A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx – DEPA – CMF DISCIPLINA: HISTÓRIA 2º ANO DO ENSINO MÉDIO ASSUNTO: A REVOLUÇÃO FRANCESA OBJETIVOS ANALISAR OS FATORES DETERMINANTES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx – DEPA – CMF DISCIPLINA: HISTÓRIA 2º ANO DO ENSINO MÉDIO ASSUNTO: A REVOLUÇÃO FRANCESA OBJETIVOS ANALISAR OS FATORES DETERMINANTES."— Transcrição da apresentação:

1 EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx – DEPA – CMF DISCIPLINA: HISTÓRIA 2º ANO DO ENSINO MÉDIO ASSUNTO: A REVOLUÇÃO FRANCESA OBJETIVOS ANALISAR OS FATORES DETERMINANTES DA REVOLUÇÃO FRANCESA ANALISAR O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO FRANCÊS NO CONTEXTO DE OPOSIÇÃO AO ANTIGO REGIME CARACTERIZAR AS FASES DA REVOLUÇÃO FRANCESA, DE 1789 A 1799 INTRODUÇÃO: FOI A REVOLUÇÃO BURGUESA CLÁSSICA, POR SEU ALCANCE E RADICALIDADE

2 A ORDEM SOCIAL FRANCESA A posição social do indivíduo era determinada não pela riqueza e sim pelo nascimento 1º Estado– Clero (alto e baixo); 2º Estado – Nobreza; 3º Estado – Povo Os 1º e 2º Estados detinham todos os privilégios, o controle das terras, do Exército e dos cargos administrativos, e ainda eram isentos de impostos 3º Estado: Alta burguesia – latifundiários, comerciantes, banqueiros; Pequena burguesia – advogados, médicos, pequenos comerciantes; Camadas populares – operários, camponeses e "sans-culottes"; só o 3º Estado pagava impostos (à Igreja, ao Estado, e à nobreza) Mesmo dentro do 3º Estado, os interesses eram conflitantes, pois se a burguesia desejava destruir o Absolutismo, eliminar os privilégios da nobreza e controlar o Estado, o faria em proveito próprio e não, pensando nas camadas populares; estas, por sua vez, tinham também seus próprios interesses

3 CRISE NA ECONOMIA Agricultura: Anos seguidos de secas, praga de coelhos (proibida a caça), enchentes, más colheitas, levaram à fome, mortandade e encarecimento dos preços; 90% dos franceses eram ligados à agricultura Indústria: estava paralisada pela presença do Estado na Economia (Mercantilismo) Comércio: prejudicado pelas alfândegas internas, pelos monopólios reais, pela perda das colônias (Canadá, Índias, Antilhas) e consequentemente, de mercados consumidores e fontes de matérias-primas Finanças: Gastos com a corte, dívida externa e guerras Solução: Aumentar a arrecadação, cobrando impostos também do Clero e da nobreza CONVOCAÇÃO DOS ESTADOS GERAIS 2 X 1 ou voto por cabeça O 3º Estado declara-se em Assembleia Constituinte, obrigando o Clero e a Nobreza a participarem

4 QUEDA DA BASTILHA Em 14 JUL 1789, simbolizando a queda do Absolutismo No campo, os camponeses atacaram e incendiaram os castelos e os cartórios, destruindo os registros de direitos e propriedades feudais Os nobres e os grandes proprietários de terras fugiram para o exterior, refugiando-se nos países absolutistas, para organizar sua resistência à Revolução EVENTOS ATÉ A VOTAÇÃO DA 1ª CONSTITUIÇÃO FRANCESA Abolição dos direitos feudais, Declaração Universal dos direitos do homem e do cidadão (igualdade jurídica, não social nem econômica) Desapropriação das terras do Clero e Constituição civil do Clero (separação Igreja – Estado) Invasão do Palácio de Versalhes, tentativa de fuga de Luís XVI e sua prisão em Varennes CONCLUSÃO: Fim da 1ª fase da Revolução francesa

5 A PRÉ-REVOLUÇÃO

6 REI E RAINHA DA FRANÇA

7 AS TRES ORDENS SOCIAIS

8 OPRESSÃO AO 3º ESTADO

9 SANS-CULOTTE

10 A QUEDA DA BASTILHA

11 LEMA ILUMINISTA

12 1ª CONSTITUIÇÃO FRANCESA

13 DIREITOS DO HOMEM


Carregar ppt "EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx – DEPA – CMF DISCIPLINA: HISTÓRIA 2º ANO DO ENSINO MÉDIO ASSUNTO: A REVOLUÇÃO FRANCESA OBJETIVOS ANALISAR OS FATORES DETERMINANTES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google