A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL UNIDADE 2 Introdução a Lógica da programação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL UNIDADE 2 Introdução a Lógica da programação."— Transcrição da apresentação:

1 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL UNIDADE 2 Introdução a Lógica da programação

2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Instruções: Instruções: Seqüência Lógica Seqüência Lógica Lógica de programação Lógica de programação Um conjunto de regras ou normas definidas para a realização ou emprego de algo. Em informática, é a Informação que indica a um computador uma ação elementar a executar. São passos executados até atingir um objetivo ou a solução de um problema. É uma técnica de encadear pensamentos para atingir determinado objetivo.

3 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Algoritmo Algoritmo É uma seqüência finita de passos que levam a execução de uma tarefa. Podemos pensar como uma receita com tarefas claras o objetivas. Exemplos de algoritmos: - Operações básicas de números decimais (adição, subtração, divisão e multiplicação) - Manuais de aparelhos eletrônicos Até as coisas mais simples podem ser descritas por seqüência lógica. - Ex.: - Chupar uma bala - Somar 2 números quaisquer

4 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Programas Programas Nada mais são do que algoritmos escritos numa linguagem de computador (C, Visual basic) e que são interpretados e executados por uma máquina.

5 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Exercícios Exercícios 1 – Crie uma seqüência lógica para tomar banho. 2 – Faça um algoritmo para somar dois números e multiplicar o resultado pelo primeiro. 3 – Descreva com detalhes a seqüência lógica para trocar um pneu de um carro. 4 – Faça um algoritmo para trocar um lâmpada. Descreva com detalhes.

6 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL UNIDADE 3 Desenvolvendo algoritmos

7 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Representação de algoritmo Representação de algoritmo - Linguagem natural - Pseudocódigo - Diagrama de blocos

8 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Linguagem natural Linguagem natural - Esse processo é o que utilizamos no item anterior. Ele consiste no uso de frases, utilizando palavras naturais de nossa língua para expressar as ações que deverão ser realizadas.

9 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Pseudocódigo Pseudocódigo -Semelhante à linguagem natural. - A diferença é que as frases naturais que expressam as ações a serem realizadas, são trocadas por palavras chaves (pseudocódigos) que se aproximam bastante das instruções de uma linguagem de programação. - Também conhecido como Português estruturado ou Portugol. - Deve ser o intermediário entre a linguagem falada e a linguagem de programação.

10 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Regras para a construção de algoritmos Regras para a construção de algoritmos - Usar somente um verbo por frase; - Imaginar que você desenvolvendo um algoritmo para pessoas que não trabalham com informática; - Usar frases curtas e simples; - Ser objetivo; - Procurar usar palavras que não tenham sentido confuso;

11 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Fases Fases - Qualquer tarefa que siga determinado padrão pode ser descrita por um algoritmo. Entretanto, ao montar um algoritmo precisamos primeiro dividir o problema Apresentado em 3 fases:

12 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Fases Fases Entrada: são dados de entrada do algoritmo. Processamento: são os procedimentos utilizados para chegar ao resultado final. Saída: são os dados já processados.

13 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Exemplo de algoritmo Exemplo de algoritmo Calcule a média final dos alunos da 3ª Série. Os alunos realizarão quatro provas: P1,P2,P3 e P4 Onde: Média final = P1 + P2 + P3 + P4 4 Quais são os dados de Entrada, Processamento e Saída ?

14 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Exemplo de algoritmo Exemplo de algoritmo - Dados de entrada: P1,P2,P3 e P4 - Processamento: P1 + P2 + P3 + P4 4 - Dados de saída: Média final

15 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Exercícios Exercícios 1)Identifique os dados de entrada, processamento e saída no algoritmo abaixo: Receba código da peça Receba valor da peça Receba Quantidade de peças Calcule o valor total da peça (Quantidade * valor da peça) Mostre o código da peça e seu valor total

16 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Diagrama de bloco Diagrama de bloco - É uma forma padronizada e eficaz para representar os passos lógicos de um determinado processamento. - Podemos definir uma seqüência de símbolos, sua principal função é a de facilitar a visualização dos passos de um processamento. - Costuma-se utilizar diagramas de blocos e chamá-los de fluxogramas (comum em engenharia).

17 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Algumas simbologias utilizadas no Diagrama de bloco Algumas simbologias utilizadas no Diagrama de bloco Processamento em Geral Teste de valores Início ou fim de processamento Exibição de informações Conector Entrada de informações do meio externo

18


Carregar ppt "CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL UNIDADE 2 Introdução a Lógica da programação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google