A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Uma breve história do Sindicalismo e das Profissões Liberais

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Uma breve história do Sindicalismo e das Profissões Liberais"— Transcrição da apresentação:

1 Uma breve história do Sindicalismo e das Profissões Liberais
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Uma breve história do Sindicalismo e das Profissões Liberais

2 I CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 I

3 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Para que Estudar o Sindicalismo ? 01 - Para conhecer em que condições históricas se deu. Isto é, para conhecer qual a correlação de forças em cada período. 02 - Para conhecer seus objetivos e projetos. Isto é, qual o seu grau de consciência. 03 - Para conhecer os seus limites. Isto é, quais os principais obstáculos que se colocavam (externos e internos). O que devemos considerar? 1°) que apresenta características diferentes de região para região e de época para época;

4 Nossa História não começou agora! Origem do termo “Sindicato”
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Nossa História não começou agora! Já em Roma, na época de Jesus, são conhecidas várias organizações de profissionais (pescadores, carpinteiros, curtidores de couro e outros). Ao longo de toda a idade média, floresceram as corporações de ofícios na Europa. Tinham estatutos próprios e um código profissional que regulamentava a prática do ofício. Algumas tão fortes que conseguiram impor limites contra a concorrência de produtos importados ou garantir preços e mercados para seus produtos. Origem do termo “Sindicato”

5 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 França Séc. XVII Séc. XVIII Séc. XIX Séc. XX Lutas Camponesas Primeiras organizações urbanas 1906 CGT (1886) convoca o Congresso de Amiens 1791 Lei “Le Chapelier” 1864 Napoleão legaliza os sindicatos

6 dos Alfaiates de Londres
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Inglaterra Séc. XVII Séc. XVIII Séc. XIX Séc. XX Clubes Itinerância 1871 Trade Union Act 1799 Combiantion Laws 1837 Cartismo Associação dos Alfaiates de Londres

7 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Brasil a 1888 A mão-de-obra era escrava e eram poucos os profissionais vindos da metrópole. Apenas com a vinda da família real (1808) cria-se o primeiro curso superior de Medicina e depois o Politécnico (Engenharia). Em 1822, já no Império, é criado o curso de Direito. Ceará: reconhecimento dos alfaiates e sapateiros.

8 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Brasil a 1919 População 1. Os trabalhadores europeus traziam as experiências 2. Surgem as primeiras organizações 3. Organizavam-se de formas diferentes Lei Adolfo Gordo - proibia a organização operária e greves Iº Congresso Operário e criação da COB

9 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Brasil a 1945 O período é de mudanças. Duas guerras mundiais e uma grave crise (1929). 1. Processo de industrialização 2. A agricultura ocupava 68% da população e a indústria 12% Uma nova estrutura no movimento sindical. 1. Novo perfil da mão-de-obra. 2. Novas máquinas. 3. Antigas categorias desaparecem.

10 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Brasil a 1945 Importante observar: Getúlio assina decreto proibindo vinda de trabalhadores estrangeiros. O perfil dos trabalhadores brasileiros começa a mudar. Estado Novo Decreto nova Legislação Sindical Criação do Ministério do Trabalho e da Justiça do Trabalho criada a CLT

11 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Redemocratização A Constituição de 1946 * os sindicatos são “órgãos colaboradores do Estado” * a criação e funcionamento continuam regulamentados por lei o Golpe 1964/ intervenções nos sindicatos

12 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Brasil a 1976 O colapso do “milagre” e a reavaliação do movimento sindical. Brasil a 1978 relatório do Banco Mundial sobre manipulação de índices. crescimento das oposições sindicais e comissões de fábricas. sindicato de São Bernardo começa campanha pela reposição dos 34,1%. primeiras grandes greves (metalúrgicos SP e ABC).

13 Abril de 1981 - CONCLAT (5.000 delegados).
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 em SP, o ENOS em SP, surge o jornal Unidade Sindical” greve e 1º de maio no ABC.” 09/ ENTOES Abril de CONCLAT (5.000 delegados). criação da CUT criação da CGT Principais mudanças no sindicalismo brasileiro 1978/1988 01. Crescimento da sindicalização entre os assalariados médios. 02. Crescimento da sindicalização no setor de serviços. 03. Mudanças na Estrutura Sindical.

14 II CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 II

15 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Afinal... O que é Neoliberalismo? O que significa FMI, OMC, Bird...? É isto que nós vamos tentar mostrar.

16 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 É da França que surgem alguns dos principais "pensadores" do novo sistema. Conhecidos como liberais ou defensores do liberalismo econômico, defendiam que o mercado e o próprio sistema criariam suas regras de funcionamento. 1. Acreditavam que as leis financeiras eram como as da física ou da matemática: exatas e imutáveis. 2. Para eles, o Estado deveria ter um papel bastante reduzido. Apenas o suficiente para que o sistema pudesse seguir seu caminho e evoluir livremente. Suas únicas atribuições deveriam ser a Justiça, a Diplomacia, a Defesa Nacional e a Segurança Interna.

17 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 1919 Crise Segunda Guerra Mundial Criação de um grande número de organismos internacionais, reguladores do mercado Final 1ª Guerra - Tratado Versalhes Início do chamado “Estado de Bem Estar Social”

18 O dólar passa a ser a moeda padrão
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Final da II Guerra - Mecanismos Internacionais de Regulação Encontro de Breton Woods O dólar passa a ser a moeda padrão Em 24/10/1945 é criada a ONU 1. FMI 2. BIRD 3. GATT 4. UNCTAD OMC

19 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Cada diretor executivo do FMI é nomeado e terá direito a emitir o número de votos que, conforme a Seção 5 deste Artigo, corresponda ao país membro que o tenha nomeado. FMI (Fundo Monetário Internacional) - tem como principal finalidade estabilizar as moedas dos países para promover o crescimento do comércio internacional. Para receber ajuda do FMI, os países chamados “em desenvolvimento" devem se comprometer com uma receita econômica: redução dos gastos públicos, aumento dos impostos para crescer a arrecadação, equilíbrio dos balanços de pagamentos e uma política salarial severa para reduzir o consumo interno. Austrália 200 Brasil 150 Cuba 50 EUA (17,5% dos votos) França 450 Iraque 8 México 90 Reino Unido 1300 Para ser aprovada, uma proposta precisa do apoio de pelo menos 85% dos votos do IMFC. Ou seja, os EUA, com apenas 5% da população mundial, possuem 17% dos votos.

20 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 UNCTAD (Conferência das Nações Unidas Sobre Comércio e Desenvolvimento) - é o principal órgão para assessoramento da Assembléia Geral da ONU. Sua tarefa é coordenar as questões ligadas à cooperação econômica internacional e promover ajustamentos nas estruturas produtivas dos países para expandir os mercados.

21 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 BIRD (Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento) - mais conhecido como Banco Mundial, executa os projetos desenvolvidos para cada país através de empréstimos para empresas estatais e/ou privadas. Faz empréstimos com 5 anos de carência e prazo de até 15 anos, com taxas de juros de mercado. O quórum para qualquer sessão do conselho é constituído por uma maioria que disponha de, pelo menos, dois terços do total dos votos computáveis.

22 A partir de 1° de setembro de 1999 - OMC
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 GATT (Acordo Geral de Tarifas e Comércio) - era o órgão da ONU que regulava e comandava 80% do comércio internacional. Através dele eram estabelecidos preços e tarifas dos produtos a serem comprados ou vendidos pelos países. Funções da OMC: - administração dos acordos comerciais; - resolução das disputas comerciais ; - acompanhamento das políticas comerciais; A partir de 1° de setembro de OMC

23 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Tudo certo? Claro... Agora vamos ao principal!

24 Os Blocos Econômicos (O mundo dividido)
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Os Blocos Econômicos (O mundo dividido)

25 Os Blocos Econômicos 01 - Asiáticos
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Os Blocos Econômicos 01 - Asiáticos

26 Os Blocos Econômicos 02 - União Européia
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Os Blocos Econômicos 02 - União Européia

27 Os Blocos Econômicos 03 - NAFTA
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Os Blocos Econômicos 03 - NAFTA

28 Os Blocos Econômicos 04 - Pacto Andino
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Os Blocos Econômicos 04 - Pacto Andino

29 Os Blocos Econômicos 05 - Mercosul
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Os Blocos Econômicos 05 - Mercosul

30 Golfo Pérsico e Canal Suez
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Outras questões... Rússia China Canal Panamá Golfo Pérsico e Canal Suez África = reservas

31 (Garantia das Grandes Empresas)
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 O Poder Militar (Garantia das Grandes Empresas)

32 Ao todo, os EUA têm bases militares permanentes em 57 países.
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Ao todo, os EUA têm bases militares permanentes em 57 países.

33 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Militarização na América Latina O que é o NAC?

34 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Aquífero Guarani e Tríplice Fronteira O Aqüífero Guarani é uma das maiores reservas de água doce do mundo. Estima-se que tenha 50 mil quilômetros cúbicos de água em Km2 de superfície e está sob o solo do Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai. A maior parte (74,4%) está em território brasileiro.

35 As conseqüências deste modelo para o mundo.
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 As conseqüências deste modelo para o mundo.

36 O Poder das Grandes Empresas
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 O Poder das Grandes Empresas Ü Entre as 100 maiores entidades econômicas mundiais, temos 51 empresas e 49 países. Ü O faturamento das 10 maiores empresas mundiais supera o PIB somado de Brasil, Argentina, México, Venezuela, Colômbia e Chile. Ü O faturamento da GM é superior ao PNB da Dinamarca. Ü A Wal-Mart é maior que 161 países. Ü 100 grandes empresas transnacionais controlam 33% de toda a produção mundial. Ü As vendas das 200 maiores empresas correspondem a um quarto da atividade econômica mundial. Ü Estas 200 empresas geram 19 milhões de empregos, ou seja, apenas 0,7% da população ativa do mundo.

37 Concentração de Renda no Mundo
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Concentração de Renda no Mundo 1913 = 11 vezes 1960 = 30 vezes 1990 = 60 vezes 1997 = 74 vezes 2002 = 82 vezes 2006 = 130 vezes Cerca de 1,3 bilhão de pessoas (quase um terço da população mundial) vive com menos de US$ 1 por dia. Cerca de 3 bilhões de pessoas (metade da população mundial) vive com menos de US$ 2 por dia. As 10 pessoas mais ricas do mundo possuem riquezas equivalentes ao total da produção dos 50 países mais pobres.

38 Distribução da Renda Mundial
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Distribução da Renda Mundial

39 III CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 III

40 Os Sindicatos na era Neoliberal.
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Os Sindicatos na era Neoliberal.

41 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 O pensamento neoliberal e a questão social. 4Sindicatos - as principais causas das crises porque, ao reivindicar salários, corroem a base da acumulação do capital e limitam o crescimento da economia. Pressionam o Estado para aumentar os gastos sociais. 4Representatividade - a democracia precisa ser acompanhada por severas restrições, (...), porque está mais sujeita a pressões por parte de grupos de interesses, pequenos grupos dos quais depende a maioria da sociedade. 4Monetarismo - a inflação só ocorre porque há uma quantidade excessiva de moeda em circulação. Defende um controle rígido sobre esta quantidade de moeda, através do controle dos salários.

42 As conseqüências para os trabalhadores
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 As conseqüências para os trabalhadores O Desemprego Jamais foi tão alta a quantidade de trabalhadores desempregados ou subempregados em todo o mundo... (Relatório OIT) Além disso, entre 25% e 30% dos trabalhadores do mundo - o que significa entre 750 e 900 milhões de pessoas - estão subempregados; isto é, sua jornada de trabalho é sensivelmente menor que a jornada completa que desejariam realizar e seu salário é inferior ao que necessitariam para viver. (Relatório OIT) O desemprego de longa duração no mercado de trabalho é um dos problemas sociais mais graves e persistentes. Quanto mais tempo fica o desempregado um trabalhador, menores são suas possibilidades de encontrar trabalho. (Relatório da OIT)

43 As conseqüências para os trabalhadores
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 As conseqüências para os trabalhadores

44 As conseqüências para os trabalhadores Políticas e organizativas
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 As conseqüências para os trabalhadores Políticas e organizativas Os índices de sindicalização caem vertiginosamente durante os anos 1990: em Portugal e Nova Zelândia há um declínio de 45%; na França a queda é de 30% e nos EUA, no final da década, o índice de trabalhadores sindicalizados não ultrapassava 10%. Facilidade das empresas para se transferir de uma região para outra, ou de um país para outro. As empresas usam como arma de negociação a ameaça de deixar o país, causando desemprego. Um estudo do BM, em 600 empresas nos EUA, mostrou que mais da metade delas já usou como argumento a ameaça de transferir suas instalações. E 10% delas cumpriram a ameaça e foram para o México!

45 As conseqüências para os trabalhadores Políticas e organizativas
CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 As conseqüências para os trabalhadores Políticas e organizativas É necessário afastar o trabalhador de qualquer participação em outros espaços que o levem a refletir sobre o todo, sobre o papel da empresa na sociedade. Em outras palavras, é preciso afastar o trabalhador do sindicato e de qualquer atividade política. Vide Julio Lobos. O “estresse ocupacional” é “um dos problemas de saúde mais sérios do século XX”. (Relatório da OIT)

46 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 Um efeito assustador: o “Karoshi”, termo criado para definir o aumento de morte súbita no trabalho provocada pelo ritmo e intensidade da produção (também suicídios).

47 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 As metas liberais: a) flexibilização contratual – objetiva maior mobilidade da mão-de-obra, através da diversificação do conceito de emprego; b) flexibilização da demissão – maior facilidade para o empregador romper o contrato de trabalho; c) flexibilização na organização do trabalho – maneiras de impor um novo método de gestão do trabalho, organização da empresa e métodos de produção; d) flexibilização do tempo de trabalho – procurando adaptar as horas trabalhadas às condições da atividade econômica em cada período; e) flexibilização salarial – objetivando fazer com que o custo da mão-de-obra acompanhe os movimentos da economia. Em períodos de crises ou de queda do faturamento, os salários poderiam ser revistos.

48 CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1

49 FIM CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais
Programa de Formação Sindical – Prof. Ernesto Germano - Módulo 1 FIM


Carregar ppt "Uma breve história do Sindicalismo e das Profissões Liberais"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google