A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO INFORMATIZADA NO AGRONEGÓCIO: DESAFIOS E OPORTUNIDADES AGROPEC 2012 HELOISE DUARTE 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO INFORMATIZADA NO AGRONEGÓCIO: DESAFIOS E OPORTUNIDADES AGROPEC 2012 HELOISE DUARTE 1."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO INFORMATIZADA NO AGRONEGÓCIO: DESAFIOS E OPORTUNIDADES AGROPEC 2012 HELOISE DUARTE 1

2 Segundo o Ibope NetRatings, somos 79,9 milhões de internautas tupiniquins, sendo o Brasil o 5º país mais conectado (atrás apenas do Japão, da Índia, dos Estados Unidos e da China). De acordo com a Fecomércio-RJ/Ipsos, o percentual de brasileiros conectados à internet aumentou de 27% para 48%, entre 2007 e

3 3

4 CUSTOS Investimentos Investimentos Equipamentos Equipamentos Aquisição licenças Aquisição licenças Treinamento Treinamento Customização Customização Desenvolvimento software Desenvolvimento software Consultoria e planejamento Consultoria e planejamento Manutenção Manutenção Aplicativos Aplicativos Mão-de-obra Mão-de-obra Hardware Hardware BENEFÍCIOS Aumento de produtividade Aumento de produtividade Redução de custos Redução de custos Eliminação de papel Eliminação de papel Agilidade na tomada de decisões Agilidade na tomada de decisões Redução de erros Redução de erros Aumento de segurança Aumento de segurança Gestão Eficaz Gestão Eficaz Facilidade para apuração de resultados Facilidade para apuração de resultados 4

5 5

6 6

7 Situação do Agronegócio Margens econômicas e financeiras Preços de insumos 7

8 Monitorar: –Índices : Saber como anda meu negócio? –Criar histórico –Ajudar na tomada de decisões –Facilitar o planejamento futuro –Fornecer um feedback aos envolvidos 8

9 9

10 Entrada – compreende a captação dos dados brutos, na fazenda ou no ambiente externo Processamento – é a fase onde ocorre o tratamento dos dados coletados Saída – o sistema transfere a informação processada às pessoas Realimentação – as pessoas utilizam a informação processada pelo sistema para tomar decisões que geram ações ou eventos que irão alimentar novamente o sistema Processamento EntradaSaída Realimentação Empresa Ambiente externo 10

11 Conhecer a realidade da empresa Conhecer os recursos humanos envolvidos Avaliar cuidadosamente os controles realizados Conhecer a situação anterior 11

12 Abrangência dos controles Controles específicos 12

13 Controles de estoque Processos de compra e venda Cadastro de clientes e fornecedores Fluxo de caixa Controles financeiros em geral Comunicações para associações de raça Cálculos e definição de manejos nutricionais Programas de melhoramento genético Dentre outros 13

14 Nenhum Controles em papel Controles em planilhas Controles em software Combinações 14

15 Avaliar: Qualidade Atualidade Volume de dados Necessidade de integração 15

16 É importantíssimo considerarmos os objetivos finais do processo de informatização para definirmos o melhor roteiro. Índices Cronograma Feedbacks PDCA 16

17 Levantar os investimentos necessários para a implantação do sistema incluindo: infraestrutura ferramentas mão-de-obra 17

18 PacoteSemi-prontoSob- encomenda Investimentos Equipamentos Aquisição licenças Treinamento Customização Desenvolvimento software Consultoria de planejamento BaixoMédioAlto Manutenção Manutenção aplicativo Mão-de-obra Manutenção hardware OpcionalNecessáriaFundamental Impacto cultural Adequação da empresa Adequado ao setor produtivo Adequado à empresa Treinamento de pessoal RaroIncluso Capacitação técnica Autodidata Assistida/ autodidata Assistida Tratamentos das informações Especializado Genérico 18

19 19

20 Bretes Currais de manejo Balanças Diversos 20

21 21 Garantir sucesso Evitar surpresas com investimentos Conferir Escritório na fazenda x lançamento à distância Equipamentos disponíveis Rede Telefone Internet Estabilidade da rede elétrica Sistema operacional

22 Identificação Segundo MACHADO et al. (2001), qualquer método de identificação deve atender a um mínimo de requisitos: Único: cada número deve ser encontrado apenas uma vez no rebanho Permanente: não deve correr riscos de perda Insubstituível: ao receber uma identificação ao nascimento ou na aquisição do animal, esse deve permanecer com o mesmo número até o momento do abate; Positiva: a identificação dos animais não pode gerar dúvidas 22

23 Identificação Sistemas de identificação: brinco, marca a ferro, a frio, tatuagem, dispositivos eletrônicos (bolus, Implante, Bottom, colar, etc.), retina, dna, dentre outros. 23

24 BrincoFerroTatuagemBolusBolusTatuagemBrincoFerro Comparativos Rapidez e facilidade de aplicação Facilidade de leitura Segurança CustoBolusFerroTatuagemBrincoTatuagemFerroBrincoBolus 24

25 Comparativo identificação eletrônica 25

26 Caderno de campo Relatórios 26

27 Enfoque especial Qualidade da informação gerada Importância da entrada de dados Ouvir experiências Conhecer equipe 27

28 28 Ciclos fechados Tudo que não é de caráter confidencial deve ser compartilhado Diminuição considerável do número de falhas no processo produtivo

29 29

30 30 Indicações de terceiros Contato direto Importância da orientação

31 31 Facilidade de uso Ambiente amigável Existência de suporte ao usuário Relatórios emitidos Frequência de atualizações

32 32 Atendimento às premissas levantadas no projeto Soluções mistas x relação custo-benefício Custos de migração

33 ProdutoServiço - deixam os processos e o elemento humano de lado; - no modelo de caixinha, a preocupação e prospectar novos clientes em detrimento aos já existentes; - o atendimento a visto como custo - o suporte não atende as necessidades dos clientes; - a forma de trabalho dificulta ou inviabiliza as atualizações; - aumentam o risco de defasagem tecnológica, comprometendo os dados acumulados; - os processos de implantação acabam não atingindo os seus objetivos; - a falta de acompanhamento leva ao abandono ou rejeição; - as rotinas são fixas e/ou com pouca possibilidade de mudança. - todas as pessoas envolvidas, inclusive clientes, são fundamentais para o desenvolvimento dos processos; - os feedbacks dos usuários são determinantes para a sustentabilidade do sistema; - o atendimento a um dos pontos que recebem a máxima atenção; - a constante atualização e a sintonia com o desenvolvimento tecnológico são premissas do trabalho; - o compromisso com o cliente e a base para o sucesso do trabalho; - o investimento passa a ser diluído ao longo do tempo, diminuindo drasticamente os riscos financeiros relacionados a aquisição de software; - a flexibilidade dos serviços oferecidos atende empresas que buscam soluções integradas. 33

34 34 O processo de informatização dever ser considerado como um todo, levando em conta todos as variáveis envolvidas e onde se pretende chegar.

35 Eficiência reprodutiva Intervalo entre partos Observação de cio Taxa de concepção Perdas de prenhez Repetição de cios Natimortos Retenção de placenta Qualidade do leite 35

36 Parto Intervalo de partos Lactação=10 meses 12 meses P. Seco=2 meses Vacas em lactação = 10 / 1283,3% no ano Parto Intervalo de partos Lactação=10 meses 14 meses P. Seco=4 meses 71,4% no ano Parto Vacas em lactação = 10 / 14 36

37 Intervalo % vacas Lactação 12 m83,3 14 m71,4 16 m62,5 18 m55,5 37

38 Intervalo = 12mIntervalo = 18m Prod. Lactação4.500 Vida útil6 anos Partos64 Produção Vida Útil Kg/dia de vida útil12,28,2 Perda diária4,0 kg/vaca 100 vacas400 kg/dia Perda anual de17 bezerras 38

39 Queda de 47% no resultado Redução na venda de animais, redução da produção (aumento vacas secas) Mesma fazenda Intervalo entre partos12 meses16 meses Vacas adultas 120 Rebanho estabilizado Sim Taxa de reposição anual 17% Mortalidade 3% Descarte involuntário 14% Volumoso Cana Produção média anual 7,0 lts/VL/dia Resultado anual de caixa R$ ,00R$64.000,00 39

40 Problemas do uso do IEP na rotina como ferramenta de monitoramento Índice histórico Demora para ser calculado As vacas vazias não entram na conta As primíparas não são consideradas 40

41 Preciso monitorar índices que levam ao aumento do Intervalo entre Partos: –Observação de cio –Concepção (Avaliação por diferentes fatores: Inseminador,Touros, Número de IA/cobertura, Fase do pós-parto, Condição de IA/cobertura, Natural, prostaglandinas, protocolo, Muco, etc.) –Taxa de prenhez –Perdas de prenhez –Distribuição de concepção por dias pós-parto –Repetição de cios 41

42 Fazenda A Vacas aptas para IA100 vacas Quantas foram inseminadas em 21 dias50 vacas Cálculo da taxa de serviço 50 vacas inseminadas 100 vacas aptas Taxa de serviço50% Das inseminadas, quantas ficaram prenhes25 vacas Cálculo da taxa de concepção 25 vacas prenhes__ 50 vacas inseminadas Taxa de concepção50% Cálculo da taxa de prenhez 25 vacas prenhes 100 vacas aptas Taxa de prenhez25% A cada 21 dias 50% das vacas aptas são inseminadas 50% das vacas que são inseminadas ficam prenhes A cada 21 dias 25% das vacas inseminadas ficam prenhes Taxa de prenhez é o produto entre a taxa de observação de cio e taxa de concepção! 42

43 43

44 44

45 –Identificação em função da fase de gestação onde ocorreram as perdas; –Perdas precoces x tardias (abortos). Confirmação da gestação Parto Novo cio ou IA Diagnóstico Negativo Abortos Descartes 45

46 46

47 Distribuição das ocorrências de repetições de cio baseado nos intervalos (entre os cios). –Fases 1 a 17 dias – erros de identificação dos animais, cistos; 18 a 24 dias – ciclo normal; 25 a 36 dias – indicativos de perdas; 37 a 44 dias – ciclo normal (falha de observação) ou perdas; Acima de 45 dias – indicativos de perdas, falhas de observação. 47

48 48

49 Natimortos –Dificuldade de parto x tempo para a primeira IA Retenção de placenta –Aumento metrites –Atraso no tempo para a primeira IA –Queda na taxa de concepção 49

50 Perdas diretas –Bonificação através da qualidade –CCS e Gordura Perdas indiretas –Mastite clinica –Mastite sub-clínica –Alteração composição do leite 50

51 U$ 107 / Caso Fonte: Eberhart R.J. et al,

52 52

53 NMC, 1996 CCS do Tanque (1.000 cels/ml) % de quartos infectados % de perda na produção 2006%6% %6% %18% %29% 53

54 54

55 Índices altamente correlacionados Só podemos melhorar o que medimos Novo conceito de gerenciamento Busca constante da eficiência Índices zootécnicos interferindo em índices econômicos Resultados rápidos para a tomada de decisões 55

56 Obrigada! 56


Carregar ppt "GESTÃO INFORMATIZADA NO AGRONEGÓCIO: DESAFIOS E OPORTUNIDADES AGROPEC 2012 HELOISE DUARTE 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google