A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BANCO DE DADOS APLICADO AO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE BDS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BANCO DE DADOS APLICADO AO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE BDS."— Transcrição da apresentação:

1 BANCO DE DADOS APLICADO AO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE BDS

2 Sistemas de Banco de Dados2 Modelo É uma representação abstrata e simplificada de um sistema real, com a qual se pode explicar ou testar o seu comportamento, em seu todo ou em partes. [1] No caso de se retratar um ambiente para ser representando em um banco de dados, temos a modelagem dados.

3 Sistemas de Banco de Dados3 Modelo de dados Conjunto de conceitos que são usados para descrever a estrutura de um banco de dados, e que facilitar o entendimento e transmissão das especificações e regras do ambiente modelado, visando a elaboração da estruturas de dados que nos levam ao projeto de banco de dados. Estrutura de um banco de dados. Estrutura de um banco de dados. Significa os tipos de dados, relacionamentos e restrições que são mantidas sobre os dados.

4 Sistemas de Banco de Dados4 Conforme a necessidade, um banco de dados pode ser modelado em diversos nível de abstração. Para explicar a um leigo em informática a organização de um BD, alguns detalhes podem se omitidos. Já para um técnico de BD, quanto mais detalhes melhor. Normalmente considera-se três níveis de abstração de modelo de dados: Modelo conceitual. Modelo Lógico. Modelo Físico. Níveis de Modelagem

5 MODELAGEM CONCEITUAL MODELO ENTIDADE- RELACIONAMENTO

6 Sistemas de Banco de Dados6 Descrição dos componentes, características e relacionamentos conforme a visão do ambiente observado. Registra que dados podem aparece, mas não como são armazenados. Descrição independente da implementação em um SBGD. A técnica mais difundida de modelagem conceitual é a abordagem entidade-relacionamento (ER) – que estudaremos nas próximas aulas. Modelo Conceitual

7 Sistemas de Banco de Dados7 Registra que dados podem aparece, mas não como são armazenados. Cliente Faz Pedido Contem Produto Endereço Código Nome Código Descrição Preço Número Data Valor Modelo Conceitual

8 Sistemas de Banco de Dados8 MODELO ENTIDADE- RELACIONAMENTO (E/R) Foi definido por Peter Chen em 1976; É chamado de meta-modelo; Permite obter resultados e esquemas; puramente conceituais sobre o negócio a ser modelado; Permite retratar uma realidade; compreendendo o negócio através de seus dados.

9 Sistemas de Banco de Dados9 MODELO ENTIDADE- RELACIONAMENTO (E/R) Os objetos são classificados em dois grupos: Entidades Relacionamentos

10 Sistemas de Banco de Dados10 MODELO ENTIDADE- RELACIONAMENTO (E/R) Cliente FazContém Pedido Produto

11 Sistemas de Banco de Dados11 Entidades Representação abstrata dos objetos do mundo real FUNCIONÁRIO PRODUTO NOTA FISCAL

12 Sistemas de Banco de Dados12 Entidade São objetos que existem no negócio; Descrevem o negócio em si; Possui uma identificação distinta ; Possui um significado próprio; É a representação de uma Classe de dados do negócio; Um conjunto de informações de mesmas características.

13 Sistemas de Banco de Dados13 Representação de Entidade Através de um retângulo com o nome desta entidade em seu interior. FUNCIONÁRIO PRODUTO NOTA FISCAL

14 Sistemas de Banco de Dados14 ATRIBUTOS É toda propriedade de uma Entidade ou Relacionamento Entidade: Funcionário

15 Sistemas de Banco de Dados15 CHAVE PRIMÁRIA É o atributo ( ou conjunto de atributos concatenados) que identifica uma única ocorrência dentro de uma tabela; É composta por atributo(s) cujos valores nunca se repetem; Não pode ter valor nulo; Valores de chave primária da tabela anterior:

16 Sistemas de Banco de Dados16 Identificando Entidades Em que instante modelamos entidades ? Como devemos nos orientar para determinar as entidades ? Como ter certeza de que algo é uma entidade ?

17 Sistemas de Banco de Dados17 Identificando Entidades Identificar o objetivo maior do negócio que será um objeto de importância crucial; Identificar os objetos candidatos a entidade; Verificar se este objeto possui várias ocorrências; Verificar se é possível representá-lo sob a forma de uma tabela com linhas e colunas;

18 Sistemas de Banco de Dados18 Identificando Entidades Não devemos considerar como entidade um objeto, se não conseguirmos ter a visão de seu conteúdo em instâncias com valores de atributos; Uma entidade pode ser um objeto concreto, como também um fato, um evento que desejamos registrar, e que possui características próprias.

19 Sistemas de Banco de Dados19 Identificando Entidades FUNCIONÁRIO PRODUTO PEDIDO

20 Sistemas de Banco de Dados20 Sistemas de Banco de Dados20 RELACIONAMENTOS É o fato que liga dois objetos no mundo real. VERBO = A EXPRESSÃO DE UM FATO EDSONJÚLIA CASADO COM

21 Sistemas de Banco de Dados21 Sistemas de Banco de Dados21 RELACIONAMENTOS Exemplos: As Pessoas Moram em Apartamentos; Os Apartamentos Formam Condomínios; Os Condomínios Localizam-se em Ruas ou Avenidas; As Avenidas e Ruas Estão em uma Cidade.

22 Sistemas de Banco de Dados22 Sistemas de Banco de Dados22 Representação de Relacionamentos Através de um losango com o verbo no interior e arestas que ligam as entidades relacionadas.

23 Sistemas de Banco de Dados23 Sistemas de Banco de Dados23 RELACIONAMENTOS PESSOAS MORAM APTOS FORMAM CONDOMÍNIOS LOCALIZAM-SE RUAS ESTÃO CIDADE

24 Sistemas de Banco de Dados24 Sistemas de Banco de Dados24 CONDICIONALIDADE

25 Sistemas de Banco de Dados25 Sistemas de Banco de Dados25 RELACIONAMENTOS CONDICIONAIS São aqueles relacionamentos em que nem todos os elementos de uma entidade A estão ligados com elementos da entidade B. Dizemos que este tipo de relacionamento possui OPCIONALIDADE.

26 Sistemas de Banco de Dados26 Sistemas de Banco de Dados26 Relacionamentos Incondicionais Todos os elementos de uma entidade estão obrigatoriamente relacionados com uma elemento, no mínimo, da outra entidade. MÃE MÃE 1 MÃE 2 MÃE 3 FILHO FILHO 1 FILHO2 FILHO 3 FILHO 4 FILHO 5 FILHO 6

27 Sistemas de Banco de Dados27 Sistemas de Banco de Dados27 Grau do Relacionamento É o número de ocorrências de uma entidade que está associado com ocorrências de outra entidade; Também chamado de Cardinalidade; Há três graus de relacionamento: Relacionamento de Um-para-Um; Relacionamento de Um-para-Muitos; Relacionamento de Muitos-para-Muitos;

28 Sistemas de Banco de Dados28 Sistemas de Banco de Dados28 Relacionamento de Um-para- Um Cada elemento de uma entidade relaciona-se com um e somente um elemento de outra entidade.

29 Sistemas de Banco de Dados29 Sistemas de Banco de Dados29 Relacionamentos de Muitos-para-Muitos Em ambos os sentidos de leitura encontramos um grau Um-para-Muitos caracterizando o contexto geral ser de Muitos-para-Muitos. E1 E2 E3 E4 CURSA ESTUDANTE E5 DISCIPLINA D1 D2 D3 D4 N N

30 Sistemas de Banco de Dados30 Sistemas de Banco de Dados30 Chave Estrangeira É um atributo pertencente a uma entidade que em outra entidade é a chave primária (identificador único). DEPARTAMENTO LOTA FUNCIONÁRIO 1N

31 Sistemas de Banco de Dados31 Sistemas de Banco de Dados31 Chave Estrangeira

32 Sistemas de Banco de Dados32 Generalização e Especialização Quando definimos uma entidade estamos com a visão de uma classe genérica de dados, que pode estar incorporando, implicitamente, diversas outras classes de dados; Existe um encapsulamento de informações sob a forma desta classe genérica;

33 Sistemas de Banco de Dados33 Generalização Regra geral: quando encontramos entidades que possuem o mesmo conjunto de atributos para descrevê-las, podemos generalizá-las em uma única entidade e inserindo um atributo qualificador para as ocorrências de cada uma;

34 Sistemas de Banco de Dados34 Especialização Conceito: qualificação por atributos que nos permite identificar um grupo, uma classe dentro da classe genérica.

35 Sistemas de Banco de Dados35 Modelagem Conceitual e Projeto de Banco de Dados Paulo Cougo Ed. Campus – 3ª edição


Carregar ppt "BANCO DE DADOS APLICADO AO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE BDS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google