A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Conceitos e Terminologia Musical.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Conceitos e Terminologia Musical."— Transcrição da apresentação:

1 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Conceitos e Terminologia Musical

2 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 2 Notação Musical  Evolução Transmissão Oral Idade Média –Neumas e Melismas (Canto Gregoriano) –Aparecimento das linhas da Pauta Período Barroco –Estabilização da notação musical utilizada hoje em dia  Notação Musical Convencional Emprega símbolos espacialmente posicionados para denotar altura, duração, intensidade, articulação, andamento e outros parâmetros relativos à execução musical

3 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 3 Noções Básicas

4 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 4 Parametrização  Altura  Freqüência da fundamental  Andamento e Duração  Duração em segundos  Ritmo (Compasso)  Agrupamento temporal das figuras e/ou notas  Tonalidade  Sequenciamento em altura de escalas com 7 de notas (Música Ocidental)  Dinâmica  Intensidade sonora

5 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 5 Altura  Atributo da sensação auditiva a partir do qual o som pode ser ordenado em uma escala musical  Audição Humana Logarítmica Extensão:  20 a Hz Podemos distinguir  mudanças de freqüência Escalas Musicais Ocidentais tradicionais utilizam somente 120 freqüências divididas em –10 blocos com 12 notas (oitavas) –agrupadas de 7 em 7 (Tonalidades)

6 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 6 66 Hz Freqüência 89 Hz 132 Hz 198 Hz 264 Hz Oitava  Intervalo entre duas freqüências com razão 2:1  Sensação auditiva de mesma nota em alturas diferentes Dó1 Ré1 Mi1 Fá1 Sol1 Lá1 Si1 Dó2 Ré2 Mi2

7 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 7 Divisão da Oitava  Na Música Ocidental tradicional, divide-se em 12 intervalos iguais denominados semitons (2 semitons = 1 tom) 7 notas (do, re, mi, fá, sol, lá, si) Alterações (operadores) –Sustenido e dobrado sustenido para aumentar um semitom e um tom respectivamente –Bemol e dobrado bemol para baixar um semitom e um tom respectivamente vvvvvvvvvvvvvvv do re mi fásollási ª oitava ª oitava ª oitava dó#ré#fá#sol#lá#sustenidos rébmibsolblábsibbemóis Freqüência

8 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 8 Tonalidade  Tonalidade Determina o centro tonal: “7 notas principais” a serem usadas nas construção dos acordes e melodias, assim como ajuda a determinar as seqüências de acordes modulação = mudança de tonalidade  2 Modos (padrões para extração das “notas” entre as 12 que subdividem a oitava) Modo Maior –Tom, tom, semitom, tom, tom, tom, semitom Modo menor –Tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom vvvvvvvvvvvvvvv do re mi fásollási

9 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 9 Notação de Altura  Pauta Pauta 5 linhas horizontais –Altura de uma figura é indicada pelo seu posicionamento vertical nas linhas ou espaços  Claves Claves Definem as alturas a serem atribuídas a uma determinada pauta Clave de Sol Clave de Fá Clave de Do na 4 a linha Clave de Do na 3 a linha

10 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 10 Claves  Mais comuns: Sol e Fá Sol e Fá Pode-se utilizar linhas suplementares e/ou sinais de oitava linhas suplementares sinais de oitava

11 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 11 Claves  Alterações Alterações Sustenido e dobrado sustenido –Elevam um semitom e um tom respectivamente Bemol e dobrado bemol –Abaixam um semitom e um tom respectivamente Bequadro –Cancela sustenidos e bemóis

12 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 12 Convenções de Notação  Sistema Latino Do (Ut), Re, Mi, Fá, Sol, Lá, Si  Sistema Anglo-saxônico A, B, C, D, E, F, G (= lá, si, do, re, mi, fá, sol)  Lá central = 440 Hz e Do central = 261,63 Hz  Identificação das oitavas Identificação das oitavas

13 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 13 Duração  Duração de um som Lapso de tempo entre o início e o final do mesmo  Notação Figuras Rítmicas –Unidades de duração relativas e dependentes de um determinado andamento –Semibreve, mínima, semínima, colcheia, semicolcheia, fusa, semifusa e quartifusa /2 1/4 1/8 1/16 1/32

14 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 14 Duração Ponto: aumenta a duração da nota (figura ou pausa) em 50%Ponto: Pausas

15 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 15 Andamento ou Tempo  Indicador da velocidade de execução das notas e/ou figuras  2 Formas Precisa: semínimas por minuto –MetrônomoMetrônomo Subjetiva –Largo –Adagio –Andante –Moderato –Allegro –Presto

16 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 16 Compassos  2 ritmos básicos Binário e Ternário  Indicação do ritmo e unidades de medida  3 tipos Simples –(Unitário), Binário, ternário e quaternário com seus múltiplos Composto –Numerador divisível por 3 Alternado ou misto  Expresso em forma de fração (sem a linha horizontal) onde: Fração = Unidade de compasso com semibreve = 1 (4/4) Numerador = número de tempos quando simples ou misto 1/Denominador = unidade de tempo quando simples ou misto  São delimitados na pauta por barras de compasso verticais

17 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 17 Dinâmica  Dinâmica Magnitude da sensação auditiva produzida por um estímulo sonoro Depende primariamente da intensidade do estímulo sonoro Notação musical é relativa e subjetiva –Pianisissimo (ppp) –Pianissimo (pp) –Piano (p) –Mezzo piano (mp) –Mezzo forte (mf) –Forte (f) –Fortissimo (ff) –Fortisissimo (fff) –Crescendo ( ) –Acentos diversos

18 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 18 Colocando Tudo Junto: Melodia, Harmonia e Contraponto  Série sucessiva (Melodia) e/ou simultânea (Harmonia) de sons com significado e estrutura definidos de acordo com as leis da melodia, harmonia e ritmo  Melodia Sucessão de sons organizados rítmica e tonalmente  Harmonia Combinação de acordes tonalmente concordantes com a melodia  Contraponto Superposição harmonicamente consistente de melodias

19 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 19 Classificação dos Intervalos  Quanto ao número de notas Segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sétima, oitava, etc...  Quanto ao número de semitons Maiores e menores ou justos, aumentados, diminutos, super-aumentados e sub-diminutos  Uníssono = mesma nota  Enarmonia = mesmo som, nomes diferentes vvvvvvvvvvvvvvv do re mi fásollási

20 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 20 Intervalos  2 sons sucessivos = Intervalo melódico  2 sons simultâneos = Intervalo harmônico  Consonância e Dissonância Razões de freqüência com pequenos inteiros são consonantes  Intervalos consonantes Terças e sextas maiores e menores e todos os justos, os outros são dissonantes

21 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 21 Acordes  Formação de Acordes 3 ou mais sons simultâneos Nota mais grave chama-se baixo ou fundamental As outras são designadas por seu intervalo em relação à fundamental (terça, quinta, sétima,...) Os mais simples são as tríades (3 notas) Exemplos: –Do maior = do mi sol –Re menor = re fá lá Podem ser representados por cifras –A, C7M, Dm7(9),  Campo harmônico cada grau de uma escala possui os seus acordes associados de 3 ou mais sons

22 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 22 Afinação e Instrumentos

23 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 23 Afinação  Vibração de uma corda produz nodos de vibração múltiplos inteiros da fundamental (harmônicos)  Série Harmônica Fundamental, 2f, 3f, 4f, 5f, 6f, 7f, etc...

24 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 24 Afinação  Razões de Freqüência 2:1, 3:2, 4:3, 5:3, 5:4, 6:5, 8:5, etc... –2:1 = oitava  Intervalo Espaçamento em altura (freqüência) entre duas notas (sons)  Escala Série de sons ordenados ascendentemente com intervalos de freqüência definidos a partir da série harmônica

25 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 25 Afinação  Processo de seleção e ajuste da freqüência dos sons de uma escala musical  A Escala extraída diretamente da série harmônica é denominada Escala de Afinação Justa  Implementação e/ou execução de instrumentos musicais justos é complicada  Escala utilizada musicalmente é denominada Escala de Afinação Temperada  Alguns instrumentos são capazes de execução justa

26 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 26 Escala de Afinação Justa  Escala Musical que emprega intervalos de freqüência representados pelas razões com inteiros pequenos da série harmônica

27 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 27 Dificuldade Principal  O número de freqüências necessárias à execução em todas as tonalidades torna impraticável a construção e execução de instrumentos musicais com sons prefixados vvvvvvvvvvvvvvv do re mi fásollási

28 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 28  Temperamento Redução por arredondamento, dos intervalos formados a partir da afinação justa  A oitava é dividida em 12 intervalos com razões de freqüência idênticas 1, f, f2, f3, f4, f5, f6, f7, f8, f9, f1o, f11, f12 onde f12 = 2 ou  1 Semitom:  Intervalo temperado:  Pode-se utilizar centésimos Uma oitava = 1200 centésimos Um semitom = 100 centésimos Escala de Afinação Temperada vvvvvvvvvvvvvvv do re mi fásollási

29 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 29 Afinação Temperada  /* Escala.c */  #include  void main()  {  FILE *arq;  int i;  double base = ;  clrscr();  if ((arq = fopen(".\\esc.txt","w")) == NULL)  fprintf(stderr,"\nNao pude abrir o arquivo\n");  for (i=-2;i < 129;i++)  {  base = base * pow(2,1.0/12.0);  fprintf(arq,"\n midi[%3d] = %15.9lf;",i,base);  printf ("\n midi[%3d] = %15.9lf;",i,base);  }  fprintf(arq,"\n");  fclose(arq);  exit(0);  }

30 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 30 Instrumentos Musicais  Sistema mecânico, elétrico, eletrônico ou digital capaz de produzir um ou mais sons (musicais)  Tipos Cordas –Dedilhadas –Friccionadas –Percutidas Sopros –Embocadura livre –Palheta simples e dupla –Bocal –Cordas Vocais Percussão –Altura definida e Altura indefinida Elétricos, eletrônicos e Digitais

31 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 31 Resposta em freqüência de alguns instrumentos Obs: inclui todos os parciais!

32 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 32 Faixa de Intensidade

33 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 33 Faixas de freqüência e intensidade O que os seres humanos escutam

34 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 34 Envoltória

35 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 35 Timbre  Conteúdo Espectral  Caracteriza-se por: Quantidade, intensidade, distribuição e relação de fase dos parciais Envoltória dos mesmos  Pode variar segundo outros fatores Modo de excitação (maneira de tocar) Acústica do ambiente Ressonância do sistema Resposta de freqüência do sistema

36 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 36 Fim


Carregar ppt "Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Conceitos e Terminologia Musical."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google