A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Raphael Carvalho Termologia. Tá mesmo cara, eu tô com muito Calor! Cara, tá quentão aqui, né?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Raphael Carvalho Termologia. Tá mesmo cara, eu tô com muito Calor! Cara, tá quentão aqui, né?"— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Raphael Carvalho Termologia

2 Tá mesmo cara, eu tô com muito Calor! Cara, tá quentão aqui, né?

3 OBJETIVOS DA TERMOLOGIA Estudar os fenômenos relativos às manifestações de um tipo de energia que pode produzir aquecimentos, resfriamentos ou mudanças de estado físico nos corpos que a cedem ou recebem.

4 ASPECTOS MACROSCÓPICOS E MICROSCÓPICOS macroscópico O estudo macroscópico se restringe aos aspectos globais do sistema tais como volume,temperatura, pressão e outras propriedades que podemos perceber pelos nossos sentidos. microscópico O estudo microscópico se restringe a grandezas que não podemos perceber pelos nossos sentidos: a energia das moléculas.

5 Energia Térmica agitação térmicaTodos os corpos possuem partículas que estão em constante movimento denominado agitação térmica. energia térmicaA energia térmica é a soma das energias cinéticas das partículas de um corpo.

6 Temperatura Temperatura (T) Temperatura (T) é a medida do grau de agitação das moléculas de um corpo ou substância. Temperatura mais alta Maior agitação térmica Menor agitação térmica Temperatura mais baixa T A > T B AB A festa está pegando fogo, vejo todo mundo agitado!

7 equilíbrio térmico Dizemos que dois ou mais corpos estão em equilíbrio térmico quando eles se encontram com a mesma temperatura. Equilíbrio Térmico Calor energia térmicatrânsito É energia térmica em trânsito de um corpo para outro ou de uma parte para outra desse mesmo corpo, trânsito este provocado por uma diferença de temperaturas. VEJA O calor sempre flui da região (ou corpo) de maior temperatura para a região (ou corpo) de menor temperatura. Eu já estou em equilíbrio térmico com o ambiente! T A > T B AB Calor Calor

8 Fluxo de calor Depois de um certo tempo: Equilíbrio térmico Maior temperatura Menor temperatura Mesma temperatura

9 escala termométrica Uma escala termométrica é um conjunto de valores numéricos em que cada valor está associado a uma certa temperatura. ESCALAS TERMOMÉTRICAS MEDIÇÃO DA TEMPERATURA dilatação térmica Para medir a temperatura, recorre-se ao fenômeno da dilatação térmica, ou seja, à variação de dimensões que os corpos sofrem quando sua temperatura se altera.

10 termômetro termoscópio escala termométrica Um termômetro é basicamente constituído de um termoscópio (ou seja, um indicador da dilatação térmica) e de uma escala termométrica. TERMÔMETROS Termômetroclínico Termômetrodigital Termômetro de máxima e mínima Termômetrobimetálico

11 PONTOS FIXOS FUNDAMENTAIS 1º PONTO FIXO – PONTO DO GELO Temperatura na qual a água congela. Gelo e água estão em equilíbrio térmico, sob pressão normal 2º PONTO FIXO – PONTO DO VAPOR Temperatura na qual a água entra em ebulição, sob pressão normal.

12 Daniel Gabriel Fahrenheit Alguns anos mais tarde, Daniel Gabriel Fahrenheit ( ), físico alemão, criou o primeiro termômetro contendo mercúrio. ESCALA FAHRENHEIT Ponto do Gelo 32º F Ponto do Vapor 212º F Para o ponto 0, Fahrenheit utilizou a temperatura de uma mistura de gelo e cloreto de amônia e, para o ponto 100, a temperatura do corpo humano. Curiosidade

13 ESCALA CELSIUS Ponto do Gelo 0º C Ponto do Vapor 100º C Anders Celsius A escala termométrica mais usada no mundo, inclusive no Brasil, foi criada pelo astrônomo e físico sueco Anders Celsius (1701 – 1744) e oficializada em 1742 por uma publicação da Real Sociedade Sueca. Celsius utilizou o valor 0 para o ponto de ebulição e o valor 100 para o ponto de congelamento da água. Foi um biólogo sueco, chamado Lineu, quem inverteu essa escala, tornando-a tal como a conhecemos hoje. Curiosidade

14 ZERO ABSOLUTO energia cinética É o limite inferior de temperatura de um sistema, na qual qualquer substância não tem absolutamente nenhuma energia cinética para fornecer, isto é, a agitação das partículas é praticamente nula. LORDE KELVIN escala absoluta William Thomson Kelvin A escala absoluta de temperatura foi criada na segunda metade do século XIX pelo físico inglês William Thomson Kelvin, verificando experimentalmente a variação da pressão de um gás a volume constante.

15 ESCALA ABSOLUTA Ponto do Gelo 273 K Ponto do Vapor 373 K Algumas Observações Importantes Não existem valores negativos de temperatura na escala absoluta. Na prática o zero absoluto é inatingível. A partir de 1967, convencionou-se não usar grau para essa escala. Assim 20 K, por exemplo, lê-se 20 Kelvins. Nossa, como é bom aprender!

16 A temperatura hoje é de 83º F Está quente ou frio?

17 CONVERSÕES ENTRE AS ESCALAS Variações de Temperatura simplificando

18

19 Mudança de estado físico

20

21 - Condução; - Convecção; - Irradiação. A propagação de calor acontece de três maneiras diferentes: Propagação de calor

22 O calor passa de molécula a molécula; É próprio para os sólidos; Não ocorre no vácuo. - Condução

23 Ocorre nos fluídos com o deslocamento de partículas. Não ocorre no vácuo. - Convecção:

24 Quando o calor é transmitido por ondas eletromagnéticas. Única que ocorre no vácuo. - Irradiação:

25

26 Conceitos Dilatação térmica Quando aquecemos um corpo, aumentando sua energia térmica, aumentamos o estado de agitação das moléculas que o compõem. Estas moléculas precisam de mais espaço e acabam se afastando uma das outras aumentando o volume do corpo. Este fenômeno é conhecido como dilatação térmica. A dilatação térmica ocorre não só quando aquecemos um corpo, mas também quando o resfriamos.

27

28

29

30

31

32

33

34 DILATAÇÃO LINEAR

35


Carregar ppt "Prof. Raphael Carvalho Termologia. Tá mesmo cara, eu tô com muito Calor! Cara, tá quentão aqui, né?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google