A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PESCA EM ÁGUAS PROFUNDAS L1 EVANGELIZÇÃO NO TERCEIRO MILÊNIO PAI, PERDOA-LHES PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PESCA EM ÁGUAS PROFUNDAS L1 EVANGELIZÇÃO NO TERCEIRO MILÊNIO PAI, PERDOA-LHES PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM."— Transcrição da apresentação:

1 PESCA EM ÁGUAS PROFUNDAS L1 EVANGELIZÇÃO NO TERCEIRO MILÊNIO PAI, PERDOA-LHES PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM

2 Pai amado, louvado sejas eternamente!... Minha vida não me pertence, mas a ti, Senhor!...

3 Tudo o que até agora vivi, Pai santo, está guardado em minha memória como um tesouro. Um tesouro que é a minha existência filmada tim-tim-por-tim-tim pelos dons que me deste quando fui criado, meus sentidos.

4 Muitas cenas maravilhosas e emocionantes, outras deprimentes, sempre revejo para orientar-me quanto ao propósito do que faço ou planejo fazer. Tenho que levar em conta o espírito comunitário, o bom senso e, principalmente o amor. Estou como se estivesse aprendendo a viver, tivesse renascido!...

5 Sim, Pai santo, desse tesouro tiro coisas novas das experiências que geraram benefícios e maléficios a meus irmãos, a mim e à tua Criação. Servem-me também de edificação e restauração.

6 Às vezes sinto dentro de mim uma luta ferrenha entre o homem que fui e o que agora tento ser. Um já vivido e cheio de traumas e o outro inexperiente, mas apto para caminhar no teu Caminho. O homem velho não consegue conviver pacificamente com o novo no mesmo corpo, quer dominar, impor sua vontade e malandragens. Tenho de estar atento às suas demandas, pois o inimigo é astuto e perverso. Entretanto, Pai, sei que estás ao meu lado nessa batalha, então, quem pode contra mim?...

7 Como já te disse várias vezes, Pai querido, no tempo do homem velho eu fazia o que bem entendia sem importar-me com os outros. Era um irresponsável. O centro do mundo era eu. Apenas minha satisfação importava. Não sabia que, vivendo assim, atraía tudo de ruim para mim.

8 Era perseguido por visões horrendas, entretanto, eram os vícios o meu pior tormento!... Esses monstros agarraram-me e, até certo ponto com minha conivência, fizeram-me um estrupício de gente. Fiquei irreconhecível, um trapo. Eu não era mais eu mas outra pessoa que vivia em mim usurpando meu ser...

9 Espiritualmente, estava uma lástima. Não sabia nem o que se dizia quando se faz o Sinal da Cruz e a Ave-Maria, que era uma oração fácil de rezar, só lembrava metade. Até a oração do meu Anjo da Guarda, que tanto gostava de rezar com mamãe ao meu lado embalando-me para dormir, não sabia mais nem como começava.

10 Alguma coisa passou em minha mente e me fez esquecer quase tudo o que aprendi em casa... Uma agitação medonha tomava conta da minha cabeça, mas vez em quando, como relâmpagos iluminando tudo dentro de mim, lembrava a tranquilidade de casa e o convívio amoroso que reinava em nossa família. Como sofria com essas recordações, Pai! Queria ardentemente retornar para nosso lar!

11 Sabe, Pai, lá por onde andava, aparentemente tudo era abundante. Podia ter e fazer tudo o que queria. Tinha dinheiro, propriedades, carro, barcos, festas, companhias femininas... Sim, nada me faltava. Mas a alegria e o prazer disso davam-me uma sensação de frustração, engano, mentira, perversidade, que me jogava num vazio enorme dentro de mim, lugar parecido a uma prisão escura, fétida, cheia de angústias, gritos e gemidos mudos...

12 Meus irmãos lutavam para que eu largasse essa vida famigerada rogando a tua Mãe Santíssima que intercedesse por mim perante ti. Ó santo Pai, como sou também agradecido a essas pessoas de bom coração que lutaram por mim! Que tua luz misericordiosa sempre as acompanhe!

13 Meu querido, mãe não pode ver um filho padecer, que logo sofre suas dores!... Lembro do olhar de mamãe quando estive pregado na cruz. Sua dor era maior do que o ódio e a humilhação que meus algozes me impingiam, muito maior do que as dores das chicotadas que os guardas davam em meu corpo baqueado e das espetadas dos espinhos da coroa em minha cabeça. Ela sofria mesmo sabendo que o que eu fazia era pela salvação dos homens. Como é imenso o amor de nossa mãe!... Sim, filhinho, foi Ela quem me pediu que te tirasse daquele ambiente asqueroso e te trouxesse novamente para nosso convívio. Como poderia não atendê-la se já fiz pedido semelhante: Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem(Lc 23,34)?...

14 Te adoro, Pai amado! Louvado sejas eternamente! Diácono Eliezer Martins


Carregar ppt "PESCA EM ÁGUAS PROFUNDAS L1 EVANGELIZÇÃO NO TERCEIRO MILÊNIO PAI, PERDOA-LHES PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google