A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

0 Performance da Vale em 2013 27 de fevereiro de 2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "0 Performance da Vale em 2013 27 de fevereiro de 2014."— Transcrição da apresentação:

1 0 Performance da Vale em de fevereiro de 2014

2 1  A Vale apresentou forte desempenho em 2013, com sólidos resultados em todos os seus negócios  Os benefícios dos nossos contínuos esforços de corte de custos, disciplina em investimentos e foco no core business ficaram mais evidentes  Em 2013 estabelecemos as bases para entregar crescimento de volume e de fluxo de caixa livre nos próximos anos MENSAGENS PRINCIPAIS

3 2  A Vale apresentou forte desempenho em 2013, com sólidos resultados em todos os seus negócios  Os benefícios dos nossos contínuos esforços de corte de custos, disciplina em investimentos e foco no core business ficaram mais evidentes  Em 2013 estabelecemos as bases para entregar crescimento de volume e de fluxo de caixa livre nos próximos anos MENSAGENS PRINCIPAIS

4 3 Lucro Básico US$ bilhões Lucro básico por ação (US$) 2,08 2,38 +15,4% O lucro básico aumentou 15,4% na comparação anual

5 4 EBITDA AJUSTADO¹ US$ bilhões Margem EBITDA ajustado (%) +18,2% 39,357,757,240,247,2 A geração de caixa, medida pelo EBITDA ajustado, alcançou US$ 22,7 bilhões em 2013, aumentando 18,2% em comparação com os US$ 19,2 bilhões em 2012 ¹ O EBITDA ajustado exclui ganho/perdas nas vendas de ativos e despesas não recorrentes e inclui dividendos recebidos por empresas afiliadas não consolidadas.

6 5 VOLUMES DE VENDAS Minério de ferro e Pelotas¹ Milhões de toneladas métricas Níquel '000 toneladas métricas Cobre '000 toneladas métricas Ouro '000 oz Rocha fosfática '000 toneladas métricas Recorde de volume de vendas de minério e pelotas (305,6 Mt), cobre ( t), ouro ( oz) e carvão (8,1 Mt), e a maior marca anual em níquel ( t) desde ¹ Excluindo volume atribuível à Samarco. Carvão Milhões toneladas métricas

7 6 VOLUMES DE PRODUÇÃO Recordes de produção em cobre ( t), ouro ( oz), carvão (8,8 Mt) e rocha fosfática (8,3 Mt) com a maior marca anual em níquel ( t) desde 2008 ¹ Excluindo a produção atribuível à Samarco. Minério de ferro¹ Milhões de toneladas métricas Níquel '000 toneladas métricas Cobre '000 toneladas métricas Ouro '000 oz Rocha fosfática '000 toneladas métricas Carvão Milhões toneladas métricas

8 7 REDUÇÃO DE CUSTOS E DESPESAS EM TODOS OS NEGÓCIOS US$ bilhões ¹ Custos e despesas líquidos de depreciação; efeitos da provisão da CFEM (US$ 542 milhões) no 3T12 excluídos das despesas de 2012 para efeitos de comparação. Custos e despesas, líquidos de depreciação, mostraram uma redução significativa em 2013, com economias de US$ 2,8 bilhões Redução de despesas em US$ 1,7 bilhões comparado a 2012, apesar da Vale ter registrado US$ 394 milhões de despesas não recorrentes associadas à parada de Rio Colorado

9 8 DIVIDENDOS E PROGRAMA DE RECOMPRA US$ bilhões Dividendo por ação (US$) 0,530,581,760,86 Distribuição de um sólido dividendo de US$ 4,5 bilhões em 2013 e compromisso com o dividendo mínimo de US$ 4,2 bilhões em 2014, equivalente a um dividend yield de cerca de 6%, considerando o preço atual da ação 1,15 Anunciado 0,81 Recompra

10 9 MENSAGENS PRINCIPAIS  A Vale apresentou forte desempenho em 2013, com sólidos resultados em todos os seus negócios  Os benefícios dos nossos contínuos esforços de corte de custos, disciplina em investimentos e foco no core business ficaram mais evidentes  Em 2013 estabelecemos as bases para entregar crescimento de volume e de fluxo de caixa livre nos próximos anos

11 10 COMPARAÇÃO DE CPV E DESPESAS US$ bilhões Ativos mais produtivos Redução, % Redução de 3,7% no CPV apesar do aumento do volume de vendas, diminuição de 38,6% no SG&A e redução no P&D de 44,9% CPV Organização mais enxuta SG&A Exploração e desenvolvimento de projetos focados P&D 3,7%38,6%44,9%

12 11 EVOLUÇÃO DOS INVESTIMENTOS¹ US$ bilhões Redução do Capex em US$ 2 bilhões em 2013 em relação a 2012 ¹ Sem pesquisa e desenvolvimento (P&D)

13 12 DESINVESTIMENTOS¹ US$ bilhões ¹ De nossos desinvestimentos de US$ 6,0 bilhões, US$ 3,9 bilhões foram recebidos em ² Inclui capitalização na VLI para financiar planos de crescimento. ³ Inclui Tres Valles (US$ 25 milhões), Fosbrasil (US$ 45 milhões), ativos de energia (US$ 88 milhões) e Log-In (US$ 99 milhões) Desinvestimentos de ativos non-core (US$ 6 bilhões), reinterando nosso contínuo comprometimento com o foco e simplificação de nossa base de ativos

14 13 MENSAGENS PRINCIPAIS  A Vale apresentou forte desempenho em 2013, com sólidos resultados em todos os seus negócios  Os benefícios dos nossos contínuos esforços de corte de custos, disciplina nos investimentos e foco no core business ficaram mais evidentes  Em 2013 estabelecemos as bases para entregar mais crescimento de volume e de fluxo de caixa livre nos próximos anos

15 14 RESOLUÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL O impacto do REFIS de R$ 14,814 bilhões (US$ 6,466 bilhões) foi menor do que o inicialmente estimado em novembro de 2013 de R$ 20,725 bilhões (US$ 9,029 bilhões). A redução decorreu da Lei /2013 que, com a alteração trazida pela MP 627/2013, determina em seu parágrafo 15 do artigo 40, explicitamente, que a redução de multas, juros e encargos do REFIS “não será computada na apuração da base de cálculo” para fins de imposto de renda no Brasil. REFIS – IMPACTO NO LUCRO LÍQUIDO R$ millhões Contingências sem o REFIS REFIS - estimativas de novembro 2013 REFIS realizado,Lei Principal REFIS(17.084) Deduções¹ Efeito líquido no imposto(8.775)(14.686)(8.775) Despesas financeiras² (27.916)(6.039) Efeito no lucro líquido(36.691)(20.725)(14.814) Resolução do imposto de renda e contribuição social sobre lucro de nossas subsidiárias estrangeiras, com a adesão ao acordo de refinanciamento de tributos federais (REFIS), sem aumentar níveis de dívida ¹ Inclui efeitos tributários de juros, juros sobre multas e encargos, assim como prejuízos acumulados. ² Multas, juros, juros sobre multas e encargos.

16 15 PROJETOS COMPLETADOS 2013 Conclusão de projetos necessários para o crescimento da produção de minério de ferro nos anos de 2014 a 2016 (Conceição Itabiritos, Carajás Planta 2, e CLN 150) e projetos essenciais de metais básicos (Long Harbour e Totten) CLN 150 Capacidade da ferrovia: 128 Mtpa Capacidade do porto: 151 Mtpa Capex executado: US$ 3,8 bi¹ Conceição Itabiritos Capacidade: 12 Mtpa Capex executado: US$ 1,030 bi¹ Totten Capacidade: tpa de Ni e tpa de Cu Capex executado: US$ 712 milhões¹ Long Harbour Capacidade: tpa Capex executado: US$ 4,2 bi¹ ¹ Capex executado até 2013

17 16 RAMP-UP DE PROJETOS Ramp-up de projetos de metais básicos (Salobo I perto de sua capacidade nominal, reinício de Onça Puma e progresso contínuo na Nova Caledonia) e Carajás Planta 2 ¹Antigo projeto Adicional 40 Mtpa. Carajás Planta 2¹ Beneficiamento a seco de 40 Mtpa de capacidade Licença operacional obtida em dezembro VNC Produção de t de níquel contido em NiO, NHC e t de cobalto em 2013 Onça Puma Alcançe de 62% de sua capacidade nominal em dez de 2013 Meta de produção de 2014 de t Ni Salobo I Alcançe de 84% de sua capacidade nominal em 2013 Produção de oz de ouro em 2013

18 17 PROGRESSO RECENTE NO TEMA DE CAVERNAS Progresso positivo na discussão sobre as cavernas com recente autorização para lavra de áreas adicionais na região de N4E, apoiando a meta de produção de 120 Mt em Carajás em 2014  Atuação contínua na: –Classificação da relevância de cavernas –Busca de aprovação para a supressão e compensação de cavernas –Redução da área de influência de cavernas  Autorização para minerar na área da mina N4E em Carajás concedida pelo IBAMA¹ em fevereiro de 2014  Autorização apoia o plano de produção de 120 Mt em Carajás em 2014 ¹ Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. N4E

19 18 LICENCIAMENTO DE S11D Concessão de todas as licenças de implementação para S11D e logística associada preparando o caminho para o crescimento da produção de minério de ferro a partir de 2016 Cavernas  Licença de instalação aprovada em julho de 2013  137 cavernas preservadas  Reservas de 30 anos de vida

20 19  Nossos indicadores de Saúde e Segurança melhoraram em 2013, com a Taxa Total de Frequência de Acidentes (TRIFR) caindo de 2,8 para 2,6¹  Manteremos o foco no negócio e a disciplina com custo e investimento para completar nossos projetos em curso e entregar o crescimento de volume  Estamos focados na geração de valor para os acionistas e comprometidos em usar o fluxo de caixa livre para apropriadamente reduzir o nosso nível de endividamento e distribuir dividendos crescentes para os nossos acionistas COMENTÁRIOS FINAIS ¹ Por milhões de horas trabalhadas.

21 20 TAXA TOTAL DE FREQUÊNCIA DE ACIDENTES (TRIFR)¹ ¹ Definição TRIFR da Vale. Por milhão de horas trabalhadas. O nosso foco em Saúde e Segurança dá suporte ao bom desempenho anual alcançado. Nossos indicadores de saúde e segurança melhoraram em 2013 com a taxa total de frequência de acidentes (TRIFR) caindo de 2,8 para 2,6 Apesar de todos os nossos esforços, ainda temos um árduo caminho pela frente e estamos fortemente focados em atingir a meta de zero acidente em nossas operações.

22 21 CRESCIMENTO ESPERADO DE VOLUME (MINÉRIO DE FERRO) Milhões de toneladas Nós manteremos o foco no negócio e a disciplina com custo e investimentos, enquanto trabalhamos vigorosamente para completar nossos projetos em curso e entregar crescimento de volumes Compras de terceiros Produção

23 22 FLUXO DE CAIXA LIVRE (2013) US$ bilhões ¹ Fluxo de caixa das atividades operacionais, excluindo os efeitos do REFIS e gold stream. O gold stream está incluído completamente (US$ 1,9 bilhão) nos desinvestimentnos. ² Capex relacionado a projetos de crescimento e manutenção, com base em desembolsos financeiros. ³ Fluxo de caixa livre: fluxo de caixa antes de adições/pagamentos de dívida e pagamentos aos acionistas. Estamos focados na geração de valor para os acionistas e comprometidos em usar o fluxo de caixa livre para apropriadamente reduzir o nosso nível de endividamento e distribuir dividendos crescentes para os acionistas

24 23 Anexo

25 24 Reconciliação do lucro líquido básico 2013 US$ milhões ¹ Inclui ganhos na venda de ativos (- US$ 424 milhões) e investimentos (US$ 41 milhões), fair value de instrumentos financeiros mantidos a venda (US$ 214 milhões) e outros (US$ 27 milhões).

26 25


Carregar ppt "0 Performance da Vale em 2013 27 de fevereiro de 2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google