A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bancos de dados e Web ( XML, Ontologias) Prof.: Sandro Rigo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bancos de dados e Web ( XML, Ontologias) Prof.: Sandro Rigo."— Transcrição da apresentação:

1 Bancos de dados e Web ( XML, Ontologias) Prof.: Sandro Rigo

2 Sumário 1.Motivação para uso de XML 2.Características Gerais do XML 3.Exemplo de uso 4.Exercício: XML e BD 5.Web semântica

3 1.Motivação para uso de XML

4 Na Web: - HTML : papel central na Web - Esquema de marcação para as páginas - Tempo curto de uso - Diversidade de modos de conexão: tv digital, handhels, telefones, carros,... - Diversidade de mídias - Necessidade de custos menores

5 Dificuldades na Web : - número grande de tags HTML, - interpretação de tags pelo browser - uso de tags pelo criador das páginas - dificuldade de separar conteúdo e forma - pouca necessidade de clientes simples - muita necessidade de clientes complexos - melhorias nos formulários - combinações com: computação gráfica, animação, multimídia, e-commerce, matemática, meta-dados

6 Com Bases de Dados: - facilidades de exportação, validação e importação de dados - facilidades de modelagem e integração de modelos distintos

7

8

9 Exemplo de ontologia

10 Detalhes do mapeamento

11

12

13

14 HTMLXML marcação de apresentações, orientada para visualização marcação de conteúdo, orientada para dados não exige validação, interpretação livre fortemente validada, interpretação rígida elementos pré-definidoselementos livremente definidos uso em contextos determinados (navegador) uso em diversos contextos de aplicações de SW uso de gramática acesso com DOMacesso com DOM/SAX

15 - independente de plataforma - dependente de conteúdo - recomendada pelo W3C em HTML:aplicação da SGML ( Standard Generalized Markup Language ), padrão internacional para descrição de documentos eletrônicos – ISO XML criado como aplicação da SGML

16 - separação de conteúdo e estrutura do documento: o conjunto de dados pode ser exibido (corretamente) : -em um monitor de TV, -em um display de fone celular, - traduzido para voz em um dispositivo para cegos, - exibido em um monitor de computador, - recebido em um computador de bordo de carro

17 - tags interpretados pela aplicação/aplicativo - tags case-sensitive - inclui end tags:, - inclui / para tag vazios:, - indica com aspas valores atribuídos:

18 - a criação de tags não depende do W3C - é estruturado - família de tecnologias (Xlink, XSL, DOM, XML Namespaces, XML Schemas, RDF)

19 -XML: sucesso? -Motivos: - documentos e dados independentes de aplicações - sintaxe padrão para metadados - estrutura padrão para documentos e dados - tecnologia antiga (SGML, TEX,...) - custo de processamento: suportável, atualmente

20 ÐÏࡱá > þÿ *, þÿÿÿ ) ÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿÿì¥Á ð¿ bjbjÏ2Ï2. ­X ­X ÿÿ ÿÿ ÿÿ ˆ F j j j j v F ¶ Ž Ž Ž Ž Ž Ž Ž Ž $ I R \ 8 2 Ž Ž Ž Ž Ž Ž Ž M à à à Ž 2 Ž 2 Ž à Ž à à ö 2 2 ö Ž :øÄ j ž ö c 0 ö ÷ ¨ ÷ ö F F ÷ 2 ö Ž Ž à Ž Teste com xml

21 - Dados x Metadados Carlos SilvaNome Duque de Caxias 456Endereço CEP Porto AlegreCidade - Estrutura x Dados {brazilian} \contentsline {chapter}{\numberline {1}Modelo Cap\IeC {\'\i }tulo SWL}{4} \contentsline {section}{\numberline {1.1.}Introdu\c c\~ao}{4} \contentsline {subsection}{\numberline {1.1.1.}Subse\c c\~ao}{4} \contentsline {subsection}{\numberline {1.1.2.}Programas e Algoritmos}{5} \contentsline {subsection}{\numberline {1.1.3.}Linha de Comando}{5} \contentsline {subsection}{\numberline {1.1.4.}Figura}{5} \contentsline {subsection}{\numberline {1.1.5.}Tabela}{6} \contentsline {section}{\numberline {1.2.}Bibliografia}{6}

22 - Namespaces - nomes únicos para elementos e atributos - prefixo + nome local - declaração - expansão Teste Corpo do teste

23 - Namespaces - nomes únicos para elementos e atributos - prefixo + nome local - declaração - expansão Teste Corpo do teste Teste

24 - elementos Revisão Geral Carlos Silva Marcador de início Marcador de fim Marcador vazio - Documento bem formado x válido - Esquema (DTD/XMLSchema)

25 Estrutura de documentos XML: Lógica: - elementos e sub-elementos, tipos de dados, atributos, restrições de cardinalidade... Física: - descrição dos dados de acordo com a estrutura lógica definida Documentos: - bem formados: seguem regras de sintaxe - válidos: seguem regras de sintaxe e de estrutura

26 Definição de estrutura: DTD (Document Type Definition) x XML Schema DTD: mais simples, não tem descreve tipos de dados, não é extensível, sintaxe própria. Schema: linguagem extensível, descreve tipos de dados, descreve cardinalidade, suporta namespaces, sintaxe XML.

27 -usado junto com uma gramática: - DTD - XML Schema

28 - usado junto com uma gramática: o DTD DTD - Document Type Definition - definições que descrevem o uso das marcações. - indica elementos, atributos e valores - indica relacionamento entre os elementos - pode definir também entidades

29 - exemplo de DTD para

30 - apenas um: from, to, subject, body - opcional: cc, date (?) - apenas texto: from, to, cc, data. Subject.

31 - campo body: texto, P, Br - Campo P: texto e zero ou mais Br e um atributo: align (valores: left/right/justify, default:left)

32 - Schema Simples: Complexo:

33 -Especificações básicas: - XML 1.0: define a sintaxe da XML -XPointer e Xlink: define mecanismos de representação de ligações entre documentos, permitindo ligação de recursos múltiplos e em formatos diferentes. -XSL: define a linguagem utilizada para descrever estilos para documentos XML

34 Browser XML: - realiza o leitura do documento e valida o mesmo junto ao DTD. - indicação da localização do DTD:..

35 Browser XML: - realiza o leitura do documento e valida o mesmo junto ao DTD. - indicação da localização do DTD: Documento well-formed : dentro das regras básicas

36 Browser XML: - realiza o leitura do documento e valida o mesmo junto ao DTD. - indicação da localização do DTD: Documento well-formed : dentro das regras básicas - Documento Válido: well-formed e dentro de uma especificação de um DTD.

37 Exemplo: well-formed Autor Alguém Terça - 14 de agosto de 2000 Introdução ao XML Obrigado pela leitura desta introdução Esperamos que seja proveitosa

38 Exemplo: well-formed & Válido Autor Alguém Terça - 14 de agosto de 2000 Introdução ao XML Comentários: Obrigado pela leitura Esperamos que seja proveitosa

39 Exemplo: well-formed & Válido Autor Alguém Terça - 14 de agosto de 2000 Introdução ao XML Comentários: Obrigado pela leitura Esperamos que seja proveitosa

40 3. Exemplo de uso Lista de disciplinas

41 - Versão HTML

42 Lista de disciplinas - Versão HTML Untitled Document Lista de Disciplinas Nome Professor Assunto Código Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Valter Nunes TCP/IP PR

43 Lista de disciplinas - DTD

44 Lista de disciplinas - Dados Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Valter Nunes TCP/IP PR4101 Tecnologias de Transmissao Carlos Silva ATM PR

45 Lista de disciplinas - Doc.XML Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Valter Nunes TCP/IP PR4101

46 Lista de disciplinas - Estilo.XSL Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor Assunto Codigo

47 Lista de disciplinas - Estilo.XSL Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor Assunto Codigo

48 Lista de disciplinas - Aplicação var xmlDso = xmldso.XMLDocument; xmlDso.load("listadisc-dados.xml"); Nome: .....

49 Codificação: Diversos formatos existentes: Latin-1 / ISSO (ASCII+alfabetos latinos) ISO (línguas da Europa central) ISO (esperanto, turco, maltês) ISO (alfabeto cirílico-russo, línguas eslavas) Para faciltar intercâmbio: uso do unicode (http://www.unicode.org)http://www.unicode.org formatos mais usados: UTF-8, UTF-16

50 NAMESPACES: Definição de contextos para cada elemento descrito O mesmo marcador pode ter diversas concepções Exemplo: Em HTML: título da janela Em um livro: título do livro Em uma aplicação: nome do assunto ! No W3C: Uso:

51 Atributos reservados: xml: lang – indica a linguagem utilizada exemplo: xml:space – indicação de espaço a ser preservado na apresentação dos dados do documento

52 Criação de documento XSL - O documento XSL permite aplicar formatação de estilo aos dados em documentos XML - Possibilita a transformação de uma mesma fonte para diversos formatos finais - Roteiro: 1. analisador XML monta a estrutura dos dados 2. processador XSLT aplica as instruções do documento XSL nesta estrutura de dados. 3. o resultado é enviado para um leitor

53 Exemplo: a)Documento XML com dados e indicação do doc. XSL Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Valter Nunes TCP/IP PR4101

54 Exemplo: a)Documento XML com dados e indicação do doc. XSL Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Valter Nunes TCP/IP PR4101

55 Exemplo: a)Documento XML com dados e indicação do doc. XSL Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Valter Nunes TCP/IP PR4101

56 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

57 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

58 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

59 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

60 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

61 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

62 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

63 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

64 Exemplo: b) Documento XSL ?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

65 Exemplo: b) Documento XSL Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

66 Exemplo: b) Documento XSL Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor

67 Exemplo: b) Documento XSL Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP

68 Exemplo: b) Documento XSL Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP

69 Exemplo: b) Documento XSL Titulo LISTA DE DISCIPLINAS Nome Professor Redes de Computadores e Protocolo TCP/IP Valter Nunes

70 Publicação de dados com XML/XSL Roteiro: - criação dos documentos - uso de parser (nos navegadores) - visualização dos resultados (em navegadores)

71 - elementos Revisão Geral Carlos Silva Marcador de início Marcador de fim Marcador vazio - Documento bem formado x válido - Esquema (DTD/XMLSchema)

72 DOM / SAX - DOM - Estrutura de nodos - documento, elemento, atributo, texto, comentário -Manipulação em memória - SAX - Estrutura de eventos - início, texto, fim - manipulação em trechos

73 DOM: (segundo o W3C) O modelo de objetos para documentos (DOM) é uma API padrão para a estrutura de documentos e tem por objetivo facilitar o acesso de programadores aos seus conteúdos, para tarefas como apagar, acrescentar ou editar conteúdos, atributos ou estilos....Interface neutra com relação à plataformas e linguagens...

74 Exemplos - DOM: Tipo de nodoExemplo Tipo de documento Instrução de processamento Elemento Atributoordem=left"

75 SAX: (segundo o SaxProject) SAX (Simple Api for Xml) teve seu início em 1997 e implementa uma interface padrão para análise de documentos XML. Diferencia-se do DOM por ser baseada em eventos e não baseada em árvores. Apresenta melhor desempenho em determinadas situações pois não existe a necessidade de percorrer todo o documento e montar uma estrutura em árvore para somente depois iniciar a sua manipulação.

76 Exemplo: Documento: Resultado da análise: start document start element: mail start element: to characters: end element: to end element: mail

77 Ferramentas: PARSERS - SAX SAXPROJECT.ORG: The GNU Compiler for Java (GCJ) has for some time derived C++ bindings ("CNI" versus "JNI") directly from the Java interfaces. These allow C++ programs to use SAX2 Java parsers compiled to native code just like C++ classes, with only the overhead of a C++ virtual method invocation, not the significantly larger overhead of JNI.GNU Compiler for Java Microsoft's MSXML 3.0 parser defines a COM binding, accessible from C, C++, Visual Basic, and more.Microsoft's MSXML 3.0 Pascal, with a Delphi focus. Version 1.1 is done, supports SAX2r2.Pascal Perl (also check CPAN).Perl Python 2.0 and later bundles several SAX packages ( xml.sax and so on) as part of its markup processing support.Pythonmarkup processing SAX in C++, provides another C++ binding, using standard features of C++ such as namespaces, std::string, and templates.SAX in C++ Xerces-C, part of the Apache XML project, defines its own C and C++ bindings. This C++ binding makes minimal use of C++ features.Xerces-C Curl Corporation defines its own web content language, and includes SAX2 support in its runtime environment.Curl Corporation ElCel Corporation provides a C++ XML toolkit with a SAX 2.0 binding.ElCel Corporation

78 Ferramentas: PARSERS - DOM W3C + GOOGLE: – XP - – Microsoft - Microsoft's MSXML 3.0Microsoft's MSXML 3.0 – Alphaworks - – Expat - expat.sourceforge.net/ – Apache – Xerces - xml.apache.org/xerces-j/

79 DOM / SAX - Uso - Parser XML com Javascript: carga de arquivo var xmlDoc = new ActiveXObject("Microsoft.XMLDOM") xmlDoc.async="false" xmlDoc.load(mail.xml") // processamento

80 -Parser XML com Javascript: escrita de arquivo var text=" text=text+" Carlos Silvia " text=text+" Lembrete! " text=text+" Não se esqueça... " text=text+" " var xmlDoc = new ActiveXObject("Microsoft.XMLDOM") xmlDoc.async="false" xmlDoc.loadXML(text) // processamento DOM / SAX - Uso

81 DOM/nodos: propriedades, métodos DOM / SAX - Uso nodeType nodeTypeStringnodeNamenodeValueConstante 1elementtagNameNuloELEMENT_NODE 2attributenamevalorATTRIBUTE_NODE 3text#textConteúdo do nodoTEXT_NODE 4cdatasection#cdata- section Conteúdo do nodoCDATA_SECTION_NODE 5entityreferenceentity reference name NuloENTITY_REFERENCE_NO DE 6entityentity name NuloENTITY_NODE 7processinginstructi on targetConteúdo do nodoPROCESSING_INSTRUCTI ON_NODE 8comment#commentTexto do comentárioCOMMENT_NODE 9document#documentNuloDOCUMENT_NODE 10documenttypedoctype name NuloDOCUMENT_TYPE_NODE 11documentfragment#document fragment NuloDOCUMENT_FRAGMENT_ NODE 12notationnotation name NuloNOTATION_NODE

82 DOM/nodos: propriedades, métodos DOM / SAX - Uso PropriedadeDescrição AttributesRetorna um mapa de nodos (NamedNodeMap)com todos os atributos deste nodo ChildNodesRetorna uma lista de nodos (NodeList) com todos os nodos filho FirstChildRetorna o primeiro filho deste nodo LastChildRetorna o último filho deste nodo NextSiblingRetorna o próximo nodo irmão (filho do mesmo pai) NodeNameRetorna o nome do nodo NodeTypeRetorna o tipo do nodo NodeValueRetorna o valor do nodo ownerDocumentRetorna o nodo raiz do documento parentNodeRetorna o nodo pai do nodo atual previousSiblingRetorna o nodo irmão (filho do mesmo pai) anterior ao nodo atual

83 DOM/nodos: propriedades, métodos DOM / SAX - Uso MétodosDescrição appendChild(novo)Insere nodo filho cloneNode(boolean)Retorna um clone do nodo atual. Se o valor nooleano for verdadeiro clona os filhos também hasChildNodes()Retorna verdadeiro se o nodo tem filhos insertBefore(novo,refe rência) Insere um novo nodo antes do nodo referência removeChild(nome)Remove o nodo especificado pelo nome replaceChild(novo, antigo) Substitui

84 Recursos para ligação XML: especificação XLink Elementos: - link (simplelink, extendedlink) - participantes do link - documento XML ou não (texto, vídeo,.....) - parte de documento (identificada c/ XPointer) - locais ou remotos (locator = URI) - metadados sobre os participantes

85 Recursos para ligação Exemplo: XMLDecl :...>' prolog ::= XMLDecl? Misc* (doctypedecl Misc*)? Referências para o documento: veja regra 22. LINK LOCATION:

86 Recursos para ligação Exemplo: XMLDecl :...>' prolog ::= XMLDecl? Misc* (doctypedecl Misc*)? Referências para o documento: veja regra 22. LINK LOCATION:

87 Recursos para ligação XML: especificação XLink Elementos: - link (simplelink, extendedlink) - participantes do link - documento XML ou não (texto, vídeo,.....) - parte de documento (identificada c/ XPointer) - locais ou remotos (locator = URI) - metadados sobre os participantes - arcos – início e fim de uma ligação

88 Recursos para ligação Exemplo:

89 Recursos para ligação Exemplo:

90 Recursos para ligação Exemplo: Prolog Xlink:title=Prolog -> Ref. /> A B

91 XML: especificação Xlink - criação de elemento xlink simples Lista de autores

92 XML: especificação Xlink - role: string definindo o conteúdo do link; pode ser usada na renderização.

93 XML: especificação Xlink - role: string definindo o conteúdo do link; pode ser usada na renderização. - title: string contendo a descrição do link (alt)

94 XML: especificação Xlink - role: string definindo o conteúdo do link; pode ser usada na renderização. - title: string contendo a descrição do link (alt) - show: forma de renderização - new: conteúdo exibido em novo contexto - replace: substituição de contexto - embedded: conteúdo misturado com o contexto atual

95 XML: especificação Xlink - role: string definindo o conteúdo do link; pode ser usada na renderização. - title: string contendo a descrição do link (alt) - show: forma de renderização - new: conteúdo exibido em novo contexto - replace: substituição de contexto - embedded: conteúdo misturado com o contexto atual -actuate: forma de atuação do link - onRequest : quando o usuário solicitar - onLoad: quando o documento é carregado

96 XML: especificação Xlink XML: especificação Xlink : Links Extendidos - permitem mais de um recurso ser indicado - devem ser descritos em documento separado Atributos: - type : extended - role, title: idem link simples - locator: indica os recursos a serem linkados - arc: indica conexões entre recursos - from: origem do link extendido - to: destino do link extendido - resource: definem sub-elementos do link

97 Recursos para ligação XML: especificação Xlink: Links Extendidos

98 XML: especificação Xlink XML: especificação Xlink: Links Extendidos Recurso 1 Recurso 2 Recurso 3 Recurso 4 biblioteca de links

99 XML: especificação Xlink XML: especificação Xlink: Links Extendidos Recurso 1 Recurso 2 Recurso 3 Recurso 4 biblioteca de links

100 XML: especificação XPointer - Identificação de fragmentos de documentos XML - Sintaxe simples: - documento#identificador - documento#esquema

101 XML: especificação XPointer - Identificação de fragmentos de documentos XML - Sintaxe simples: - documento#identificador - documento#esquema Exemplo: XML: XPointer: documento#d1 documento#element(/1/1)

102 XML: especificação XPointer Exemplos: Documento XML:..... redes Descrições: a) b) #xpointer(/1/3/3) -> sala da disciplina d3 c) #xpointer(id(d3/[3]) -> sala da disciplina d3 d) #xpointer(start-point(//lista)) -> início da lista e) #xpointer(start-point(string-range(/*,redes,1,0)) -> início do nome de d2

103 Aplicações - Uso de DOM/SAX como bibliotecas - Disponibilidade em diversas linguagens - Uso em diversos contextos - Maior flexibilidade

104 XPATH -biblioteca de funções padrão para acesso aos elementos de documento XML -Objetivo: suportar XLink/XPointer/XSLT -Sintaxe simplificada para identificação de elementos -Possibilidades de indicações relativas -W3C Recommendation 16 November 1999

105 XPATH -Uso no XSL:

106 XPATH - Sintaxe Localização de nodos: / - caminho absoluto (/disc -> indica elem. pelo nome) // - critério (//cod_disc -> qualquer caminho até o elemento cod_disc) /* - curinga ( /disc/*/nome_prof) [ ] – posição ( /disc[2] – terceira disciplina na lista) [last()] – última posição (/disc[last()] ) [nome] – existência de elemento (/disc[horas_aula]) [nome=valor] – existência de elemento com valor (/disc[horas_aula=50])

107 XPATH - exemplo Com XSLT (aula 3) 1">.... Redes de...TCP/IP ValterNunes TCP/IP PR4101 2

108 XPATH - exemplo Com Xpath: xmlDoc.load("http://www..../aula04/lista.xml") path="/LISTA_DISC/DISC[TURNO_DISC>1]" set nodos=xmlDoc.selectNodes(path) document.write("Lista...com turno > 1:") for each x in nodos document.write(" ") document.write(x.xml) document.write(" ") next

109 EXERCÍCIO Descreva um arquivo xml para uso em uma agenda de telefones Elementos mínimos: nome, , fone, endereço, data de nascimento Permitir: dois tipos de fone e (residencial e comercial) Após: Implemente uma tabela para comportar estes dados.

110 Roteiro: -Cronograma, trabalhos, material -Recursos Tecnológicos -Interação por voz -Indexação – web semântica

111 Indexação - Web Semântica Semântica –Sintaxe: forma de expressão –Semântica: conteúdo (significado) –Web semântica organização explícita da informação compartilhamento de terminologia informação disponível para programas

112 Indexação - Web Semântica Tarefa: procurar pela homepage do Sr. e a Sra. Chaves, que são professores universitários Procurando em ferramentas de busca por Chaves, você encontrará várias páginas sobre chaveiros, e procurando por universidade também retornará várias páginas de universidades. Pesquisar os dois termos juntos modifica pouco o resultado.

113 Indexação - Web Semântica Seria interessante poder consultar da seguinte forma: Encontre páginas para todo x, y, and z tal que x é uma pessoa, y é uma pessoa, z é uma universidade nome( x,"Chaves") e nome( y,"Chaves") e trabalha_em( z, x) e trabalha_em( z, y) e casado_com( x, y)

114 Indexação - Web Semântica Tecnologias –XML (eXtensible Markup language) –RDF (Resource Description Framework) –Ontologia ( RDFS, DAMIL+OIL, SHOE, OWL ) –Lógicas ( Description Logics ) –Inferência (Prova)

115 Indexação - Web Semântica

116 Sintaxe bem definida: conjunto de caracteres interoperabilidade entre plataformas distintas descrição correta da estrutura da informação identificação correta da informação

117 Indexação - Web Semântica Sintaxe bem definida: exemplos: xml descrevendo disciplina professor ministrante anotação em texto

118 Web Semântica { Sintaxe bem definida: exemplo: xml p/ disciplina, página de professor anotação em texto

119

120 Indexação - Web Semântica Sintaxe bem definida: exemplos: xml descrevendo disciplina professor ministrante anotação em texto

121

122 Indexação - Web Semântica Sintaxe bem definida: exemplo contrário : dados similares em HTML

123 Untitled Document Lista de Disciplinas Nome Professor Assunto Código Redes de Computadores Valter Nunes TCP/IP PR

124 Untitled Document Lista de Disciplinas Nome Professor Assunto Código Redes de Computadores Valter Nunes TCP/IP PR

125 Untitled Document Lista de Disciplinas Nome Professor Assunto Código Redes de Computadores Valter Nunes TCP/IP PR

126 Indexação - Web Semântica Semântica bem definida: compartilhamento de terminologia descrição de relações descrição de atributos

127 Indexação - Web Semântica Semântica bem definida: linguagens para descrever ontologias: RDFS DAML+OIL OWL

128

129

130

131 Indexação - Web Semântica Semântica bem definida: linguagens para descrever (na web) ontologias: RDFS DAML+OIL OWL

132 Indexação - Web Semântica Uso dos recursos descritos: recuperação de informações validação de informações obtidas aplicações de software

133 Ontologias Em Filosofia: –estudo do que existe no mundo Em IA: –especificação das classes, objetos e relações de um domínio Especificação explícita de uma conceitualização [GUA97]

134 Ontologias Conjuntos de asserções: –relações entre conceitos –regras de raciocínio Possibilitam a interpretação do significado das informações

135 Ontologias Domínio –ontologias gerais –ontologias específicas exemplos: universidade, impressora, geográfica,...

136 Ontologia na web semântica Integração de informações –compartilhamento de termos(conceitos) –definição de atributos –descrição de relações construção de conhecimento –manutenção de ontologias inferência –recuperação de informações e relações

137 OWL ( Ontology Web Language ) W3C: candidate recommendation (8/2003) Extende RDFS Experiências: DAML, OIL, RDFS Vocabulário, em XML, para descrição de classes e relações Suporte para inferência APIs para manipulação (Jena) Suporte em editores (Protege)

138 OWL ( Ontology Web Language ) DAML DAML+OIL OWL: OIL OWL RDF DAML = DARPA Agent Markup Language OIL = Ontology Inference Layer

139 Inferência Objetivos da Web semântica –informação inteligível para a máquina –raciocínio: validação, descoberta Possibilidades, com inferência –verificação de consistência (ontologias) –hierarquia de classes (ontologias) –integração entre ontologias distintas –consultas: classes, instâncias

140 Inferência Dada uma ontologia –conceitos –Relações Dada uma sentença –relação específica –conceito específico Usando-se regras de inferência –validação ou descoberta

141 Inferência Ontologia: -conceitos -relações Sentença: -relação específica -conceito específico regras de inferência validação ou descoberta Usuário Aplicações

142 OWL ( Ontology Web Language ) a)Identificação de um suspeito … Exemplos de uso (1):

143 OWL ( Ontology Web Language ) b) Notificação por excesso de velocidade … Exemplos de uso (1):

144 OWL ( Ontology Web Language ) c) No BD da polícia Exemplos de uso (1):

145 OWL ( Ontology Web Language ) d) Relacionando: Exemplos de uso (1): AssaltoJoao_da_Silva Notificacao Carlos_Silva owl:sameIndividualAs

146 OWL ( Ontology Web Language ) d) Relacionando: Exemplos de uso (1): AssaltoJoao_da_Silva Notificacao Carlos_Silva owl:sameIndividualAs Inferência possível: Joao_da_Silva e Carlos_Silva são a mesma pessoa!

147 OWL ( Ontology Web Language ) a) Pesquisa: orçamento de câmera Exemplos de uso (2): Agente de software WebSite Catálogo solicitado Envie catálogo 300mm zoom $2500 USD 1 Pesquise câmeras SLR é uma câmera??

148 OWL ( Ontology Web Language ) b) Consulta ontologia sobre câmeras Exemplos de uso (2): camera DigitalSLR Relações de subclasse na ontologia Sobre cameras indicam que SLR é um tipo de camera. Inferência possível: SLR é um tipo de Câmera


Carregar ppt "Bancos de dados e Web ( XML, Ontologias) Prof.: Sandro Rigo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google