A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula 4 : Desenho de Estruturas Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176 - Desenho Técnico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula 4 : Desenho de Estruturas Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176 - Desenho Técnico."— Transcrição da apresentação:

1 Aula 4 : Desenho de Estruturas Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176 - Desenho Técnico Prof. Dennis Coelho Cruz

2 Índice: UNIDADE 4 – DESENHO DE ESTRUTURAS 4.1 Introdução;

3 - São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente de solo - São as raízes do edifício IMPORTÂNCIA ECONÔMICA podem chegar a 20% => 4 a 10% do custo global Fundações:

4 Fundações Diretas Aquelas em que a transmissão da carga para o solo é feita preponderantemente pela base Fundações: Classificação: quanto à transmissão das cargas Fundações Indiretas Aquelas em que a transmissão da carga para o solo é feita preponderantemente pela superfície lateral

5 quanto à profundidade da cota de apoio Fundações Rasas Aquelas em que a cota de apoio está em torno de 2m de profundidade Fundações Profundas Aquelas em que a cota de apoio está acima de 2m de profundidade

6 Sapatas em edifícios de grande porte

7 Tubulões a Céu Aberto

8

9

10

11 Sistemas Estruturais Subsistema cuja função principal é fornecer suporte para o edifício. Absorver e transmitir, para as fundações, todos os esforços incidentes, com segurança pré-definida. Garantir a segurança estática do edifício, quando este for submetido às ações previsíveis

12 Exigências de desempenho: # Segurança Estrutural - Estabilidade Global e dos Elementos - Resistência Mecânica # Limitação de: - Deformações - Deslocamentos - Fissuração # Resistência frente à ação do fogo # Durabilidade # Aspectos econômicos Custo inicial Custos de manutenção Depreciação

13 1. Elementos Lineares > Barras - Pilares, vigas Tipologia dos elementos resistentes principais > Treliças - barras articuladas

14 > Cabos - elementos reticulados não resistentes à flexão

15 2. Elementos Planos > Placas > Chapas Tipologia dos elementos resistentes principais

16 3. Elementos Espaciais > Cascas Tipologia dos elementos resistentes principais

17 > Membranas

18 > Blocos

19 Um mesmo elemento cumpre as funções de estrutura e de vedação vertical. A estabilidade estática é garantida: - pela resistência e arranjo das chapas (paredes); - pelo efeito diafragma das placas (lajes) e, - pelo acoplamento de todos os elementos.

20 > Madeira Classificação quanto ao tipo de material YINGXIAN PAGODA CHINA Construído em m de altura Mais alta estrutura totalmente em madeira

21 Uso restrito no Brasil > Não tem tradição de uso > Disponibilidade variável em função da região > Baixo desenvolvimento setorial > Inexistência de financiamento dos órgãos públicos > Política de reflorestamento inadequada > Exigência de elevado nível de industrialização > Suscetibilidade a incêndio

22 > Aço Elevada resistência mecânica -> Elevado potencial de utilização em EDIFÍCIOS ALTOS

23 > Grande Flexibilidade > Otimização da construção > Edifícios altos > Suscetibilidade a incêndio

24 Limitações > Não existe tradição construtiva > Precária divulgação do material > Normalização deficiente > Uso de normas internacionais

25

26 > Alvenaria (de bloco de concreto, cerâmica, sílico-calcária, etc...) Inicialmente: associado à construção de habitações de interesse social Médio Porte Médio - Alto Porte*

27 > Alvenaria (de bloco de concreto, cerâmica, sílico-calcária, etc...) Limitações: > Edifícios de média altura > Baixa possibilidade de alteração da arquitetura > Necessidade de integração com outros subsistemas > Necessidade de componentes de alvenaria com características adequadas

28 > Concreto (armado, protendido, com fibras, etc...) > Empregado no Brasil desde a década de 50 > Obras de grande porte > Edifícios comerciais > Necessidade de grandes vãos > Grande Flexibilidade Uso em lajes planas com grande vão Vantagens > Grande flexibilidade de leiaute; Racionalização do sistema de fôrmas > Possibilidade de maior organização do processo. Limitações > Mão-de-obra especializada > Diversidade de materiais a serem estocados e controlados

29 Uso de estruturas pré-fabricadas Limitações: > Menor flexibilidade arquitetônica > Vãos médios (aprox. 10m) > Pequenas alturas (aprox. 25m) > Alto custo > Concreto (armado, protendido, com fibras, etc...) Vantagens > Mão-de-obra tradicional da construção civil no canteiro > Confere maior limpeza e organização ao canteiro de obras > Prazo de execução curto

30 Estruturas em Concreto Armado Vantagens > Mão-de-obra tradicional da construção civil > Equipamentos tradicionais > Grande flexibilidade

31


Carregar ppt "Aula 4 : Desenho de Estruturas Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176 - Desenho Técnico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google