A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Slide 1 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Projeto Brasil Central ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres LabTrans – Universidade Federal de Santa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Slide 1 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Projeto Brasil Central ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres LabTrans – Universidade Federal de Santa."— Transcrição da apresentação:

1 slide 1 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Projeto Brasil Central ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres LabTrans – Universidade Federal de Santa Catarina

2 slide 2 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans O projeto consiste de estudos econômicos e de transporte na Região do Brasil Central, com vistas a analisar e priorizar projetos de transporte terrestre necessários para atendimento da demanda atual e futura dos fluxos de carga de longa distância, originados e atraídos pela citada região, principalmente vinculados ao agronegócio. Objetivo do Estudo

3 slide 3 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Elenco de projetos, devidamente hierarquizados e avaliados, passíveis de serem implementados via PPP´s, concessões simples ou recursos orçamentários Produto Final do Estudo

4 slide 4 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans A produção regional cresce de forma vertiginosa, pressionando a rede de transporte. É necessário adequar essa rede aos fluxos futuros. A Lei nº , que criou a ANTT, estabelece como uma de suas competências, a proposição de planos de outorga devidamente fundamentados por estudos técnicos Justificativas

5 slide 5 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Características da Área do Brasil Central Abrange: 11 estados (alguns parcialmente) 1217 municípios PIB (2004) Área territorial Produção de grãos* * Grãos considerados no estudo Fonte: IBGE (2005) Mapa:SisLog

6 slide 6 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans MT Municípios RO Micro-regiões GO Micro-regiões MG Micro-regiões MS Micro-regiões PR Micro-regiões PA Municípios MA Municípios PI Municípios TO Municípios BA Municípios Zonas de Tráfego Internas

7 slide 7 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Zonas de Tráfego Externas USA EUROPA ÁSIA

8 slide 8 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Mapeamento de Fluxos

9 slide 9 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Parâmetros de Projeção Mapa do Potencial Agrícola IBGE - Classifica o território de acordo com a potencialidade agrícola dos solos, levando em conta fatores como: fertilidade, características físicas e morfológicas, principais limitações e topografia. Mapa de Biomas - Apresenta os seis biomas continentais brasileiros - Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa - e suas áreas aproximadas. (Amazônia 20%, Cerrado 80% e Transição 65%) Mapas do Diagnóstico Ambiental da Amazônia Legal – Áreas Especiais - Identifica problemas ambientais e áreas prioritárias para detalhamento dos estudos. Apresenta temas diversos como Uso das Terras, considerado no estudo as áreas de reservas indígenas. Áreas já ocupadas com plantio – 1ª safra e cultura permanente. Redução da área ocupada com pecuária em 30% - considerado possível área de pastagem em solos classificados como desfavoráveis pelo IBGE.

10 slide 10 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans METODOLOGIA DE PROJEÇÃO: cenário de demanda statu quo GRÃOS (exportação e consumo interno) Soja, algodão, milho e sorgo Projeção baseada em modelos econométricos (área e produtividade) GRÃOS (apenas consumo interno) Arroz, feijão e trigo Projeção baseada em taxas de crescimento populacional divulgadas pelo IBGE COMBUSTÍVEISProjeção baseada no crescimento tendencial do PIB FERTILIZANTESProjeção baseada na taxa de utilização por cultura (soja, algodão, milho e sorgo, cana, arroz, feijão e trigo) MADEIRAProjeção baseada no crescimento tendencial do PIB mundial/ PIB da construção civil CIMENTOProjeção baseada no crescimento tendencial do PIB da construção civil PRODUTOS SIDERÚRGICOSProjeção baseada no crescimento do PIB mundial MINÉRIOSProjeção baseada em taxa publicada pelo DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral

11 slide 11 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans PROJEÇÃO DOS FLUXOS Q t Projeção de produção Projeção do consumo interno Exportação PIB; Crescimento populacional; Correlação com outras projeções.

12 slide 12 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans CENÁRIOS DE DEMANDA AVALIADOS Cenário de demanda statu quo -Cenário no qual se considera que a evolução da produção tenha o mesmo comportamento já verificado no passado. Demais cenários de demanda -Cenários concebidos com base na opinião de especialistas, bem como a partir das tendências divulgadas por fontes públicas e privadas.

13 slide 13 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans CENÁRIOS DE DEMANDA Proposta de 3 cenários de demanda com diferentes situações para soja, milho e cana-de-acúcar; Justificativa: Soja – aumento de participação no mercado mundial e início da operação com H-bio; Milho – exportação crescente, aumento de demanda devido à crescente produção de carne e demanda gerada pelo álcool nos EUA; Cana-de-açúcar – produção do etanol para atendimento ao mercado interno crescente (carros bi-combustível) e participação no atendimento à demanda mundial.

14 CENÁRIOS DE DEMANDA PROPOSTOS Cenário Conservador Soja – statu quo + demanda advinda do H-bio. Milho – statu quo + atendimento a 1,5% da demanda por milho nos EUA. Álcool – projeção efetuada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – AGE* (Projeção do Agronegócio). Cenário Intermediário Soja – projeção do consumo interno (AGE) + expectativa de aumento da participação do país no mercado mundial (FAPRI)*. Milho – statu quo + atendimento a 3% da demanda por milho nos EUA. Álcool – consumo interno (AGE) + atendimento a 5% em substituição ao consumo mundial de gasolina, exceto EUA. Cenário Otimista Soja – projeção do consumo interno (AGE) + expectativa de aumento da participação do país no mercado mundial (USDA)* Milho – statu quo + atendimento a 6% da demanda por milho nos EUA. Álcool - consumo interno (AGE) + atendimento a 10% em substituição ao consumo mundial de gasolina, exceto EUA. AGE* – Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. FAPRI* – Food and Agricultural Policy Research Institute USDA* – United States Department of Agriculture

15 Área potencial de crescimento Cenários de demanda máxima por produto Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t Área disponível ha Soja: t Cana: t Milho: t

16 slide 16 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans CENÁRIOS DE OFERTA Proposta de 4 cenários de oferta com diferentes agrupamentos de obras de infra-estrutura; Justificativa para os agrupamentos: Obras que resultem em benefícios imediatos e significativos após executadas; Atendimento a regiões com bom potencial de produção e baixa oferta de infra-estrutura; Projetos em processo adiantado para execução; Priorizadas melhorias na infra-estrutura existente.

17 slide 17 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Ferrovia Norte-Sul até Palmas (TO); BR – 163 pavimentada de Guarantã do Norte (MT) até Santarém (PA), incluindo acesso até o Porto de Miritituba/Itaituba (PA); Ferronorte de Alto Araguaia até Rondonópolis (MT) Ramal ferroviário de Estreito até Balsas (MA); Pavimentação do trecho de Ribeirão Cascalheira (MT) até Sorriso (MT) BR - 242; BR – 158 pavimentada de Ribeirão Cascalheira (MT) até a divisa com o Pará. Cenário 1 Fonte: SisLog

18 slide 18 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Cenário 2 Ferrovia Norte-Sul concluída; Ligação ferroviária de Balsas (MA) a Eliseu Martins (Transnordestina); Ligação ferroviária de Colinas do Tocantins (TO) (entroncamento FNS) a Lucas do Rio Verde/Sorriso (MT); Álcoolduto de Senador Canedo (GO) a Paulínia (SP); Rodovia Interoceânica – BR 364; Ligação ferroviária de Luiz Eduardo Magalhães (BA) a Brumado (BA). Fonte: SisLog

19 slide 19 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Cenário 3 BR 135 – Construção e pavimentação de Luiz Eduardo Magalhães (BA) até Eliseu Martins (PI); Ligação ferroviária de Açailândia (MA) ao Porto de Vila do Conde (PA); Ligação ferroviária Lucas do Rio Verde (MT) – Sorriso (MT) – Sinop (MT); Ligação ferroviária de Rondonópolis a Cuiabá (MT). Acesso pela FCA ao Porto de Sepetiba (Itaguaí); Variante de Patrocínio a Prudente de Morais (Serra do Tigre). Fonte: SisLog

20 slide 20 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Cenário 4 Hidrovia Tapajós -Teles Pires – De Alta Floresta até Santarém (1.043km); Hidrovia Rio das Mortes e Araguaia - De Nova Xavantina (MT) a Xambioá (TO); Ligação Ferroviária de Cascavel (PR) a Dourados (MS). Opção ferroviária de ligação de Guarantã do Norte a Santarém. Fonte: SisLog

21 ANEXOS

22 slide 22 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans POTENCIAL AGRICOLA Fonte: IBGE

23 slide 23 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans BIOMAS 20% 65% 80%

24 slide 24 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans

25 slide 25 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans MAPA DE SOLOS Fonte: IBGE LEGENDA

26 slide 26 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Malha Rodoviária

27 slide 27 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Malha Ferroviária

28 slide 28 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Malha Hidroviária Rede Hidroviária Brasil Central Rios: Araguaia Mortes Tocantins São Francisco Paraguai Paraná Tietê Amazonas Madeira Tapajós Teles Pires

29 slide 29 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Produção Anual e Exportação de Produtos Agrícolas Brasil Central Brasil Central Rondônia Produção: t Exportação: t Fonte: IBGE e SECEX (2005) Mato Grosso Produção: t Exportação: t Mato Grosso do Sul Produção: t Exportação: t Paraná Produção: t Exportação: t Goiás Produção: t Exportação: t Tocantins Produção: t Exportação: t Bahia Produção: t Exportação: t Piauí Produção: t Exportação: t Maranhão Produção: t Exportação: t Pará Produção: t Exportação: t *Exportação total do estado. Minas Gerais Produção: t Exportação: t

30 slide 30 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Construção da Variante Ferroviária de Guarapuava(PR) FNS -Trecho Anápolis(GO) - Uruaçu(GO) FERRONORTE -Trecho Alto Araguaia(GO) - Rondonópolis(MT) Acesso Ferroviário ao Porto de Juazeiro(BA) Ferrovia Transnordestina Ferrovia entre Camaçari(BA)–Aratu(BA) Ramal Ferroviário de Barra Mansa(RJ) FNS - Trecho Araguaína(TO) - Palmas(TO) Contorno e Pátio Ferroviário de Tutóia em Araraquara(SP) Contorno Ferroviário de São Félix e Cachoeira (BA) Ferroanel de São Paulo(SP) – Tramo Norte Contornos Ferroviários de São Francisco do Sul(SC) e de Joinville (SC) PAC

31 slide 31 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Ligação Cascavel(PR) – Guaíra(PR) – Dourados(MS) – Maracajú(MS) Ligação Uberlândia(MG) – Itumbiara(GO) – Jataí(GO) – Alto Araguaia(MT) Ligação Miracema do Tocantins(TO) – Lucas do Rio Verde(MT) Ligação Pirapora(MG) - Unaí(MG) – Brasília(DF) – Uruaçu(GO) Ferrovia Norte Sul FNS – Ramal Balsas(MA) – Alto Parnaíba(MA) FNS – Ramal Balsas(MA) – Couto de Magalhães(TO) FNS – Ramal Estreito(MA) – Anápolis(GO) Rodovias BR-010, BR-080, BR-135, BR153, BR-163, BR-230, BR-242, BR-251, BR-267, BR-277 e BR-364. PROJETO BÁSICO

32 slide 32 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans PAC E PROJETO BÁSICO

33 slide 33 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Demanda de óleo refinado nas Refinarias Petrobrás (x 1000 m³/ano) Como pode ser verificado, está previsto um aumento significativo de demanda a partir do ano de 2010.

34 slide 34 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans 12 – Variante Patrocínio – Prudente de Morais (Serra do Tigre) O corredor de exportação GO/MG/ES tem, hoje, como principal gargalo o trecho denominado Serra do Tigre, localizado entre Ibiá (MG) e Garças de Minas (MG), que limita o crescimento das exportações do agro-negócio. 450 KM Custo da Obra: US$ 2,3 Bi MM PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA FERROVIÁRIA

35 slide 35 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans

36 slide 36 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Proposta de traçado Ferrovia Norte-Sul Terminal de Açailândia ao Porto de Vila do Conde - PA

37 slide 37 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Proposta de traçado Ferrovia Norte-Sul Ramal Setentrional

38 slide 38 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Proposta de traçado Ferrovia Norte-Sul Ramal Setentrional

39 slide 39 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans

40 slide 40 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Cenário 3 BR 135 – Construção e pavimentação até Eliseu Martins (PI); Ligação ferroviária Açailândia (MA) – Porto de Vila do Conde (PA); Ligação ferroviária Lucas do Rio Verde (MT) – Sorriso (MT) – Sinop (MT); Ligação ferroviária Rondonópolis – Cuiabá (MT). Acesso pela FCA ao Porto de Sepetiba (Itaguaí); Variante Patrocínio – Prudente de Morais (Serra do Tigre). Fonte: SisLog Porto de Itaguaí


Carregar ppt "Slide 1 de 20 ANTT / UFSC / Labtrans Projeto Brasil Central ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres LabTrans – Universidade Federal de Santa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google