A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Análise de Pontos de Função Medição, Estimativas e Gerenciamento de Projetos de Software Deric Ferreira MCTS - MCP

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Análise de Pontos de Função Medição, Estimativas e Gerenciamento de Projetos de Software Deric Ferreira MCTS - MCP"— Transcrição da apresentação:

1 1 Análise de Pontos de Função Medição, Estimativas e Gerenciamento de Projetos de Software Deric Ferreira MCTS - MCP

2 2 Análise de Pontos de Função Medição, Estimativas e Gerenciamento de Projetos de Software

3 3 Agenda Importância da medição Uso da APF na gerência de projetos Uso da APF em estimativas Uso da APF em contratos de software Visão geral da APF Mundo das métricas funcionais

4 4 Por que medir software?

5 5 Estimar custo e recursos de projetos Avaliar a aquisição de pacotes (make-or- buy) e Benchmarking Suportar análises de produtividade e qualidade Remunerar fornecedores Apoiar a gerência de escopo do projeto Apoiar a gerência de requisitos do projeto

6 6 Falando em Requisitos...

7 7 Estatísticas Dados do CHAOS Report de 2003: Somente 34% dos projetos de Software são bem sucedidos 15% dos projetos foram cancelados 43% é o erro médio em relação ao orçamento Apenas 52% das características e funcionalidades são entregues

8 8 Expansão dos Requisitos Requisitos tendem a expandir Uso do Sistema exige novas funcionalidades Requisitos desejáveis evoluem para essenciais Novos Requisitos são identificados

9 9 Dilema do desenvolvimento SW Requisitos - qualidade, funcionalidade e performance são infinitos: tendem a expansão Recursos - trabalho, logística, capital são restritos: pressão para menor utilização Como manter esta situação sob controle? Atender ao máximo as expectativas com a utilização do mínimo de recursos

10 10 A Evolução Crescimento Tecnológico, resultou em: Aumento na demanda por Sistemas Informatizados Dificuldade no equilíbrio da balança: Demanda X Recursos Novo cenário: Necessidade de Gerência de Projetos Melhoria de Processos Make-or-Buy Plan

11 11 As Respostas de Hoje Terceirização e gestão de contratos Uso intensivo de pacotes de software - ERP em especial Orientação para gerência de projetos Iniciativas de Melhoria de Processos Mas o que é gerência de projetos e onde entra a APF?

12 12 O que é Gerência de Projetos? Latim Gerere – Trazer, produzir, criar, executar e administrar PMI define Projeto como: empreendimento temporário posto em execução para criar um produto ou serviço Dividindo o Gerenciamento em Processos: Planejamento Execução Controle

13 13 Desafio do GP Tornar o gerenciamento de projetos baseado em fatos, não em achismos Para isto, deve-se buscar métricas e indicadores que orientem a gerência pois: Não se pode controlar o que não se pode medir - Lord Kelvin ou Não se pode gerenciar o que não se pode medir - Tom de Marco

14 14 Importância da medição..., quando feita adequadamente, a medição em seqüência de atributos de qualidade de produtos e processos pode fornecer uma base efetiva para a iniciação e gerência de atividades de melhoria de processos. PSM: Measuring for Process Management and Improvement William A. F. et al, 1997

15 15 Importância da medição Na maioria dos casos o Levantamento de Requisitos não é suficiente para a definição de todas as características do Produto Necessidade de apurar futura dimensão (Estimar)

16 16 Uso da APF em Estimativas

17 17 Estimativas de Projetos de Software Quanto Tempo? Quanto Custa? Respostas dependem dos Requisitos da Equipe da Tecnologia Exatidão apenas ao término Podem ser mais ou menos exatas

18 18 Onde entra a APF? Tamanho pode ser estimado antes da especificação de requisitos estar completa Muito útil em tempo de proposta e análise de viabilidade É uma técnica para macro-estimativas Não recomendada para estimativas pontuais de atividades ou projetos muito pequenos

19 19 Produto da APF Resultado da contagem continua sendo uma estimativa

20 20 Produto da APF A APF não substitui a experiência do Gerente de Projetos ou de TI A APF deve auxiliar o processo tomada de decisões e não ser a única estimativa para base decisória

21 21 Onde entra a Experiência do Profissional? O que o GP precisa definir: Quais produtos serão desenvolvidos (Especificações, Manuais, Programas, BDs) Por meio de que atividades (Identificação de Classes, Validação de Espec. Técnica) Que recursos serão utilizados (Time) Que tipo de prossionais (Analistas, Desenvolvedores, Documentadores) Durante quanto tempo Quais Riscos devem ser considerados

22 22 Onde entra a Experiência do Profissional? + 9 Meses = 9 mulheres + 1 mês =

23 23 Indicadores derivados de PF A APF, junto com outras métricas permite a geração de vários indicadores para o GP Horas / PF PF / Homem Mês R$ / PF Defeitos / PF Estabilidade dos requisitos Baseline da organização Tamanho do backlog

24 24 Estimando Esforço Necessidade das horas apropriadas para Produtividade (PF / H) Taxa de Entrega (H / PF) Classificação de projetos por similaridade processo de desenvolvimento deve ser estável Extrapolar o comportamento histórico Indicadores de Mercado Indicadores Internos

25 25 Estimando Custo Necessidade dos custos apropriados para Preço do ponto de função ( R$ / PF) Classificação de projetos por similaridade processo de desenvolvimento deve ser estável Extrapolar o comportamento histórico Indicadores de Mercado Indicadores Internos

26 26 Estimando Duração Neste ponto o ideal é conjugar outras técnicas pois: Nem sempre Prazo = Esforço / Tamanho Equipe Cuidado com fórmulas mágicas duração = PF ** 0,4 ???

27 27 Outras Estimativas Possíveis? Número de casos de teste (= PF x 1,2) ??? Número de defeitos (= PF ** 1,25) ??? Tamanho da equipe de desenvolvimento (= PF / 150) ??? Tamanho da equipe de manutenção (= PF / 1500) ???

28 28 Uso da APF em Contratos de Software

29 29 Aspectos Contratação Sofware Foco no negócio principal Terceirização do desenvolvimento SW Parcial Equipe Projeto Atividade (codificação, teste, análise, etc) Total Outsourcing

30 30 Gestão do Contrato A necessidade de gerenciar o contrato existe seja qual for o nível da terceirização Equipe: produtividade e qualidade Projeto: prazo, escopo Atividade: prazo Outsourcing: custo, qualidade

31 31 Formas de contratação Homem Hora Preço Global Fixo Preço Unitário Seleção do Tipo de Contrato APF

32 32 Homem Hora (HH) Body shopping, time and material Equipe mista Nem sempre apenas um fornecedor Infra-estrutura própria Remuneração Nível de qualificação Experiência dos profissionais Horas apropriadas

33 33 HH - Por um lado Simples administração Flexibilidade Agilidade em picos de demanda Mudança real dos requisitos: Aumento de escopo Aumento do esforço Aumento da fatura É justo. Responsabilidade direta do contratante

34 34 HH - Por outro lado Gerenciar a produtividade dos contratados: Competência não necessariamente disponível Remuneração não vinculada a resultados Falta de estímulo ao aumento de produtividade NÃO é justo. Responsabilidade do contratado

35 35 Preço Global Fixo (PGF) Privilegia a abordagem de projeto Exige maior grau de organização Quanto melhor definidos estiverem os requisitos, menor a chance de atritos Em geral: O fornecedor não dispõe de muita informação Ele não dispõe de tempo para análise detalhada Superdimensionamento ou subdimensionamento (mais provável) Ambos assumem que os requisitos não mudam Mas eles mudam...

36 36 Preço Unitário (PU) Remuneração sobre elementos do projeto Relatórios, telas, tabelas, casos de uso, linhas de código, pontos de função Equilibrar riscos Produtividade e qualidade - Contratado Escopo - Contratante Desafio: O elemento Reconhecido pelo contratante e contratado Uniforme Consistente

37 37 Novamente: Os requisitos mudam... Quanto maior a duração do projeto, mais provável de ocorrer Nova negociação (aumento do escopo): como saber se as condições originais serão mantidas? APF como fator de normalização Dimensionar o projeto original Calcular o valor unitário Aplicar os números ao objeto da mudança de escopo Instrumento de COMUNICAÇÃO

38 38 Medição da variação do escopo [1.200 PF] EspecificaçãoInicial deRequisitos [1.500 PF] Projeto de AltoNível [1.700 PF] Projeto Detalhado Estimativa Dimensionamento [1.900 PF] Produto Entregue Horas,Reais,Pontos deFunção, etc. EstimativaIncial...: PF ProdutoEntregue.: PF Crescimento : 58,3% ( – ) * Projeto AEquipe 1

39 39 Histórico da Medição de Software LOC – Análise por Linhas de Código O que é? Pontos Negativos Falta de Padrão Falta de Significado para o Cliente Foco no tamanho e não na funcionalidade do Software

40 40 Por que APF como unidade Pontos de função como unidade padrão Método padrão de medição funcional Centenas de empresas e profissionais IFPUG (International Function Point Users Group) - organização responsável Pontos de função facilitando a comunicação Vocabulário independente da tecnologia Perspectiva do negócio

41 41 Visão Geral da APF

42 42 Definição da APF Método Padrão para Medir Software do Ponto de Vista do Usuário através da quantificação da Funcionalidade Fornecida.

43 43 Objetivos da APF Objetivos da Técnica Medir a Funcionalidade que o usuário solicita e recebe Medir o desenvolvimento e melhoria de software de forma independente da tecnologia utilizada para sua implementação Objetivos do Processo de Contagem Simples o suficiente para minimizar o trabalho adicional envolvido no processo de medição Uma medida consistente entre vários projetos e organizações

44 44 Quem usa APF em contratos BANDES BANDES CEF CEF SERPRO SERPRO PM- SP PM- SP DATAPREV DATAPREV CORREIOS CORREIOS BRADESCO BRADESCO ABN/REAL ABN/REAL EXÉRCITO EXÉRCITO PETROBRÁS PETROBRÁS EMBRATEL EMBRATEL PRODEB PRODEB EDS EDS POLITEC POLITEC MSAInfor MSAInfor DBA DBA CPM CPM STEFANINI STEFANINI

45 45 Componentes da contagem

46 46 Determinar o Tipo de Contagem Determinar Escopo da Contagem e Fronteira da Aplicação Contar Funções Tipo Dados Contar Funções Tipo Transação Determinar Contagem de Pontos de Função não Ajustados Determinar Valor do Fator de Ajuste Calcular o Número de Pontos de Função Ajustados Copyright © 2001, 2002 por FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS LTDA. Processo de contagem

47 47 Exemplo Prático Sistema de Cadastro de Clientes Sistema de Cadastro de Clientes Listagem por ordem alfabética Exportação de cadastro via arquivo texto Realizando o Processo de Contagem Realizando o Processo de Contagem Tipo de Contagem: Projeto de Desenvolvimento Número de ALIs: 01 (Tabela de Clientes) Número de AIEs: - Numéro de EEs: 01 (Inclusão de Clientes) Número de SEs: 01 (Listagem por Ordem Alfabética) Número de CEs: 01 (Exportação em arquivo texto)

48 48 Exemplo Prático Considerando a complexidade dos tipos de função como Baixa, temos: Considerando a complexidade dos tipos de função como Baixa, temos: Pontos de Função Brutos: ALI X 7 AIE X 5 EE X 3 SE X 4 CE X 3

49 49 Exemplo Prático Substituindo os valores: Substituindo os valores: Pontos de Função Brutos Pontos de Função Brutos 1 X 7 0 X 5 1 X 3 1 X 4 1 X 3 PFB Calculado: PFB Calculado: 17 17

50 50 Exemplo Prático Para determinar o Valor do Fator de Ajuste, levamos em conta as características gerais do Sistema: Para determinar o Valor do Fator de Ajuste, levamos em conta as características gerais do Sistema: Comunicação de Dados Processamento Distribuído Performance Utilização de Equipamento Volume de Transações Entrada de Dados On-Line Eficiência de Usuário Final Atualização On-Line Processamento Complexo Reutilização de Código Facilidade de Implantação Facilidade Operacional Múltiplos Locais Facilidade de Mudanças

51 51 Exemplo Prático O Próximo passo é atribuir valores que variam de 0 a 5 para cada característica do Sistema: O Próximo passo é atribuir valores que variam de 0 a 5 para cada característica do Sistema: 0 – Nenhum Influência 1 – Influência Mínima 2 – Moderada 3 – Influência Média 4 – Influência Significativa 5 – Grande Influência (Crítica)

52 52 Exemplo Prático Para facilitar nossa breve análise, vamos atribuir o Valor 1 para todas as características do Sistema: Para facilitar nossa breve análise, vamos atribuir o Valor 1 para todas as características do Sistema: VFA = (Soma dos Valores de Influência * 0,01) + 0,65Onde: 14 Soma dos Valores de Influência = 14 VFA Calculado: 0,79 0,79

53 53 Exemplo Prático Enfim, o valor dos Pontos de Função ajustados: Enfim, o valor dos Pontos de Função ajustados: PFA = (VFA * PFB)Onde: 0,79 VFA = 0,79 17 PFB = 17 PFA Calculado: 13,43 13,43

54 54 Exemplo Prático Com esse valor, conseguimos estimar: Com esse valor, conseguimos estimar: Esforço Esforço 10hs por PF => 10 * 13,43 => 135 horas 10hs por PF => 10 * 13,43 => 135 horas Prazo Prazo 8hs de trabalho por dia =>135 horas/8h => 17 dias 8hs de trabalho por dia =>135 horas/8h => 17 dias Custo Custo R$ 25,00 por hora de trabalho =>135 * 25 => R$ R$ 25,00 por hora de trabalho =>135 * 25 => R$ 3.375

55 55 Conclusões APF é uma técnica eficaz na geração de indicadores para a gerência de projetos de software Resultados melhores à medida que dados históricos de projetos são incorporados Facilitador da comunicação Uso crescente em contratos de software Brasil está na vanguarda do uso da APF

56 56 Referências IFPUG - BFPUG - FATTO - ISBSG - ASMA - NESMA - UKSMA - COSMIC - SPR -

57 57 Perguntas???

58 58 Obrigado! Deric Ferreira MCTS - MCP


Carregar ppt "1 Análise de Pontos de Função Medição, Estimativas e Gerenciamento de Projetos de Software Deric Ferreira MCTS - MCP"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google