A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Recordar o Holocausto Monumento às crianças judias mortas durante o Holocausto. Os pilares quebrados representam as vidas inacabadas. Parque do Yad Vashem,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Recordar o Holocausto Monumento às crianças judias mortas durante o Holocausto. Os pilares quebrados representam as vidas inacabadas. Parque do Yad Vashem,"— Transcrição da apresentação:

1 Recordar o Holocausto Monumento às crianças judias mortas durante o Holocausto. Os pilares quebrados representam as vidas inacabadas. Parque do Yad Vashem, Jerusalém (Israel)

2 Alberto Neuwirth, sobrevivente do gueto de Budapeste, na Hungria

3 Alberto Neuwirth nasceu em 1932, na Hungria, último país a ser ocupado pelos nazis, no ano de Por essa altura viviam nesse país judeus. A 1.ª medida discriminatória na Hungria foi a obrigatoriedade para os judeus do uso da estrela amarela. Em cada edifício onde viviam judeus, foi colocada uma estrela grande, na porta. Mais tarde, todas as famílias judias tiveram de entregar aos nazis o ouro que possuíam, incluindo alianças de casados. Quando lhes foi ordenada a entrada nos guetos, apenas lhes foram dadas 72 horas para se agruparem. Entre Maio e Agosto de 1944, judeus foram deportados para o campo de concentração de Auschwitz.

4 No gueto de Budapeste, vivia-se com grandes dificuldades. Só lá chegava arroz, um sucedâneo de café, 50 gramas de pão de milho para os menores de 12 anos e uma sopa que era quase só água quente (cada família recebia um balde de 12 litros para a ir buscar). Dormiam no chão, a água era obtida a partir da neve, a casa-de- banho era um buraco aberto numa esquina. Morriam muitas pessoas diariamente, e não havia lugar para enterramentos: abriu- se uma vala comum. Saiu, a certa altura, uma lei que obrigava todas as mulheres judias, entre os 16 e os 60 anos, a ir trabalhar numa fábrica de ladrilhos. Depois, essas mulheres tiveram de caminhar até Bergen-Belsen (um campo de concentração), que ficava a 132 km. Muitas morreram pelo caminho. Dos judeus que entraram no gueto de Budapeste, terão sobrevivido uns que, no fim da guerra, foram libertados pelos soldados russos.

5 Judeus a caminho do gueto de Varsóvia. (Museu do Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

6 Concentração de judeus à entrada do gueto de Varsóvia (Museu do Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

7 A vida no gueto de Varsóvia (Museu do Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

8 Uma família pobre no gueto de Varsóvia (Museu do Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

9 Distribuição de alimentos no gueto de Varsóvia (Museu do Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

10 Imagens e objectos de judeus polacos (Museu das crianças, Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

11 Os pertences de um judeu enviado para o gueto (Museu das crianças, Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

12 Maqueta do campo de concentração de Treblinka (Museu do Kibutz Lohamei Haguetaot, Galileia, Israel)

13 O Jardim dos Justos Trata-se de um jardim evocativo das grandes figuras que contribuíram para a salvação de judeus. Cada árvore está dedicada a uma dessas figuras. Parque do Yad Vashem, Jerusalém (Israel)

14 Placa que assinala a árvore dedicada ao cônsul português Aristides de Sousa Mendes, o único português que é considerado como um Justo da Nações

15 Vagão de comboio que transportou judeus para um campo de concentração Parque do Yad Vashem, Jerusalém (Israel)

16 Jacky Hendeli Sobrevivente de Salónica (Grécia) O Holocausto começou na Grécia em 1940, com a ocupação pelas tropas de Mussolini. Existiam, então, judeus na Grécia, a maioria dos quais concentrados em Salónica. A primeira acção contra os judeus gregos foi a destruição das suas sepulturas, nos cemitérios. Jacky Hendeli foi enviado, com a sua família, para Auschwitz. Só podiam transportar sacos até 20kg e tinham de pagar o bilhete do comboio que os levaria para o campo de concentração. Passaram 7 dias e 8 noitas dentro do vagão. Dos 25 vagões do comboio, um estava vazio e servia para colocar lá os corpos dos que iam morrendo.

17 Jacky Hendeli mantém no braço o número que lhe foi gravado em Auschwitz Ao chegar a Auschwitz, a família separou-se. Jacky viu pela última vez a mãe e as irmãs. No campo de concentração, os judeus eram submetidos a trabalhos forçados. Jacky trabalhou numa fábrica de borracha. A cada 15 dias, os nazis faziam uma selecção. Os que já não podiam trabalhar eram mortos. Em Janeiro de 1945, quando os russos estavam às portas de Auschwitz, os prisioneiros foram transportados para outro campo de concentração : Bergen-Belsen. Permaneceu aí durante duas semanas, até à libertação do campo pelos britânicos.

18 Para pensar… Primeiro levaram os judeus, Mas não falei, por não ser judeu. Depois, perseguiram os comunistas, Nada disse então, por não ser comunista, Em seguida, castigaram os sindicalistas Decidi não falar, porque não sou sindicalista. Mais tarde, foi a vez dos católicos, Também me calei, por ser protestante. Então, um dia, vieram buscar-me. Mas, por essa altura, já não restava nenhuma voz, Que, em meu nome, se fizesse ouvir. [Poema de Martin Niemoller ]


Carregar ppt "Recordar o Holocausto Monumento às crianças judias mortas durante o Holocausto. Os pilares quebrados representam as vidas inacabadas. Parque do Yad Vashem,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google