A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TERMOLOGIA IVAN SANTOS. CONCEITOS FUNDAMENTAIS Temperatura: Medida da agitação molecular. Calor: Energia térmica em trânsito. Equilíbrio térmico: temperaturas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TERMOLOGIA IVAN SANTOS. CONCEITOS FUNDAMENTAIS Temperatura: Medida da agitação molecular. Calor: Energia térmica em trânsito. Equilíbrio térmico: temperaturas."— Transcrição da apresentação:

1 TERMOLOGIA IVAN SANTOS

2 CONCEITOS FUNDAMENTAIS Temperatura: Medida da agitação molecular. Calor: Energia térmica em trânsito. Equilíbrio térmico: temperaturas iguais. Obs: O calor sempre flui espontaneamente do corpo de maior temperatura para o de menor temperatura.

3 Relação de Conversão de Variações Equações de Conversão RELAÇÃO ENTRE AS ESCALAS TERMOMÉTRICAS Pressão de 1 Atm CELSIUS ( ºC ) FAHRENHEIT ( ºF ) KELVIN ( K )

4 Dilatação Térmica Salvo algumas exceções, todos os corpos, quer sejam sólidos, líquidos ou gasosos, dilatam-se quando a sua temperatura aumenta. Os átomos que constituem um sólido se distribuem ordenadamente, dando origem a uma estrutura que é denominada rede cristalina do sólido. A ligação entre esses átomos se faz por meio de forças elétricas, que atuam como se existissem pequenas molas unindo um átomo a outro. Esses átomos estão em constante vibração em torno de uma posição média de equilíbrio. Quando a temperatura aumenta, há um aumento da agitação, fazendo com que eles, ao vibrar, afastem-se das suas posições de equilíbrio. Em conseqüência disso, a distância média entre os átomos torna-se maior, ocasionando a dilatação do sólido.

5 Dilatação Térmica: Variação da dimensão de um corpo quando sua temperatura varia. - Dilatação Linear - Dilatação Superficial - Dilatação Volumétrica Entre elas temos:

6 Dilatação Linear Estuda a dilatação em apenas uma dimensão (comprimento).

7 Problema exemplo: A dilatação térmica dos sólidos é um fenômeno importante em diversas aplicações de engenharia, como construções de pontes, prédios e estradas de ferro. Considere o caso dos trilhos de trem serem de aço, cujo coeficiente de dilatação é α = °C-1. Se a 10°C o comprimento de um trilho é de 30m, de quanto aumentaria o seu comprimento se a temperatura aumentasse para 40°C? RESOLUÇÃO: O cálculo da dilatação linear ΔL, do trilho é: ΔL = L 0. α. Δθ ΔL = 30. ( ). (40 – 10) = m ou 0,0099m

8 Os componentes de uma lâmina bimetálica são o aço e o zinco. Os coeficientes de dilatação linear desses metais são, respectivamente, 1, °C -1 e 2, °C -1. Em uma determinada temperatura, a lâmina apresenta-se retilínea. Quando aquecida ou resfriada, ela apresenta uma curvatura. Explique por quê. RESOLUÇÃO Como α zinco > α aço, para um mesmo aumento de temperatura o zinco sofre uma dilatação maior, fazendo com que na lâmina ocorra uma dilatação desigual, produzindo o encurvamento. Como a dilatação do zinco é maior, ele ficará na parte externa da curvatura. No resfriamento, os metais se contraem. O zinco, por ter α maior, sofre maior contração. Assim, a parte de aço ocupa a parte externa da curvatura. Problema exemplo:

9 Dilatação Superficial Estuda a dilatação em duas dimensões (comprimento e largura).

10 O que acontece com o diâmetro do orifício de uma coroa de alumínio quando esta é aquecida? RESOLUÇÃO A experiência mostra que o diâmetro desse orifício aumenta. Para entender melhor o fenômeno, imagine a situação equivalente de uma placa circular, de tamanho igual ao do orifício da coroa antes de ser aquecida. Aumentando a temperatura, o diâmetro da placa aumenta.

11 Uma chapa possui área de 4m 2 a 0 o C. Aquecendo- se a chapa a 50 o C, de quanto aumenta a área da chapa e qual deverá ser sua área final. Dado = o C -1 ΔA = A 0. β. Δθ Obs.: β = 2.α ΔA = 4. (2 x ). (50 – 0) = 0,004m 2 A = 4 + 0,004 = 4,004m 2

12 Dilatação Volumétrica Estuda a dilatação em três dimensões (comprimento, largura e espessura).

13 O volume de uma esfera metálica, a certa temperatura. é 100cm 3. Que variação de volume sofrerá sob o acréscimo de 40 o C de temperatura. Suponha ser constante e igual a o C -1 o coeficiente de dilatação linear do material de que é feita a esfera. ΔV = V 0. γ. Δθ Obs.: γ = 3.α ΔV = 100. (3 x ). 40 = 0,12cm 3 Problema exemplo:

14 Dilatação Volumétrica dos líquidos. Os líquidos sempre estão contidos em recipientes sólidos. Portanto quando são aquecidos ambos se dilatam.

15 O caso da água A água é o líquido mais comum, no entanto, seu comportamento em termos de dilatação térmica é uma verdadeira exceção. Gráfico I O gráfico I mostra esse comportamento: de 0°C até 4°C o volume da água diminui com o aquecimento. Somente a partir de 4°C é que, com o aquecimento, a água aumenta de volume (como acontece aos demais líquidos).

16 Comentário sobre o caso da água Gráfico II O gráfico II descreve a variação da densidade d da água com a temperatura. Como a densidade de um corpo é a sua massa (m) dividida pelo seu volume (V), ou seja,, tem- se que a densidade da água é inversamente proporcional ao seu volume durante a variação da temperatura, pois a massa permanece constante.

17 Comentário sobre o caso da água Assim, de 0°C a 4°C a densidade da água aumenta com o aquecimento, pois seu volume diminui; a partir de 4°C a densidade da água diminui com o aquecimento, porque seu volume aumenta. A densidade da água é máxima a 4°C e seu valor é 1,0000 g/cm 3. Em todas as outras temperaturas sua densidade é menor.

18

19 Calorimetria A troca de calor entre dois corpos cessa quando for atingido o equilíbrio térmico. Obs: O calor sempre flui espontaneamente do corpo de maior temperatura para o de menor temperatura.

20 Calor Sensível É o calor que provoca variação de temperatura sem haver mudança de estado físico. Calor Latente É o calor que provoca mudança de estado físico sem variar a temperatura.

21 Capacidade Térmica È a razão entre o calor trocado por ele e sua respectiva variação temperatura. Obs: A capacidade térmica depende da massa, da natureza da substância, temperatura e pressão.

22 Calor específico É a quantidade de calor necessária para variar 1ºC a temperatura de 1g de substância. Obs: - O calor específico depende da natureza da substância. - O calor específico muda com a variação da temperatura. - Toda substância tem em cada estado físico, um valor diferente para o calor específico.

23 Trocas de calor Q cedido + Q recebido = 0 Q cedido = - Q recebido - Dois corpos: - Mais de dois corpos: Q 1 +Q 2 +Q Q n = 0

24 Mudança de estado físico

25 Exercício: 1 Têm-se 20 g de gelo a -10 o C. Qual a quantidade de calor que se deve fornecer ao gelo para que ele se transforme em água a 20 o C? Dados: c gelo = 0,5 cal /g. o C; c água = 1 cal /g. o C; é L F = 80 cal / g. 2 O gráfico representa o calor Q transferido para uma substância em função de sua temperatura T. A massa da substância é de 500 g. Qual o seu calor especifico, suposto constante? 0,4 J/ g o C 0,8 J/ g o C 1,0 J/ g o C 1,2 J/ g o C 1,6 J/ g o C

26 Curvas de estado Substâncias que aumentam de volume na fusão.(maioria das substâncias)

27 Curvas de estado Substâncias que diminuem de volume na fusão.(exceção)

28 Propagação de calor - Condução; - Convecção; - Irradiação. A propagação de calor acontece de três maneiras diferentes:

29 Propagação de calor O calor passa de molécula a molécula; É próprio para os sólidos; Não ocorre no vácuo. - Condução:

30 Propagação de calor Ocorre nos fluídos com o deslocamento de partículas. Não ocorre no vácuo. - Convecção:

31 Propagação de calor Quando o calor é transmitido por ondas eletromagnéticas. Única que ocorre no vácuo. - Irradiação:

32 Variáveis de estado: - Pressão - Volume - Temperatura. Condição: Baixa pressão e alta temperatura. Estudo dos gases ideais.

33 Equação de Clapeyron Equação geral dos gases:

34 Estudo dos gases ideais. Isotérmica: Temperatura constante Transformações

35 Isobárica: Pressão constante. Estudo dos gases ideais.

36 Isométrica: Volume constante Transformações Estudo dos gases ideais.

37 BALANÇO ENERGÉTICO Q (absorvido) > 0 Q ( cedido) < 0 Não troca calor Q= 0 δ (expansão) > 0 δ (compressão) < 0 não realiza nem recebe trabalho δ= 0 ΔU >0, temperatura aumenta ΔU <0, temperatura diminui ΔU =0, transformação isotérmica, Q = δ

38 TERMODINÂMICA 1º LEI DA TERMODINÂMICA: Lei da conservação da energia. Adiabática: Sem troca de calor. Transformação

39 Trabalho sob pressão constante Volume – m 3, pressão – N/m 2 e temperatura em Kelvin, trabalho em Joules

40 2ª LEI DA TERMODINÂMICA O trabalho pode converter-se totalmente em calor, porém o calor não pode converter-se totalmente em trabalho O calor passa espontaneamente dos corpos de maior temperatura para os de menor temperatura

41 MÁQUINA TÉRMICA Energia térmica Energia mecânica FIM DA AULA


Carregar ppt "TERMOLOGIA IVAN SANTOS. CONCEITOS FUNDAMENTAIS Temperatura: Medida da agitação molecular. Calor: Energia térmica em trânsito. Equilíbrio térmico: temperaturas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google