A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso Proteção Auditiva - Série Solução SST- Aula 1 Departamento Regional Coordenadoria de Educação Local, 00 de mês de 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso Proteção Auditiva - Série Solução SST- Aula 1 Departamento Regional Coordenadoria de Educação Local, 00 de mês de 2010."— Transcrição da apresentação:

1

2 Curso Proteção Auditiva - Série Solução SST- Aula 1 Departamento Regional Coordenadoria de Educação Local, 00 de mês de 2010.

3  Ruídos podem ser prejudiciais à saúde auditiva.  Informe-se e previna-se! Introdução

4 Objetivos  Alertar os trabalhadores da indústria cerâmica sobre as consequências à saúde e ao bem-estar pessoal provocadas pelo ruído.  Informar os trabalhadores sobre a importância da proteção. Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

5 A poluição sonora já ocupa a terceira prioridade entre as doenças ocupacionais, no Estado de São Paulo. Disponível em: (Acesso em: 8 mar ) A poluição sonora já ocupa a terceira prioridade entre as doenças ocupacionais, no Estado de São Paulo. Disponível em: (Acesso em: 8 mar ) Notícias na mídia Em pesquisa realizada recentemente, a Organização Mundial de Saúde atestou o crescimento da poluição sonora no Brasil, tendo sido o país apontado como uma futura nação de surdos. Disponível em: (Acesso em: 8 mar ) Em pesquisa realizada recentemente, a Organização Mundial de Saúde atestou o crescimento da poluição sonora no Brasil, tendo sido o país apontado como uma futura nação de surdos. Disponível em: (Acesso em: 8 mar )

6 Notícias na mídia Cerca de 35% das perdas de audição são atribuídas à exposição a sons intensos, sejam eles em ambientes profissional ou em lazer. A surdez relacionada à exposição a sons intensos é “cumulativa”. Disponível em (Acesso em: 8 mar ) Cerca de 35% das perdas de audição são atribuídas à exposição a sons intensos, sejam eles em ambientes profissional ou em lazer. A surdez relacionada à exposição a sons intensos é “cumulativa”. Disponível em (Acesso em: 8 mar )

7 Som O que é som?

8 Conceito O som é uma vibração que se propaga pelo ar em forma de ondas e que é percebida pelo ouvido humano. É uma sensação agradável, em nível suportável e que não irrita.

9 Disponível em: (Acesso em: 9 mar ) Como o SOM é produzido?

10 Podemos, por exemplo, produzir som fazendo vibrar uma régua presa em uma extremidade. Disponível em: (Acesso em: 20 nov 2009)

11 O som caracteriza-se: Disponível em: (Acesso em: 9 mar )  pela sua intensidade;  pela sua altura;  pelo seu timbre.

12 Como o som se propaga? Vibração de partículas. O som precisa de um meio material para se propagar, ou seja, é preciso que haja partículas que possam vibrar. Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

13 Os sons são: Disponível em: (Acesso em: 20 nov.2009) Captados Amplificados Levados ao cérebro, que os interpreta Orelha externa Orelha média Orelha interna

14 Ruído O que é ruído?

15  O ruído é um SOM prejudicial à saúde humana que causa sensação desagradável e irritante. Disponível em:. (Acesso em: 9 mar ) Conceito

16 Ruído O ruído elevado é a principal causa de problemas auditivos em adultos. Afeta o bem-estar físico e mental. Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

17 Ruído contínuo FERNANDES, 2009.

18 Ruído intermitente FERNANDES, 2009.

19 Ruído de impacto FERNANDES, 2009.

20 Perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevados - PAINPSE  É a perda provocada pela exposição por tempo prolongado ao ruído.  Configura-se como uma perda auditiva do tipo neurossensorial, geralmente bilateral, irreversível e progressiva com o tempo de exposição ao ruído.

21 Onde ocorre a perda auditiva? Perda total Perda parcial Preservada Adaptada. Disponível em: (Acesso em: 20 nov )

22 Ação do ruído sobre o aparelho auditivo  Perda de audição  Fadiga auditiva  Distorção dos sons  Aparecimento de tonalidades metálicas  Formação de entalhes Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

23 Efeitos fisiológicos  Dilatação da pupila  Concentração dos vasos sanguíneos  Aumento do ritmo do batimento cardíaco  Concentração muscular  Aumento da produção de adrenalina  Desequilíbrio do ciclo menstrual  Impotência sexual – homem / mulher  Zumbido nos ouvidos  Cansaço geral  Dores de cabeça

24 Efeitos de natureza psicológica  Irritabilidade  Apatia  Mau-humor  Medo  Insônias Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

25 Efeitos no trabalho  Produtividade  Ocorrência de acidentes  Gravidade dos acidentes  Conflitos laborais  Queixas individuais  Inteligibilidade Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

26 Níveis permissíveis de exposição NPS (dB) Máxima exposição diária 858 horas 867 horas 876 horas 885 horas 894 horas 904 horas 952 horas 1001 hora minutos minutos 1157 minutos NR 15

27 Perda auditiva Quais os tipos de ruído que você acha que são prejudiciais a audição ?

28 Tipos de ruído

29 Ruído industrial Disponível em: (Acesso em: 8 mar )

30 Ruído urbano Disponível em: (Acesso em: 8 mar )

31 Lazer Disponível em: (Acesso em: 8 mar )

32 Encontros religiosos Disponível em: (Acesso em: 8 mar )

33 Eletrodomésticos Disponível em: (Acesso em: 8 mar )

34 Máquinas e ferramentas Disponível em: (Acesso em: 9 mar. )2010.

35 Saúde auditiva  Você costuma pedir para que as pessoas repitam o que acabaram de falar?  Você prefere o volume da TV ou do rádio mais alto do que os demais?  Você sente dificuldades durante conversas ao telefone?

36 Saúde auditiva  Você escuta o que as pessoas falam mas não entende?  Você percebe o barulho da campainha e do telefone?  Você sente dores ou zumbido nos ouvidos?

37 Se você respondeu sim para alguma das questões, é recomendável que procure maiores esclarecimentos. Médico Otorrinolaringologista ou Fonoaudiólogo Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

38 Agradecemos sua participação e esperamos você na próxima aula.

39 Curso Proteção Auditiva - Série Solução SST- Aula 2 Departamento Regional Coordenadoria de Educação Local, 00 de mês de 2010.

40 Resgatando os principais pontos vistos na aula 1:  Você foi informado da diferença entre som e ruído.  Você conheceu os níveis de ruídos prejudiciais à saúde.  Você apreendeu que os ruídos prejudiciais estão em toda parte e que é necessário estar alerta a esse tipo de exposição.

41 Intervenção na fonte emissora  Consiste no controle ou redução da emissão de ruído de máquinas e equipamentos.

42 Intervenção sobre a propagação  Consiste na utilização de barreiras sonoras, através de blindagens ou barreiras, utilização de silenciadores e tratamento fonoabsorventes.

43 De que forma podemos nos proteger do ruído? Disponível em: (Acesso em: 20 nov )

44 PROTEÇÃO COLETIVA - Enclausuramento Disponível em: (Acesso em: 15 mar )

45 PROTEÇÃO COLETIVA – Absorção acústica Disponível em: (Acesso em: 15 mar )

46  Redução do tempo de exposição.  Cabines acústicas.  Rodízio de atividade.  Educação e treinamento do funcionário.  Aquisição de equipamentos menos ruidosos. Intervenção sobre o trabalhador

47  Avaliações audiométricas periódicas.  Uso de equipamentos de proteção individual.  Controle de volume dos equipamentos sonoros coletivos ou individuais (controle não ocupacional). Intervenção sobre o trabalhador

48 Teste audiométrico – Nível de ruído  Todos os trabalhadores expostos a nível de ruído superior a 85 dB (A) devem ser submetidos a testes audiométricos periodicamente.  O primeiro exame audiométrico é realizado quando o trabalhador é contratado ou transferido para uma área ruidosa.

49 ? Protetor auricular O que é protetor auricular ?

50 Conceito  É uma barreira acústica para proteger a orelha. Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

51 Protetor auricular Que tipos de protetores auriculares você conhece?

52 Tipos de EPIs De acordo com a NR 6:  Protetor auditivo circum-auricular;  Protetor auditivo de inserção;  Protetor auditivo semi-auricular.

53 Uso correto do EPI Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

54 Tipo circum-auricular (abafadores; concha) Tipo inserção-moldável Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

55 Tipo semi-auricular Tipo inserção - pré-moldado Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

56 Higienização e conservação do EPI Disponível em: (Acesso em 10 mar )

57 Tipo inserção-moldável Tipo circum-auricular (abafadores; concha) Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

58 Tipo semi-auricular Tipo inserção-pré-moldado Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

59 Recomendações gerais  O protetor deve ser usado durante todo o período do trabalho em ambientes com ruído.  Não manusear o protetor com as mãos sujas.  Limpar o protetor periodicamente de acordo com as recomendações recebidas.

60 Dificuldades de uso  Higiene, especialmente para tipo plugue.  Desconforto.  Dificuldade de comunicação verbal.  Dificuldade na localização direcional do som.  Sinais de alarme.  Segurança.

61 Quais os benefícios do uso do protetor? Trabalhador que se cuida e que se gosta usa protetor auditivo corretamente durante todo o período de exposição, pois conhece o efeito irreversível do ruído no sistema auditivo.

62 Atividade em grupo

63 Para refletir Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja-se no trabalho e em casa! Disponível em: (Acesso em: 9 mar )

64 BRASIL. Portaria nº de 8 de junho de Aprova as normas regulamentadoras que consolidam as leis do trabalho, relativas à segurança e medicina do trabalho. NR-6. Equipamento de Proteção Individual – EPI. Manuais de Legislação Atlas. Segurança e Medicina do Trabalho. 64 a Edição. Atlas, São Paulo: 2009 FERNANDES, J. C. Apostila de Acústica e Ruídos. UNESP - Campus de Bauru - Faculdade de Engenharia Disponível em: Acesso em: 26 nov Referências

65 Obrigado pela atenção!


Carregar ppt "Curso Proteção Auditiva - Série Solução SST- Aula 1 Departamento Regional Coordenadoria de Educação Local, 00 de mês de 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google