A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira Oficinas E2 – Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra 15 de Abril de 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira Oficinas E2 – Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra 15 de Abril de 2010."— Transcrição da apresentação:

1 1 Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira Oficinas E2 – Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra 15 de Abril de 2010

2 2 Modelo de análise económico-financeira

3 3

4 4 Importância do modelo de análise económica-financeira Sintetização de ideias Identificar factores críticos Viabilidade do projecto Obtenção de financiamento

5 5 Processo orçamental Objectivos Quota de mercado Lucros Qualidade Tradução Financeira Proveitos / Custos Activos / Passivos Recebimentos / Pagamentos Plano de Acção Meios Políticas Ideias

6 6 Sequência do processo orçamental Orçamento de exploração Orçamento de investimento Orçamento de tesouraria Orçamento financeiro DR Balanço

7 7 Orçamento exploração Volume de negócios Quantidade de vendas, por cada produto, ou linha produto – capacidade instalada, capacidade de escoamento do produto, …; Preço unitário de venda – definido de acordo com o preço custo, mercado,….; Condições de pagamento dos clientes; Politica de atribuição de comissões e de descontos;

8 8 Orçamento exploração Custos Fixos Custos Variáveis Custos = representa o total de despesas de uma empresa Custos Fixos = representa a parte da despesa que não é afectada pelo nível de actividade, ou seja, o montante de despesa que se verifica mesmo que a actividade seja zero Custos Variáveis = representa a parte das despesas que variam com a actividade, ou seja, que aumentam quando a actividade aumenta e vice-versa

9 9 Orçamento exploração Custo das Mercadorias Vendidas e Matérias Consumidas Empresas industriais Empresas comerciais Tem em conta o custo de produção efectivo do produto Tem em conta o custo de aquisição do produto

10 10 Orçamento exploração Fornecimentos e Serviços Externos Previsão dos custos correntes da empresa: rendas de instalações, comunicações, água electricidade, seguros,….; Previsão dos custos associados a contratos firmados com 3º: serviços jurídicos, serviços de contabilidade, serviços de assessoria de imprensa,…; Na previsão do valor dos custos não deve ser incluído o valor do IVA;

11 11 Orçamento exploração Custos com Pessoal Definição do n.º de pessoas necessárias para o desenvolvimento do projecto; Remuneração mensal associada a cada função e previsão da % de actualização anual; Definição da atribuição de regalias a colaboradores, ex: seguros de saúde; Montante gasto por colaborador em formação;

12 12 Modelo de análise económico-financeira

13 13 Princípios básicos de funcionamento Verificar o nível de protecção de macros no computador, pois pode inviabilizar o melhor aproveitamento da ferramenta; Só devem ser inseridos valores nas células com fundo branco; Os valores que se encontrem a azul, poderão ser alterados, mas dentro dos mesmos parâmetros; A utilização deste modelo tem por base um trabalho prévio por parte do utilizador no que diz respeito à previsão de proveitos e de custos.

14 14 Estrutura Pressupostos Gerais Pressupostos Específicos VN CMVMC FSEPessoal Demonstração Resultados Balanço Avaliação Inv. Fundo Maneio Inv. Imobilizado Plano Financeiro Financiamento

15 15 Etapas de preenchimento 1.Identificação do nome do projecto Folha Pressupostos

16 16 Etapas de preenchimento 2.Definição dos pressupostos gerais do projecto Folha Pressupostos

17 17 Etapas de preenchimento 3.Definição dos pressupostos específicos do projecto Volume Negócios

18 18 Etapas de preenchimento ETAPAS: 1.Indicar o ano inicial do projecto 2.Definir em folha de Excel anexa todos os pressupostos de base ao cálculo do volume de negócios: quantidades vendidas, preço de venda unitário, taxas de crescimento a aplicar a cada ano, definição dos vários segmentos de mercado, entre outros; 3.Efectuar a ligação respectiva, considerando a sua classificação contabilística: vendas ou prestação de serviços; 4.Caso se aplique, fazer a distinção entre mercado interno e externo; 3.Definição dos pressupostos específicos do projecto Volume Negócios

19 19 Etapas de preenchimento 3.Definição dos pressupostos específicos do projecto CMVMC ETAPAS: 1.Calcular em folha de Excel anexa, ou utilizando os mapas apresentados na folha Cálculos auxiliares, o CMVMC; 2.Caso tenha conhecimento prévio sobre a margem bruta do negócio, indicar essa mesma percentagem no quadro do cálculo do CMVMC;

20 20 Etapas de preenchimento 3.Definição dos pressupostos específicos do projecto FSE ETAPAS: 1.Definir o n.º de meses de actividade para cada ano do projecto, bem como a taxa esperada para o crescimento dos preços; 2.Definir em folha de Excel anexa todos os pressupostos para cada uma das sub-rubricas de FSE. Ter em atenção a especificidade de cada negócio; 3.Efectuar a ligação de cada sub-rubrica para cada um dos anos; 4.Verificar as taxas de IVA assumidas para cada uma das sub-rubricas bem como a classificação como custo fixo ou variável;

21 21 Etapas de preenchimento 3.Definição dos pressupostos específicos do projecto FSE

22 22 Etapas de preenchimento 3.Definição dos pressupostos específicos do projecto Custos Pessoal ETAPAS: 1.Definir o n.º de meses de actividade em termos de RH, bem como a taxa esperada para o crescimento dos salários; 2.Projectar o quadro de pessoal (n.º de colaboradores), para cada uma das áreas funcionais do projecto;

23 23 Etapas de preenchimento 3.Definição dos pressupostos específicos do projecto Custos Pessoal ETAPAS: 3.Identificar o vencimento bruto médio mensal para os colaboradores de cada uma das áreas funcionais do projecto; 4.Definir o valor referente ao subsidio de almoço mensal e o valor gasto anualmente em formação (valor fixo / valor variável); 5.Caso estejamos perante a atribuição de comissões ou prémios, aconselha-se o cálculo em folha de Excel separada e posteriormente fazer a ligação com o modelo

24 24 Estrutura Pressupostos Gerais Pressupostos Específicos VN CMVMC FSEPessoal Demonstração Resultados Balanço Avaliação Inv. Fundo Maneio Inv. Imobilizado Plano Financeiro Financiamento

25 25 Etapas de preenchimento Definir o valor de Reserva de Segurança Tesouraria 4.Investimento Fundo de Maneio

26 26 Etapas de preenchimento 5.Investimento em Imobilizado Esquematizar em folha de Excel anexa todo o investimento previsto para o projecto e para os diferentes anos de previsões. Se possível identificar quantidades e valor unitário; Ligação com o modelo através do totalizador por rubrica de investimento.

27 27 Etapas de preenchimento 6.Financiamento do projecto 1. Definir o valor de capital social inicial da empresa e prever eventuais aumentos de capital; 2.Definir a fonte de financiamento do projecto: capitais próprios e/ou capitais alheios; 3.No caso de financiamento por capitais alheios indicar para cada ano o período de reembolso e a taxa de juro associado ao financiamento.

28 28 Estrutura Pressupostos Gerais Pressupostos Específicos VN CMVMC FSEPessoal Demonstração Resultados Balanço Avaliação Inv. Fundo Maneio Inv. Imobilizado Plano Financeiro Financiamento

29 29 Etapas de preenchimento 7.Demonstração de Resultados

30 30 Etapas de preenchimento 8.Balanço

31 31 Etapas de preenchimento 8.Balanço

32 32 Etapas de preenchimento 9.Avaliação do negócio

33 33 Análise de sensibilidade ETAPAS: 1.O modelo não contempla a análise de sensibilidade; 2.Utilizar o mesmo modelo, considerando a variação de um ou mais factores que sejam considerados pertinentes para a análise do projecto: volume de negócios, margem de negócio, entre outros;

34 34 CASO PRÁTICO

35 35 Caso Prático Empresa de informática – XPTO, Lda Duas áreas de negócio: venda de hardware e software e assistência técnica; Estrutura inicial de RH: 5 pessoas; NOTA: os valores apresentados são meramente indicativos e não tem qualquer aderência à realidade

36 36 Caso Prático - Definição de pressupostos gerais Prazo Médio de Recebimento = 30 dias Prazo Médio de Pagamentos = 30 dias Prazo Médio de Stockagem = 0 dias Taxas de IVA – Vendas / Prestações de Serviços / CMVMC / FSE = 21% Taxas de juro de financiamento de médio e longo prazo = 6% Taxa de juro de financiamento de curto prazo = 7,5%

37 37 Caso Prático - Definição de pressupostos específicos 1. Definição das quantidades 2. Definição do valor de venda unitário Volume de Negócios

38 38 Caso Prático - Definição de pressupostos específicos 3. Cálculo do volume negócios total Volume de Negócios

39 39 Caso Prático - Definição de pressupostos específicos 4. Ligação ao modelo Volume de Negócios

40 40 Caso Prático - Definição de pressupostos específicos CMVMC Indicação da margem bruta por produto

41 41 Caso Prático - Definição de pressupostos específicos FSE Indicação de um valor médio mensal ou efectuar os cálculos detalhados em folha anexa

42 42 Caso Prático - Definição de pressupostos específicos Custos com Pessoal Definição do n.º de pessoas, por função Definição dos vencimentos base mensais

43 43 Caso Prático - Definição de pressupostos específicos Custos com Pessoal Definição de outros custos com pessoal

44 44 Caso Prático – Fundo Maneio Indicação do valor de reserva segurança de tesouraria

45 45 Caso Prático – Investimento Activo Fixo

46 46 Caso Prático – Investimento Activo Fixo

47 47 Caso Prático – Financiamento

48 48 Caso Prático – Financiamento

49 49 Caso Prático – Plano Financeiro Não esquecer de fazer o acerto do modelo

50 50 Caso Prático – Plano Financeiro

51 51 Caso Prático – Demonstração de Resultados

52 52 Caso Prático – Balanço

53 53 Caso Prático – Balanço

54 54 Caso Prático – Avaliação

55 55 Contactos António Gaspar Obrigado!


Carregar ppt "1 Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira Oficinas E2 – Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra 15 de Abril de 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google