A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Amaro Henrique Pessoa Lins, Reitor. A UFPE EM NÚMEROS INDICADOR1990199520002003 1. Alunos matriculados 1.1. Graduação15.91614.58121.51223.297 1.2.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Amaro Henrique Pessoa Lins, Reitor. A UFPE EM NÚMEROS INDICADOR1990199520002003 1. Alunos matriculados 1.1. Graduação15.91614.58121.51223.297 1.2."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Amaro Henrique Pessoa Lins, Reitor

2 A UFPE EM NÚMEROS INDICADOR Alunos matriculados 1.1. Graduação Pós-graduação stricto sensu Pós-graduação lato sensu Alunos diplomados 2.1. Graduação Mestrado Doutorado Ingressantes Corpo docente (efetivos) Doutores Mestres Pessoal técnico administrativo 5.1. Total HU Área física construida (1.000 m 2 ) Orçamento (R$ 1.000) Tesouro Convênio Próprios

3 Universidade Federal de Pernambuco A UFPE caracteriza-se por ter gestão colegiada, em seus departamentos e centros e na administração central. Tem seu órgão máximo no Conselho Universitário, composto por representantes da sua comunidade acadêmica, por membros da administração e por representantes da sociedade civil.. A UFPE caracteriza-se por ter gestão colegiada, em seus departamentos e centros e na administração central. Tem seu órgão máximo no Conselho Universitário, composto por representantes da sua comunidade acadêmica, por membros da administração e por representantes da sociedade civil.. Em 2003 nossos docentes publicaram 110 livros, 293 capítulos de livros, artigos, dos quais 643 em veículos internacionais, e quase artigos em anais de eventos. Em 2003 nossos docentes publicaram 110 livros, 293 capítulos de livros, artigos, dos quais 643 em veículos internacionais, e quase artigos em anais de eventos. Tem uma área construída com mais de 370 mil metros quadrados, distribuídos em 150 hectares. Possui 400 salas de aula e 670 laboratórios. Tem uma área construída com mais de 370 mil metros quadrados, distribuídos em 150 hectares. Possui 400 salas de aula e 670 laboratórios. Suas bibliotecas, em número de dez, possuem em seu acervo mais de livros e cerca de periódicos nacionais e estrangeiros. Suas bibliotecas, em número de dez, possuem em seu acervo mais de livros e cerca de periódicos nacionais e estrangeiros. Sua infra-estrutura de informática compreende metros de fibra ótica, pontos de rede e cerca de computadores. Sua infra-estrutura de informática compreende metros de fibra ótica, pontos de rede e cerca de computadores.

4 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ÓRGÃOS DELIBERATIVOS SUPERIORES REITORIA UNIDADES UNIVERSITÁRIAS DEPARTAMENTOS ACADÊMICOS

5 ÓRGÃOS DELIBERATIVOS SUPERIORES CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUN) CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO (CADM) CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CCEPE) CONSELHO DE CURADORES (CC)

6 ÓRGÃOS DELIBERATIVOS SUPERIORES Conselho Universitário (CONSUN): constituído pelos membros do CADM e do CCEPE, é o órgão máximo da Universidade; Conselho Universitário (CONSUN): constituído pelos membros do CADM e do CCEPE, é o órgão máximo da Universidade; Conselho de Administração (CADM): constituído pelo Reitor, Vice-Reitor, Pró-Reitores, Diretores e Vice-Diretores de Centro, representantes das classes de magistério superior e dos estudantes e, também, por representação da Associação Comercial, da FIEPE e dos órgãos estaduais dos profissionais liberais. Órgão máximo em matéria administrativa da Universidade; Conselho de Administração (CADM): constituído pelo Reitor, Vice-Reitor, Pró-Reitores, Diretores e Vice-Diretores de Centro, representantes das classes de magistério superior e dos estudantes e, também, por representação da Associação Comercial, da FIEPE e dos órgãos estaduais dos profissionais liberais. Órgão máximo em matéria administrativa da Universidade; Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão (CCEPE): integrado pelo Reitor, Vice-Reitor, Pró-Reitores, representantes do corpo docente de cada Centro, dos coordenadores de cursos de graduação e pós- graduação stricto sensu e dos estudantes. Órgão superior em assuntos de ensino, pesquisa e extensão; Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão (CCEPE): integrado pelo Reitor, Vice-Reitor, Pró-Reitores, representantes do corpo docente de cada Centro, dos coordenadores de cursos de graduação e pós- graduação stricto sensu e dos estudantes. Órgão superior em assuntos de ensino, pesquisa e extensão; Conselho de Curadores (CC): constituído por representantes do CADM e do CCEPE, do corpo docente, do MEC, dos órgãos de classe dos profissionais liberais e dos estudantes. Órgão de fiscalização econômico-financeira da Universidade. Conselho de Curadores (CC): constituído por representantes do CADM e do CCEPE, do corpo docente, do MEC, dos órgãos de classe dos profissionais liberais e dos estudantes. Órgão de fiscalização econômico-financeira da Universidade.

7 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CADM CÂMARA DE LEGISLAÇÃO E NORMAS CÂMARA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS CÂMARA DE ASSUNTOS FINANCEIROS

8 CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CCEPE CÂMARA DE GRADUAÇÃO CÂMARA DE ADMISSÃO E ENSINO BÁSICO CÂMARA DE PESQUISA CÂMARA DE PÓS- GRADUAÇÃO CÂMARA DE EXTENSÃO

9 REITORIA GABINETE DO REITOR PROPESQPROEXTPROGEPEPROPLANPROACAD

10 REITORIA GABINETE DO REITOR REITOR CHEFE DE GABINETE ASSESSORIA E COMISSÕES PERMANENTES VICE-REITOR ÓRGÃOS SUPLEMENTARES AUDITORIA INTERNA PROCURADORIA GERAL ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

11 REITORIA ÓRGÃOS SUPLEMENTARES REITOR HOSPITAL DAS CLÍNICAS NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTO PREFEITURA DA CIDADE UNIVERSITÁRIA NÚCLEO DE TELEVISÃO E RÁDIO UNIVERSITÁRIAS LABORATÓRIO DE IMUNOPATOLOGIA KEISO ASAMI EDITORA UNIVERSITÁRIA BIBLIOTECA CENTRAL

12 Sugestões para Mellhoria do Controle de Gastos O TCU pode atuar fortalecendo as instâncias internas de controle dos entes jurisdicionados propiciando condições para que o auto- controle seja exercido com maior eficácia. O TCU pode atuar fortalecendo as instâncias internas de controle dos entes jurisdicionados propiciando condições para que o auto- controle seja exercido com maior eficácia. Para tanto seria salutar a transferência de tecnologias desenvolvidas no âmbito do tribunal de forma a ampliar-se o processo de auto-controle por meio de: Para tanto seria salutar a transferência de tecnologias desenvolvidas no âmbito do tribunal de forma a ampliar-se o processo de auto-controle por meio de: Softwares Softwares Manuais Manuais Acompanhamento de processos Acompanhamento de processos A edição e divulgação de cartilhas, jornais, boletins, que orientem os gestores quanto aos procedimentos que devem ser utilizados são outras ações importantes e eficazes; A edição e divulgação de cartilhas, jornais, boletins, que orientem os gestores quanto aos procedimentos que devem ser utilizados são outras ações importantes e eficazes; O TCU pode organizar seminários, mesas-redondas, programas de treinamento, palestras que comunicassem aos entes jurisdicionados as melhores práticas adotadas do sistema. O TCU pode organizar seminários, mesas-redondas, programas de treinamento, palestras que comunicassem aos entes jurisdicionados as melhores práticas adotadas do sistema.

13 Sugestões para Implementar e Aprimorar o Controle Social sobre as ações das IFES Sugestões para Implementar e Aprimorar o Controle Social sobre as ações das IFES A UFPE reconhece que o conhecimento / julgamento da sociedade quanto ao valor dos serviços produzidos e distribuídos é limitado; A UFPE reconhece que o conhecimento / julgamento da sociedade quanto ao valor dos serviços produzidos e distribuídos é limitado; A efetiva evidenciação do esforço destas entidades é importante para ela, para o governo e para a sociedade; A efetiva evidenciação do esforço destas entidades é importante para ela, para o governo e para a sociedade; A universidade reconhece a importância do controle social e vê neste processo uma forma de legitimação de suas ações; A universidade reconhece a importância do controle social e vê neste processo uma forma de legitimação de suas ações; Percebe-se a existência de oportunidade de atuação conjunta do Controle Interno x Controle Externo cujo produto da parceria seria o desenvolvimento de Caderno de Indicadores da Gestão, base para efetivação do Controle Social; Percebe-se a existência de oportunidade de atuação conjunta do Controle Interno x Controle Externo cujo produto da parceria seria o desenvolvimento de Caderno de Indicadores da Gestão, base para efetivação do Controle Social;

14 Sugestões para Implementar e Aprimorar o Controle Social sobre as ações das IFES Sugestões para Implementar e Aprimorar o Controle Social sobre as ações das IFES Tais indicadores estarão disponíveis no sítio de cada entidade, da ANDIFES, do Tribunal, e através de outras mídias, facilitando o acesso da sociedade civil organizada ou mesmo do cidadão comum. Tais indicadores estarão disponíveis no sítio de cada entidade, da ANDIFES, do Tribunal, e através de outras mídias, facilitando o acesso da sociedade civil organizada ou mesmo do cidadão comum. Adicionalmente, divulgar os Planos e as Realizações a um conselho da sociedade civil local por ocasião do seu aniversário ou em outra data qualquer que sirva de referência para caracterizar uma gestão responsável e uma participação cidadã da sociedade. Adicionalmente, divulgar os Planos e as Realizações a um conselho da sociedade civil local por ocasião do seu aniversário ou em outra data qualquer que sirva de referência para caracterizar uma gestão responsável e uma participação cidadã da sociedade. Envio do Relatório Anual de Gestão para a Comissão de Educação da Câmara Federal Envio do Relatório Anual de Gestão para a Comissão de Educação da Câmara Federal Sugere-se a criação de um GT nacional (ANDIFES X TCU) para avaliar e desenvolver a idéia. Sugere-se a criação de um GT nacional (ANDIFES X TCU) para avaliar e desenvolver a idéia.

15 Caderno de Indicadores de Gestão: Base para o Exercício do Controle Social Caderno de Indicadores de Gestão: Base para o Exercício do Controle Social Controle InternoControle Externo Controle Social Caderno de Indicadores


Carregar ppt "Prof. Amaro Henrique Pessoa Lins, Reitor. A UFPE EM NÚMEROS INDICADOR1990199520002003 1. Alunos matriculados 1.1. Graduação15.91614.58121.51223.297 1.2."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google