A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COMO EXPORTAR PARA A UNIÃO EUROPÉIA ? ENCOMEX – VITÓRIA/2009 Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COMO EXPORTAR PARA A UNIÃO EUROPÉIA ? ENCOMEX – VITÓRIA/2009 Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR."— Transcrição da apresentação:

1 COMO EXPORTAR PARA A UNIÃO EUROPÉIA ? ENCOMEX – VITÓRIA/2009 Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR

2 Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR Para facilitar a inserção internacional das PMEs brasileiras no mercado europeu, o MDIC e a ABDI (Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial) assinaram um Acordo de Cooperação Brasil / União Européia SECEX

3 Quais as atividades previstas no Acordo MDIC/ABDI para acessar o Mercado Europeu? 1 ) Elaborar um CD-ROM: Aprendendo a Exportar para a UE; 2) Ministrar 27 treinamentos para Agentes de Comércio Exterior; 3) Ministrar 40 treinamentos para EPP; 4) Oferecer 20 palestras temáticas em oficinas e painéis; 5) Proferir 15 seminários em diversos estados brasileiros sobre o acesso ao mercado da União Européia. Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR

4 FONTE: SECEX

5

6

7 Conhecendo o mercado da União Européia Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR Um mercado de 450 milhões de consumidores; 27 Países Membros e uma área EURO de 16 países; PIB de quase 15 Trilhões (30% do total mundial) inclui 5 das economias mais fortes; 15% do total das exportações mundiais; tem 51 das 100 mais importantes multinacionais;

8 Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR Qual a importância da União Européia para as Pequenas e Médias Empresas?

9 A União Européia foi destino de US$ 768,1 milhões das exportações das PMEs, representando 25,6% do total exportado. Fonte: site do MDIC – Exportações brasileiras por porte de empresas Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR

10 EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE EMPRESAS EXPORTADORAS POR PORTE

11 EVOLUÇÃO DO VALOR DE EXPORTAÇÃO POR PORTE DE EMPRESA

12 Exportações das PEQUENAS EMPRESAS para Países da União Européia PAÍS DESTINO 2007 (Jan-Dez) Nº de Empresas FOB (US$) Valor Part %Valor Part % ESPANHA68630, ,01 ITALIA60226, ,99 ALEMANHA58626, ,21 FRANÇA53423, ,83 PORTUGUAL51622, ,83 REINO UNIDO49622, ,22 PAÍSES BAIXOS (HOLANDA) 44019, ,71 BELGICA32314, ,89 GRÉCIA1175, ,54 SUÉCIA1004, ,71 DINAMARCA934, ,39 POLÔNIA863, ,53 Obs: A mesma empresa pode exportar para vários paises da UE.

13 Exportações das MÉDIAS EMPRESAS para Países da União Européia PAÍS DESTINO 2007 (Jan-Dez) Nº de Empresas FOB (US$) Qtd. Part %Valor Part % ESPANHA80232, ,38 ALEMANHA77831, ,73 ITALIA74029, ,32 REINO UNIDO64926, ,24 FRANÇA61624, ,35 PORTUGAL59423, ,90 PAÍSES BAIXOS (HOLANDA) 57923, ,08 BELGICA38215, ,97 GRECIA1757, ,18 POLÔNIA1666, ,71 DINAMARCA1556, ,94 SUECIA1455, ,28 Obs: A mesma empresa pode exportar para vários paises da UE.

14 Exportações das MICROEMPRESAS para Países da União Européia PAÍS DESTINO 2007 (Jan-Dez) Nº de Empresas FOB (US$) Qtd. Part %Valor Part % ESPANHA53423, ,56 PORTUGUAL50522, ,55 ITÁLIA50122, ,14 ALEMANHA41218, ,70 FRANÇA40718, ,58 REINO UNIDO34315, ,90 PAISES BAIXOS (HOLANDA)24010, ,46 BELGICA1436, ,68 GRECIA793, ,10 SUÉCIA532, ,43 DINAMARCA421, ,83 POLÔNIA371, ,47 Obs: A mesma empresa pode exportar para vários paises da UE.

15 DICAS PARA CONQUISTAR O MERCADO EUROPEU )Europeus são muito exigentes quanto à qualidade e estão dispostos a pagar mais por isso; 2) Europeus são muito pontuais e formais; 3) Os europeus cumprem fielmente os acordos contratuais; 4) O importador precisa conhecer o produto: feiras, visitas pessoais, amostras, internet... 5) O exportador tem que conhecer a legislação da União Européia: (REACH) Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR

16 O que é o SISTEMA REACH? O Sistema REACH – sigla em inglês de Registration, Evaluation and Authorization of Chemicals – é uma nova legislação sobre substâncias químicas da União Européia, aprovada pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho da União Européia. Trata-se de regulamento relativo ao registro, à avaliação e à autorização de produtos químicos, que entrou em vigor em 1º de junho de 2007.

17 O que é o SISTEMA REACH? O Sistema REACH obriga as empresas que fabricam e importam substâncias químicas a avaliar os riscos para a saúde humana e meio ambiente decorrentes da utilização das mesmas, bem como a tomar as medidas necessárias para a gestão de todos os riscos que identificarem. O ônus da prova de segurança das substâncias químicas comercializadas é de responsabilidade da indústria. Foi criada a Agência Européia de Substâncias Químicas – ECHA, em Helsinki, Finlândia, que será responsável pelo novo sistema de registro, sendo de sua responsabilidade o pleno funcionamento do banco de dados e de todo sistema de tecnologia da informação.

18 FATORES RELEVANTES PARA A COMPETITIVIDADE DAS PMEs NA UNIÃO EUROPÉIA Produto / Serviço pós-venda = 63% Qualidade = 62% Preço = 47% Localização = 23% Fonte: euroestat – pesquisa de empresas

19 Aprendendo a Exportar para a União Européia Em parceria com a Comissão Européia:

20 Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR O que as empresas brasileiras exportam para a União Européia? PMEs PMES Madeiras, frutas, café, pedras ornamentais, móveis,pescados, pedras preciosas, máquinas e equipamentos... MÉDIAS Soja, cereais, plásticos, químicos orgânicos, produtos hortícolas..... GRANDES Soja, minérios, combustíveis, carnes, siderúrgicos, café, celulose, veículos automotivos e partes.

21 Mercados com maior potencial de crescimento na Europa Produtos naturais, Orgânicos e Biológicos Alemanha, França, Itália, Holanda e Países Nórdicos. AGRONEGÓCIO Polônia, Hungria, Rep. Theca, Romênia, Malta, Reino Unido e Países Nórdicos Químicos e Farmacêuticos Itália, Reino Unido, Alemanha e Espanha MÓVEIS E OUTROS EQUIPAMENTOS PARA CASA Polônia, Países Nórdicos, Rep. Tcheca, Hungria e Holanda MAQUINARIAS E PRODUTOS TECNOLÓGICOS Polônia, Hungria, Eslovênia e Países Bálticos

22 Produtos com potencial de venda para a União Européia

23 VISITAS AOS PAÍSES: Itália Polônia Malta Espanha Estágio de imersão na União Européia

24 AÇÕES DE INTERNACIONALIZAÇÃO NA ITÁLIA Rede Internacional - gabinetes de apoio ao comércio exterior; Capacitação e assessoria técnica; Projetos de desenvolvimento de "Clusters / Distritos Industriais" regionais; Promoção de P&D e marketing territorial; Promoção de feiras internacionais; Serviço especializado em certificação em diferentes setores; Centro Logístico.

25 REUNIÃO NA CÃMARA DE COMERCIO DE VARSÓVIA

26 REUNIÃO NO INSTITUTO DAS PEQUENAS E MÉDIAS INDÚSTRIA DA COMUNIDADE VALENCIANA

27 Visita técnica ao Centro Agroalimentar de Bologna (CAAB)

28 VISITA TÉCNICA AO PORTO DE MALTA E VALENÇA PORTO DE VALENÇA (Antonio Torregrosa – Diretor de Projetos): As atividades mais significativas comercialmente são os terminais roll-on e roll-off, cargas e contêineres (principalmente transbordo); É um dos portos mais importantes do Mediterrâneo e, atualmente, movimenta mais de 4 milhões de contêineres/ano. Sua importância é ainda maior no sistema comercial mundial devido ao fluxo de mercadorias provenientes do leste asiático; As obras que estão sendo executadas elevarão a capacidade do porto, dentro de 5 a 7 anos, para mais de 7 milhões de contêineres/ano. Malta Freeport (Contato: Charmaine Bertalanitz Mgr): Maior porto de transbordo de containeres do Mar Mediterrâneo; Considerado como um hub, dá acesso tanto ao leste quanto ao oeste dos países do Mediterrâneo e ao norte da África; Redução de custos (uma só viagem em navio maior e transferência para navios regionais menores até os portos de destino final).

29 Visita técnica ao Porto de Malta

30 Visita técnica ao Porto de valência

31 FERRAMENTA DE PESQUISA DE MERCADO PARA A UNIÃO EUROPÉIA Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR EXPORT HELP DESK inalidade de fornecer às PME de outros países uma Plataforma Informativa (com base no SH) para facilitar o desenvolvimento das relações comerciais com os Países da União Européia Sitio com a finalidade de fornecer às PME de outros países uma Plataforma Informativa (com base no SH) para facilitar o desenvolvimento das relações comerciais com os Países da União Européia. É gratuito! (http://exporthelp.europa.eu/index_pt.html)

32 Fornece informações sobre os requisitos da UE e Estados membros relativos a importações e impostos internos O SGP da UE concede o acesso com isenção do pagamento de direitos ou uma redução dos direitos aduaneiros Fornece informações relativas à UE Define as condições que as mercadorias devem preencher para se beneficiarem do SGP

33 SISTEMAS DE PRODUÇÃO 1. Agregações Produtivas Menores; 2. Sistemas Produtivos Locais; 1. Agregações Produtivas Menores; 2. Sistemas Produtivos Locais; 3. Distritos Industriais; 3. Distritos Industriais; 4. Cadeia Produtiva; 4. Cadeia Produtiva; 5. Meta Distritos. 5. Meta Distritos.

34 1. AGREGAÇÕES PRODUTIVAS MENORES Pequenas ou microempresas; Pequenas ou microempresas; Níveis de industrialização modestos; Níveis de industrialização modestos; Trabalho intensivo em mão-de-obra; Trabalho intensivo em mão-de-obra; Produtos de baixo valor agregado; Produtos de baixo valor agregado; Restrita à comunidade local; Restrita à comunidade local; Forte presença de empresas informais. Forte presença de empresas informais.

35 2. SISTEMAS PRODUTIVOS LOCAIS áreas caracterizadas por elevada concentração de empresas, mas não necessariamente com produção industrial especializada; áreas caracterizadas por elevada concentração de empresas, mas não necessariamente com produção industrial especializada; modesta presença de atividade informal. modesta presença de atividade informal.

36 3. DISTRITO INDUSTRIAL concentração territorial; concentração territorial; forte especialização produtiva (tecnológica e de mercado); forte especialização produtiva (tecnológica e de mercado); verticalização da produção; verticalização da produção; participação expressiva de mercado; participação expressiva de mercado; caráter sistêmico: cooperação e competência; caráter sistêmico: cooperação e competência; rápida absorção das mudanças (produto e mercado). rápida absorção das mudanças (produto e mercado).

37 4. CADEIA PRODUTIVA localização não necessariamente regional; localização não necessariamente regional; elevada especialização; elevada especialização; presença de uma empresa âncora; presença de uma empresa âncora; desenvolvimento de inovações em rede (coletivo). desenvolvimento de inovações em rede (coletivo).

38 áreas de excelência fortemente vinculadas aos ambientes de pesquisa e inovação áreas de excelência fortemente vinculadas aos ambientes de pesquisa e inovação empresas atuam em cadeia produtiva empresas atuam em cadeia produtiva presença de Centros de Investigação Cientifica e Tecnologica presença de Centros de Investigação Cientifica e Tecnologica 5. METADISTRITOS

39

40 O B R I G A D A ! Márcia Magalhães Valença Analista de Comércio Exterior Tel.:


Carregar ppt "COMO EXPORTAR PARA A UNIÃO EUROPÉIA ? ENCOMEX – VITÓRIA/2009 Projeto Apoio à inserção Internacional das PMEs Brasileiras-PAIIPME Europeaid/120707/C/SER/BR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google