio Sergio Itri Conte Jr. Fábio Yabeku Takey Felipe Yamaguchi Garcia Fernanda Belizário Silva Luciana Alves ORIENTADOR Prof. Dr. Vanderley Moacyr."— Transcrição da apresentação:

1 ALUNOS Antonio Sergio Itri Conte Jr. Fábio Yabeku Takey Felipe Yamaguchi Garcia Fernanda Belizário Silva Luciana Alves ORIENTADOR Prof. Dr. Vanderley Moacyr JohnSUSTENTABILIDADE ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS DA CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL DE UM EDIFÍCIO DE ESCRITÓRIOS Construção civil: atividade humana de maior impacto Aproximadamente 75% dos recursos naturais Aproximadamente 450kg/habitante.ano Operação dos edifícios no Brasil 18% da energia total 50% da energia elétrica 21% do consumo de água Não é possível atingir a sustentabilidade ambiental sem envolver o setor da construção civil Construção sustentável é um tema em ascensão Início: pesquisas acadêmicas pontuais Programas (PURA, PROCEL) Sistemas de certificação ambiental para edifícios O mercado demanda profissionais que dominem o assunto, que, por sua vez, precisa de contribuições acadêmicas para seu desenvolvimento. Uma vez que o tema construção sustentável é bem amplo, dividiu-se o trabalho em 5 sub-temas: Estrutura Concreto Materiais de construção e resíduos Água Energia Fases comuns a todos os temas: Coleta de dados técnicos Confirmação dos dados com equipes responsáveis (obra, consultoria e projetistas) Compilação e análise Posicionamento e críticas As análises são prioritariamente qualitativas Na fase final, os vários aspectos serão analisados em conjunto, chegando-se a uma conclusão geral sobre o tema. LEED – Leadership in Energy and Environmental Design Origem: Estados Unidos Checklist Sistema de pontuação, com níveis possíveis de certificação: certificado, prata, ouro e platina Foco em eficiência energética AQUA – Alta Qualidade Ambiental Baseado no sistema francês HQE Primeiro sistema adaptado para a realidade brasileira Lista de preocupações, sendo que, para cada uma, podem-se obter os seguintes níveis: bom, superior e excelente Não há níveis de certificação em si Premia os melhores, para que sirvam como exemplo É uma forma de estimular empreendedores a adotar práticas sustentáveis Aplicação em países diferentes do de origem pode ser inadequada, por não levar em conta características locais Objetivo Analisar os benefícios da aplicação de um sistema de certificação ambiental em um edifício de escritórios Ferramenta: estudo de caso de um edifício triple A, pré-certificado LEED nível ouro Posicionar o empreendimento Propor alternativas técnicas para melhorar desempenho ambiental e analisar criticamente a adoção do sistema de certificação Justificativa Complementação da formação dos alunos, em um tema atual e relevante da Engenharia Civil Contribuição para as discussões sobre sustentabilidade, com base em uma análise detalhada e consistente de um empreendimento considerado referência em desempenho ambiental MotivaçãoCertificações de edifíciosObjetivos e justificativaMetodologia Com base nas leituras feitas e nos eventos dos quais o grupo participou, percebe-se que: O nível de conhecimento dos profissionais da construção civil sobre o tema construção sustentável ainda é baixo O número de referências bibliográficas nacionais e de dados para comparação ainda é pequeno Isso tem como conseqüência uma maior vulnerabilidade do setor à adoção de modismos Muitas das ações supostamente sustentáveis visam somente ao marketing As más posturas relatadas podem levar ao ceticismo dos agentes que realmente tem interesse em maior eficiência ambiental As primeiras análises sobre os dados do empreendimento permitem observar que: O processo de certificação ambiental levou a uma série de mudanças no empreendimento e na gestão da produção A documentação necessária nem sempre esteve organizada, com dados dispersos Há algumas divergências entre dados obtidos de diferentes fontes, devido ao processo de construção e certificação ainda estar em andamento – talvez fosse mais efetiva a realização do presente trabalho quando o empreendimento estivesse concluído, pois todos os documentos para a certificação estariam compilados TemaCaracterização do empreendimentoPropostas Gerenciamento: Tishman Speyer Construção: Método Engenharia Arquitetura: Aflalo & Gasperini Arquitetos Edifício de escritórios, com lajes corporativas Padrão Triple A Pré-certificação LEED nível ouro (35 pontos/ 61 possíveis) 4 torres: Torres A e B (19 pav) – 1ª fase (foco da análise) Torres C e D – 2ª fase Área do terreno: m² Área construída: m² Área locável: m² Área de cada pavimento: a m² O empreendimento - Rochaverá Corporate Towers Estrutura Concreto Materiais e Resíduos Água Energia Quantificar o consumo de concreto e aço pela estrutura e analisar os dados resultantes Análise qualitativa da concepção estrutural englobando: Potencial de redução do consumo de insumos Vantagens e desvantagens do sistema estrutural adotado Compreensão e registro do processo de decisão técnica com base em entrevista com os projetistas Discussão qualitativa de opções de concepção para a tipologia de edifícios em questão Análise macro da modulação e de detalhes construtivos, abordando dificuldades de execução na atual solução e eventuais desperdícios de insumos Críticas aos atuais sistemas de certificação e sugestões de como seria possível incorporar ao escopo considerações sobre estruturas Análise da relação água cimento e tipo de cimento empregado Quantificar consumo de cimento Estimar a produção de CO 2 pela produção do cimento Determinar índices de CO 2 por m² de área construída Relação com os critérios de sustentabilidade Reciclagem Reuso de resíduos Sugestão de outras alternativas para cimento e concreto Cimento geopolimérico Co-processamento Agregados reciclados Quantificar materiais considerados mais relevantes Análise qualitativa dos respectivos impactos Análise da gestão de resíduos Verificar o impacto provocado pelo transporte de materiais (CO 2 ) Analisar a questão da madeira certificada Averiguação do cálculo da economia de água Base: documentação enviada para certificação do LEED, consulta aos projetistas Comparação dos índices de consumo com os índices usualmente adotados Análise do traçado do sistema Fluxogramas Sistema de reuso (reservatórios, segurança sanitária dos usuários) Facilidade de manutenção Listagem das medidas Atendidas do LEED Não atendidas do LEED (viabilidade de adoção) Não previstas pelo LEED e atendidas pelo empreendimento Não previstas pelo LEED e não atendidas pelo empreendimento Fachada Estudo das principais características da fachada do empreendimento e sus influência no desempenho energético Ar condicionado Identificar fatores que influenciam no seu desempenho e comparar os sistemas de ar condicionado com outros tipos Iluminação Análise da intensidade de iluminação natural no edifício e a influência do projeto luminotécnico no desempenho energético Fundação direta (blocos e sapatas) apoiada em rocha Contenções em parede diafragma Pilares de concreto armado convencional (cobrimento de 4,0 cm) Vigas de concreto armado convencional e vigas de concreto protendido (cobrimento de 2,5 cm) Lajes nervuradas de concreto protendido (cobrimento de 3,0 cm) Resistência (fck): 50 MPa nos elementos do térreo e áreas comuns 40 MPa no restante da estrutura Concreto de alta resistência inicial (permite protensão aos 3 dias) Aço CA25, CA50, CA60, CP190 Entre os pontos contemplados pelo empreendimento do LEED, constam as seguintes estratégias: Plano de gestão de resíduos no empreendimento, com destinações Utilização de 20% do total de materiais em custo em conteúdo reciclado Utilização de 20% do total de materiais em custo de materiais regionais Utilização de pelo menos 50% da madeira certificada Consumo Consumo unitário: 50l/funcionário.dia, com densidade de 1 funcionário/m² carpete Consumo resultante: 130m³/dia para consumo humano 120m³/dia referentes ao ar condicionado Medidas adotadas Redução no consumo via equipamentos economizadores: Torneira acionada por sensor em sanitários para deficientes físicos Torneira hidromecânica nos demais sanitários Mictórios com sensor Bacia sanitária com caixa acoplada e sistema dual-flush Aspersores para irrigação Mangueira de gotejamento para irrigação Aproveitamento de água de chuva para irrigação e abastecimento do sistema de incêndio Autonomia de energia: 12,5 h (gás combustível) Central de geração de energia Tanque de óleo diesel de l Ar condicionado de TR Fachada: m² m² de granito m² de vidro Sistema elétrico: entrada de e kVA de geradores Considerações finaisPróximos passos Práticas usuais Melhores práticas ? A figura a seguir apresenta os tipos de concreto utilizados O cimento utilizado foi o CPIII com até 50% de escória de alto forno Economia pretendida de água com estas medidas: 65% Os concretos de maior representatividade, portanto, são: Concreto CA 40 MPa Concreto fck 24 MPa (aos 3 dias) de alta resistência inicial Concreto fck 50 MPa Para distribuição do concreto, vide o item de estruturas


Carregar ppt "ALUNOS Antonio Sergio Itri Conte Jr. Fábio Yabeku Takey Felipe Yamaguchi Garcia Fernanda Belizário Silva Luciana Alves ORIENTADOR Prof. Dr. Vanderley Moacyr."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google