A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CURSO PREPARATÓRIO PARA O CONCURSO PARA SOLDADO DA BRIGADA MILITAR 2014 LEGISLAÇÃO APLICADA À FUNÇÃO CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Artigos 1º a 5º. Artigos 37.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CURSO PREPARATÓRIO PARA O CONCURSO PARA SOLDADO DA BRIGADA MILITAR 2014 LEGISLAÇÃO APLICADA À FUNÇÃO CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Artigos 1º a 5º. Artigos 37."— Transcrição da apresentação:

1 CURSO PREPARATÓRIO PARA O CONCURSO PARA SOLDADO DA BRIGADA MILITAR 2014 LEGISLAÇÃO APLICADA À FUNÇÃO CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Artigos 1º a 5º. Artigos 37 e 38. Artigos 42 e 43. Artigos 44 a 50. Artigos 142 a 144. CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Artigo 1º a 7º. Artigos 46 a 48. Artigos 124 a 132. LEI FEDERAL Nº , de 07 de agosto de 2006 – Lei Maria da Penha. LEI FEDERAL Nº , de 20 de julho de 2010 – Estatuto Nacional da Igualdade Racial. LEI ESTADUAL Nº , de 19 de janeiro de 2011 – Estatuto Estadual da Igualdade Racial. LEI COMPLEMENTAR Nº , de 18 de agosto de Estatuto dos Servidores Militares LEI COMPLEMENTAR Nº , de 18 de agosto de Lei de Organização Básica da Brigada Militar LEI COMPLEMENTAR Nº , de 18 de agosto de Plano de Carreira dos Servidores Militares Decreto Nº , de 19 de julho de Regulamento Disciplinar da Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul

2 LEGISLAÇÃO APLICADA À FUNÇÃO Artigos da Constituição Federal Brasileira Maj Régis Rocha da Rosa CURSO PREPARATÓRIO PARA O CONCURSO PARA SOLDADO DA BRIGADA MILITAR 2014

3 CONSIDERAÇÕES INICIAIS A palavra princípio geralmente nos dá a ideia de começo, início. É importante ressaltar que as atividades desenvolvidas pela Administração Pública, devido sua especificidade, devem se pautar pela observância das normas legais, bem como pelos princípios que a norteiam. Não se deve esquecer, que o dinheiro despendido pelos atos do administrador público, não lhe pertence, mas sim a toda sociedade. Desta forma, o controle da legalidade e validade de seus atos, torna-se imprescindível e obrigatório.

4 DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte:

5 L EGALIDADE O princípio da legalidade está na base do Estado de Direito ; Entre os particulares vige o princípio da autonomia da vontade, segundo o qual o que não for proibido por lei é permitido (Art. 5, inciso II, da CF); Para o administrador público isso não basta, ele deve agir sob o império das leis, ou seja, só pode fazer o que a lei lhe autoriza;

6 I MPESSOALIDADE A Administração Pública deve atuar sem que a figura do administrador seja identificada; A administração não se dispõe à promoção pessoal, já que o administrador atua em nome do interesse público; Também os seus atos não podem privilegiar pessoas específicas; É a correta observância da finalidade do ato administrativo, que será o atendimento do interesse coletivo, sempre visando o bem social.

7 M ORALIDADE É o conjunto de regras que devem ser seguidas pelo administrador público, tendo em vista critérios éticos, estreitamente ligados à ideia do bem e da honestidade na administração dos bens públicos; A moralidade da Administração Pública não se limita à distinção entre o bem e o mal, devendo ser acrescida da ideia de que o fim é sempre o bem comum; O equilíbrio entre a legalidade e a finalidade, é que poderá consolidar a moralidade do ato administrativo.

8 P UBLICIDADE Gerenciamento público deve ser às claras, transparente; Tal publicidade permitirá à população controlar e fiscalizar a administração; É imprescindível para que se exerça o controle social; Publicidade não pode ser confundida com propaganda pessoal.

9 E FICIÊNCIA Trata-se do dever da boa gestão administrativa; O dever de aplicar a melhor solução legal e ética, que será mais efetiva à realização da finalidade administrativa, sem burocracias desnecessárias; É a utilização dos meios adequados para a obtenção de resultados de interesse público; A prestação do serviço público deve sempre ter como objetivo e parâmetro, a seguinte equação: o maior resultado possível, mediante o menor dispêndio econômico.

10 PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA IMPLÍCITOS (não expressos no Art. 37, da CF) INTERESSE PÚBLICO IGUALDADE RAZOABILIDADE PROPORCIONALIDADE FINALIDADE

11 PRINCÍPIOPALAVRAS-CHAVE LEGALIDADE A Administração Pública somente pode agir autorizada por lei. A Administração Pública deve agir conforme o ordenamento jurídico, ou seja, respeitando todo o Direito vigente. Confunde-se com o princípio da LEGITIMIDADE. IMPESSOALIDADE Respeito aos princípios da IGUALDADE e ISONOMIA nas ações da Administração Pública. Corresponde ao princípio da FINALIDADE, ou seja, a Administração Pública busca o INTERESSE PÚBLICO. Veda que o agente público busque fins de interesse pessoal (agir em proveito pessoal). MORALIDADE Exige a CONDUTA ÉTICA da Administração Pública (boa-fé, honestidade, probidade, etc). PUBLICIDADE Confere TRANSPARÊNCIA às ações da Administração Pública, permitindo o CONTROLE. Confere VALIDADE a certos (determinados) atos da Administração Pública. Publicação oficial dos atos. Admite o SIGILO quando este preservar o interesse público. Ex: investigações policiais, assuntos de segurança nacional, questões de um concurso público, propostas de preço na licitação, etc.) EFICIÊNCIA Princípio acrescentado ao texto constitucional pela EC n. 19/98. Marca a mudança de uma Administração Pública burocrática para uma Administração Pública gerencial. Busca de RESULTADOS satisfatórios na prestação dos serviços públicos e equilíbrio entre CUSTO/BENEFÍCIO.

12 I - os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da lei; II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração; III - o prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período; IV - durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação, aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego, na carreira; DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

13 V - as funções de confiança, exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento; VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical; VII - o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica; VIII - a lei reservará percentual dos cargos e empregos públicos para as pessoas portadoras de deficiência e definirá os critérios de sua admissão; IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público; DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

14 X - a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices; XI -TETO SALARIAL FEDERAL – a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos não poderão exceder o subsídio mensal dos Ministros do STF; TETO SALARIAL NOS MUNICÍPIOS - o subsídio do Prefeito; TETO SALARIAL NOS ESTADOS E DF EXECUTIVO - o subsídio mensal do Governador; LEGISLATIVO – o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais JUDICIÁRIO - o subsídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça, limitado a 90,25% do subsídio mensal dos Ministros do STF, MINISTÉRIO PÚBLICO, PROCURADORES E DEFENSORIA PÚBLICA - mesmos limites do Judiciário; DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

15 XII - os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário não poderão ser superiores aos pagos pelo Poder Executivo; XIII - é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público; XIV - os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público não serão computados nem acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores; DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

16 XV - o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis, ressalvado o disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; XVI - é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários, observado em qualquer caso o disposto no inciso XI. a) a de dois cargos de professor; b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico; c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas; DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

17 XVII - a proibição de acumular estende-se a empregos e funções e abrange autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista, suas subsidiárias, e sociedades controladas, direta ou indiretamente, pelo poder público; XVIII - a administração fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos, na forma da lei; XIX – somente por lei específica poderá ser criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação, cabendo à lei complementar, neste último caso, definir as áreas de sua atuação; XX - depende de autorização legislativa, em cada caso, a criação de subsidiárias das entidades mencionadas no inciso anterior, assim como a participação de qualquer delas em empresa privada; DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

18 XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações. XXII - as administrações tributárias da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, atividades essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por servidores de carreiras específicas, terão recursos prioritários para a realização de suas atividades e atuarão de forma integrada, inclusive com o compartilhamento de cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou convênio. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

19 § 1º - A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos. § 2º - A não observância do disposto nos incisos II e III implicará a nulidade do ato e a punição da autoridade responsável, nos termos da lei. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

20 § 3º A lei disciplinará as formas de participação do usuário na administração pública direta e indireta, regulando especialmente: I - as reclamações relativas à prestação dos serviços públicos em geral, asseguradas a manutenção de serviços de atendimento ao usuário e a avaliação periódica, externa e interna, da qualidade dos serviços; II - o acesso dos usuários a registros administrativos e a informações sobre atos de governo, observado o disposto no art. 5º, X e XXXIII; III - a disciplina da representação contra o exercício negligente ou abusivo de cargo, emprego ou função na administração pública. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

21 § 4º - Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível. § 5º - A lei estabelecerá os prazos de prescrição para ilícitos praticados por qualquer agente, servidor ou não, que causem prejuízos ao erário, ressalvadas as respectivas ações de ressarcimento. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

22 § 6º - As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa. § 7º A lei disporá sobre os requisitos e as restrições ao ocupante de cargo ou emprego da administração direta e indireta que possibilite o acesso a informações privilegiadas. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

23 § 8º A autonomia gerencial, orçamentária e financeira dos órgãos e entidades da administração direta e indireta poderá ser ampliada mediante contrato, a ser firmado entre seus administradores e o poder público, que tenha por objeto a fixação de metas de desempenho para o órgão ou entidade, cabendo à lei dispor sobre: I - o prazo de duração do contrato; II - os controles e critérios de avaliação de desempenho, direitos, obrigações e responsabilidade dos dirigentes; III - a remuneração do pessoal. § 9º O disposto no inciso XI aplica-se às empresas públicas e às sociedades de economia mista, e suas subsidiárias, que receberem recursos da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios para pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

24 § 10. É vedada a percepção simultânea de proventos de aposentadoria decorrentes do art. 40 ou dos arts. 42 e 142 com a remuneração de cargo, emprego ou função pública, ressalvados os cargos acumuláveis na forma desta Constituição, os cargos eletivos e os cargos em comissão declarados em lei de livre nomeação e exoneração. § 11. Não serão computadas, para efeito dos limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput deste artigo, as parcelas de caráter indenizatório previstas em lei. § 12. Para os fins do disposto no inciso XI do caput deste artigo, fica facultado aos Estados e ao Distrito Federal fixar, em seu âmbito, mediante emenda às respectivas Constituições e Lei Orgânica, como limite único, o subsídio mensal dos Desembargadores do respectivo Tribunal de Justiça, limitado a 90,25 por cento do subsídio mensal dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, não se aplicando o disposto neste parágrafo aos subsídios dos Deputados Estaduais e Distritais e dos Vereadores. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 37

25 Art. 38. Ao servidor público da administração direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato eletivo, aplicam-se as seguintes disposições: I - tratando-se de mandato eletivo federal, estadual ou distrital, ficará afastado de seu cargo, emprego ou função; II - investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração; III - investido no mandato de Vereador, havendo compatibilidade de horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo, e, não havendo compatibilidade, será aplicada a norma do inciso anterior; IV - em qualquer caso que exija o afastamento para o exercício de mandato eletivo, seu tempo de serviço será contado para todos os efeitos legais, exceto para promoção por merecimento; V - para efeito de benefício previdenciário, no caso de afastamento, os valores serão determinados como se no exercício estivesse. DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 38

26 Art. 42 Os membros das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares, instituições organizadas com base na hierarquia e disciplina, são militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios. § 1º Aplicam-se aos militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios, além do que vier a ser fixado em lei, as disposições do art. 14, § 8º; do art. 40, § 9º; e do art. 142, §§ 2º e 3º, cabendo a lei estadual específica dispor sobre as matérias do art. 142, § 3º, inciso X, sendo as patentes dos oficiais conferidas pelos respectivos governadores. § 2º Aos pensionistas dos militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios aplica-se o que for fixado em lei específica do respectivo ente estatal. DOS MILITARES DOS ESTADOS, DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS

27 Art. 43. Para efeitos administrativos, a União poderá articular sua ação em um mesmo complexo geoeconômico e social, visando a seu desenvolvimento e à redução das desigualdades regionais. § 1º - Lei complementar disporá sobre: I - as condições para integração de regiões em desenvolvimento; II - a composição dos organismos regionais que executarão, na forma da lei, os planos regionais, integrantes dos planos nacionais de desenvolvimento econômico e social, aprovados juntamente com estes. § 2º - Os incentivos regionais compreenderão, além de outros, na forma da lei: I - igualdade de tarifas, fretes, seguros e outros itens de custos e preços de responsabilidade do Poder Público; II - juros favorecidos para financiamento de atividades prioritárias; III - isenções, reduções ou diferimento temporário de tributos federais devidos por pessoas físicas ou jurídicas; IV - prioridade para o aproveitamento econômico e social dos rios e das massas de água represadas ou represáveis nas regiões de baixa renda, sujeitas a secas periódicas. § 3º - Nas áreas a que se refere o § 2º, IV, a União incentivará a recuperação de terras áridas e cooperará com os pequenos e médios proprietários rurais para o estabelecimento, em suas glebas, de fontes de água e de pequena irrigação. DAS REGIÕES

28 CONGRESSO NACIONAL (ART. 44 a 47, CF) O Congresso Nacional é o lugar onde são feitas as leis que tratam dos direitos e das obrigações dos brasileiros. CONGRESSO NACIONALCÂMARA DOS DEPUTADOSSENADO FEDERAL RepresentaçãoRepresenta o povoRepresenta o Estado Sistema eleitoralProporcionalMajoritário Quantidade (513 Deputados) Proporcional à população(8-70) 1 suplente por vaga (81 Senadores) 3 Senadores por Estado 2 suplentes por vaga Duração do mandato4 anos (uma legislatura)8 anos (duas legislaturas) Votações Maioria simples ou absoluta, de acordo com a matéria

29 CONGRESSO NACIONAL (ART. 44 a 47, CF) LEGISLATURA é um período de 4 anos, correspondente ao tempo de duração do mandato de um deputado. UM DEPUTADO é eleito para uma legislatura, ou seja, o mandato do deputado dura 4 anos. UM SENADOR é eleito para duas legislaturas, isto é, o mandato do senador dura 8 anos. A Câmara dos Deputados se renova a cada 4 anos, integralmente. O Senado se renova a cada 4 anos, só que não integralmente, mas alternadamente em 2/3 e 1/3 de sua composição.

30 ATRIBUIÇÕES DO CONGRESSO NACIONAL (ART. 48, CF) Art. 48. Cabe ao Congresso Nacional, COM A SANÇÃO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, não exigida esta para o especificado nos arts. 49, 51 e 52, dispor sobre todas as matérias de competência da União, especialmente sobre: I - sistema tributário, arrecadação e distribuição de rendas; II - plano plurianual, diretrizes orçamentárias, orçamento anual, operações de crédito, dívida pública e emissões de curso forçado; III - fixação e modificação do efetivo das Forças Armadas; IV - planos e programas nacionais, regionais e setoriais de desenvolvimento; V - limites do território nacional, espaço aéreo e marítimo e bens do domínio da União; VI - incorporação, subdivisão ou desmembramento de áreas de Territórios ou Estados, ouvidas as respectivas Assembleias Legislativas; VII - transferência temporária da sede do Governo Federal; VIII - concessão de anistia;

31 ATRIBUIÇÕES DO CONGRESSO NACIONAL (ART. 48, CF) IX - organização administrativa, judiciária, do Ministério Público e da Defensoria Pública da União e dos Territórios e organização judiciária, do Ministério Público e da Defensoria Pública do Distrito Federal; X – criação, transformação e extinção de cargos, empregos e funções públicas, observado o que estabelece o art. 84, VI, b; XI – criação e extinção de Ministérios e órgãos da administração pública; XII - telecomunicações e radiodifusão; XIII - matéria financeira, cambial e monetária, instituições financeiras e suas operações; XIV - moeda, seus limites de emissão, e montante da dívida mobiliária federal. XV - fixação do subsídio dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, observado o que dispõem os arts. 39, § 4º; 150, II; 153, III; e 153, § 2º, I.

32 ATRIBUIÇÕES EXCLUSIVAS DO CONGRESSO NACIONAL (ART. 49, CF) Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Nacional: I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional; II - autorizar o Presidente da República a declarar guerra, a celebrar a paz, a permitir que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente, ressalvados os casos previstos em lei complementar; III - autorizar o Presidente e o Vice-Presidente da República a se ausentarem do País, quando a ausência exceder a quinze dias; IV - aprovar o estado de defesa e a intervenção federal, autorizar o estado de sítio, ou suspender qualquer uma dessas medidas; V - sustar os atos normativos do Poder Executivo que exorbitem do poder regulamentar ou dos limites de delegação legislativa; VI - mudar temporariamente sua sede;

33 ATRIBUIÇÕES EXCLUSIVAS DO CONGRESSO NACIONAL (ART. 49, CF) VII - fixar idêntico subsídio para os Deputados Federais e os Senadores; VIII - fixar os subsídios do Presidente e do Vice-Presidente da República e dos Ministros de Estado; IX - julgar anualmente as contas prestadas pelo Presidente da República e apreciar os relatórios sobre a execução dos planos de governo; X - fiscalizar e controlar, diretamente, ou por qualquer de suas Casas, os atos do Poder Executivo, incluídos os da administração indireta; XI - zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros Poderes;

34 ATRIBUIÇÕES EXCLUSIVAS DO CONGRESSO NACIONAL (ART. 49, CF) XII - apreciar os atos de concessão e renovação de concessão de emissoras de rádio e televisão; XIII - escolher dois terços dos membros do Tribunal de Contas da União; XIV - aprovar iniciativas do Poder Executivo referentes a atividades nucleares; XV - autorizar referendo e convocar plebiscito; XVI - autorizar, em terras indígenas, a exploração e o aproveitamento de recursos hídricos e a pesquisa e lavra de riquezas minerais; XVII - aprovar, previamente, a alienação ou concessão de terras públicas com área superior a dois mil e quinhentos hectares.

35 ATRIBUIÇÕES EXCLUSIVAS DO CONGRESSO NACIONAL (ART. 50, CF) Art. 50. A Câmara dos Deputados e o Senado Federal, ou qualquer de suas Comissões, poderão convocar Ministro de Estado ou quaisquer titulares de órgãos diretamente subordinados à Presidência da República para prestarem, pessoalmente, informações sobre assunto previamente determinado, importando crime de responsabilidade a ausência sem justificação adequada. § 1º - Os Ministros de Estado poderão comparecer ao Senado Federal, à Câmara dos Deputados, ou a qualquer de suas Comissões, por sua iniciativa e mediante entendimentos com a Mesa respectiva, para expor assunto de relevância de seu Ministério. § 2º - As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal poderão encaminhar pedidos escritos de informações a Ministros de Estado ou a qualquer das pessoas referidas no caput deste artigo, importando em crime de responsabilidade a recusa, ou o não - atendimento, no prazo de trinta dias, bem como a prestação de informações falsas.

36 DAS FORÇAS ARMADAS (ART. 142, CF) Art As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem. § 1º - Lei complementar estabelecerá as normas gerais a serem adotadas na organização, no preparo e no emprego das Forças Armadas. § 2º - Não caberá "habeas-corpus" em relação a punições disciplinares militares.

37 DAS FORÇAS ARMADAS (ART. 142, CF) § 3º Os membros das Forças Armadas são denominados militares, aplicando-se-lhes, além das que vierem a ser fixadas em lei, as seguintes disposições: I - as patentes, com prerrogativas, direitos e deveres a elas inerentes, são conferidas pelo Presidente da República e asseguradas em plenitude aos oficiais da ativa, da reserva ou reformados, sendo-lhes privativos os títulos e postos militares e, juntamente com os demais membros, o uso dos uniformes das Forças Armadas;

38 DAS FORÇAS ARMADAS (ART. 142, CF) II - o militar em atividade que tomar posse em cargo ou emprego público civil permanente será transferido para a reserva, nos termos da lei; III - O militar da ativa que, de acordo com a lei, tomar posse em cargo, emprego ou função pública civil temporária, não eletiva, ainda que da administração indireta, ficará agregado ao respectivo quadro e somente poderá, enquanto permanecer nessa situação, ser promovido por antiguidade, contando-se-lhe o tempo de serviço apenas para aquela promoção e transferência para a reserva, sendo depois de dois anos de afastamento, contínuos ou não, transferido para a reserva, nos termos da lei;

39 DAS FORÇAS ARMADAS (ART. 142, CF) IV - ao militar são proibidas a sindicalização e a greve; V - o militar, enquanto em serviço ativo, não pode estar filiado a partidos políticos; VI - o oficial só perderá o posto e a patente se for julgado indigno do oficialato ou com ele incompatível, por decisão de tribunal militar de caráter permanente, em tempo de paz, ou de tribunal especial, em tempo de guerra; VII - o oficial condenado na justiça comum ou militar a pena privativa de liberdade superior a dois anos, por sentença transitada em julgado, será submetido ao julgamento previsto no inciso anterior;

40 DAS FORÇAS ARMADAS (ART. 142, CF) VIII - aplica-se aos militares o disposto no art. 7º, incisos VIII, XII, XVII, XVIII, XIX e XXV e no art. 37, incisos XI, XIII, XIV e XV; IX - (Revogado pela Emenda Constitucional nº 41, de )(Revogado pela Emenda Constitucional nº 41, de ) X - a lei disporá sobre o ingresso nas Forças Armadas, os limites de idade, a estabilidade e outras condições de transferência do militar para a inatividade, os direitos, os deveres, a remuneração, as prerrogativas e outras situações especiais dos militares, consideradas as peculiaridades de suas atividades, inclusive aquelas cumpridas por força de compromissos internacionais e de guerra.

41 DAS FORÇAS ARMADAS (ART. 143, CF) Art O serviço militar é obrigatório nos termos da lei. § 1º - às Forças Armadas compete, na forma da lei, atribuir serviço alternativo aos que, em tempo de paz, após alistados, alegarem imperativo de consciência, entendendo-se como tal o decorrente de crença religiosa e de convicção filosófica ou política, para se eximirem de atividades de caráter essencialmente militar. § 2º - As mulheres e os eclesiásticos ficam isentos do serviço militar obrigatório em tempo de paz, sujeitos, porém, a outros encargos que a lei lhes atribuir.

42 DA SEGURANÇA PÚBLICA (ART. 144, CF) A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos: I - polícia federal; II - polícia rodoviária federal; III - polícia ferroviária federal; IV - polícias civis; V - polícias militares e corpos de bombeiros militares.

43 ATRIBUIÇÕES DA POLÍCIA FEDERAL (ART. 144, §1º,CF) § 1º A polícia federal, instituída por lei como órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se a: I - apurar infrações penais contra a ordem política e social ou em detrimento de bens, serviços e interesses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas, assim como outras infrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou internacional e exija repressão uniforme, segundo se dispuser em lei; II - prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de competência; III - exercer as funções de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras; IV - exercer, com exclusividade, as funções de polícia judiciária da União.

44 ATRIBUIÇÕES DA POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL (ART. 144, §2º,CF) § 2º A polícia rodoviária federal, órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais.

45 ATRIBUIÇÕES DA POLÍCIA FERROVIÁRIA FEDERAL (ART. 144, §3º,CF) § 3º A polícia ferroviária federal, órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das ferrovias federais.

46 ATRIBUIÇÕES DAS POLÍCIAS CIVIS (ART. 144, §4º,CF) § 4º - às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares.

47 ATRIBUIÇÕES DAS POLÍCIAS MILITARES (ART. 144, §5º E §6º,CF) §5º - às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil. §6º - As polícias militares e corpos de bombeiros militares, forças auxiliares e reserva do Exército, subordinam-se, juntamente com as polícias civis, aos Governadores dos Estados e do Distrito Federal.

48 GUARDAS MUNICIPAIS (ART. 144, §8º,CF) Os Municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei. REMUNERAÇÃO DOS POLICIAIS (ART. 144, §9º,CF) Serão remunerados exclusivamente por subsídio, fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória.


Carregar ppt "CURSO PREPARATÓRIO PARA O CONCURSO PARA SOLDADO DA BRIGADA MILITAR 2014 LEGISLAÇÃO APLICADA À FUNÇÃO CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Artigos 1º a 5º. Artigos 37."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google