A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PESQUISA AVALIAÇÃO E INOVAÇÃO COM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO Caso: Centro Universitário Metodista IPA Clarice Monteiro Escott Marlis Polidori Morosini.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PESQUISA AVALIAÇÃO E INOVAÇÃO COM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO Caso: Centro Universitário Metodista IPA Clarice Monteiro Escott Marlis Polidori Morosini."— Transcrição da apresentação:

1 PESQUISA AVALIAÇÃO E INOVAÇÃO COM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO Caso: Centro Universitário Metodista IPA Clarice Monteiro Escott Marlis Polidori Morosini

2 Faz parte de uma rede mundial de instituições educacionais mantidas pela Igreja Metodista. O metodismo tem suas origens dentro da Universidade de Oxford, na Inglaterra do século XVIII fundado o Porto Alegre College, o Instituto Porto Alegre (IPA) – fundado o Colégio Americano Centro Universitário Metodista : fusão das Faculdades IPA e IMEC – tradição em educação superior na área da saúde. –34 Cursos de Graduação; –2 Cursos de Mestrado –Aproximadamente –365 docentes HISTÓRICO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA

3 Desenvolvimento da Auto-avaliação desde Objetivos: –a) promover a participação dos docentes, discentes, funcionários, egressos e empresas; –b) fazer o levantamento das necessidades dos cursos e da instituição envolvendo ensino, extensão, pesquisa e gestão; –c) buscar a melhoria da qualidade do ensino e da instituição e; –d) acompanhar o crescimento estratégico da instituição com o propósito de transformar o Instituto em Centro Universitário Metodista e culminando numa Universidade. HISTÓRICO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

4 2001/ criação da Coordenadoria de Avaliação Institucional - objetivo de dar o caráter permanente ao processo de avaliação institucional auto-avaliação envolve a totalidade da comunidade escolar, de forma online - maior rapidez no processo e uma melhor análise dos resultados: –Coordenadoria de Avaliação Institucional, coordenadores dos cursos e ainda, com os Núcleos de Avaliação Institucional (NAVI) –Construção de relatórios quantitativos com análise qualitativa –Resultados analisados na relação com as avaliações externas e discutidos com os docentes, funcionários e discentes e divulgados internamente na IES 2004 – Implementação da CPA HISTÓRICO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

5 Auto-avaliação realizada ampliando o foco sistêmico e levando em consideração os diferentes meios e métodos para identificação da situação e melhoria da instituição CPA redimensiona o Programa de Avaliação Institucional adequando os processos avaliativos e os instrumentos de coleta de dados a nova realidade institucional, ao PDI e PPI e SINAES: –Ampliação dos instrumentos de auto-avaliação online –Dez Dimensões SINAES –Abrange ensino, pesquisa, extensão e gestão 2007 – Fórum de Avaliação Institucional –Avaliação Acadêmica –Avaliação da Gestão –Avaliação Comunitária HISTÓRICO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

6 Comissão Própria de Avaliação – CPA –1 Presidente indicado pelo(a) Reitor(a) e homologado pelo Conselho Universitário (CONSUNI) do Centro Universitário Metodista ; –04 representantes docentes, indicados pelo(a) Reitor(a) e homologado pelo Conselho Universitário (CONSUNI) do Centro Universitário Metodista; –04 representantes técnicos administrativos da Instituição, indicados pelo(a) Reitor(a) e homologado pelo CONSUNI do Centro Universitário Metodista; –01 representante da Pastoral Escolar Universitária. –02 representantes da sociedade civil organizada com experiência em gestão e/ou processos de avaliação. –04 representantes do corpo discente de graduação, indicados pelos colegiados ampliados dos cursos de graduação, homologado pelo CONSUNI do Centro Universitário Metodista. ESTRUTURA DA IES PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO

7 Participação dos coordenadores e colegiados de cursos para o desenvolvimento da Auto-Avaliação e avaliação externa – Colegiado Ampliado de Avaliação Institucional: –apoio à CPA para fins de organização do processo de auto-avaliação e sensibilização da comunidade acadêmica,; –composto pelos presidentes dos Colegiados Ampliados dos cursos de graduação ou representantes indicados pelos mesmos e de representante do colegiado administrativo ESTRUTURA DA IES PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO

8 Apoio operacional: Coordenadoria de Avaliação Institucional –Coordenação de Avaliação Institucional: 1 docente, doutora em educação, que por definição do Reitor, acumula a Presidência da CPA (com dedicação de 30h para a CoordAI); –Setor de Pesquisa Institucional: 1 técnica-administrativa com cargo de pesquisadora institucional; –Setor de Legislação: 1 docente mestre com Regime de Tempo Integral (com dedicação de 20h para a CoordAI), especialista em legislação educacional, 1 técnica-administrativa; –Setor de Auto-Avaliação e Avaliação Externa: 1 docente mestre, com Regime de Tempo Parcial (com dedicação de 20h para a CoordAI), 1 docente doutora com Regime de Tempo Integral (com dedicação de 04h para a CoordAI)e 2 técnico-administrativos; –Ouvidoria: 1 docente mestre (com dedicação de 12h para a CoordAI) e 1 técnico- administrativo. ESTRUTURA DA IES PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO

9 Competências da Coordenadoria de Avaliação Institucional: –assessorar a Comissão Própria de Avaliação (CPA), no desenvolvimento da Auto-Avaliação da Instituição e nos processos de Avaliação Externa; –organizar e disponibilizar as informações necessárias para a execução da Auto-Avaliação da Instituição; –organizar, coordenar e desenvolver seminários de sensibilização como suporte da prática avaliativa; –desenvolver métodos e instrumentos de facilitação do processo de recolha e análise de dados e informações para fins de execução da Auto-Avaliação; –elaborar, em conjunto com a comunidade acadêmica, os relatórios parcial e final, exigidos no processo avaliativo, –propor e acompanhar fluxos definindo (re) planejamento e ações de superação no processo avaliativo; –estabelecer calendário de execução da Auto-Avaliação da Instituição; –organizar e encaminhar publicação referente ao desenvolvimento da Auto-Avaliação. ESTRUTURA DA IES PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO

10 Interface da CPA e CoordAI com a Gestão de Tecnologia da Informação, tanto para os processos de auto-avaliação quanto para os processos de avaliação externa. Setor de Gestão de Tecnologia da Informação: 34 colaboradores que atendem às áreas de Sistemas de Informação, Infra-Estrutura e Apoio aos Usuários. Técnica responsável pela Área de Sistemas de Informação, compõe a CPA. TECONOLOGIA DA INFORMAÇÃO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

11 Criado um aplicativo que atende às necessidades institucionais específicas de cada aplicação do processo de auto-avaliação foi. Este aplicativo permite: –a adequação dos públicos que serão consultados, dos instrumentos a serem aplicados e da forma de apresentação dos resultados; –consonância as 10 dimensões da Lei do SINAES ; –unicidade dos dados institucionais; –participação não obrigatória da comunidade acadêmica; –suporte técnico, pela GTI, à comunidade acadêmica e administrativa, através do helpdesk, à durante o período de auto-avaliação; –exportação das informações para um arquivo em formato de texto para que possam ser analisados após o período de coleta de dados; –utilização do SPSS (Statistic Package for Social Sciences) para tratamento estatístico de dados; –geração de gráficos e tabelas, apresentando as frequências absolutas e relativas para organização de relatórios quantitativo e qualitativo, disponibilizados à comunidade acadêmica e administrativa. TECONOLOGIA DA INFORMAÇÃO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL


Carregar ppt "PESQUISA AVALIAÇÃO E INOVAÇÃO COM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO Caso: Centro Universitário Metodista IPA Clarice Monteiro Escott Marlis Polidori Morosini."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google