A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Evando Mirra de Paula e Silva Diretor da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Talentos para a Inovação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Evando Mirra de Paula e Silva Diretor da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Talentos para a Inovação."— Transcrição da apresentação:

1 Evando Mirra de Paula e Silva Diretor da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Talentos para a Inovação

2 Inovação Introdução de um novo processo ou produto na prática social. novo: radicalmente novo ou modificação substantiva de produto / processo existente E sobre a areia sobre a cal e sobre a pedra escrevo: nesta manhã eu recomeço o mundo. Sophia de Mello Breyner Andresen Uma cultura da Inovação

3 Science, Technology and Industry Outlook – OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico): Investimentos crescentes em conhecimento são a chave do desempenho econômico e de ganhos no campo social, e estão associados à emergência de uma sociedade mais interconectada (networked), onde criação e aplicação do conhecimento tornam- se cada vez mais colaborativos. A inovação responde por ~ 50% do crescimento econômico dos países industrializados. O conhecimento é a nova forma de riqueza das nações

4 Iniciativas Para a Inovação só pelo planejamento e implementação de uma política nacional de inovação as economias são sustentavelmente competitivas. International Council for Science:

5 Iniciativa Nacional de Inovação CNDI Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial Missão: Promover o desenvolvimento industrial e tecnológico brasileiro, por meio do aumento da competitividade e da inovação Objetivo geral: Articular e promover a execução da PITCE em interação com os diversos órgãos públicos e com a iniciativa privada Secretaria Executiva do CNDI

6 ABDI – Eixos de Atuação

7 Política industrial brasileira: PITCE Inovação e desenvolvimento tecnológico Mudança do patamar competitivo da indústria brasileira Modernização industrial, com ênfase setorial

8 PITCE: três planos Linhas de ação horizontais Inovação e desenvolvimento tecnológico Inserção externa Modernização industrial Ambiente institucional/capacidade e escala produtiva Opções estratégicas Semicondutores (aplicação específica), software, bens de capital, fármacos e medicamentos Áreas portadoras de futuro Biotecnologia, nanotecnologia, biomassa e energias renováveis

9 Estudos prospectivos, ações transformadoras e rotas tecnológicas para Plano Estratégico Setorial visando o aumento da competitividade do setor. Programa Estratégico Setorial - PES Aeroespacial Automobilístico Automação Industrial Calçados Cosméticos Equipamentos Médicos e Odontológicos Frutas Processadas Fármacos e Medicamentos Móveis Plásticos Têxtil / Confecção

10 Exemplo PES: Cosméticos Brasil: empresas de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos; 15 de grande porte: 72% do faturamento. Crescimento médio de 10,7%/a nos últimos 5 anos; Mercado mundial: 4 0 [2 0 desodorantes, 2 0 produtos infantis, 3 0 produtos p/cabelo e perfumaria; 4 0 higiene oral; 5 0 banho; 7 0 cosméticos cores; 8 0 proteção solar]. Objetivo: mudança de patamar por inovação / diferenciação de produtos e serviços de apoio à produção; rotas tecnológicas. Linhas de ação: diagnóstico empresarial e planejamento estratégico; regularização sanitária; boas práticas de fabricação e laboratoriais; produção limpa; gestão empresarial; meio ambiente; uso sustentável da biodiversidade brasileira; inovação de processos e produtos; capacitação em temas de demanda das empresas. Prazo de execução: 24 meses.

11 Iniciativas Nacionais: Como acontecem ?VISÃO INFRA-ESTRUTURA FINANCIAMENTO/ SUSTENTAÇÃO TALENTOS IMPLANTAÇÃO NACIONAL / PILOTOS, EXPERIMENTOS

12 Ambiente para Iniciativa Nacional de Inovação Talentos Dimensão humana da inovação: criação do conhecimento; educação; treinamento; apoio à mão-de-obra. Investi- mento Dimensão financeira da inovação: investimento em P&D; apoio ao empreendedorismo e empreendimentos de risco; promoção de estratégias de inovação de longo prazo. Elementos essenciais para a inserção das inovações no mercado: tecnologias-chave para aplicações comerciais; cadeias produtivas; redução das barreiras de entrada ¹ Conforme a National Innovation Initiative, dos Estados Unidos. Infra- Estrutura Estruturas físicas e políticas que apóiam os inovadores: redes de informação, transporte, saúde e energia; proteção à propr. intelectual; regulação de negócios; estruturas para colaboração entre os stakeholders de inovação. Mercado

13 INI – Talentos para Inovação Objetivo: articular academia, empresas e governo para a definição de uma agenda estratégica; consolidar base de cientistas e engenheiros; fortalecer a pesquisa multidisciplinar e de fronteira do conhecimento; promover ações de formação de recursos humanos visando capacitação inovativa do País. Foco: trabalho inicial com as áreas da Física, Matemática, Química e Engenharias, a partir do qual será ampliado para todo o espectro do conhecimento.

14 Física: Workshop sobre Talentos para Inovação Tradicionalismo e Diversificação na Formação em Física Física Teórica e Experimental Empreendedorismo Bolsas: valor e temporalidade Avaliação A comunicação entre empresas, universidades e institutos de pesquisa Diferentes formas de interação Recursos Financeiros e Institucionais

15 The Potential of Transdisciplinarity Helga Nowotny © 2004 interdisciplines A pesquisa contemporânea é realizada cada vez mais em um contexto de solução de problemas Múltiplos atores aportam uma heterogeneidade essencial de habilidades e de expertise Gera-se assim um fórum que fornece novo foco para o empreendimento intelectual O processo trás diferentes grupos sociais, portadores da questão: o que vocês têm feito por nós? Agrega valor na busca de um produto melhor, da produção de conhecimento de mais qualidade

16 Convergência Tecnológica NBIC (nano-bio-info-cogno) Nanotecnologia Biotecnologia Tecnologias da informação e comunicação incluindo computação e telecomunicação Ciências cognitivas incluindo a neurociência Nano Info BioCogno

17 Mudanças na Governança de C&T: múltiplos parceiros e interesse público Opinião pública Complexidade das interações (locais, nacionais e internacionais) entre instituições de ensino e pesquisa, governo, empresas e indivíduos. Fortalecimento da colaboração, formação de redes, fluxo de conhecimento entre organizações, empresas e instituições de pesquisa, mudanças institucionais. Cooperação Universidade – Institutos de Pesquisa – Empresas que respeite os distintos interesses e objetivos.

18 C&T: a opinião do cidadão conta...

19 Inovação: terreno de incertezas e clima de controvérsia

20 A Construção na Controvérsia A pluralidade de visões não constitui um problema; pelo contrário, é parte da solução. É necessário identificar os conflitos e aprender a construir coletivamente visões convergentes. Eu não espero pelo dia em que todos os homens concordem. Apenas sei de diversas harmonias bonitas possíveis sem Juízo Final. Caetano Veloso

21 Ainda não estamos habituados com o mundo Nascer é muito comprido. (Murilo Mendes)


Carregar ppt "Evando Mirra de Paula e Silva Diretor da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Talentos para a Inovação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google