A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

João Pedro Francese Trabalho Final de Redes I Prof. Otto Duarte - GTA/UFRJ.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "João Pedro Francese Trabalho Final de Redes I Prof. Otto Duarte - GTA/UFRJ."— Transcrição da apresentação:

1 João Pedro Francese Trabalho Final de Redes I Prof. Otto Duarte - GTA/UFRJ

2 Escrita oculta O que é? R.: Estudo das técnicas de ocultar informações Criptoanálise e criptologia

3 600 AC ao século XX: técnicas simples: Transposição Substituição Exemplos: Atbash (inversão das letras) César (rotação) Século XX: aparelhos mecânicos e fórmulas matemáticas Década de 1940: computadores famosos Enigma Colossus

4 Técnica moderna mais simples Função matemática converte texto puro em texto criptografado Mesma chave para cifrar e decifrar Vantagem: Velocidade Desvantagem: Trocar a chave secreta

5 Década de 1970 Uma chave para cifragem e outra para decifragem Chaves relacionadas através de uma função: Simples de criar a pública a partir da privada O inverso é extremamente demorado! Vantagem: Troca de chaves simples Desvantagem: Lento

6 Confidencialidade Integridade Autenticidade

7 Teoria física desenvolvida no século XX Mundo clássico: determinismo Mundo quântico: incertezas Dois princípios: A energia é quantizada Toda partícula é uma onda Princípio da Incerteza de Heisenberg: Δx Δp x h / 2π Barreira intransponível!

8 Evolução da computação por miniaturização Limite físico Solução: uso dos efeitos quânticos Bit: 0 ou 1 Qubit: 0, 1 ou ambos (até ser medido) Vetor de n qubits: 2 n estados Qubits não podem ser copiados

9 Mesmo tamanho de entrada e saída Aplicada sobre todos os estados possíveis Cálculos paralelos! Resultado também é probabilístico!

10 Problemas exponenciais resolvidos em tempo polinomial Algoritmo de Shor (1994): Fatoração de primos em O(log 3 n) Chaves RSA quebradas Como resolver este problema?

11 Princípios da física quântica para garantir a segurança 1970: armazenar partículas Impraticável 1980: envio de fótons Polarização Medição em uma base Emaranhamento

12 Envio seguro de chaves Não precisam de conhecimento compartilhado Espiões passivos detectados Chave gerada usada para criptografia simétrica

13 1. Alice envia fótons 2. Bob escolhe bases e mede 3. Bob diz as bases escolhidas 4. Alice confirma as bases certas

14 5. Ambos descartam bases incorretas 6. Fótons são convertidos para bits 7. Bob compara alguns bits com Alice e.Iguais: ok! f.Diferentes: descartar tudo

15 Processo repetido para aumentar tamanho da chave Espião passivo tem de medir os fótons Escolha da base errada interferência Probabilidade arbitrariamente pequena do espião ter sucesso

16 Bit Commitment Como garantir sua resposta sem divulgá-la? Informação de compromisso baseada na resposta Ex.: hash Ligante Ocultante Impossível ser ambas

17 Oblivious Transfer ou Multiplexação Quântica Envio simultâneo de vários dados Apenas um pode ser lido O emissor não sabe qual foi escolhido Ex.: fótons emaranhados

18 Confiabilidade Segurança garantida pelos princípios físicos Não se apóia em supostas dificuldades Intruso pode ser detectado

19 Transmissão de fótons sensível a erros Correção de erro quântica (QEC) Ruídos do meio Confundidos com espiões passivos

20 Dificuldades e custos Descoerência Shor para 200 algarismos 3500 qubits Perda de ligação em menos de 1ms Não factível para uso em larga escala

21 Nem todo ataque pode ser evitado Ataques ativos: Espião pode receptar e reenviar dados Maior chance para o espião Exploração de imperfeições: Envio de feixes de fótons Interceptação de parte do feixe

22 Área promissora Desafios de escala a superar Estado atual: 150km por fibra ótica 140km ao ar livre Tentativas próximas: Envio por satélite e através de sólidos

23 Usos práticos em 2007: Transferência bancária na Áustria Transmissão de dados eleitorais na Suíça Muitos investimentos na área: em busca da supremacia tecnológica

24 Criptografia Quântica João Pedro Francese

25 Em um esquema de chave pública, por que seus dados criptografados não ficarão desprotegidos se você divulgar sua chave pública? Resposta: A chave pública é metade do quebra-cabeça. É preciso ter a chave privada para decodificar as informações.

26 Por que a criptografia tradicional corre sério risco com a difusão da computação quântica? Resposta: Porque ela é baseada na suposta dificuldade de alguns cálculos matemáticos. A computação quântica pode tornar tais operações factíveis.

27 Por que se considera que a transmissão quântica de chaves não pode sofrer espionagem passiva? Resposta: A medição dos bits quânticos por parte do espião altera os dados recebidos e isto pode ser detectado pelas partes legítimas.

28 Cite três características importantes de funções que atuam sobre bits quânticos. Resposta: 1. Mesmo número de qubits de entrada e saída. 2. Operam sobre todos os estados simultaneamente. (paralelização exponencial) 3. Resultado probabilístico. (chance de não obter a resposta desejada)

29 Por que a criptografia quântica é usada apenas na transmissão de chaves e não para outros fins, como a criptografia permanente de dados? Resposta: Devido à dificuldade de armazenar fótons polarizados ou emaranhados. A comunicação quântica é possível pois é relativamente simples enviar fótons.


Carregar ppt "João Pedro Francese Trabalho Final de Redes I Prof. Otto Duarte - GTA/UFRJ."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google