A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR. Conceitos: É uma arquitetura onde o processamento da informação é dividido em módulos ou processos distintos. Um processo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR. Conceitos: É uma arquitetura onde o processamento da informação é dividido em módulos ou processos distintos. Um processo."— Transcrição da apresentação:

1 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR

2 Conceitos: É uma arquitetura onde o processamento da informação é dividido em módulos ou processos distintos. Um processo é responsável pela manutenção da informação (Servidor), enquanto que outro é responsável pela obtenção dos dados (Cliente). BATTISTI, (2001, pág. 38).

3 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR É uma abordagem da computação que separa os processos em plataformas independentes que interagem, permitindo que os recursos sejam compartilhados enquanto se obtém o máximo de benefício de cada dispositivo diferente, ou seja, Cliente/Servidor é um modelo lógico. VASKEVITCH, (1995, pág. 375).

4 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Sistema inovador surgido nos anos 90 e muito utilizado no meio corporativo, baseado em três componentes principais: gerenciamento de banco de dados, que funcionam como servidores; redes, que funcionam como meio de transporte de dados e, finalmente, softwares para acesso aos dados: Clientes. BATTISTI, (2001, pág 39).

5 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Estrutura Básica: Em uma rede de computadores existem uma ou mais máquinas que atuam como servidores, disponibilizando recursos para as demais máquinas, as quais atuam como clientes. Cliente Servidor REQUISITA RESPONDE Executa

6 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Estrutura Básica: Temos servidores para arquivos, banco de dados, e outras funções, tais como: servidores de impressão, servidores web, etc. Servidor de Arquivos Banco de Dados Outros Serviços Clientes

7 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Onde: Servidores: são equipamentos com maior poder de processamento e armazenamento; Clientes: geralmente microcomputadores PCs ligados em rede.

8 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Principais características: Cliente: Inicia e termina as conversações com os Servidores, solicitando serviços distribuídos; Não se comunica com outros Clientes; Normalmente responsável pela entrada e saída de dados e comunicação com o usuário; Torna a rede transparente ao usuário; Hardware: pode ser um micro simples; Software: tem início e fim definido.

9 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Principais características: Servidor: Execução contínua; Recebe e responde a solicitações dos Clientes; Não se comunica com outros Servidores; Presta serviços distribuídos; Atende a diversos Clientes simultaneamente; Hardware; exige máquinas mais robustas, com grande capacidade de processamento; Software: processo sempre em execução, aguardando ser chamado pelo Cliente.

10 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Maiframes são computadores de grande porte que fazem processamento de dados de forma centralizada: modelo que até os anos 90 reinava absoluto. Principais Desvantagens do modelo maiframe: Serviços e recursos reduzidos; Centralização de dados e recursos de processamento; Inflexibilidade; Inversatibilidade; Custos elevados.

11 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Aplicações em Duas Camadas: Banco de Dados Clientes

12 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Aplicações em Duas Camadas: Foram utilizadas no início da implantação do modelo Cliente/ Servidor. Aqui, a aplicação Cliente responde pelas seguintes funções:. Apresentação: O código que gera a interface visível do programa faz parte da aplicação Cliente. Todos os formulários, menus e demais elementos visuais nele estão contidos. Então uma alteração na interface do programa requer a geração de uma nova versão para todos os computadores;

13 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Lógica do Negócio: São as regras que definem como os dados serão acessados e processados. Toda a Lógica do Negócio fica no Cliente. Quando o programa Cliente é instalado, são instaladas todas as regras de acesso ao banco de dados. É necessária uma nova versão do programa cada vez que alterações ocorrerem e as regras mudarem. Também é necessário que todos os computadores que estejam com a versão anterior recebam a nova, mesmo que sejam centenas ou milhares de micros.

14 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Contribuições; Avanços para a empresa; Limitações; Dificuldade de Manutenção e gerenciamento.

15 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Aplicações em Três Camadas: Servidor de Banco de Dados Servidor de Aplicações Clientes

16 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Evolução: Retira as Regras do Negócio do cliente e as centraliza em um determinado ponto, o qual é chamado de servidor de aplicações: Servidor de Aplicações Servidor de Banco de Dados O acesso ao Banco de Dados é feito através das regras contidas no Servidor de Aplicações: facilidade de atualização das mesmas, pois estão centralizadas em um único ponto.

17 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Características: As Regras do Negócio (lógica) foram deslocadas para o Servidor de Aplicações, então ali será determinada a maneira como os dados serão utilizados.. Todo o acesso do cliente ao Banco de Dados é feito de acordo com as regras contidas no Servidor de Aplicações. Não é possível o acesso ao B. de Dados sem primeiramente passar pelo Servidor de Aplicações.. No Servidor de B. de Dados reside toda informação necessária para o funcionamento da aplicação.

18 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Melhoramentos: Atualização mais fácil das Regras do Negócio; Aumento da flexibilidade, conseqüentemente; Maior segurança e controle do acesso aos dados; Torna-se mais fácil manter a aplicação atualizada e garantir que todos os usuários terão acesso às alterações; Falha: Continua o problema de atualização da interface de aplicação, cada vez que sejam necessárias mudanças na interface. Porém, alterações nela são menos freqüentes do que as que ocorrem nas Regras do Negócio.

19 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR ……….Aplicações em Quatro Camadas………. Idéia básica: Retirar a apresentação do cliente e centralizá-la em um determinado ponto, o qual na maioria dos casos é um Servidor web. Avanço: O cliente deixa de existir como um programa que precisa ser instalado em cada micro. O acesso à aplicação é feito através de um navegador: Internet Explorer, Netscape Navigator

20 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Aplicações em Quatro Camadas – Estrutura: Servidor de Banco de Dados Servidor de Aplicações Servidor Web Clientes

21 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Esquema básico : Cliente quer acessar a aplicação acessa o endereço da mesma através do navegador servidor de aplicações verifica se ao cliente é permitido o acesso banco de dados liberado. xy.com/sistemas/rh.aspx. Servidor de Aplicações determina de que maneira os dados serão utilizados Banco de dados: informações necessárias

22 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR 4 Camadas:. Cliente: Navegador; Apresentação: Servidor Web, onde serão feitas as alterações de interface; Lógica (Regras do Negócio): Servidor de Aplicações, onde serão feitas as alterações nas regras do negócio, quando necessárias; Dados: Servidor de Banco de Dados, com todas as informações necessárias.

23 A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR Vantagens: Desvantagens:. Serviços; Complexidade; Recursos; Comunicação. Protocolos; Localização; Descentralização; Escalabilidade; Integridade.

24 B IBLIOGRAFIA BATTISTI, Júlio. SQL Server 2000: Administração e Desenvolvimento – Curso Completo. 2. ed. Rio de Janeiro: Axcell Books, VASKEVITCH, David. Estratégia Cliente/Servidor: um guia para a reengenharia da empresa. São Paulo: Berkeley, 1995.

25 B IBLIOGRAFIA


Carregar ppt "A RQUITETURA C LIENTE /S ERVIDOR. Conceitos: É uma arquitetura onde o processamento da informação é dividido em módulos ou processos distintos. Um processo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google