A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A expansão da siderurgia brasileira: Desafios globais Santos | 31 de julho de 2008 Painel: O Setor Mínero-metalúrgico e seus desafios Maria Cristina Yuan.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A expansão da siderurgia brasileira: Desafios globais Santos | 31 de julho de 2008 Painel: O Setor Mínero-metalúrgico e seus desafios Maria Cristina Yuan."— Transcrição da apresentação:

1 A expansão da siderurgia brasileira: Desafios globais Santos | 31 de julho de 2008 Painel: O Setor Mínero-metalúrgico e seus desafios Maria Cristina Yuan Superintendente IBS - Instituto Brasileiro de Siderurgia

2 Economia mundial

3 Variação do PIB em %

4 Matérias primas

5 Fluxo Internacional de Minério de Ferro (março 2008) Milhões de toneladas Previsão DEMANDA OFERTA Fonte: Various & IISI Expert Group

6 Fluxo Internacional de Carvão Metalúrgico (março 2008) Milhões de toneladas Previsão DEMANDA OFERTA Fonte: IISI RAMCO Expert Group

7 Disponibilidade de Sucata Demanda Global de Metálicos (%) Sucata DRI Ferro gusa Disponibilidade (10 6 t) Relação Sucata / Produtos Acabados (&) Demanda de produtos Sucata Sucata / Aço Fonte: McKinsey

8 Frete Marítimo

9 Frete marítimo Taxa diária = US$ 194,115/dia Taxa diária = US$ 79,881/dia Fonte: IISI

10 Congestionamento nos portos Norte da China (10 portos) Leste e Sul da China (7 portos) Costa Oeste da Austrália – minério de ferro Costa Leste da Austrália – carvão Brasil Média mensal de nº de navios em espera Jan 05 Mai 05 Set 05 Jan 06 Mai 06 Set 06 Jan 07 Mai 07 Set 07 Jan 08 Fonte: IISI

11 Índice de Desempenho Logístico Fonte: Banco MUndial PAÍSLPI 1- Singapura4,19 2- Holanda4,18 3- Alemanha4,10 6- Japão – EUA3, Austrália3,79 PAÍSLPI 30- China3, Chile3, India Mexico2, Brasil2, Rússia2,37

12 Produção mundial de aço

13 Produção de Aço Bruto países maiores produtores Produção mundial total = 1.344,1 milhões toneladas 10 6 t Fonte: IISI

14 Evolução da Produção Mundial de Aço Bruto Fonte: IISI Milhões de toneladas China RDMMundo

15 Participação BRIC na expansão da capacidade de produção Capacidade (10 6 t) % do total mundial 47%50% % da Expansão mundial ( ) 91% ( ) 67% Capacidade Total Expansão da Capacidade Fonte: IISI

16 Consumo de aço no mundo

17 Consumo Aparente de Aço no Mundo Crescimento Anual (%) 1990/2007 Crescimento Anual (%) 2000/2007 Mundo649,0760,01.203,7+3,7+6,8 China53,1124,3408,3+12,7+18,5 Mundo (Excl. China)595,9636,4795,4+1,7+3,2 Brasil9,016,022,0+5,4+4,7 Fonte: IISI Unid: 10 6 t

18 Comércio internacional

19 Comércio Internacional Fluxo do Comércio Internacional de Aço em 2007

20 Exportações Mundiais de Aço Posição10 6 t Variação /06 (%) 511CHINA49,265,233% 222JAPÃO34,235,95% 133EU 2732,332,20% 454UCRÂNIA30,330,0-1% 345RÚSSIA31,029,2-6% 666COR. DO SUL17,318,15% 877TURQUIA12,714,010% 998TAIWAN10,410,95% 789BRASIL12,510,4-17% 10 EUA910,314% CANADÁ5,96,816% INDIA6,76,1-9% OUTROS42,944,84% Posição10 6 t Variação /06 (%) 321EU 2739,648,523% 112EUA40,429,5-27% 433CORÉIA DO SUL 21,925,717% 244CHINA18,616,9-9% 755TURQUIA12,213,410% 9106IRÃ7,512,260% 577TAILÂNDIA10,69,6-10% 688TAIWAN10,49,1-13% 12119EMIR. ÁRABES UNIDOS 6,69,037% VIETNAM5,98,443% Importações Mundiais de Aço

21 Consolidação

22 Consolidação da Siderurgia no Brasil Fonte: IBS *Considerando Grupo ArcelorMittal: ArcelorMittal Tubarão + ArcelorMittal Aços longos + ArcelorMittal Inox Brasil Participação na Produção de Aço Bruto 2007 % % % %

23 Expansão da Siderurgia Brasileira - Investimentos Capacidade – 10 6 t Instalada 41,0 Parque instalado (até 2013) 15,3 Novos entrantes (até 2010) 6,8 Nova Capacidade 63,1 Em Estudos (após 2010) 17,5 Desembolsos - US$ bilhões (Final 2007) Parque Instalado (até 2013) 27,1 Novos entrantes (até 2010) 5,8 Em estudos (após 2010) 12,8 Expansões Capacidade Total 80,6 Total 32,9 Total 45,7

24 Processo de Consolidação – Siderurgia Mundial

25 Consolidação – Participação de mercado das 5 maiores empresas A siderurgia é uma indústria fragmentada... Carvão Fornecedores Equipamentos Siderúrgicos Minério de Ferro Outros Produtos Alumínio Celulose Aço Fragmentação Automobilís- tica Consumidores C. Civil Embalagens Estaleiros 30% 65% 90% 48% 70% 17% 60% 25% 36% 27% 80% Produtos Químicos Gases Fonte: Metal Bulletin

26 Business as usualUnusual aspect of business Expansão da capacidade de produção de aço Consumo aparente de aço Suprimento x demanda de matérias-primas Transporte marítimo Fusões e aquisições Mudanças climáticas

27 Mudanças Climáticas

28 Evidências de mudanças no clima Temperatura média global Nível do mar Área de cobertura com neve no hemisfério norte Temperatura (º C) (milhões km²)

29 Mudanças Climáticas – Marcos Principais Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas Protocolo de Quioto – adotado em 1997, efetivado em 2005 Países Desenvolvidos (Anexo I) Reduzir emissões GEE em 5.2% até 2012 (referência: 1990) Países em Desenvolvimento (não Anexo I) Não há compromissos obrigatórios de redução de emissões GEE Mecanismo de Desenvolvimento Limpo Fonte: MCT

30 Cumprimento do Protocolo de Quioto Primeiro período de compromisso (2008 a 2012) - A maior parte dos países da Europa Ocidental aumentou suas emissões acima das metas de Quioto Exceções: Alemanha e Reino Unido - A maior parte dos países da Europa Oriental têm metas em Quioto maiores que as emissões atuais Exceção: Eslovênia - Emissões podem aumentar até 2012 se medidas adicionais não forem estabelecidas Fonte: MCT

31 Emissões de Gases de Efeito Estufa pela Indústria Fonte: WORLD RESOURCES INSTITUTE

32 Emissões de CO2 no Processo 2Fe 2 O 3 + 3C 4 Fe + 3 CO 2 Minério + Coque + Cal Ferro gusa CO 2

33 IISI – Abordagem setorial Argumentos usados: Cap & Trade não permite a expansão da capacidade de produção nos países desenvolvidos Migração da produção de aço para países com poucas restrições ambientais Elimina assimetria competitiva Objetiva o engajamento das empresas instaladas nos países em desenvolvimento

34 ...The American Iron and Steel Institute, the industrys largest trade association, has stated that: Any program must be a truly global approach involving all major GHG emitting countries and must be verifiable and enforceable. To ensure a global approach and to protect the competitiveness of domestic products, legislation should include a requirement that all products sold in the U.S., whether domestic or imported, meet a carbon intensity performance standard. While the United States cannot force other countries to control their greenhouse gas emissions, carbon intensity standards would encourage both domestic and foreign producers to do so by conditioning access to the U.S. market on compliance with the standards.... Depoimento de Jim Slattery ao Sub-Comitê de Energia e Qualidade do Ar da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, em 5 de março de Mudanças Climáticas e Mercado

35 IISI – Abordagem setorial - Cronograma Desenvolvimento de método de cálculo de emissões de CO2 para a siderurgia 2008 até Coleta mundial de dados e edição de relatório anual 2012 (ou antes) - Estabelecimento de baseline/metas com base nos dados de 2008 a Projeção da redução das emissões de CO2 pela siderurgia mundial em Negociação de acordos com os respectivos governos 2013, 1º de janeiro (Pós Quioto) - Compromissos com os respectivos governos tornam-se efetivos

36 Posição do Governo Brasileiro Impacto atual sobre o clima resulta das emissões lançadas pelos países desenvolvidos ao longo de mais de um século (efeito cumulativo) Responsabilidades dos países são comuns, mas diferenciadas (maior passivo é dos países desenvolvidos) Apoio tecnológico e financeiro dos países desenvolvidos aos países em desenvolvimento para adoção de medidas voluntárias, mensuráveis e verificáveis Preservação dos mecanismos de flexibilização, como o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo

37 Mecanismo de Desenvolvimento Limpo Fonte: MCT

38 O que estamos fazendo Otimização da eficiência energética – setor gera 30% da energia elétrica que consome Maximização da reciclagem de aço – 24% do aço é produzido no país a partir de sucata Produção de ferro gusa a partir de carvão vegetal – 32,7% do ferro gusa é produzido no Brasil à base de carvão vegetal Comercialização de escórias para produção de cimento – praticamente 100% das escórias de alto-forno são destinadas à produção de cimento, em substituição ao clínquer

39 Obrigado!


Carregar ppt "A expansão da siderurgia brasileira: Desafios globais Santos | 31 de julho de 2008 Painel: O Setor Mínero-metalúrgico e seus desafios Maria Cristina Yuan."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google