A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes."— Transcrição da apresentação:

1 kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes

2 kraemer Cronograma Introdução Roteadores são computadores Processo de inicialização Interface de um roteador Roteadores e a camada de rede Configuração básica Tabela de roteamento Campo de pacote e de quadro Melhor caminho e métrica Determinação do caminho Resumo e revisão

3 kraemer Introdução

4 kraemer Roteadores são computadores O primeiro roteador, usado em 1969 na ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), foi o Processador de Mensagem da Interface (IMP, Interface Message Processor). O IMP era um minicomputador Honeywell 316. A ARPANET foi desenvolvido pela ARPA, sendo a primeira rede de comutação de pacotes operacional do mundo e a antecessora da Internet atual. Os roteadores têm muitos componentes de hardware e de software iguais encontrados em outros computadores, inclusive: CPU RAM ROM Sistema operacional

5 kraemer Roteadores são computadores

6 kraemer Roteadores são computadores Roteadores determinam o melhor caminho A responsabilidade primária de um roteador é direcionar pacotes com destino para redes locais e remotas: Determinando o melhor caminho para enviar pacotes Encaminhando pacotes para o destino O roteador usa sua tabela de roteamento para determinar o melhor caminho para encaminhar o pacote.

7 kraemer Roteadores são computadores

8 kraemer Roteadores são computadores

9 kraemer Roteadores são computadores Fonte de alimentação Blindagem para WIC e HWIC (Interface WAN de alta velocidade) SDRAM (RAM Dinâmica Síncrona). Mantêm o IOS em funcionamento, a tabela de roteamento, arquivo running- config e buffer de pacotes. NVRAM (Memória RAM Não Volátil). Mantêm o arquivo de configuração startup-config) CPU AIM (Módulo de Integração Avançado). Descarra processamento da CPU, como as criptografias.

10 kraemer Roteadores são computadores WIC ou HWIC Memória Flash. Pode armazenar o IOS, arquivos de configuração e arquivos de log. O local prioritário do IOS é em uma memória Flash embutida internamente. Porta USB FastEthernet

11 kraemer Processo de inicialização

12 kraemer Processo de inicialização

13 kraemer Processo de inicialização

14 kraemer Processo de inicialização

15 kraemer Interfaces de um roteador

16 kraemer Interfaces de um roteador Configuração local Configuração remota

17 kraemer Interfaces de um roteador Cite três exemplos de protocolos de enlace que atuam em interfaces LAN. Cite quatro exemplos de protocolos de enlace que atuam em interfaces WAN.

18 kraemer Roteadores e a camada de rede Qual desses campos é consultado pelo roteador para encaminha pacotes?

19 kraemer Roteadores e a camada de rede

20 kraemer Configuração básica

21 kraemer Configuração básica

22 kraemer Tabela de roteamento Nesta rede o PC2 consegue se comunicar com o PC1? Obs.: digite route print para conhecer a tabela de roteamento de cada PC.

23 kraemer Tabela de roteamento O que deve ser feito para que a rede /24 seja reconhecida pelo R1? configuração de rota estática configuração de protocolo de roteamento (rota dinâmica)

24 kraemer Tabela de roteamento

25 kraemer Tabela de roteamento

26 kraemer Tabela de roteamento O roteamento pode ser: simétrico todos os roteadores tem as mesmas informações sobre a rede assimétrico os roteadores não necessariamente tem as mesmas informações

27 kraemer Campo de Pacote e de Quadro Relacione os campos corretamente.

28 kraemer Campo de Pacote e de Quadro Start-of-Frame

29 kraemer Melhor caminho e métrica

30 kraemer Melhor caminho e métrica Ocorre quando as métricas são iguais. Também existe balanceamento de carga de custos desiguais.

31 kraemer Determinação do caminho Encaminhar pacotes envolve duas funções: Função de determinação do caminho Função de comutação

32 kraemer Determinação do caminho Função de comutação

33 kraemer Determinação do caminho R1 ainda precisa recriar as informações do quadro.

34 kraemer Determinação do caminho O endereço de origem é o da própria interface do roteador.

35 kraemer Este capítulo apresentou o roteador. Roteadores são computadores e incluem muitos dos mesmos componentes de hardware e de software encontrados em um PC típico, como CPU, RAM, ROM e um sistema operacional. A principal finalidade de um roteador é conectar várias redes e encaminhar pacotes de uma rede para a próxima. Isso significa que um roteador normalmente tem várias interfaces. Cada interface é um membro ou host em uma rede IP diferente. O roteador tem uma tabela de roteamento, que é uma lista de redes conhecida pelo roteador. A tabela de roteamento inclui endereços de rede de suas próprias interfaces, que são as redes conectadas diretamente, bem como endereços de rede para redes remotas. Uma rede remota é uma rede que só pode ser alcançada encaminhando-se o pacote para outro roteador. Resumo e revisão

36 kraemer As redes remotas são adicionadas à tabela de roteamento de duas formas: pelo administrador de rede que configura rotas estáticas manualmente ou implementando um protocolo de roteamento dinâmico. Rotas estáticas não têm tanta sobrecarga quanto protocolos de roteamento dinâmico. No entanto, as rotas estáticas poderão exigir mais manutenção se a topologia mudar constantemente ou for instável. Os protocolos de roteamento dinâmico se ajustam automaticamente a alterações sem qualquer intervenção do administrador de rede. Os protocolos de roteamento dinâmico exigem mais processamento de CPU e também usam uma determinada capacidade do enlace para rotear atualizações e mensagens. Em muitos casos, uma tabela de roteamento conterá rotas estáticas e dinâmicas. Resumo e revisão

37 kraemer Os roteadores tomam sua decisão primária de encaminhamento na Camada 3, a camada de rede. No entanto, as interfaces de roteador participam das camadas 1, 2 e 3. Os pacotes IP de Camada 3 são encapsulados em um quadro de enlace de dados de Camada 2 e codificados em bits na Camada 1. As interfaces de roteador participam de processos de Camada 2 associados ao seu encapsulamento. Por exemplo, uma interface Ethernet de um roteador participa do processo ARP, assim como os demais hosts na rede local. Resumo e revisão


Carregar ppt "Kraemer CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google