A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROGRAMA DE ESTUDO SISTEMATIZADO DO CEFAK SUBPROGRAMA DE ESTUDOS SEQUENCIAIS - PES 10ª REUNIÃO DE ESTUDO TEMA : DESDOBRAMENTO 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROGRAMA DE ESTUDO SISTEMATIZADO DO CEFAK SUBPROGRAMA DE ESTUDOS SEQUENCIAIS - PES 10ª REUNIÃO DE ESTUDO TEMA : DESDOBRAMENTO 1."— Transcrição da apresentação:

1 PROGRAMA DE ESTUDO SISTEMATIZADO DO CEFAK SUBPROGRAMA DE ESTUDOS SEQUENCIAIS - PES 10ª REUNIÃO DE ESTUDO TEMA : DESDOBRAMENTO 1

2 LIVRO LOCAL INSTRUTOR CENTRO ESPÍRITA ESPÍRITO ÁULUS TEMA DESDOBRAMENTO EM SERVIÇO- CAP. 11 2

3 Chegara a vez do médium Antônio Castro. Profundamente concentrado, denotava a confiança com que se oferecia aos objetivos de serviço. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 3

4 Aproximou-se dele o irmão Clementino e, à maneira do magnetizador comum, impôs-lhe as mãos, aplicando-lhe passes de longo circuito. Castro como que adormeceu devagarinho, inteiriçando-se-lhe os membros. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 4

5 Do tórax emanava com abundância um vapor esbranquiçado que, em se acumulando à feição de uma nuvem, depressa se transformou, à esquerda do corpo denso, numa duplicata do médium, em tamanho ligeiramente maior. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 5

6 O diretor espiritual da casa submetia o medianeiro a delicada intervenção magnética que não seria lícito perturbar ou interromper. O médium, assim desligado do veículo carnal, afastou-se dois passos, deixando ver o cordão vaporoso que o prendia ao campo somático. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 6

7 Enquanto Clementino o encorajava com palavras amigas, o nosso orientador, certamente assinalando-nos a curiosidade, deu- se pressa em esclarecer: DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 7

8 - Com o auxílio do supervisor, o médium foi convenientemente exteriorizado. A princípio, seu perispírito ou "corpo astral" estava revestido com os eflúvios vitais que asseguram o equilíbrio entre a alma e o corpo de carne, conhecidos aqueles, em seu conjunto, como sendo o "duplo etérico", formado por emanações neuropsíquicas que pertencem ao campo fisiológico e que, por isso mesmo, não (…) DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 8

9 (…) conseguem maior afastamento da organização terrestre, destinando-se à desintegração, tanto quanto ocorre ao instrumento carnal, por ocasião da morte renovadora. Para melhor ajustar-se ao nosso ambiente, Castro devolveu essas energias ao corpo inerme, garantindo assim o calor indispensável à colmeia celular e desembaraçando-se, tanto quanto possível, para entrar no serviço que o aguarda. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 9

10 - Ah! - disse Hilário, com expressão admirativa - aqui vemos, desse modo, a exteriorização da sensibilidade!... DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 10

11 - Sim, se algum pesquisador humano ferisse o espaço em que se encontra a organização perispirítica de nosso amigo, registraria ele, de imediato, a dor do golpe que se lhe desfechasse, queixando-se disto, através da língua física, porque, não obstante liberto do vaso somático, prossegue em comunhão com ele, por intermédio do laço fluídico de ligação. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 11

12 - Castro é ainda um iniciante no serviço. À medida que entesoure experiência, manejará possibilidades espirituais avançadas, assumindo os aspectos que deseje, considerando que o perispírito é constituído de elementos maleáveis, obedecendo ao comando (…) DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 12

13 (…) do pensamento, seja nascido da nossa própria imaginação ou da imaginação de inteligências mais vigorosas que a nossa, mormente quando a nossa vontade se rende, irrefletida, à dominação de espíritos tirânicos ou viciosos, encastelados na sombra. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 13

14 - Pela concentração mental, qualquer Espírito se evidenciará na expressão que deseje, todavia, empregando nossa imaginação criadora, podemos e devemos mobilizar os recursos ao nosso alcance, aprimorando concepções artísticas no campo de nossas relações, uns com os outros. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 14

15 O médium, mais à vontade fora do corpo denso, recebia as instruções que Clementino lhe administrava, paternal. Dois guardas aproximaram-se dele e lhe aplicaram à cabeça um capacete em forma de antolhos. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 15

16 - Para a viagem que fará - avisou-nos o Assistente, Castro não deve dispersar a atenção. Incipiente ainda nesse gênero de tarefa, precisa instrumentação adequada para reduzir a própria capacidade de observação, de modo a interferir o menos possível na tarefa a executar. Vimos o rapaz plenamente desdobrado alçar-se ao espaço, de mãos dadas com ambos os vigilantes. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 16

17 O trio volitou em sentido oblíquo, sob nossa confiante expectação. Desde esse momento, demonstrando manter segura comunhão com o veículo carnal, ouvimo-lo dizer através da boca física: - Seguimos por um trilho estreito e escuro!... Oh, tenho medo, muito medo...Rodrigo e Sérgio amparam-me na excursão, mas sinto receio!...Tenho a ideia de que nos achamos em pleno nevoeiro... DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 17

18 Mas Raul, sob a inspiração do mentor da casa, elevou o padrão vibratório do conjunto, numa prece fervorosa em que rogava ao Alto forças multiplicadas para o irmão em serviço. Junto de nós, Áulus informou: - A oração do grupo, acompanhando-o na excursão e transmitida a ele, de imediato, constitui-lhe abençoado tônico espiritual. [...] DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 18

19 Interpretando os fatos sob nossa observação, o Assistente explicou: - Raros espíritos encarnados conseguem absoluto domínio de si próprios, em romagens de serviço edificante fora do carro de matéria densa. Habituados à orientação pelo corpo físico, ante qualquer surpresa menos agradável, na esfera de (…) DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 19

20 (…) fenômenos inabituais, procuram instintivamente o retorno ao vaso carnal, à maneira do molusco que se refugia na própria concha, diante de qualquer impressão em desacordo com os seus movimentos rotineiros. Castro, porém, será treinado para a prestação de valioso concurso aos enfermos de qualquer posição. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 20

21 O desdobramento em serviço estava findo e com a tarefa terminada havíamos recolhido preciosa lição. DESDOBRAMENTO DE CASTRO Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz / psicografia de Chico Xavier - Cap. XI 21

22 22

23 DUPLO ETÉRICO 23

24 Emanações neuropsíquicas; Constitui-se de matéria mais tênue que o corpo físico; É necessário à vida do corpo físico; Recebe e distribui a força vital (prana) proveniente do sol, ligando-se intimamente à saúde física. DUPLO ETÉRICO: 24

25 É a reprodução exata da forma densa do corpo; Ultrapassa a epiderme em mais ou menos 0,5 cm; É de cor roxa acinzentada ou azul acinzentada, fracamente luminoso e de contextura grosseira ou delicada ; DUPLO ETÉRICO: 25

26 Morre e se decompõe; Serve de intermediário entre o corpo físico e o perispiritual (astral/psicossoma); Fornece os elementos do ectoplasma. (O Duplo Etérico - Major Arthur e Powell) DUPLO ETÉRICO: 26

27 AURA Irradiações dos corpos: físico, etérico e perispiritual; Captada pelas fotos Kirlian; O pensamento vibra constante no cérebro perispirítico; Denominado de "halo vital (André Luiz). 27

28 AURA 28

29 AURA 29

30 Foto Kirlian em filme fotográfico do dedo de uma pessoa e da parte superior revelando tonalidade de cores. AURA 30

31 Dormindo o corpo denso, continua vigilante a onda mental de cada um; O cérebro dormente, registra as impressões do espírito desligado das células físicas; O pensamento vibra constante no cérebro perispirítico. A onda mental é inestancável no Espírito. (M.L. - cap. XXI - A.Luiz) DESDOBRAMENTO 31

32 DESDOBRAMENTO DUPLO ETÉRICO E ASTRAL 32

33 DESDOBRAMENTO 33

34 DESDOBRAMENTO 34

35 DESDOBRAMENTO DO CORPO MENTAL 35

36 Desdobrando-se no sono vulgar, a criatura segue o rumo da própria concentração. Procura, fora do corpo físico, os objetivos Que se casam com os seus interesses Evidentes ou escusos. Entra em sintonia com as entidades afins, tanto na ação construtiva do bem, como na ação deletéria do mal. (M.L. - cap. XXI - A.Luiz)


Carregar ppt "PROGRAMA DE ESTUDO SISTEMATIZADO DO CEFAK SUBPROGRAMA DE ESTUDOS SEQUENCIAIS - PES 10ª REUNIÃO DE ESTUDO TEMA : DESDOBRAMENTO 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google