A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Serviços macrossistêmicos da Amazônia e questões de escala Wilson Cabral de Sousa Jr Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Civil

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Serviços macrossistêmicos da Amazônia e questões de escala Wilson Cabral de Sousa Jr Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Civil"— Transcrição da apresentação:

1 Serviços macrossistêmicos da Amazônia e questões de escala Wilson Cabral de Sousa Jr Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Civil VIII Encontro da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica

2 PROJETO PURUS Valores do uso e cobertura da Terra em bacia Amazônica de baixa antropização Valoração da Floresta segundo Sinisgalli et al. (2008) Valoração = Uso Direto + Uso Indireto + Valor de Opção + Valor de Existência Uso Direto ModalidadeU$/ha.ano Recursos madeireiros101,81* Recursos não-madeireiros181,49 Recursos minerais0,36 Carvão vegetal1.511,84* Recursos pesqueiros30, ,00 Eco-turismo e pesca esportiva1,50 * U$/ha

3 Uso Indireto ModalidadeU$/ha.ano Ciclo hidrológico38,87 Seqüestro de carbono91,9 Polinizadores30%* Valor de Opção ModalidadeU$/ha.ano Bioprospecção30,00 * 30% do total da valoração Valor de Existência ModalidadeU$/ha.ano Biodiversidade25,30 Existência11,10 Valores do uso e cobertura da Terra em bacia Amazônica de baixa antropização

4 Considera-se, para este estudo, valor da floresta em pé: -Uso Direto (com exceção dos recursos madeireiros e carvão vegetal que serão considerados como valores pagos ao desmatamento); -Uso Indireto; -Valor de Opção; -Valor de Existência. Valores do uso e cobertura da Terra em bacia Amazônica de baixa antropização

5 Valor total da floresta em pé (U$/ha/ano) Recursos não-madeireiros181,49 Recursos minerais0,36 Recursos pesqueiros30,00 Eco-turismo e pesca esportiva1,50 Ciclo hidrológico38,87 Seqüestro de carbono91,90 Polinizadores123,15* Bioprospecção (menor valor considerado)30,00 Biodiversidade25,30 Existência11,10 Total533,67 * 30% de U$ 410,52 PROJETO PURUS

6 Valor Presente Líquido (análise temporal de 40 anos) referente à floresta em pé : U$ 7.216,25/ha Valor dos Recursos Madeireiros e Carvão: Valor total do desmatamento (U$/ha) Recursos madeireiros101,81 Carvão vegetal1.511,84 Total1.613,65 Sinisgalli et al. (2008) PROJETO PURUS

7 Custo de Oportunidade do uso da Terra VPL (U$/ha) Valor de Oportunidade187,11 a 1.309,52 Valor de Arrendamento442,60 a 655,95 Valor Presente Líquido referente a oportunidade do uso da terra após o desmatamento: (Nicol et al (2008) PROJETO PURUS

8 Valoração do Desmatamento e Custo de Oportunidade da Terra Menor Valor (U$/ha)Maior Valor (U$/ha) Desmatamento1.613,65 CO (VPL)187, ,82 Total (VPL em 40 anos) 1.800, ,47 Valoração da Perda da Floresta em Pé (O quanto deixa de ganhar) Menor CO (U$/ha) Maior CO (U$/ha) VPL Floresta (VPL)7.216,25 VPL Desmatamento + CO1.800, ,47 VPL Perda da Floresta em Pé (VPL em 40 anos) 5.415, ,78 CO: Custo de Oportunidade PROJETO PURUS

9 Bacia do Rio Purus SimulaçõesAno Floresta (%)Área (ha) VPL Floresta (U$/ha)Total (U$) DINAMICA , , , , , , , , ,73 TerraME , , , , , , , , ,51 Valoração da floresta em pé: Área total da Bacia do Rio Purus: km² ou ha. PROJETO PURUS

10 Valoração da perda da floresta em pé (deixa de ganhar): (Considerando menor CO) Área total da Bacia do Rio Purus: km² ou ha. Bacia do Rio Purus SimulaçõesAno Desmata/o (%)Área (ha) VPL Perda (U$/ha)Perda Total (U$) DINAMICA 19975, , , , , , , , ,00 TerraME 19973, , , , , , , , ,00 PROJETO PURUS

11 Valoração da perda da floresta em pé (deixa de ganhar): (Considerando maior CO) Área total da Bacia do Rio Purus: km² ou ha. Bacia do Rio Purus SimulaçõesAno Desmata/o (%)Área (ha) VPL Perda (U$/ha)Perda Total (U$) DINAMICA 19975, , , , , , , , ,00 TerraME 19973, , , , , , , , ,00

12 ESTUDO DE CASO: MUNICÍPIO DE LÁBREA -AM

13 Área do município: ha MUNICÍPIO DE LÁBREA BACIA DO PURUS

14 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS IMAGEM MODIS AGO-2000

15 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS IMAGEM MODIS AGO-2006

16 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS Mata Área Agrícola Sedimentos não Consolidados Desmatamento Área Urbana USO DA TERRA Mapa 2000 Rio

17 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS Mata Área Agrícola Sedimentos não Consolidados Desmatamento Área Urbana USO DA TERRA Mapa 2006 Rio

18 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS ÁREA: ha (ha)(%)(ha)(%) Mata , ,34 Desmatamento , ,21 Agrícola , ,96 Urbano8400, ,05 SNC , ,43 USO DA TERRA

19 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS VALOR DO USO DA TERRA Uso Da TerraU$/ha Floresta em pé (VPL) Desmatamento Custo de Oportunidade do Uso da Terra 7.216, ,65 187,11 a 1.309,52

20 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS VALOR DO USO DA TERRA Cobertura e Uso Área (ha) Valoração (U$/ha) Total (U$) VPL Floresta Desmatamento VPL CO (menor) VPL CO (maior) , , , , ,65 187, , , , , ,40

21 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS Mata Sedimentos não Consolidados Desmatamento Área Urbana USO DA TERRA Mapa 2006 Rio USO DA TERRA Mapa 2015 Projeção para 2015

22 PROJETO PURUS MUNICÍPIO DE LÁBREA - AMAZONAS DESMATAMENTO Incremento do desmatamento para 2015 e perda em U$: Lábrea 2015 Simulações Desmata/o (%)Área (ha) VPL Perda (U$/ha)Valor total (U$) Dinamica 10, , , , , ,54 TerraME 7, , , , , ,30

23 Avaliação econômica do transporte de umidade amazônica através de Jatos de Baixos Níveis para o sul e sudeste brasileiros São José dos Campos, SP – Brasil Junho 2009 Ana Luiza Ximenes Neves Costa Wilson Cabral de Sousa Júnior Carlos Frederico de Angelis Marília Nascimento Demerval Aparecido Gonçalves

24 Jatos de Baixos Níveis (JBN) Fonte: Marengo et al (2004) Apud Nascimento (2008)

25 Jatos de Baixos Níveis (JBN) Fonte: Nascimento (2008).

26 Balanço Hídrico na Amazônia Fonte: Salati e Marques (1984) Apud Moss e Salati (2007).

27 Resultados UHEs cadastradas nas regiões sul e sudeste do Brasil

28 Resultados – NCJE Sobreposição das UHEs do sul e sudeste brasileiro e precipitação média acumulada (mm/dia) oriunda dos jatos NCJE

29 Perdas (em geração hidrelétrica)

30 REFLEXÕES... A roda viva, a economia ecológica e os serviços ecossistêmicos... Ninguém sabe o custo de Belo Monte: valores variam de R$ 7 bi a R$ 30 (29 de julho de 2009): Além da questão ambiental, divergência nos investimentos pode emperrar a obra


Carregar ppt "Serviços macrossistêmicos da Amazônia e questões de escala Wilson Cabral de Sousa Jr Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Civil"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google