A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e a atuação da ABDI Adriana Diaféria Gerência Geral (GG) São Paulo, 08 de fevereiro de 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e a atuação da ABDI Adriana Diaféria Gerência Geral (GG) São Paulo, 08 de fevereiro de 2006."— Transcrição da apresentação:

1 Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e a atuação da ABDI Adriana Diaféria Gerência Geral (GG) São Paulo, 08 de fevereiro de 2006.

2 Roteiro da apresentação 1.Desenvolvimento Industrial e a PITCE 2.A ABDI e seu papel 3.ABDI: visão estratégica, estrutura e atuação

3 Considerações iniciais A ABDI é uma Agência vinculada ao Governo Federal; Sua criação e atuação estão relacionadas à PITCE; Atua de forma complementar a outros atores públicos e privados; É um agente de coordenação (promove o alinhamento de iniciativas); Implantada em 2005, tem sede em Brasília; Desenvolve projetos com diferentes setores industriais; Inovar com eficiência tem sentido econômico e social para o País!

4 [1] Desenvolvimento industrial e a PITCE

5 O cenário A realidade do País é diferente da observada nas décadas passadas; Competição no plano internacional (lá fora e aqui também...); Empresas brasileiras pressionadas por cima e por baixo; Diferenciação é base para a geração de valor; Diferenciação depende de tecnologia (produtos, processos, gestão etc); Eficiência + inovação; Deslocamento da competição para atividades não-industriais; Retomada do papel do Estado, como parceiro da Soceidade.

6 Inovação puxa o desenvolvimento (1/2) Pesquisa do IPEA ( ); Maior base de dados já reunida; Classificação das empresas por: (i) estratégia & (ii) desempenho; Inovação gera efeitos positivos sobre salários, exportações, produtividade, crescimento das empresas;

7 Inovação puxa o desenvolvimento (2/2) 60% das exportações mundiais (30% das exportações brasileiras) é de produtos de alta e média intensidade tecnológica e 13% em commodities (40% no Brasil); Proporcionalmente ao seu faturamento, as empresas nacionais aplicam 80,8% a mais em P&D que transnacionais no Brasil; Há forte correlação entre inovação e preço premium no mercado mundial;

8 A PITCE A PITCE se baseia num conjunto articulado de medidas que buscam a mudança do patamar competitivo da indústria brasileira Sem o protecionismo dos anos 60/70/80; Sem a fragmentação dos anos 90; Voltada para o futuro; Integrando as ações governamentais; Articulada com a Sociedade Civil; Fazendo escolhas (incorporando riscos); Avaliando o desempenho dos programas.

9 A PITCE se articula em três planos Linhas de ação horizontais Inovação e desenvolvimento tecnológico Inserção externa Modernização industrial Ambiente institucional / capacidade e escala produtiva Opções estratégicas Semicondutores, software, bens de capital, fármacos e medicamentos Atividades portadoras de futuro Biotecnologia, nanotecnologia, biomassa e energias renováveis

10 Ampliar a competitividade via Linhas de ação horizontais Integração com as opções estratégicas microeletrônica, software, bens de capital Integração com atividades portadoras de futuro biotecnologia, nanotecnologia, biomassa Articulação na ABDI e nos Fóruns de Competitividade Valorização dos setores tradicionais

11 O desenvolvimento industrial, tecnológico e de comércio exterior requer: novas formas de coordenar ações entre atores governamentais e privados; uma nova institucionalidade.

12 [2] A ABDI e seu papel

13 INSTITUCIONALIDADE CPE Câmara de Política Econômica Presidente: Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia CD Conselho Deliberativo da ABDI PRESIDENTE DIRETORIA DE INOVAÇÃO DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL GERÊNCIA GERAL CDE Câmara de Desenvolvimento Econômico Presidente: Ministro de Estado da Casa Civil CPE Câmara de Política Econômica Presidente: Ministro de Estado da Fazenda CPE Câmara de Política Econômica GOVERNO CNDI Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial Presidente: Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior GOVERNO E SOCIEDADE CIVIL

14 PROMOVER O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO BRASILEIRO, POR MEIO DO AUMENTO DA COMPETITIVIDADE E DA INOVAÇÃO MISSÃO DA ABDI MISSÃO E VISÃO DA ABDI ACELERAR O PROCESSO DE MUDANÇA DO PATAMAR DE COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA VISÃO DA ABDI

15

16 O OBJETIVO GERAL DA ABDI É ARTICULAR, COORDENAR E PROMOVER A EXECUÇÃO DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR EM INTERAÇÃO COM OS DIVERSOS ÓRGÃOS PÚBLICOS E COM A INICIATIVA PRIVADA OBJETIVO GERAL DA ABDI

17 [3] ABDI: visão estratégica, estrutura e atuação

18 Indústria ameaçada por baixo pela concorrência de produtores que se apóiam em baixos salários e por cima por produtores que têm alto potencial de inovação e criação de produtos e serviços VISÃO ESTRATÉGICA

19 Mudança do patamar da indústria pela inovação e diferenciação de produtos e serviços, com inserção e reconhecimento nos principais mercados do mundo VISÃO ESTRATÉGICA

20 Mudança do patamar da indústria pela inovação e diferenciação de produtos e serviços, com inserção e reconhecimento nos principais mercados do mundo. Indústria ameaçada por baixo pela concorrência de produtores que se apóiam em baixos salários e por cima por produtores que têm alto potencial de inovação e criação de produtos e serviços. AUMENTAR A CAPACIDADE INOVADORA DAS EMPRESAS FORTALECER E EXPANDIR A BASE INDUSTRIAL BRASILEIRA Restrições ao Desenvolvimento Industrial, Tecnológico e de Comércio Exterior Visão de Presente Visão de Futuro AGENDA ESTRATÉGICA DA INDÚSTRIA

21 Desafio 1: FORTALECER AS CADEIAS PRODUTIVAS Desafio 2: FORTALECER APLs E A ESTRUTURA PRODUTIVA REGIONAL Desafio 3: INSERÇÃO INTERNACIONAL ATIVA Desafio 4: APOIAR O DESENVOLVIMENTO E OS PROCESSOS DE INOVAÇÃO NAS OPÇÕES ESTRATÉGICAS E NAS ATIVIDADES PORTADORAS DE FUTURO EDUCAÇÃO FINANCIAMENTO PARA A ATIVIDADE PRODUTIVA INFRA- ESTRUTURA CARGA TRIBUTÁRIA MARCOS REGULATÓRIOS AUMENTAR A CAPACIDADE INOVADORA DAS EMPRESAS FORTALECER E EXPANDIR A BASE INDUSTRIAL BRASILEIRA Restrições ao Desenvolvimento Industrial, Tecnológico e de Comércio Exterior Desafio 5: DESENVOLVER CULTURA E FORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO Desafio 6: DESENVOLVER INSTRUMENTOS DE POLÍTICAS DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO (P,D&I) VISÃO GERAL DA ESTRATÉGIA Indústria ameaçada por baixo pela concorrência de produtores que se apóiam em baixos salários e por cima por produtores que têm alto potencial de inovação e criação de produtos e serviços. Visão de Presente Mudança do patamar da indústria pela inovação e diferenciação de produtos e serviços, com inserção e reconhecimento nos principais mercados do mundo. Visão de Futuro

22 MODELO DE ATUAÇÃO DA ABDI PRESIDENTE DIRETORIA DE INOVAÇÃO DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL AGENDA DA INOVAÇÃO AGENDA DA MODERNIZAÇÃO CAMPO DE IMPLEMENTAÇÃO DA AGENDA ESTRATÉGICA DA ABDI AUMENTAR A CAPACIDADE INOVADORA DAS EMPRESAS FORTALECER E EXPANDIR A BASE INDUSTRIAL BRASILEIRA Restrições ao Desenvolvimento Industrial, Tecnológico e de Comércio Exterior GERÊNCIA GERAL ENFOQUE NAS OPÇÕES ESTRATÉGICAS E ATIVIDADES PORTADORAS DE FUTURO ASSESSORIA DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL AGENDA DAS RESTRIÇÕES

23 Muito obrigada! Adriana Diaféria site da ABDI:


Carregar ppt "Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e a atuação da ABDI Adriana Diaféria Gerência Geral (GG) São Paulo, 08 de fevereiro de 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google