A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP."— Transcrição da apresentação:

1 kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP

2 kraemer Cronograma Introdução Formato da mensagem e características do RIP Operação do RIP Habilitando o RIP Verificando, identificando e resolvendo problemas Sumarização automática Propagação da rota padrão Resumo e revisão

3 kraemer Introdução

4 kraemer Introdução

5 kraemer Formato da mensagem e características do RIP O RIP é um protocolos de roteamento de vetor de distância. O RIP usa a contagem de saltos como sua única métrica para seleção de caminho. Rotas anunciadas com contagens de saltos maiores que 15 são inalcançáveis. As mensagens são enviadas por broadcast a cada 30 segundos.

6 kraemer Formato da mensagem e características do RIP

7 kraemer Formato da mensagem e características do RIP

8 kraemer Operação do RIP

9 kraemer Habilitando RIP

10 kraemer Verificando, identificando e resolvendo problemas Verificando a convergência do RIP

11 kraemer Verificando, identificando e resolvendo problemas

12 kraemer Verificando, identificando e resolvendo problemas

13 kraemer Verificando, identificando e resolvendo problemas

14 kraemer Observe que uma interface está passiva. Portanto, não faz parte da lista do RIP

15 kraemer Sumarização automática Aqui vai ocorrer a sumarização. Que pode aplicar máscara classfull.

16 kraemer Sumarização automática Atualizações de roteamento menores, o que usa menos largura de banda para atualizações de roteamento. Existe uma única rota para a rede /16, independente de quantas sub-redes existam ou de como ela é dividida em sub-redes. Usar uma única rota resulta em um processo de busca mais rápido na tabela de roteamento. Desvantagem: Não tem suporte a redes descontinuas

17 kraemer Propagação da rota padrão A rota padrão configurada pode ser divulgada como se fosse uma rota RIP.

18 kraemer O RIP (versão 1) é um protocolo de roteamento de vetor de distância classfull. O RIPv1 foi um dos primeiros protocolos de roteamento desenvolvido para roteamento de pacotes IP. O RIP usa a contagem de saltos para sua métrica, com uma métrica de 16 saltos significando que essa rota é inalcançável. Como resultado, o RIP só pode ser usado em redes com até quinze roteadores entre duas redes. As mensagens RIP são encapsuladas em um segmento do protocolo UDP, com portas de origem e de destino de 520. Os roteadores RIP enviam suas tabelas de roteamento completas aos seus vizinhos a cada 30 segundos, exceto as rotas relacionadas a regra de split horizon. Resumo e revisão

19 kraemer O RIP é habilitado usando o comando router rip no prompt de configuração global. O comando network é usado para especificar quais interfaces no roteador serão habilitadas para RIP, junto com o endereço de rede classful de cada rede diretamente conectada. O comando network permite que a interface envie e receba atualizações RIP e também anuncia essa rede em atualizações RIP para outros roteadores. O comando debug ip rip pode ser usado para exibir as atualizações RIP enviadas e recebidas pelo roteador. Para impedir que as atualizações RIP sejam enviadas por uma interface, como em uma rede local na qual não há nenhum outro roteador, é necessário usar o comando passive-interface. Resumo e revisão

20 kraemer As entradas RIP são exibidas na tabela de roteamento com o código fonte de R e têm uma distância administrativa de 120. As rotas padrão são propagadas no RIP configurando uma rota estática padrão e usando o comando default-information originate no RIP. O RIPv1 sumariza sub-redes automaticamente para seus endereços classful ao enviar uma atualização por uma interface que está em uma rede principal diferente da rede principal que contém o endereço de sub-rede da rota. Como o RIPv1 é um protocolo de roteamento classful, a máscara de sub-rede não é incluída na atualização de roteamento. Quando um roteador recebe uma atualização de roteamento RIPv1, o RIP deve determinar a máscara de sub-rede dessa rota. Se a rota pertencer à mesma rede classful principal da atualização, o RIPv1 aplicará a máscara de sub-rede da interface que recebeu a atualização. Se a rota pertencer a uma rede classful principal diferente da rede da interface receptora, o RIPv1 aplicará a máscara classful padrão. Resumo e revisão

21 kraemer O comando show ip protocols pode ser usado para exibir informações para qualquer protocolo de roteamento habilitado no roteador. Sobre o RIP, esse comando exibe informações de temporizador, status da sumarização automática, quais redes estão habilitadas nesse roteador para RIP e outras informações. Como o RIPv1 é um protocolo de roteamento classful, ele não suporta redes descontíguas nem VLSM. Esses dois tópicos são discutidos no Capítulo 7, "RIPv2". Resumo e revisão


Carregar ppt "Kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google