A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Maria de Fátima Mota Urpia XX ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Maria de Fátima Mota Urpia XX ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Maria de Fátima Mota Urpia XX ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

2 Segundo o Relatório Desenvolvimento Humano 2007/2008, a esperança de vida à nascença, em 2005, era de 71%; a população sem acesso a uma fonte de água melhorada em 2004 era de 10%, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), em 2005, era de 0,8% e o índice de pobreza humana era de 9,7% (PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO, 2009, p ).

3 [...] de acordo com o Relatório de Monitoramento Global de Educação para Todos, de 2006, são aproximadamente 774 milhões de adultos considerados analfabetos sujeitos que não dispõem das competências para ler, escrever e contar (UNESCO, 2008, p.16).

4 o porto morto realeza de pó de pé morrem os sonhos Lilian Maial

5 CONAE 2010 EJA Margarida Machado / Fórum EJA Goiás

6 A educação de adultos engloba todo o processo de aprendizagem, formal ou informal, onde pessoas consideradas adultas pela sociedade desenvolvem suas habilidades, enriquecem seu conhecimento e aperfeiçoam suas qualificações técnicas e profissionais, direcionando-as para a satisfação de suas necessidades e as de sua sociedade (Declaração de Hamburgo, 1997).

7 [...] geralmente o migrante que chega às grandes metrópoles proveniente de áreas rurais empobrecidas, filho de trabalhadores rurais não qualificados e com baixo nível de instrução escolar (muito freqüentemente analfabetos), ele próprio com uma passagem curta e não sistemática pela escola e trabalhando em ocupações urbanas não qualificadas, após experiência no trabalho rural na infância e na adolescência, que busca a escola tardiamente para alfabetizar-se (OLIVEIRA, 1999, p. 59)

8 [...]excluídos da participação dos bens sócio- culturais historicamente construídos, inclusive o direito à educação e aos meios de sobrevivência digna. [..] trabalhadores... raízes histórico-culturais em que foram se formando como ser humano- social. Os sujeitos professores e alunos têm a mesma gênese histórico-cultural (LOPES,2010).

9 ... aqueles que se igualam apesar de serem diferentes no que diz respeito às questões de gênero, de etnia/raça, de geração porque vivenciam experiências relativas à produção da existência ligadas à realização de atividades econômicas desvalorizadas socialmente. (... ) aquele que não teve acesso ao saber escolar, sujeito de direito, diferente, mas igual aos demais pelo lugar de classe que ocupa ( URPIA, 2009).

10 o fim maior da educação a cidadania ou a emancipação humana; a situação do mundo atual a lógica que rege a sociabilidade no capital; a natureza essencial da educação; o campo específico da Educação de Jovens e Adultos.

11 (...) os seres humanos usufruem, no abstrato, de todas as liberdades, entretanto, a depender do lugar de classe no qual se encontram, muitos não usufruem de cada uma delas de modo igual a todos os outros ( URPIA, 2009). (...) a lógica é a manutenção da desigualdade real, em que pese à existência da igualdade formal todos têm direitos iguais ( URPIA, 2009).

12 A educação de adultos engloba todo o processo de aprendizagem, formal ou informal, onde pessoas consideradas adultas pela sociedade desenvolvem suas habilidades, enriquecem seu conhecimento e aperfeiçoam suas qualificações técnicas e profissionais, direcionando-as para a satisfação de suas necessidades e as de sua sociedade (Declaração de Hamburgo, 1997).

13 Margarida Machado / Fórum EJA Goiás Concepção de EJA pós-LDB Lei 9394/96: Modalidade da Educação Básica Concepção de EJA pós V CONFINTEA: Educação ao longo da vida (1997). Concepção de EJA nas Diretrizes Curriculares Nacionais do CEB/CNE: Parecer 11/2000 e Resolução 1/2000: de supletivo para educação de jovens e adultos. PNE/2001 Documento Nacional Preparatório para a VI Confintea, CONAE / PNE

14 A universalização da educação formal / estrita é impossível na lógica do capital. A transformação da sociabilidade a que estamos submetidos não cabe a educação ou as políticas públicas mas a forma como os homens produzem sua existência – a forma pela qual trabalham.

15 o fim maior da educação a cidadania ou a emancipação humana; a situação do mundo atual a lógica que rege a sociabilidade no capital; a natureza essencial da educação; o campo específico da Educação de Jovens e Adultos.

16 Há outros dias que não têm chegado ainda, que estão fazendo-se como o pão ou as cadeiras ou o produto das farmácias ou das oficinas [...] (PABLO NERUDA, 2007).

17 LOPES, M. G. R. de A. A Especificidade do Trabalho do Professor de Educação de Jovens e Adultos. Disponível em: - Acesso em: 02 mar.2010 NERUDA, P. Últimos Poemas: O mar e os sinos. Porto Alegre: L&PM, OLIVEIRA, Marta Kohl. Jovens e Adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. XXII Reunião Anual da ANPED. São Paulo, UNESCO. Declaração de Hamburgo sobre Educação de Adultos. Conferência Internacional sobre Educação de Adultos – CONFINTEA. V, Disponível em:. Acesso em: 15 mai Relatório de Monitoramento Global de Educação para Todos Brasil 2008 Educação para Todos em 2015; Alcançaremos a meta? Brasília, Disponível em: Acesso em: 14 fev URPIA, M. F. M. Fórum EJA Bahia: implicação na definição da política pública da Educação de Jovens e Adultos. Dissertação (Mestrado). Universidade Católica do Salvador. Programa de Pós- Graduação em Políticas Sociais e Cidadania. Orientação: Profª. Drª. Kátia Siqueira de Freitas, Salvador, UCSAL, 2009.


Carregar ppt "Maria de Fátima Mota Urpia XX ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google