A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Artculturabrail.blogspot.com Adriana Leite & Telma Paes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Artculturabrail.blogspot.com Adriana Leite & Telma Paes."— Transcrição da apresentação:

1 Artculturabrail.blogspot.com Adriana Leite & Telma Paes

2 ► É considerada o marco inicial do Modernismo no Brasil. ► Ocorreu nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro de ► Foi uma exposição de arte: música, pintura, escultura, literatura, conferências etc. ►Significou um divisor de águas para a arte brasileira.

3 1922 é o ano do centenário da independência política do Brasil. Simbolicamente, A Semana de Arte Moderna representa o início de um processo que busca uma independência cultural, uma identidade própria.

4

5 “O Modernismo no Brasil foi uma ruptura, foi um abandono de princípios e técnicas consequentes, foi uma revolta contra o que era a inteligência nacional. Foi essencialmente um movimento preparador, o criador de um estado de espírito revolucionário e de um sentimento de arrebentação.” Mário de Andrade.

6 Oswald e Mário de Andrade formam as pilastras do Modernismo brasileiro. Foram os que com maior consistência realizaram o projeto maior da 1ª fase modernista: destronar a cultura acadêmica e parnasiana e definir as bases de uma nova literatura brasileira.

7

8 Os modernistas não tinham um projeto artístico comum; unia-os o sentimento de liberdade de criação, o desejo de romper com a cultura tradicional (parnasiana), e uma constante busca pela identidade brasileira nas artes nacionais.

9 “E vivemos uns oito anos, até perto de 1930, na maior orgia intelectual que a história artística do país registra ”.(Mário de Andrade). Foi um período rico em manifestos, publicação de revistas, formação de grupos e apresentação de propostas modernas.

10

11

12 ► Liberdade de Expressão: arte sem modelo estabelecido. “O artista deve estar em constante pesquisa estética e renovação.” Mário de Andrade. ►Nacionalismo Crítico: valoriza os aspectos positivos e negativos da realidade nacional. “Sou brasileiro Mas do Brasil sem colarinho Do Brasil negro Do Brasil índio”. Sérgio Milliet.

13 ► Verso livre: sem métrica (medida do verso), definida, regular; verso branco (sem rima). ►Linguagem Coloquial: expressa a realidade linguística do povo brasileiro a ser valorizada como identidade nacional. Vício na fala Para dizerem milho dizem mio Para melhor dizem mió Para pior dizem pió Para telha dizem teia Para telhado dizem teiado E vão fazendo telhados Oswald de Andrade.

14 ►Poema Paródia: consiste na proposta moderna de revisão crítica de nosso passado histórico literário. Significou uma releitura de textos históricos, literários em abordagem crítica, irônica. : Canto de regresso à pátria Minha terra tem palmares Onde gorjeia o mar Os passarinho daqui Não cantam como os de lá Minha terra tem mais rosas E quase que mais amores Minha terra tem mais ouro Minha terra tem mais terra Mário de Andrade.

15 ►Temas extraídos do cotidiano: episódios simples, prosaicos da vida cotidiana, passam a ser motivo para a criação poética. Assim, os escritores negavam a postura artística voltada temas universais, eruditos. Uma cidadezinha qualquer “Casas entre bananeiras Mulheres entre laranjeiras Pomar, amor, cantar. Um homem vai devagar. Um cachorro vai devagar Um burro vai devagar. Devagar as janelas olham. Eta vida besta, meu Deus”. Carlos Drummond de Andrade. Cidadezinha Qualquer

16 ► Ao lado de Mário e Oswald de Andrade, compõe a tríade maior da 1ª fase modernista. ► Foi responsável pela divulgação e solidificação do modernismo no Brasil. ►Seus poemas registram lirismo poético quase abandonado na 1ª fase moderna.

17 O próprio poeta confessou ter descoberto a poesia (não como leitor, mas como poeta) por acaso, na condição de doente em repouso, distante da vida prática e cheia de aventuras dos adolescentes de sua época.

18 “ Vou-me embora pra Pasárgada” foi o poema de mais longa gestação em toda minha obra. Vi pela primeira vez esse nome de Pasárgada quando tinha os meus dezesseis anos e foi num autor grego. [...] Esse nome de Pasárgada, que significa “campo dos persas”, suscitou na minha imaginação uma paisagem fabulosa, um país de delícias [...]. Mais de vinte anos depois, quando eu morava só na minha casa da Rua do Curvelo, num momento de fundo desânimo, da mais aguda doença, saltou-me de súbito do subconsciente esse grito estapafúrdio: “Vou-me embora pra Pasárgada!”. (Manuel Bandeira

19 Vou-me embora pra Pasárgada Lá sou amigo do rei Lá tenho a mulher que eu quero Na cama que escolherei Vou-me embora pra Pasárgada

20 Aqui eu não sou feliz Lá a existência é uma aventura De tal modo inconseqüente Que Joana a Louca de Espanha Rainha e falsa e demente Vem a ser contraparente Da nora que nunca tive

21 E como farei ginástica Andarei de bicicleta Montarei em burro brabo Subirei no pau-de-sebo Tomarei banhos de mar! E quando estiver cansado Deito na beira do rio Mando chamar a mãe- d’água Pra me contar histórias Que no tempo de eu menino Rosa vinha me contar Vou-me embora pra Pasárgada

22 Em Pasárgada tem tudo É outra civilização Tem um processo seguro De impedir a concepção Tem telefone automático Tem alcalóide à vontade Tem prostitutas bonitas Para a gente namorar

23 E quando eu estiver mais triste Mas triste de não ter jeito Quando de noite me der Vontade de me matar Lá sou amigo do rei – Terei a mulher que eu quero Na cama que escolherei Vou-me embora pra Pasárgada

24 Os temas mais comuns em sua obra, são frutos da experiência marcada pela doença, e solidão. Entre estes, podemos destacar: paixão pela vida, família, Recife, infância, amor, erotismo, solidão, angústia existencial, cotidiano, infância, crítica social, além do humor, ironia presentes em seus versos.

25 Pneumotórax Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos. A vida inteira que podia ter sido e que não foi. Tosse, tosse, tosse. Mandou chamar o médico: - Diga trinta e três. - Trinta e três... trinta e três... trinta e três... - Respire. - O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado. - Então, doutor, não é possível tentar Pneumotórax? - Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.

26 Profundamente Quando ontem adormeci Na noite de São João Havia alegria e rumor Estrondos de bombas luzes de Bengala Vozes, cantigas e risos Ao pé das fogueiras acesas. No meio da noite despertei Não ouvi mais vozes nem risos Apenas balões Passavam, errantes

27 Silenciosamente Apenas de vez em quando O ruído de um bonde Cortava o silêncio Como um túnel. Onde estavam os que há pouco Dançavam Cantavam E riam Ao pé das fogueiras acesas? — Estavam todos dormindo Estavam todos deitados Dormindo Profundamente.

28 Quando eu tinha seis anos Não pude ver o fim da festa de São João Porque adormeci Hoje não ouço mais as vozes daquele tempo Minha avó Meu avô Totônio Rodrigues Tomásia Rosa Onde estão todos eles? — Estão todos dormindo Estão todos deitados Dormindo Profundamente.

29

30


Carregar ppt "Artculturabrail.blogspot.com Adriana Leite & Telma Paes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google